quinta-feira, 19 de julho de 2018

LULA QUESTIONA SEUS ALGOZES: POR QUE VOCÊS TÊM MEDO QUE EU FALE?

Ricardo Stuckert

 (247)

"Aqueles que não querem que eu fale, o que vocês temem que eu diga? O que está acontecendo hoje com o povo? Não querem que eu discuta soluções para este país? Depois de anos me caluniando, não querem que eu tenha o direito de falar em minha defesa? (...) É para isso que vocês, os poderosos sem votos e sem ideias, derrubaram uma presidente eleita, humilharam o país internacionalmente e me prenderam com uma condenação sem provas, em uma sentença que me envia para a prisão por 'atos indeterminados', após quatro anos de investigação contra mim e minha família? Fizeram tudo isso porque têm medo de eu dar entrevistas?". Indaga o ex-presidente Lula em artigo publicado nesta quinta-feira no jornal Folha de São Paulo
Leia a íntegra do artigo do ex-presidente Lula: 
"Estou preso há mais de cem dias. Lá fora o desemprego aumenta, mais pais e mães não têm como sustentar suas famílias, e uma política absurda de preço dos combustíveis causou uma greve de caminhoneiros que desabasteceu as cidades brasileiras. Aumenta o número de pessoas queimadas ao cozinhar com álcool devido ao preço alto do gás de cozinha para as famílias pobres. A pobreza cresce, e as perspectivas econômicas do país pioram a cada dia 
Crianças brasileiras são presas separadas de suas famílias nos EUA, enquanto nosso governo se humilha para o vice-presidente americano. A Embraer, empresa de alta tecnologia construída ao longo de décadas, é vendida por um valor tão baixo que espanta até o mercado. 

Um governo ilegítimo corre nos seus últimos meses para liquidar o máximo possível do patrimônio e soberania nacional que conseguir —reservas do pré-sal, gasodutos, distribuidoras de energia, petroquímica—, além de abrir a Amazônia para tropas estrangeiras. Enquanto a fome volta, a vacinação de crianças cai, parte do Judiciário luta para manter seu auxílio-moradia e, quem sabe, ganhar um aumento salarial.

Semana passada, a juíza Carolina Lebbos decidiu que não posso dar entrevistas ou gravar vídeos como pré-candidato do Partido dos Trabalhadores, o maior deste país, que me indicou para ser seu candidato à Presidência. Parece que não bastou me prender. Querem me calar.

Aqueles que não querem que eu fale, o que vocês temem que eu diga? O que está acontecendo hoje com o povo? Não querem que eu discuta soluções para este país? Depois de anos me caluniando, não querem que eu tenha o direito de falar em minha defesa?

É para isso que vocês, os poderosos sem votos e sem ideias, derrubaram uma presidente eleita, humilharam o país internacionalmente e me prenderam com uma condenação sem provas, em uma sentença que me envia para a prisão por "atos indeterminados", após quatro anos de investigação contra mim e minha família? Fizeram tudo isso porque têm medo de eu dar entrevistas?

Lembro-me da presidente do Supremo Tribunal Federal que dizia "cala boca já morreu". Lembro-me do Grupo Globo, que não está preocupado com esse impedimento à liberdade de imprensa —ao contrário, o comemora.

Juristas, ex-chefes de Estado de vários países do mundo e até adversários políticos reconhecem o absurdo do processo que me condenou. Eu posso estar fisicamente em uma cela, mas são os que me condenaram que estão presos à mentira que armaram. Interesses poderosos querem transformar essa situação absurda em um fato político consumado, me impedindo de disputar as eleições, contra a recomendação do Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas.

Eu já perdi três disputas presidenciais —em 1989, 1994 e 1998— e sempre respeitei os resultados, me preparando para a próxima eleição.
 
Eu sou candidato porque não cometi nenhum crime. Desafio os que me acusam a mostrar provas do que foi que eu fiz para estar nesta cela. Por que falam em "atos de ofício indeterminados" no lugar de apontar o que eu fiz de errado? Por que falam em apartamento "atribuído" em vez de apresentar provas de propriedade do apartamento de Guarujá, que era de uma empresa, dado como garantia bancária? Vão impedir o curso da democracia no Brasil com absurdos como esse?

Falo isso com a mesma seriedade com que disse para Michel Temer que ele não deveria embarcar em uma aventura para derrubar a presidente Dilma Rousseff, que ele iria se arrepender disso. Os maiores interessados em que eu dispute as eleições deveriam ser aqueles que não querem que eu seja presidente.

Querem me derrotar? Façam isso de forma limpa, nas urnas. Discutam propostas para o país e tenham responsabilidade, ainda mais neste momento em que as elites brasileiras namoram propostas autoritárias de gente que defende a céu aberto assassinato de seres humanos.

Todos sabem que, como presidente, exerci o diálogo. Não busquei um terceiro mandato quando tinha de rejeição só o que Temer tem hoje de aprovação. Trabalhei para que a inclusão social fosse o motor da economia e para que todos os brasileiros tivessem direito real, não só no papel, de comer, estudar e ter moradia.

Querem que as pessoas se esqueçam de que o Brasil já teve dias melhores? Querem impedir que o povo brasileiro —de quem todo o poder emana, segundo a Constituição— possa escolher em quem quer votar nas eleições de 7 de outubro?
 
O que temem? A volta do diálogo, do desenvolvimento, do tempo em que menos teve conflito social neste país? Quando a inclusão dos pobres fez as empresas brasileiras crescerem?

O Brasil precisa restaurar sua democracia e se libertar dos ódios que plantaram para tirar o PT do governo, implantar uma agenda de retirada dos direitos dos trabalhadores e dos aposentados e trazer de volta a exploração desenfreada dos mais pobres. O Brasil precisa se reencontrar consigo mesmo e ser feliz de novo.

Podem me prender. Podem tentar me calar. Mas eu não vou mudar esta minha fé nos brasileiros, na esperança de milhões em um futuro melhor. E eu tenho certeza de que esta fé em nós mesmos contra o complexo de vira-lata é a solução para a crise que vivemos."

