quarta-feira, 10 de maio de 2017

MAIS QUATRO ANOS?

Ricardo Stuckert

 Lula venceu. 
Na noite desta quarta-feira 10, até o Jornal Nacional, da Globo, que há dois anos lidera uma "guerra santa" contra o maior líder popular da história do País, que arruinou a economia brasileira sem conseguir destruir o ex-presidente, se viu forçada a abrir espaço para as contundentes alegações finais de Lula, depois de um depoimento de mais de cinco horas ao juiz Sergio Moro.
Em sua fala, Lula deixou uma mensagem importante: "espero que o povo brasileiro não perca a confiança na Justiça". E disse ainda que, pelas perguntas feitas pelos procuradores da Lava Jato, a denúncia não deveria nem ter sido aceita pelo juiz (assista aqui a íntegra da sua fala).
Depois do depoimento, Lula ainda teve forças para cair nos braços do povo, em Curitiba, onde fez um discurso para cerca de 50 mil pessoas e disse "não ter tamanho para tamanha solidariedade". Com lágrimas nos olhos, agradeceu a presença de jovens e disse esperar merecer a confiança não apenas deles, mas também de seus filhos e netos (leia mais aqui).
Líder em todas as pesquisas sobre sucessão presidencial, Lula mostrou estar pronto para, mais uma vez, disputar o voto e a confiança do povo brasileiro. No dia em que a extrema direita esperava destruir e até prender Lula, ele saiu vitorioso. E não foi por pontos. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

O DEPOIMENTO DE LULA: ESTOU SENDO JULGADO POR UM POWER POINT


Resultado de imagem para O DEPOIMENTO DE LULA: ESTOU SENDO JULGADO POR UM POWER POINT

Na parte final de seu discurso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse estar sendo vítima da maior caçada jurídica da história do País.
"Eu sabia que não tinha o direito de errar porque se errasse nunca mais alguém do andar de baixo seria eleito presidente da República."
O juiz Sergio Moro tentou cortar a fala do ex-presidente Lula, mas ele conseguiu retomar a palavra.
"Estou sendo julgado por um power point e por uma tese eminentemente política", disse Lula. "Eu tenho o direito de falar, nenhum dos acusadores respeitou os meus netos de cinco e de quatro anos, que sofrem bullying na escola."
Em sua fala, Lula também disse ter orgulho da Petrobras e da empresa extraordinária em que se ela tornou após a descoberta do pré-sal.
Ele também reclamou das acusações sem provas. "O Ministério Público tem algum documento? Tem alguma escritura? Pelo amor de Deus, mostrem!"
"Se vocês não têm respeito pelos meus netos, tenham respeito pelos seus." 
Assista a fala histórica de Lula diante de Moro, em que ele disse ainda que, pelas perguntas feitas pelo Ministério Público, a acusação não deveria nem ter sido recebida. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

COSTA PINTO: APOIO FEZ DIA SER A FAVOR DO CAMINHO DE LULA AO PLANALTO

Ricardo Stuckert


Por Luís Costa Pinto, em seu Facebook
O discurso de Lula após o depoimento, em Curitiba, foi um ato forte em praça lotada.
O vigor do apoio ao ex-presidente, e a ausência de um fato acachapante que emparedasse o petista na audiência com Sérgio Moro (relevante no que vi até agora nos vídeos disponibilizados pela Vara judicial federal paranaense), transformam esse 10 de maio num dia a favor do longo caminho que Lula quer trilhar de volta ao Planalto. Se conseguirá, não sei. Ninguém sabe. Mas que a jararaca está viva, está. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

DILMA: LULA É UMA LIDERANÇA E VAI DERROTAR ESSE RETROCESSO


A presidente deposta Dilma Rousseff declarou em discurso na noite desta quarta-feira 10 que Lula é uma liderança e vai derrotar esse retrocesso, em referência ao processo ao qual responde como réu na Lava Jato.
Ela foi a primeira a discursar após o término do depoimento de Lula ao juiz Sergio Moro, no ato realizado na Praça Santos Andrade, no centro de Curitiba, com cerca de 60 mil pessoas, de acordo com a organização, que aguardam Lula desde a manhã de hoje.
Segundo Dilma, "o povo não vai tolerar golpe atrás de golpe" neste país, o primeiro com seu impeachment e depois com a mudança na legislação trabalhista. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