Luiz Inácio Lula da Silva
Ex-presidente da República (2003-2010)

Blog do BILL NOTICIAS

Em Serrita, começa nesta quinta(19) a festa da Missa do Vaqueiro

   (C.Geral)

Já consagrada como a maior festa do Sertão pernambucano, unindo, de forma única, o sagrado e o profano, e preservando assim as tradições, a cultura e a fé do povo sertanejo, a 48ª edição da Missa do Vaqueiro de Serrita, localizada a 544 km de distância do Recife.
O evento será realizado entre os dias 19 e 22 de julho, com uma missa em homenagem ao vaqueiro Raimundo Jacó no último dia, tradicionalmente um domingo.
Na grade musical, nomes como Fulô de Mandacaru, Banda Magníficos, Josildo Sá e Coral Aboios. Ao todo, 12 atrações se apresentam, gratuitamente, no Parque Estadual João Câncio, no Sítio Lajes. Mais de 50 mil pessoas são esperadas durante a festa, que ainda promove diversas atividades culturais ligadas ao ofício do vaqueiro, como vaquejada, pega de boi, rodas de forró com sanfoneiros e apresentações de aboiadores e repentistas. O escritor Nelson Barbalho, um dos principais nomes da literatura e da história de Caruaru, será o homenageado (in memorian) desta edição. A escolha, segundo Helena Câncio, que comanda a organização do evento, é uma forma de celebrar o centenário do escritor que é o autor da música “A Morte do Vaqueiro” (tengo lengo tengo lengo tengo), eternizada na voz de Luiz Gonzaga e feita em homenagem à morte do vaqueiro Raimundo Jacó, primo de Gonzagão
A programação musical começa nesta quinta-feira (19), no distrito de Ipueira, com show de Epitácio Pessoa, músico nascido em Exu, terra de Luiz Gonzaga, sendo declaradamente um discípulo do Rei do Baião. Ele, que tocou durante anos com o mestre e hoje mantém viva sua herança, promete um show regado a muito forró pé de serra. Ipueira entra no roteiro da Missa pela interessante história do povoado, que já foi palco de um embate entre a família Xavier, tradicional na região, e o grupo de Lampião.
Na sexta-feira (20), é a vez de Donizete Batista, que será seguido pelos músicos Galego do Pajeú, Fábio Carneirinho, Ranieri e a Banda Arreio de Ouro. No palco secundário, intitulado de “Tenda”, um espaço destinado aos aboiadores, repentistas e trios de forró, o cantor Cosme do Acordeon abre a programação musical do dia. Vale ressaltar que o espaço ainda dá oportunidade para que artistas presentes na plateia possam participar das atividades. Uma vaquejada completa a programação da sexta.
No sábado (21) o público poderá conferir as atrações musicais mais esperadas da festa. Após Kinho Ramalho se apresentar na “Tenda”, é a vez do Coral Aboios subir ao palco principal do evento, no que já virou uma tradição da Missa do Vaqueiro. O coral, fundado há aproximadamente 18 anos, é formado por amigos, vaqueiros, que se apresentam vestidos a caráter, com a intenção de exaltar a vida e o ofício do vaqueiro. E a festa não para por aí, depois se apresentam Joquinha Gonzaga, o cantor Flávio Leandro e as grandes atrações da festa, a Banda Fulô de Mandacaru, que foi a grande campeã do Programa SuperStar, da Rede Globo, em 2016, ficando conhecida por levar o autêntico forró para todo o Brasil, e a Banda Magníficos, uma das maiores bandas de forró eletrônico do País, com mais de 20 anos de estrada e diversos sucessos na bagagem. No sábado ainda acontece mais uma vaquejada e a pega de boi de pé de porteira, na Fazenda Favinha, com distribuição de troféus e premiação total de R$ 10.000, sendo R$ 1 mil para o primeiro colocado.
A tradicional missa em homenagem ao vaqueiro Raimundo Jacó, cuja morte deu o mote para a criação do evento, acontece no domingo (22). Para a celebração e homenagens, participam do momento representantes religiosos e artistas, como Josildo Sá, Coral Aboios, Flávio Leandro, Mariana Aydar, os aboiadores Ronaldo, Fernando e Inácio e o repentista Pedro Bandeira.
Uma das novidades deste ano é que a infraestrutura do evento recebeu diversas melhorias para atender com mais conforto as milhares de pessoas que anualmente saem de suas cidades natal, em Pernambuco e em outros estados nordestinos, para prestigiar a tradicional festa. Inclusive, diversas caravanas, com integrantes que não perdem uma edição da Missa, já confirmaram presença no evento.
A Missa do Vaqueiro de Serrita é uma realização da Associação Rebanho Cultural, conta com patrocínio da Empetur e do Governo do Estado de Pernambuco. Entre os apoiadores, a Prefeitura de Serrita, a Fundação Padre João Câncio, Apega (Associação dos Vaqueiros de Pega de Boi), Santa Clara, Frisco e Associação Lula Gonzaga dos Forrozeiros do Brasil.

Sobre a história da Missa – Realizada anualmente sempre no quarto domingo do mês de julho, a Missa do Vaqueiro tem em suas origens uma história que foi consagrada na voz de Luiz Gonzaga: a de Raimundo Jacó, um vaqueiro habilidoso na arte de aboiar. Reza a lenda que seu canto atraía o gado, mas atraía também a inveja de seus colegas de profissão, fato que culminou em sua morte numa emboscada. O fiel companheiro do vaqueiro na aboiada, um cachorro, velou o corpo do dono dia e noite, até morrer de fome e sede.
A história de coragem se transformou num mito do Sertão e três anos após o trágico fim, sua vida foi imortalizada pelo canto de Luiz Gonzaga. O Rei do Baião, que era primo de Jacó, transformou “A Morte do Vaqueiro” numa das mais conhecidas e emocionantes canções brasileiras. Mas Gonzaga queria mais. Dessa forma, ele se juntou a João Câncio dos Santos – padre que ao ver a pobreza e as injustiças cometidas contra os sertanejos passou a pregar a palavra de Deus vestido de gibão – para fazer do caso de Jacó o mote para o ofício do vaqueiro e para a celebração da coragem
Assim, em 1970, o Sítio Lajes, em Serrita, onde o corpo de Jacó foi encontrado, recebe a primeira Missa do Vaqueiro. De acordo com a tradição, o início da celebração é dado com uma procissão de mil vaqueiros a cavalo, que levam, em honras a Raimundo Jacó, oferendas – como chapéu de couro, chicotes e berrantes – ao altar de pedra rústica em formato de ferradura.
A missa, uma verdadeira romaria de renovação da fé, acontece sempre ao ar livre e se assemelha bastante aos rituais católicos, porém contando com toques especiais que caracterizam o evento: no lugar da hóstia, os vaqueiros comungam com farinha de mandioca, rapadura e queijo, todos montados a cavalo.(Robério Sá)


Blog do BILL NOTICIAS

Mega-Sena acumula e próximo prêmio deve pagar R$ 62 milhões

   (C.Geral)
Mega-Sena, loterias, lotéricas

Nenhuma aposta acertou o prêmio principal do concurso 2.060 da Mega-Sena. As dezenas sorteadas foram: 08 – 09 – 11 – 25 – 39 – 41.
A estimativa da Caixa para o próximo sorteio é de um prêmio acumulado de R$ 62 milhões.

Blog do BILL NOTICIAS

Câmara aprova projeto que exige registro de blogs e portais jornalísticos

O Projeto de Lei 7945/17 é de autoria do deputado Maia Filho (PP-PI) e foi aprovado com um texto substitutivo do relator deputado Afonso Motta (PDT-RS) 
para a Lei dos Registros Públicos

foto: Greg Baker/AFP (foto: Greg Baker/AFP)
foto: Greg Baker/AFP

Jornais ou publicações periódicas digitais deverão ser inscritos no Registro Civil de Pessoas Jurídicas (RCPJ). A decisão foi aprovada na última quarta-feira (11) pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados.

O Projeto de Lei 7945/17 é de autoria do deputado Maia Filho (PP-PI) e foi aprovado com um texto substitutivo do relator deputado Afonso Motta (PDT-RS) para a Lei dos Registros Públicos.  A mudança foi feita porque o projeto original propunha que todos os veículos de comunicação digitais deveriam ser registrados. No entanto, Motta considerou que a proposta abrangeria também blogs e portais de pessoas físicas.

“Para os efeitos legais, consideram-se jornais ou periódicos digitais os conteúdos preponderantemente noticiosos ou informativos, produzidos, editados ou atualizados on-line ou com qualquer periodicidade, por empresas jornalísticas de que trata o art. 222 da Constituição Federal, e disponibilizados por meio da internet”, diz o trecho aprovado.

No caso de jornais ou outras publicações periódicas, impressos ou digitais, o registro deve conter o título do jornal ou periódico, sede da redação e administração.  Se digital, o registro do domínio na internet. Os jornais ou publicações que não fizerem o registro serão considerados irregulares e clandestinos. 

Ao Correio, o deputado Afonso Motta ressaltou que a medida não poderia cercear os direito de liberdade de expressão de blogs de pessoas físicas e falou da importância do registro dos veículos de comunicação no combate às fake news. “É um ato de formalização de veículos de comunicação eletrônicos que antes não tinham obrigatoriedade de registro, como já havia para o impresso. A partir disso, com os veículos é possível reconhecer os titulares, o que garante a responsabilidade pelo conteúdo publicado, ajudando a coibir a divulgação de notícias falsas”, finalizou.


Blog do BILL NOTICIAS

ADVOGADO GARANTE: LULA NÃO PRECISA DE PLANO B


“A possibilidade de reversão da inelegibilidade de Lula até a diplomação não configura algo exclusivo da situação do ex-presidente” disse o advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira, que atua na defesa de Lula, a Nathan Lopes, do UOL. Para ele, mesmo se o registro de Lula for rejeitado ele poderá concorrer e, se ganhar, ser diplomado e tomar posse.
Casagrande cita dois casos para sustentar sua opinião, ambos de 2016. Galileu Teixeira Machado, preso por fraude em licitação teve registro indeferido na eleição a prefeito de Divinópolis (MG), mas seu nome apareceu na urna e ele foi o mais votado. O STJ permitiu sua diplomação em 6 de dezembro e ele tomou posse. O candidato a prefeito de Macabu (RJ), Claudio Eduardo Barbosa Linhares, acusado de irregularidades em licitação, também estava preso, foi eleito e obteve liminar “por estar demonstrada a possibilidade de êxito de reversão de sua condenação nas instâncias superiores”.(247)