OAB CRITICA USO DE DELAÇÕES PARA ‘SUJAR’ IMAGEM DE CITADOS

Valter Campanato/Agência Brasil

Conjur - O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil reiterou o apoio às investigações e às persecuções penais em andamento no país para combater a corrupção, como a "lava jato", mas criticou o uso de conteúdo de delações premiadas para "sujar" a imagem dos citados.
Segundo nota divulgada nesta terça-feira (9/5) pela entidade, assinada pelo presidente Claudio Lamachia, nenhuma pessoa ou autoridade pode ter sua imagem ou honra publicamente atacados com base em conteúdo "possível" ou "suposto" de delação "ainda nem mesmo existente e sem indicação de fatos concretos, sob pena de causar danos irreparáveis aos citados".
A OAB defendeu ainda a necessidade de respeito ao devido processo legal, ao direito de defesa e à presunção de inocência, "imperativos inegociáveis em um Estado Democrático de Direito".
Leia a íntegra da nota:
A Ordem dos Advogados do Brasil reitera seu integral apoio às investigações e às persecuções penais em andamento no país visando ao combate à corrupção, contra qualquer pessoa ou autoridade. Da mesma forma e com igual contundência, a OAB defende a necessidade de respeito ao devido processo legal, ao direito de defesa e à presunção de inocência, imperativos inegociáveis em um Estado Democrático de Direito. Exatamente por isso, a Ordem reclama que ninguém tenha sua imagem ou honra publicamente atacados com base em conteúdo "possível" ou "suposto" de delação premiada ainda nem mesmo existente e sem indicação de fatos concretos, sob pena de causar danos irreparáveis aos citados". (247).

Blog do BILL NOTICIAS

LULA AGRADECE A MASSA: EU NÃO TENHO TAMANHO PARA TAMANHA SOLIDARIEDADE


Após cinco horas de depoimento ao juiz Sergio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva caiu nos braços do povo e subiu ao palco para discursar para mais de 50 mil pessoas.
Lula foi recebido aos gritos de "presidente".
Ao começar a falar, Lula disse que "não tem tamanho para tamanha solidariedade". Ele afirmou que jamais imaginaria que ônibus sairiam do Acre, do Piauí, da Bahia e de tantos estados para prestar solidariedade.
"Se não fossem vocês, eu não teria forças para suportar esse massacre".
Ao ver tantos jovens, Lula afirmou que sua relação com o povo brasileiro começou com os pais e avós desses jovens.
"Eu quero merecer a confiança de vocês e dos filhos de vocês", afirmou.
Lula disse ainda que a História ainda irá contar como ele foi vítima do maior massacre a que um homem público já foi submetido. E também o golpe vergonhoso dado contra a presidente legítima Dilma Rousseff.
Sobre o julgamento em si, ele ironizou a força-tarefa da Lava Jato. "Hoje eu achei que iriam me mostrar uma escritura. E nada, nada, nada!", afirmou. "Não quero ser julgado por interpretações, quero ser julgado por provas".
Lula também disse ter dito aos procuradores que eles não respeitam nem a sua neta de quatro anos, que sofre bullying na escola. Lula também prometeu voltar: "se a elite deste país não tem competência, eu vou voltar para consertar este País".
Ao final, a multidão cantou "olê, olê, olá, Lula, Lula".
A fala de Dilma
Ao seu lado, a presidente deposta Dilma Rousseff também foi recebida aos gritos de "volta Dilma".
Ao todo, mais de 700 ônibus, de vários rincões do País, se deslocaram a Curitiba.
Nesta quarta-feira, a hashtag #MoroPersegueLula se tornou um dos assuntos mais comentados no mundo.
"O Brasil não vai continuar nesse caminho de golpe", disse Dilma. "Nem na ditadura militar mexeram nos direitos trabalhistas do povo", disse Dilma. Ela disse ainda que Lula é a maior liderança popular da história do Brasil e irá vencer o retrocesso que está sendo imposto pelo golpe. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