Blog do BILL NOTICIAS

SE NÃO ESTUPRAREM A LEI, LULA ESTARÁ NA PROPAGANDA ELEITORAL NA TV

REUTERS/Ueslei Marcelino

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço – Não podia, nem com a má vontade tradicional do Judiciário para com Lula o destino da ação que pedia a decretação 'antecipada' da inelegibilidade do ex-presidente, como, desde o início, já se apontou aqui.
A decisão de Rosa Weber de "não conhecer da ação" – traduzindo, mandar para o lixo – do tal Kim Kataguiri pedindo que Lula tivesse antecipadamente negado o direito de ser candidato – ao menos até que se indefira, e definitivamente, o seu registro – traz, porém, uma interessante questão a ser tratada na Justiça.
Se o Judiciário reconhece-lhe o direito de ser pré-candidato e, até, candidato, até que se (e se) negue definitivamente o registro de sua candidatura, que pode ser feito até 15 de agosto, como impedi-lo de, enquanto for candidato, fazer camapanha em condições de igualdade com outros, naquilo que não interferir com a (absurda) detenção provisória (sim, porque não está condenado com trânsito em julgado e, constitucionalmente, não é considerado culpado) em Curitiba?
A deformação do Direito, produzida pela decisão do STF ao decidir que a execução da pena "pode" ser feita a partir da condenação em 2ª instância (e sempre pôde, desde que houvessem razões de ordem pública ou de garantia do processo penal), decisão que foi transformada pelo TRF-4, ao decidir que ela "deve" ser executada, independentemente de fundamentação, criou este absurdo: Lula pode ser candidato, mas não pode agir como candidato.
Imaginemos o seguinte: a Justiça Eleitoral recebe, no dia 15 de agosto, o pedido de registro de Lula.
A partir daí, os partidos ou candidatos que quiserem impugná-lo têm cinco dias para propor uma Ação de Impugnação de Registro de Candidatura (art. 3° da lei 64/90). Mesmo valendo a impugnação anterior à publicação do edital de candidatos com registro pedido, como já decidiu o TSE, abre-se um prazo de sete dias para a contestação do impugnado (art. 4°).
Mesmo que se "pule" o prazo de alegações finais (mais cinco dias, segundo o art. 5°) já seriam 12 dias. Respeitados, como devem ser (Acórdão TSE, de 28.11.2016, no AgR-REspe nº 28623 e, de 15.9.2004, no REspe nº 22785) os prazos para as alegações finais, são mais cinco dias (art. 6°).
Seriam 17 dias. Mais, claro, os prazos para apresentação de recursos ( três dias, contados da sessão em que for decidida a ação)5 e de seus julgamentos, ponha mais alguns dias, isso "a toque de caixa".
Ocorre que a propaganda eleitoral começa, legalmente, no dia 16 de agosto e a gratuita, no rádio e na televisão, se inicia no dia 26 de agosto.
11 dias após, portanto, do pedido de registro eleitoral.
Portanto, salvo por um estupro da Lei, Lula poderá aparecer na propaganda eleitoral gratuita.
Mas como fazer isso se a juíza o proíbe de falar ou de gravar, como manda a lei, a sua participação nos horários eleitorais?
O arbítrio judicial cria estes paradoxos.
Legalmente, Lula tem direito a, ao menos, alguns dias de propaganda eleitoral no rádio e televisão. Mas não pode fazê-la, segundo a doutora que lhe serve de carcereira.
Alguém tem dúvidas do que prevalecerá? Ou, na improvável hipótese de algum ministro do TSE reconhecer a Lula que, como disse hoje Rosa Weber na decisão que mandou para o lixo os argumentos do Kim Kataguiri, que ""O Direito tem seu tempo, institutos, ritos e formas em prol basicamente da segurança jurídica, essencial", quem sabem o chamem de "plantonista"?

Blog do BILL NOTICIAS

MANUELA PODE VIRAR VICE DE LULA NESTA QUINTA

Ricardo Stuckert

Dirigentes de dois dos principais partidos de esquerda do País, PT e PCdoB, terão um encontro decisivo nesta quinta-feira, que poderá dar um novo rumo à corrida presidencial, com a formalização da primeira aliança de peso em torno da candidatura Lula. "Somos aliados históricos, queremos muito o PCdoB e eles têm uma possibilidade real de indicar a vice", aponta um dirigente do PT.
Ontem, houve um encontro entre dirigentes do PCdoB e do PDT, de Ciro Gomes, em que não se chegou a um acordo. Depois disso, a própria Manuela afirmou que o campo progressista terá quatro candidaturas independentes em 2018: a dela, a de Lula (ou de seu eventual substituto), a de Ciro Gomes e a de Guilherme Boulos.
No entanto, PT e PCdoB estiveram juntos em todas as disputas presidenciais desde 1989 e são aliados históricos e é muito provável que a aliança se repita. Se Manuela não for vice, outra hipótese é a formação de uma frente única dos partidos de esquerda, no Rio Grande do Sul, para que ela seja candidata ao governo estadual, contra José Ivo Sartori, do PMDB.(247)


Blog do BILL NOTICIAS

Depois de Juazeiro, autoridades de Petrolina também alertam para circulação de dinheiro falso na cidade

   (Por:C.Britto)
Cédula falsa apreendida pela Guarda Municipal de Petrolina. (Foto: Divulgação)


A prática ilícita de pessoas vendendo notas de dinheiro falsificado em grupos de redes sociais voltado ao público de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) tornou-se recorrente e está servindo para que as autoridades alertem sobre esse crime. Como este Blog mostrou no final de junho, a Polícia Federal (PF) iniciou uma investigação em Juazeiro para apurar a falsificação de dinheiro no município. De acordo com a PF, em menos de 30 dias, quatro golpes foram registrados na cidade. Até aquele momento, R$ 9.500 mil em cédulas falsas haviam sido apreendidos. Entre os golpes registrados, dois ocorreram durante a venda de veículos.
Desta vez, o alerta vem de Petrolina. Um homem foi visto em atitude suspeita nas imediações do Parque Municipal Josepha Coelho na manhã da última segunda-feira (16). Após revista pessoal, o efetivo da Ronda Ostensiva Municipal (ROMU) encontrou com ele uma cédula de R$ 100,00 com indícios de falsificação.
Conforme a Guarda Civil Municipal (GCM), depois de fazer uma consulta em uma casa lotérica, ficou constatado que a nota não era verdadeira. Nesse caso a situação só não se configurou em crime porque não foi constatada a tentativa de repasse do dinheiro, mas o homem e a cédula apreendida foram conduzidos até a Delegacia da PF, em Juazeiro, para que fossem prestados os devidos esclarecimentos.
Orientação
Diante do caso, o Sistema de Segurança Pública de Petrolina, através da Guarda Civil Municipal (GCM), faz um alerta à população sobre a circulação de dinheiro falso na cidade. É importante observar os elementos de segurança contidos nas cédulas de Real, como marca-d’água, o relevo e a textura do papel.
O secretário-executivo de Segurança Pública de Petrolina, José Silvestre, diz o que fazer em caso de suspeita sobre a autenticidade de uma cédula. “Se o dinheiro foi sacado em um banco, deve-se procurar o gerente para pedir providências para substituição. Se a origem do dinheiro se deu a partir de alguma transação do dia a dia, como o repasse de um troco no comércio local, recuse o dinheiro e peça a substituição. Em todo o caso, é importante procurar uma delegacia de polícia mais próxima para registrar a ocorrência“, explica Silvestre.
Crime
A falsificação é crime previsto pelo artigo 289 do Código Penal, com pena de 3 a 12 anos de prisão. Quem tentar colocar uma cédula falsa em circulação depois de tomar conhecimento de sua falsidade, mesmo que a tenha recebido de boa fé, pode ser condenado a uma pena de 6 meses a 2 anos de detenção.