POLICIAIS SUSPEITOS DE FRAUDE SOFREM PROCESSO ADMINISTRATIVO NA CORPORAÇÃO


Piauí Hoje - Policiais suspeitos de fraude em concurso público da Polícia Civil estão sendo investigados por processo administrativo disciplinar dentro da corporação. De acordo com o corregedor da Polícia Civil no Piauí, Adolpho Henrique Soares Cardoso, 13 policiais estão sendo investigados. Ainda de acordo com o corregedor, os policiais já foram afastados e entregaram, arma, distintivo, insígnias, carteira funcional e munições. Os processos administrativos disciplinares podem resultar até na expulsão dos policiais. Alguns policiais já eram investigado por má conduta na profissão. Para o corregedor, não há condições de os acusados permanecerem na Polícia.
"O inquérito policial já tem muita coisa, então posso abrir processo administrativo disciplinar e afastá-los do cargo e assim iniciar o processo de demissão. Eles não conseguem mais se manter no cargo...ou serão demitidos na esfera criminal ou na esfera administrativa", disse o corregedor. Os investigados serão ouvidos pela Corregedoria. "Se a gente não tomar uma atitude dessa natureza, acabamos incentivando", afirma Adolpho Henrique.
De acordo com o delegado geral da Polícia Civil, Riedel Batista, as provas são contundentes para o encaminhamento à justiça. Ele diz que espera que o caso finalize ainda fortalecendo e preservando a instituição. "Cada um dos investigados teve a conduta individualizada, com provas específicas para aquela conduta. Esperamos que com a retirada dessas pessoas da instituição, possamos crescer, se fortalecer e preservar o nosso maior patrimônio que é o nosso efetivo", afirmou o delegado.
Para o delegado Willame Moraes, coordenador da Greco, mesmo que os investigados estivessem 'do lado' na coorporação, utilizaram de forma fraudulenta para entrar na instituição, algo inadmissível. "Os principais alvos dessa operação foram policiais civis, são da nossa insituição, estavam trabalhando do nosso lado...todavia, utilizaram de forma ilegal e fraudulenta para adentrar na nossa instituição. Desde o início temos indícios da participação desse pessoal, mas tivemos calma para apurar tudo e só deflagrar a operação com provas robustas para prendê-las e assim concluir com êxito o nosso trabalho", concluiu. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

GOVERNADOR DO PIAUÍ SE SOLIDARIZA A LULA NO PARANÁ


Piauí 247 – "Neste instante em frente à Catedral da capital paranaense, ladeado por representantes de várias igrejas unidas pela democracia. O clima é contagiante com muitas orações, falas emocionadas e músicas", disse o governador do Piauí, Wellington Dias, que foi a Curitiba se solidarizar ao ex-presidente Lula.
Ele também acrescentou: "como um cidadão e líder político, estou aqui para defender mais do que o presidente Lula; aqui me encontro também para lutar pela democracia, pelo respeito à Constituição e pela Lei."
A viagem do governador foi realizada em caráter particular. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

POLICIAIS CIVIS SÃO PRESOS SUSPEITOS DE FRAUDAR CONCURSOS PÚBLICOS NO ESTADO

Divulgação

Piauí 247 - O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) deflagrou nesta terça-feira (9) a Operação Infiltrados com o objetivo de desarticular uma quadrilha formada por policiais civis suspeita de fraudar concursos públicos. No dia do concurso, em março de 2016, cinco candidatos foram detidos depois de serem flagrados com aparelhos celulares, documentos falsos. Eles foram liberados após prestarem esclarecimentos. No total, 21 pessoas foram indiciadas pela fraude no concurso do Tribunal de Justiça do Piauí.
A Polícia Civil deflagrou uma operação para cumprir 37 mandados de prisão contra integrantes da quadrilha suspeita de fraudar outros concursos públicos no Piauí.
O delegado Willame Moraes, são cumpridos 23 de prisões preventivas, temporárias e conduções coercitivas, além de 28 mandados de busca e apreensão em municípios do Piauí, Ceará e Pernambuco. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

Lava Jato faz feio novamente: apenas 15 pessoas manifestam apoio a Moro


Não é de hoje que o Blog do Esmael vem registrando os sequenciais fiascos nas manifestações pró-Lava Jato.

O líder da torcida Sérgio Moro pediu em vídeo para que seus séquitos não fossem às ruas.
Chamou a atenção porque o juiz discursou para um exército imaginário, que ele não tem, de acordo com o retrospecto anotado aqui nesta página.
Pois bem, apenas quinze pessoas se reuniram hoje no entorno do Museu Oscar Niemeyer (MON), na região do Centro Cívico, para manifestar apoio a Sérgio Moro.
Por outro lado, na Praça Santos Andrade (UFPR), centro, já somam 60 mil pessoas em solidariedade a Lula. São gentes vindas de várias partes do país, que vieram a Curitiba para acompanhar o depoimento do ex-presidente da República.
Resumo da ópera: Moro não lidera mais nem os 15 coxinhas que sobraram.
A foto é do portal da Rádio Banda B.(247).

Blog do BILL NOTICIAS

HUMBERTO COSTA: LULA ESTÁ TRANQUILO E PREPARADO

Fabio Rodrigues Pozzebom

Por Eduardo Maretti, da Rede Brasil Atual
Um voo das 6h50 desta quarta-feira (10) para Curitiba terá a presença de mais de 30 deputados e senadores que desembarcarão na capital paranaense para participar das manifestações na data do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal. Estima-se que mais de 50 parlamentares participarão do ato, na praça Santos Andrade, onde fica a Universidade Federal do Paraná (UFPR).
O ato seria realizado na Boca Maldita, no centro da cidade, mas, após conversas com a prefeitura, chegou-se a um acordo pelo qual foi designada a praça, considerada um ponto “bem localizado” pelo deputado Enio Verri (PT-PR). Segundo o parlamentar, o movimento de ônibus chegando à cidade já é intenso. “O ato será gigantesco. Lula vai sair muito forte desse evento, independentemente do nível do debate com o juiz Moro.” Ele lembra que vai ser a primeira vez que o ex-presidente, como ele mesmo reitera, dirá “o que sabe e pensa, porque ele só fica sabendo pela imprensa”. O evento também fortalece a posição do campo da esquerda num contexto de criminalização da política e perseguição a Lula, acredita.
“Lula está muito tranquilo, ao mesmo tempo muito seguro e preparado para o depoimento”, diz o senador Humberto Costa (PT-PE). “Ele vai com certeza explorar as fragilidades e fraquezas do processo e, portanto, a nossa expectativa é de que ele reafirme a sua inocência. Esperamos que esse depoimento enseje um julgamento efetivamente justo e imparcial.” 

Para a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que também estará em Curitiba, a esperada grande presença popular a favor de Lula e o clima de embate entre ele e Moro foram provocados pela própria perseguição ao petista pela Operação Lava Jato e pelo Judiciário. “Chegou-se a esse ponto pela atitude seletiva do Judiciário e particularmente do juiz Moro contra Lula. Por isso chegamos a esse depoimento com esse grau de radicalização da sociedade. Estabeleceu-se como se fosse um ringue, um confronto, porque a seletividade e a perseguição política contra Lula gerou essa radicalização”, diz Jandira.