Blog do BILL NOTICIAS

Bolsonaro é candidato com maior rejeição em Pernambuco, diz pesquisa

O levantamento aponta que 55% dos entrevistados disseram que não votariam de jeito nenhum nele

Foto: Arquivo / Agência Brasil
Foto: Arquivo / Agência Brasil

O índice de rejeição entre todos os pré-candidatos testados na pesquisa mostra que Bolsonaro, embora pré-candidato que desponte entre os primeiros colocados hoje em qualquer simulação, é campeão em rejeição no estado. 

O levantamento aponta que 55% dos entrevistados disseram que não votariam de jeito nenhum nele. Em segundo lugar aparece Collor, com 42%, seguido de Alckmin com 36%. 

Lula aparece em último lugar, com o menor índice de rejeição dentre todos os nomes testados: 12%. Fernando Haddad, nome que o substitui nas simulações feitas na pesquisa, é o nome com segunda menor rejeição dentre os testados, com 25%. Ou seja, a rejeição de Lula é menor que a metade do possível candidato que mais se aproxima dele nessa questão. 

A expectativa de vitória nas eleições presidenciais hoje é maior para Lula: 59% disseram acreditar que ele seria eleito o presidente do Brasil nas eleições deste ano. Em segundo lugar apareceu Bolsonaro, com 10%, seguido de Ciro Gomes com 3% e o restante com 1% ou menos.

A pesquisa avaliou ainda qual a expectativa da população quanto à candidatura de Lula. Apesar de estar preso em Curitiba, na sede da Polícia Federal, após condenado, 65% dos entrevistados acham que ele será candidato, um número maior que o registrado em junho, que foi de 58%. 

Do mesmo modo, 28% disseram que acham que Lula não será candidato, um número menor que os 35% registrados na pesquisa de junho da Datamétrica.



Blog do BILL NOTICIAS

JUÍZA SILENCIA LULA E DIZ QUE ENTREVISTAS DE PRESOS NÃO SÃO PRECEDENTE


A juíza da 12ª Vara Federal de Curitiba, Carolina Lebbos, negou nesta terça-feira 17 um pedido feito pelo fotógrafo Ricardo Stuckert para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva possa ser filmado e fotografado. Stuckert pedia para entrar na cela da Polícia Federal em Curitiba com equipamentos de foto e filmagem. O mesmo pedido já havia sido negado no dia 11 de julho.
Registre-se ainda que o fato de terem sido eventualmente realizadas entrevistas com outros presos em regime fechado de modo algum poderia significar autorização genérica ou precedente vinculativo", argumentou a magistrada, que recentemente negou também pedidos de veículos de imprensa para que Lula concedesse entrevistas como pré-candidato à presidência.
Para ela, "não se verificam argumentos ou fatos novos aptos a justificar a reconsideração do julgado ora impugnado pela via recursal". Em nome do fotógrafo, o advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira sustentou para a juíza que o objetivo da gravação "não diz respeito à prática de atos de campanha", mas ao "interesse público coletivo em ter conhecimento da situação do ex-presidente dentro do encarceramento".
Ele citou seis casos de presidiários em regime fechado que concederam entrevistas à imprensa, como Marcinho VP, condenado por tráfico de drogas, Nem da Rocinha, o ex-senador Luiz Estevão e Suzane Von Richthofen.(247)

Blog do BILL NOTICIAS

Pacientes do SUS vão receber notificações de consulta pelo celular

A nova versão do sistema, segundo o ministério, também permite registrar as vacinas aplicadas no prontuário eletrônico, permitindo armazenar todas as ações de saúde do usuário em um mesmo local.

  Por: Agência Brasil
Smartphone
SmartphoneFoto: Reprodução/Internet


Ministério da Saúde informou que uma nova versão do sistema e-SUS Atenção Básica será disponibilizada aos gestores do Sistema Único de Saúde (SUS). Com a atualização, os pacientes vão passar a receber notificações de consultas agendadas em unidades básicas de saúde pelo aplicativo da pasta.

A nova versão do sistema, segundo o ministério, também permite registrar as vacinas aplicadas no prontuário eletrônico, permitindo armazenar todas as ações de saúde do usuário em um mesmo local. Desta forma, de acordo com a pasta, o histórico do paciente poderá ser acessado em todos os serviços do SUS que estejam informatizados.

“Os dados são coletados de forma individualizada podendo ser identificados com o número do Cartão Nacional de Saúde (CNS) do cidadão por meio do e-SUS AB”, informou o ministério. 

A orientação do governo federal é que municípios que utilizam o Prontuário Eletrônico do Cidadão ou a coleta de dados simplificada usem a versão mais recente do sistema, garantindo a qualidade na transmissão de dados coletados. A atualização está disponível no site do Departamento de Atenção Básica.



Blog do BILL NOTICIAS

Prefeito Paulo Bomfim anuncia pacote de grandes obras para sede e interior de Juazeiro

  (Por:C.Geral)

Em uma concorrida solenidade que lotou o seu gabinete no Paço Municipal, o prefeito Paulo Bomfim anunciou na manhã desta terça-feira (17), mais um pacote de obras estruturantes para Juazeiro.  Com um investimento aproximado de R$ 24 milhões, beneficiando mais de 15 bairros e também distritos, as intervenções abrangem as áreas de infraestrutura, educação, saúde, esporte e lazer.
O evento integra a extensa programação desenvolvida pela Prefeitura de Juazeiro em comemoração aos 140 anos da cidade e contou com a presença da imprensa local, autoridades, lideranças comunitárias, integrantes da equipe de governo e comunidade. O prefeito Paulo Bomfim destacou a importância desse pacote intitulado de “10 Novas Obras Fundamentais para o Futuro da Cidade” por atenderem a demandas antigas da população, de lideranças políticas e comunitárias, obedecendo a um rigoroso critério de prioridades levantadas pela coletividade.
“Este é um momento extraordinário vivido por nossa gestão, que incansavelmente trabalha para melhorar cada vez mais a vida das pessoas. São obras estruturantes de imensurável relevância que mudarão Juazeiro em vários aspectos, no urbanístico, no paisagístico, na mobilidade, no social, no esportivo, na educação e no lazer. Algumas em parcerias com os governos estadual e federal, outras com recursos próprios dentro dessa imprescindível parceria com a população que vem fazendo a sua parte pagando o IPTU e demais impostos. Todas essas conquistas me deixam de cabeça erguida por estar cumprindo o compromisso firmado com o nosso povo, mas com a mesma humildade de sempre e entendendo que ainda temos muito mais por realizar”, concluiu Bomfim.
O secretário de Obras e Desenvolvimento Urbano (Sedur), Hemerson Guimarães, explica que algumas das intervenções anunciadas já estão em andamento. “Hoje iniciam as obras do CIE e já temos em andamento com a execução dos serviços iniciais as avenidas que compõem a requalificação do acesso principal ao bairro Pedra do Lord, além do acesso ao Distrito de Maniçoba. As demais obras estão em processo licitatório”, explicou o gestor da Sedur.
Centro de Iniciação ao Esporte (CIE)
Após a solenidade de anúncio das 10 obras o prefeito Paulo Bomfim visitou o início da obra do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE), que já tem ordem de serviço assinada e está com canteiro de obras montado na área externa do Ginásio de Esportes Aloísio Viana, no bairro Novo Encontro.
Confira a relação das obras anunciadas:
Estação do Saber – O prédio da antiga estação receberá uma grande reforma e abrigará escola municipal, espaços para atividades culturais, auditório, sala de audiovisual e áreas temáticas.
Requalificação da Av. Adolfo Viana – a principal avenida da cidade ganhará calçadas amplas por toda extensão, redimensionamento dos canteiros centrais e recuperação asfáltica nas áreas de intervenção, melhorando as condições de acessibilidade e mobilidade, facilitando a vida de pedestres e motoristas.
Requalificação da avenida da Pedra do Lord – Toda extensão da avenida receberá drenagem, ciclovias, calçadas e novo asfalto.
Parque da Cidade – Juazeiro ganhará o mais bonito parque da região, numa área de mais de 20 mil m², localizada no bairro Alto da Aliança, às margens do riacho urbano Malhada da Areia que está em processo de macrodrenagem e urbanização.
Reforma Geral do Mercado Joca de Souza Oliveira – Obra estimada em R$ 3,3 milhões com recursos do Governo do Estado e emendas parlamentares vai promover a requalificação total do Mercado.
Construção da sede do Instituto de Previdência de Juazeiro (IPJ) – O prédio que será construído na Orla de Juazeiro oferecerá condições adequadas de atendimento aos servidores ativos e inativos.
Novas Creches e Escolas – Programa Municipal Minha Escola Minha Vida – Será expandido com a construção de uma creche no Residencial São Francisco e uma escola no Residencial Dr. Humberto. O distrito de Carnaíba do sertão ganhará a segunda Escola de Tempo Integral do interior.
Requalificação do acesso de Maniçoba – Obra com recursos próprio do município já em execução.
Novas Praças – Serão construídas inicialmente 3 praças: Praça do Jardim São Paulo, Praça da Feira de Piranga I e praça da Igreja de Piranga II
Centro de Iniciação ao Esporte (CIE) – Obra em parceria com o Ministério do Esporte. As instalações ficarão na área externa do Ginásio de Esportes Aloísio Viana e contarão com um novo ginásio poliesportivo coberto, estruturas para atletismo, espaços para outras modalidades e área de apoio. (Ascom)