Hoje, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região negou pedido da defesa de Lula para adiar o depoimento desta quarta. O mesmo tribunal negou o pedido dos defensores para que a gravação do depoimento fosse feita pelos advogados. E, no início da noite, foi divulgada uma decisão do juiz substituto da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, Ricardo Augusto Soares Leite, suspendendo as atividades do Instituto Lula.
“A sociedade está mobilizada e nós vamos enfrentar isso. Lula tem direito de ser candidato. Se vai ser eleito ou não, o povo vai decidir. Impedir que ele seja candidato sem nenhuma prova não é aceitável”, diz Jandira Feghali.
Para Humberto Costa, Moro tem vivido dias desgastantes. “As últimas manifestações públicas que ele fez, especialmente pela internet, reforçaram para a população o fato de que ele tem quase que uma posição preconcebida em relação ao processo. Esse processo tem muitas deformações e distorções. Uma delas é que o juiz se comporta como se fosse um promotor”, avalia o senador.
No sábado, Moro divulgou pela internet um vídeo no qual pede aos apoiadores da Lava Jato para não irem a Curitiba para o depoimento. "Eu tenho ouvido que muita gente que apoia a Operação Lava Jato pretende vir a Curitiba manifestar esse apoio, ou pessoas mesmo de Curitiba pretendem vir aqui manifestar esse apoio. Eu diria o seguinte: esse apoio sempre foi importante, mas nessa data ele não é necessário. Tudo que se quer evitar nessa data é alguma espécie de confusão e conflito e, acima de tudo, não quero que ninguém se machuque", declarou o magistrado.
Os parlamentares do campo progressista que vão a Curitiba afirmam que não há possibilidade de violência ou baderna por parte dos apoiadores de Lula, como setores da mídia podem insinuar ou dar a entender. “É uma manifestação democrática, de apoio ao Lula, contra essa perseguição política. Baderna só se for do outro lado. Nosso lado não tem baderna. É uma manifestação pelos direitos democráticos e direito de defesa de Lula”, diz Jandira.
“Nosso movimento será pacífico. Se tiver problemas, não serão de nossa parte”, promete Verri. Segundo ele, existe uma relação cordial com a Polícia Militar do Paraná. “Tivemos grandes manifestações contra o impeachment e a PM sempre nos ajudou a evitar transtornos e nunca houve problema nenhum.  Aposto muito nessa construção e diálogo que temos com a PM, a secretaria de estado de segurança e nossos companheiros.” (247).

Blog do BILL NOTICIAS

MORO ESTÁ DETERMINADO A IMPEDIR CANDIDATURA DE LULA, DIZ HUMBERTO


Pernambuco 247 - A um dia do primeiro depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro, no âmbito da Operação Lava Jato, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), criticou o que chamou de conduta parcial adotada pelo magistrado. Para Humberto, Moro atua como um promotor no caso, e não como um juiz, além de estar determinado a impedir a candidatura de Lula, líder em todas as pesquisas de opinião para a disputa presidencial de 2018.
"Todos nós acompanhamos, com uma grande preocupação, esse papel que o próprio juiz tem assumido em relação ao processo de julgamento do presidente Lula. Ele teria que se declarar, sem dúvida, suspeito para esse julgamento, porque tem assumido, claramente, o papel não de juiz do processo, mas quase que de um promotor, quase que de acusador", afirmou Humberto no plenário do Senado, nessa segunda-feira.
O senador viajou para Curitiba, nesta terça-feira, para participar de uma reunião da Executiva Nacional do PT, da qual é integrante, e para acompanhar, amanhã, o depoimento de Lula.
"Quem tem criado todo um ambiente de holofotes sobre esse julgamento é o juiz Sergio Moro. E agora vem querer acusar o presidente Lula de transformar o seu depoimento em ato político. Ato político ou atos políticos foram aqueles que foram cometidos desde o início desse processo contra Lula. E não por ele", disse Humberto.
O senador ressaltou que a última semana também ficou marcada por algo absolutamente surreal: todos os possíveis delatores foram urgentemente chamados a depor, segundo ele, sem obrigação de dizer a verdade, para fazer acusações sem provas ao presidente Lula.
De acordo com o parlamentar, chegou ao ponto de um deles dizer que tinha uma conta secreta no exterior, que o presidente Lula teria dito a ele que apagasse todos os indícios para a conta não permanecer mais ativa.
"E o sistema financeiro internacional? O sistema financeiro suíço não tem registradas as contas que foram abertas e foram fechadas? É óbvio que isso é uma falta com a verdade, que foi cometida por esse cidadão. E mais ainda: qual é a intenção final do Sr. Sérgio Moro? É exatamente criar as condições para impedir a candidatura do Presidente Lula", criticou.
O líder da Oposição questionou os reais interesses de Moro em relação ao futuro do país. Da tribuna, ele perguntou se é justo que uma única pessoa, um único cidadão queira caçar o direito de centenas de milhões de brasileiros de escolher um candidato a Presidente da República.
"Porque é isto que está acontecendo: a perseguição, a politização, tudo que tem sido feito pelo juiz Sérgio Moro. Ao final vai querer chegar a esta definição: o impedimento da candidatura", concluiu. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