Blog do BILL NOTICIAS

GILBERTO CARVALHO: SÓ UM LEVANTE TIRA LULA DA PRISÃO

Agencia Brasil

Do Brasil de Fato - Graduado em filosofia, o paranaense Gilberto de Carvalho foi um dos mais próximos assessores e conselheiros do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2011, assumiu como Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, ficando durante todo o primeiro mandato da presidenta Dilma Rousseff. 
Hoje, Carvalho se dedica às ações de solidariedade ao ex-presidente, preso em Curitiba, desde o dia 7 de abril. Ao Brasil de Fato, o ex-ministro fala sobre a situação política pré-eleitoral no Brasil, o papel do Judiciário no golpe de estado em 2016 e as linhas gerais de um possível novo governo petista, a partir das eleições de 2018. Confira:
Além de companheiro de militância, assessor, consultor, o senhor é sobretudo um grande amigo do ex-presidente Lula. Como o senhor tem acompanhado a prisão dele nesses últimos meses?
Como não podia ser diferente, o primeiro sentimento é de muita tristeza porque o ser humano Lula é uma figura muito particular no aspecto da relação. Ele se relaciona muito com o outro, é uma pessoa muito aberta ao outro. Eu costumo dizer que a elaboração do pensamento do Lula, das formulações dele, das decisões, estão muito vinculadas ao diálogo. O pensamento do Lula não é um pensamento dedutivo como dos intelectuais, é um pensamento dialógico, ou seja, surge do diálogo. A coisa que ele mais faz é ouvir pontos de vista diferentes e depois, num dado momento, ele faz uma síntese. Ele sempre nos disse, quase como um bordão, que quanto mais se se ouve, mais você tem chance de acertar e menos chances de errar. E ele é incapaz de ficar sozinho. 
Eu lembro que quando estávamos na presidência, às vezes eu via que ele estava cansado e colocava uma folga no meio da agenda pra ele ficar sozinho no gabinete. E quando menos esperava tinha alguém lá dentro, que ele tinha mandado chamar pra conversar. Então para esse cara, a solidão é um fator muito cruel, custa muito. E ele só não entra em depressão porque ele tem uma força espiritual muito grande. Eu sempre digo que o Lula herdou da mãe dele uma energia… E eu tenho uma crença de que a mãe dele acompanha espiritualmente muito fortemente ele. Porque senão ele entraria numa depressão. Então tem esse aspecto que eu quero acentuar, da crueldade que é para um cara desses ficar sozinho. 
Além disso, tenho um sentimento de profunda revolta pela injustiça. Deve ser muito duro para ele ser encarcerado por alguma coisa que ele tem absoluta certeza de que ele não deve. O Lula, como todo ser humano, tem muitos defeitos, mas se tem um que não tem é o de se apropriar daquilo que não é dele. Esse cara nunca levou uma esferográfica para casa no governo. E por que? Porque é a virtude dele. A paixão dele é a política, a vocação dele é a política. A Marisa vivia reclamando muito pelo fato de que ele não cuidava das coisas da casa, da família, das preocupações materiais dos filhos. Ele era completamente absorvido pela questão da política. E para todos nós essa situação é difícil, sobretudo porque a gente sabe também que esta prisão se insere no esquema da perpetuação ou da continuidade do golpe.
Para o golpe, é essencial tirá-lo do páreo para que não haja uma interrupção desse processo elaborado internacionalmente e que se verifica no Brasil através dos traidores da pátria. Para eles, deixar o Lula solto e livre significaria uma grave ameaça à continuidade do projeto deles, porque ele ganharia a eleição. Então esse conjunto de sentimentos nos deixa muito mal. Ontem [domingo, 15/7] completaram 100 dias, ou seja, 100 amanheceres, 100 entardeceres, 100 noites em que ele está preso, longe do seu povo, sem poder fazer aquilo que é a paixão dele que é a política. Então tudo isso nos deixa muito revoltados, profundamente tristes mas, ao mesmo tempo, é uma injeção para que a gente não desanime. E nós vamos lutar até o final. 
Qual é a sua convicção em relação à possibilidade de Lula ser candidato nas eleições desse ano? 
Olha, nós faremos de tudo para transformar no mais alto custo possível essa tentativa deles de impedirem a candidatura do ex-presidente Lula. Eles ficam, através dos colunistas pagos por eles, tentando nos convencer a colocar um plano B. Não peçam para que nós pratiquemos esse absurdo, que é tirar o Lula da eleição, porque é o povo que quer o Lula na eleição.
No entanto, o episódio do domingo retrasado [8/7] não deixa dúvida de que eles não terão escrúpulos e farão o possível e o impossível, o legal e o ilegal, para impedir a candidatura dele. Por que? Porque está no cerne da lógica do golpe. Então vai ser uma batalha muito dura.
Não será nem a tecnicalidade, nem a competência dos advogados, que é importante, ou muito menos qualquer conversa com juízes, ministros, que vai tirá-lo da cadeia.
Só há uma forma de tirá-lo da cadeia: um levante popular, uma mobilização muito forte, uma radicalização do processo, seja de que forma for, que faça com que eles sintam que está ameaçada a estabilidade do país, e aí, por uma razão de força maior, libertem o Lula. Por isso que nós estamos apostando num processo de mobilização muito forte, daqui até o dia 15 de agosto. 
No dia 15 nós vamos à Brasília, e estamos convidando todo o povo brasileiro para que assuma esta tarefa: eu vou registrar Lula. E nós temos que colocar dezenas de milhares de pessoas lá, ao lado das outras mobilizações, da marcha que será feita pelos movimentos da Via Campesina, do dia 10, que esperamos que seja um dia de paralisação nacional, da greve de fome que começa agora no dia 31, na linha da radicalidade que nós queremos dar para essa luta. Só assim nós vamos tirar o Lula da cadeia. 
Como o senhor avalia o papel do Judiciário no atual contexto político do país?
Eu acho que os tempos de crise são tempos de grande aprendizado, são pedagógicos. Houve um tempo em que, para deter o avanço dos movimentos sociais e sobretudo de políticas progressistas, de governos progressistas, foi necessário que o capitalismo usasse a farda. Foi assim em 64 e sempre casado com uma forte atuação ideológica da mídia.
Getúlio foi cercado e levado ao suicídio por uma ação fortíssima da mídia que o isolou, sempre com o argumento da corrupção. O João Goulart, enquanto o seu governo crescia, foi fortemente cercado pela mídia e o tema, como no tempo de Getúlio, era a corrupção e o comunismo. Depois, com o Juscelino, fizeram toda a desconstrução que fizeram. Depois conosco, com o Lula, em 2005, tentaram fazer aquela grande campanha de mídia na época do mensalão.
E agora, o neoliberalismo, nessa versão que a gente pode chamar de pós-democrática, porque da democracia resta apenas a aparência. Na essência, a democracia e a Constituição são constantemente violadas, sempre que necessário. O neoliberalismo usa como instrumento fundamental, não mais a farda, mas a toga. 
Nós nunca tivemos ilusão quanto ao papel do Estado como máquina da dominação. E agora, de novo, a toga é usada. E assim como no regime militar se romperam os próprios princípios da cultura militar, foram para a linha da tortura, da perseguição, da morte, agora também o aparato da justiça violenta a justiça e aí vale tudo.