ATLAS DA CAATINGA MOSTRA PROBLEMAS EM ÁREAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL

: <p>Imagem da Chapada Diamantina, caatinga, bioma, Sertão</p>

Sumaia Villela, correspondente da Agência Brasil - Ocupação irregular de terras, desmatamento, falta de estrutura e de demarcação foram alguns dos problemas encontrados, em três anos de pesquisa da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), em 14 unidades de Conservação federais de proteção integral, localizadas no bioma Caatinga brasileira. O Atlas das Caatingas reúne em detalhes informações fundiárias e da flora de cada uma das áreas estudadas, e virou também documentário, pré-lançado ontem (9) no Recife.
Um dos biomas brasileiros menos estudados no país, a Caatinga se estende por dez estados e compreende 10% do território nacional, com 844 mil quilômetros quadrados. É o único bioma encontrado exclusivamente no Brasil e é lembrado geralmente pelo visual na época de seca, quando as árvores perdem as folhas e a mata se torna cinzenta e quebradiça. A pesquisa mapeou cerca de 1% desse território.
Desenvolvido em parceria com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), o estudo foi feito entre dezembro de 2013 e dezembro de 2016. Os pesquisadores percorreram mais de 22 mil quilômetros nas 14 unidades de Conservação, todas geridas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Nelas, não é permitida qualquer atividade econômica ou mesmo o uso sustentável, exceto o turismo e a pesquisa científica.
Para montar o diagnóstico foram entrevistados todos os chefes das unidades de Conservação, além de funcionários do ICMBio, moradores da região, professores que desenvolvem estudos nesses locais, entre outros. Segundo Neison Freire, pesquisador titular da Fundaj que coordenou a pesquisa, cada unidade tem problemas específicos, mas a falta de recursos humanos e financeiros é uma constante e acaba agravando as dificuldades locais.
Ele cita desde a falta de combustível para veículos de fiscalização até a indisponibilidade dos próprios carros e da falta de dinheiro para consertar uma bomba d'água, impedindo que um espaço disponível para receber alunos e professores de escolas públicas seja utilizado. "Todas têm problemas de gestão, que não é local. O problema está em nível federal, na pouca atenção dada a esse bioma, o único exclusivamente brasileiro", afirma.
A sociedade também contribui para ameaçar esses espaços protegidos. Como as unidades de Conservação pesquisadas não podem ter atividade econômica, as populações que ainda residiam ou tinham alguma atividade na área, quando elas foram criadas, deveriam ser indenizadas e remajenadas. Além de comunidades de povos tradicionais, como indígenas e quilombolas, resistirem à mudança, fazendeiros – incluindo pequenos proprietários – permanecem nos locais proibidos. "Alguns foram indenizados e não querem sair e outros estão especulando para ter maior valorização da terra para se retirar, o que gera muitos problemas para a gestão e fiscalização das unidades", informa Freire.
Catimbau e Chapada Diamantina
O maior problema das unidades, segundo o pesquisador, está em Pernambuco, o Parque Nacional do Catimbau. Ele não tem nem mesmo um escritório do ICMBio, e a sua demarcação nunca foi feita. Além disso, há conflitos fundiários, corte de madeira e atividade econômica dentro da área. Outra unidade onde foram encontrados problemas é um dos cartões postais brasileiros: O Parque Nacional da Chapada Diamantina.