É o Moro que grava conversas entre o Lula e a Dilma, a Presidenta da República naquele então, e nada acontece. São os processos baseados na delação sem prova nenhuma e nada acontece. É o que o Brasil todo assistiu, aquele escândalo do domingo, em que uma ordem judicial não é cumprida e nada acontece. Ou seja, contra nós vale tudo. O que é perigosíssimo, porque com isso vai se verificando na cultura política e no judiciário do país um relativismo perigoso, além da ofensa permanente à Constituição. Então, eles estão plantando vento e em algum momento vão colher tempestade, eu não tenho dúvidas disso.
Eles estão brincando com fogo, usando a favor deles uma máquina que amanhã pode ser usada contra eles. Esse é o problema. Então a gente está muito preocupado com isso e lamentando muito. E vamos lutar como pudermos para devolver ao país o funcionamento constitucional que base para a democracia. 
Como um articulador dos governos Lula e Dilma, como o senhor acredita que seria um novo governo petista, caso esse seja o resultado das eleições? É possível pensar em uma composição de forças como a que sustentou os governos anteriores?
Como eu disse, todo momento de crise é um momento de aprendizado. De sofrimento profundo, mas de aprendizado também. É evidente que a crise joga uma luz sobre o nosso passado e no obriga a fazer uma releitura da maneira como nós trabalhamos. Nos faz ver os acertos, mas também reconhecer de maneira muito mais serena os nossos erros. Sem dúvida nenhuma, um dos nossos equívocos, mesmo naquela conjuntura, foi de confiar em alianças com setores que são inimigos da classe trabalhadora, e que, oportunisticamente, se acoplaram a nós quando viram que era irreversível a nossa vitória. 
Claro que tudo isso é muito complexo, porque sem uma aliança naquele momento com o José de Alencar, a gente possivelmente não teria vencido as eleições, e não teria governado. O problema não foi fazer alianças, elas eram necessárias, o problema foi que nós nos acomodamos naquele padrão de alianças, naquele padrão de governabilidade parlamentar e não construímos uma governabilidade social, não procuramos estimular a luta social, o sentido da organização, de fortalecer as organizações sociais, não fizemos processos de conscientização que fizessem com que as pessoas, ao se beneficiar das políticas daqueles governos, compreendessem que fizeram parte de um projeto que tinha começo, meio e fim, que tinha uma lógica, e portanto, deixamos de fazer com que as pessoas dessem um salto de qualidade e, com isso, depois, pudessem também fazer a defesa do nosso projeto, desse sustentação a ele.
De modo que, quando aqueles que oportunisticamente estiveram conosco resolveram nos trair, não havia base social suficiente para defender o nosso projeto. O povo faltou. O povo faltou no impeachment, o povo faltou na prisão do Lula. Mas não é culpa do povo. Nós pedimos apenas o voto das pessoas, nós não pedimos que as pessoas fossem organizar a luta.
E aí tem todo o problema do processo de comunicação que nós ignoramos, infelizmente. Não cultivamos uma mídia democrática, eu não falo de mídia estatal, nem partidária, mas do estímulo à mídia democrática. Preferimos financiar os grandes meios, que se tornaram, ironicamente, os nossos principais algozes, quando os interesses do capital financeiro que os sustenta e do qual eles fazem parte, estão associados, determinassem que viessem contra a gente. 
Então, o próximo governo deve ter uma outra feição. Primeiro, de construir essa governabilidade social fortemente. Segundo, evidentemente, não contar mais com forças que já mostraram que a qualquer momento se colocam contra os interesses populares.
Há muitos chamados de unidade das forças políticas da esquerda. O que falta para que essa unidade realmente se concretize?
A crise fez com que o próprio Partido dos Trabalhadores amadurecesse muito e retomasse uma aliança, na prática, com os movimentos, que se consolida na Frente Brasil Popular, na relação com a Frente Povo Sem Medo. Eu diria que nunca, desde que estou no partido, eu vi uma aproximação tão positiva do PT com os movimentos sociais. Eu nunca tinha visto essa parceria tão clara, como agora. Eu espero que ela se projete a frente, para dentro do governo. A própria elaboração do projeto de governo teve uma participação muito importante. 
Agora, por exemplo, eu percebo que nós temos poucos partidos querendo se aliar a nós, e isso é ruim do ponto de vista pragmático, eleitoral, pelo tempo de televisão, essa coisa toda, mas tem um aspecto positivo, que é o fato de ser uma aliança muito mais diretamente com o povo. 
Como o senhor analisa o comportamento da direita no Brasil e na América Latina, visto que há uma ofensiva em todo o mundo do conservadorismo político? 
Dá para dizer o seguinte: se nós estamos numa situação difícil, a situação do outro lado, da direita, é pior ainda. Porque eles vivem uma crise de orfandade, depois que o príncipe deles mostrou a que veio e se afundou na lama, que é o Aécio [Neves], que foi, no fundo, o principal expoente de tudo isso que se configurou no golpe.
É perceptível a enorme dificuldade deles, que sonharam ter um Macron, um capitalista moderno, travestido de uma roupagem mais moderna, e acordaram com o Bolsonaro. A expressão da direita hoje é Bolsonaro, que é o único que desponta com apoio popular, infelizmente, como próprio dessa tendência que não é só brasileira, essa coisa do corte fundamentalista, simplista, de resolver as questões todas na base da ação direta, da violência, de resolver todas as questões sem mediação, rompendo qualquer parâmetro de legalidade constitucional. 
Então eu diria que eles estão com um grande problema, e isso só faz aumentar a raiva contra nós e a ação contra nós. Porque se eles tivessem uma saída eleitoral mais viável, talvez eles fossem menos cruéis conosco, com o Lula. Eles deixariam que a disputa fluísse. Mas como eles têm a rigorosa certeza de que não têm alternativa e que o Lula, inevitavelmente, ganha a eleição, aumenta muito o teor de crueldade, de disposição de nos impedir de todo modo, como está ocorrendo nesse momento.
Infelizmente é verdade que há uma tendência no mundo todo de um processo em que a direita saiu do armário, que os valores conservadores tomaram forte destaque. Isso não é só na política, é na sociedade como um todo. Claro que quando a gente fala em tendência, não é um caminho único, e o México está aí para provar que não é bem assim.
Vendo a resistência venezuelana, a resistência boliviana, uruguaia, os vai-e-vens que acontece mesmo na Europa, não dá pra dizer que é uma tendência determinística, que todo o mundo vai para esse caminho. Você tem sempre contradições dentro desse processo. Então é hora de nós voltarmos a romper com a nossa burocratização, com o nosso afastamento do meio popular, e trabalharmos muito fortemente os processos de conscientização, de conversa com o povo. Porque o que o povo bebe dos meios de comunicação, das estruturas de funcionamento da sociedade, é o autoritarismo, a alienação, a cultura da violência, do sexismo, e assim por diante.
Para concluir, eu sempre digo que aqueles cunhados chatos que azedam a nossa macarronada no domingo em família são pessoas boas, são pessoas honestas, mas que têm como única fonte de informação a Rede Globo, a  revista Veja, enfim, esse tipo de informação e formação. E que, portanto, se nós não dermos conta de fazer um processo de contraofensiva hegemônica, nós vamos ter sempre dificuldades, porque o neoliberalismo e o capitalismo está aí para cumprir o papel deles, não esperemos outra coisa deles. Então é um desafio grande o que nós temos. Não é só ganhar o governo, é ganhar o governo fazendo crescer a consciência de classe, a consciência cidadã e a participação. 


Blog do BILL NOTICIAS