"Temos, de um lado, o agronegócio, que usa muitos fertilizantes, que vão contaminar rios e corpos d'água, e, do outro lado, uma especulação imobiliária muito forte. Em Lençois já começam a surgir favelas. Fora uma fragmentação das áreas para a construção de pousadas, um negócio que não é feito pela comunidade local, mas por empresários da parte Sul do país".
Apesar das questões negativas, os pesquisadores também citaram "efeitos não esperados" nas expedições, como a influência do Bolsa Família na recuperação da fauna do Vale do Catimbau. É que, de acordo com o pesquisador da Fundaj, a comunidade do entorno costumava caçar as aves nativas para complementar a alimentação. Com o recurso federal, houve a redução da caça. "Outro aspecto no Vale do Catimbau são as espécies introduzidas, como a aroeira. Elas têm alto poder de fogo, lenha, então as populações passaram a cortar essa espécie, em vez de espécies endêmicas, próprias da Caatinga, permitindo que essa vegetação se recuperasse".
Mais recursos e demarcação de terras
O Atlas das Caatingas inclui recomendações para uma proteção efetiva às áreas estudadas. Entre as propostas estão a abertura de concurso público e mais recursos financeiros, conforme explicou Neison Freire. Além disso, há indicações específicas voltadas a cada problema encontrado nas unidades. "[É preciso fazer a] demarcação das áreas de forma urgente, a regularização fundiária para que 100% fiquem em posse da União. Mapeamentos sistemáticos com o uso de drones, torres de observação, contratação de brigadistas, principalmente no período seco para combater incêndios", sugere.
O analista ambiental do Ministério do Meio Ambiente, João Seyffarth, esteve presente no pré-lançamento do filme. Atuante no combate à desertificação, problema ambiental encontrado na Caatinga com alto grau de degradação, Seyffarth diz que os recursos arrecadados com a visitação das áreas protegidas podem ser usados para melhorar a gestão. "A gente sabe que as unidades de Conservação brasileiras geram muitos recursos, mas, em geral, eles vão para o Tesouro Nacional. É preciso encontrar uma maneira para que os recursos gerados sejam usados na gestão das unidades", defende.
Instituto responde
Em nota, o ICMBio diz que ainda não teve conhecimento da pesquisa de modo oficial, portanto não seria possível responder aos questionamentos em detalhe. "No geral, o instituto tem se esforçado para dotar as unidades de Conservação federais da Caatinga de todos os instrumentos de gestão, como planos de manejo, conselhos gestores e estrutura para abrigar servidores e pesquisadores e receber visitantes", acrescenta.
Entre as ações, o órgão cita as fiscalizações para coibir crimes ambientais, ações de educação ambiental para orientar comunidades locais e um "esforço no sentido de regularizar a situação fundiária". Sobre a realização de concurso público para reforçar o número de funcionários das unidades pesquisadas, o ICMBio respondeu que não há previsão.
Filme e pesquisa na internet
A pesquisa completa está disponível no site da Fundaj, junto com imagens e mapas produzidos ao longo dos três anos de trabalho. O documentário, com uma hora de duração e feito com imagens amadoras captadas pela própria equipe de cientistas, deve ser disponibilizado na página "nos próximo 30 dias", segundo Neison. Ele também será exibido em comunidades e locais pesquisados. As cidades já agendadas são Campina Grande (PB) e Petrolina (PE). (247).

Blog do BILL NOTICIAS

MOBILIZAÇÃO EM CURITIBA É PARA DEFENDER A DEMOCRACIA, DIZ VAGNER FREITAS

:

Rede Brasil Atual - O presidente da CUT, Vagner Freitas, afirmou que a mobilização de movimentos sociais e centrais sindicais em Curitiba, para manifestar apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, trata-se de uma ação para defender a democracia e os trabalhadores brasileiros. Lula faz nesta quarta-feira (10) seu depoimento ao juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato.
"Eles esquecem que o Brasil é uma democracia. Aqui você vê a rua tingida de pessoas de vermelho. Estamos aqui para defender os trabalhadores, a democracia. A perseguição ao Lula se dá porque ele representa a gente, representa o povo trabalhador. É exemplo principal da resistência do povo brasileiro", afirmou Vagner, em entrevistas a jornalistas da imprensa independente.
De acordo com o dirigente, a pressão de setores do judiciário e da imprensa comercial ao ex-presidente decorre de seu legado de ampliação de direitos sociais e de promoção de crescimento com distribuição de renda, como a valorização real do salário mínimo, o pleno emprego e os programas sociais. "Lula representa o enfrentamento à classe dominante brasileira, que acha que o país é seu quintal e os trabalhadores são seus escravos", disse. "Estamos aqui para defender o legado de Lula, mas também para nos autodefender, porque a perseguição ao Lula é a perseguição ao movimento social sindical e aos direitos dos trabalhadores", disse Vagner, mais cedo, em entrevista à Rádio Brasil Atual. "A elite quer varrer direitos dos trabalhadores da história e o ícone da classe trabalhadora hoje no Brasil é o Lula. É uma perseguição a nossa resistência. Eles querem quebrar nossa espinha dorsal."
A crença de que haveria grandes mobilizações para respaldar as "ações arbitrárias" do juiz da Lava Jato fracassou, segundo o sindicalista. "A direita deu com os burros n'água. Achou que ia fazer de hoje a destruição política de Lula. O juiz achou que, com apoio da mídia, isso aqui ia estar pronto para o linchamento político do Lula. Numa clara antecipação do julgamento", avaliou. O presidente da central esteve com Lula desde sua chegada à capital paranaense. Relatou que ele está tranquilo e que não confirmou se participará de ato político após o depoimento.
Freitas usou uma piada de internet para denunciar "parcialidade" de Moro. "O Lula é o chefe da quadrilha, mas ele só ficou com um apartamento, que segundo o Maluf, é um lixo, enquanto os outros, do PSDB, do PMDB, têm milhões em contas no exterior? É um absurdo. O Lula está prestando um depoimento para explicar a propriedade de um tríplex no Guarujá que a OAS já disse que é dela", afirmou. "A mídia esquece as denúncias de que Aécio Neves e Michel Temer têm milhões em contas no exterior e ninguém faz nenhum tipo de averiguação. Com Lula tem esse tratamento diferenciado porque ele é um operário, nordestino, metalúrgico, que ousou ser o melhor presidente da história do Brasil e ousou mostrar aos trabalhadores que eles podem ser os protagonistas da história. A elite quer punir o Lula para dizer ao trabalhador: fique no seu lugar e não venha ocupar o andar de cima", afirmou.
O presidente da CUT fez uma ponderação aos militantes que estão na cidade, ressaltando que não há motivo para hostilizar os moradores de Curitiba, porque eles não são representantes da arbitrariedade que ocorre contra Lula. "Curitiba não é do Moro. Tem pessoas de pensamento conservador, progressistas, tem gente de direita, de esquerda. Quero fazer uma defesa do povo de Curitiba, povo lutador, povo que tem história de mobilizações sociais, de grandes greves. O Moro não é Curitiba, ele nem de Curitiba é", afirmou, em referência à expressão "República de Curitiba" que acabou cunhada em torno do tema.
Segundo ele, os próximos passos de mobilização das centrais sindicais e movimentos sociais serão fazer mutirão no Congresso e ocupar Brasília, nos dias 17 e 24, para impedir a votação das reformas que retiram direitos. "E se isso não for suficiente, vamos fazer uma greve geral ainda mais forte que a de 28 de abril", afirmou. Para Vagner, o trabalhador brasileiro foi levado a crer que o problema do Brasil era a Dilma, o PT e o Lula. "Ninguém mais acredita nisso. E por isso o povo está cada vez mais contra esse governo e as reformas." (247).

Blog do BILL NOTICIAS

OPERAÇÃO MILITAR PARA DEPOIMENTO DE LULA CUSTOU 3 TRIPLEX

Blog do Esmael - Quanto custou a operação militar no depoimento de Lula? Há quem calcule mais de três triplex no Guarujá…
A avaliação do preço da “farra” nessa operação policial/militar foi levantada por um advogado curitibano.
A Lava Jato mobilizou nesta quarta-feira (10), em Curitiba, um verdadeiro exército de policiais militares, civis, federais, dentre outros serviços reservados, temendo a fúria de manifestantes pró-Lula em frente à Justiça Federal do Paraná.
O juiz Sérgio Moro determinou até atiradores de elite, que estão posicionados em prédio vizinhos da 13ª Vara.
A bancada do PT no Congresso Nacional deverá solicitar informações sobre o custo da operação militar da Lava Jato para o depoimento de hoje.
Enfim, a que preço a insana perseguição de Moro a Lula? 92470.

Blog do BILL NOTICIAS

OKAMOTTO DIZ QUE MORO TENTOU LINCHAMENTO DE LULA


 Minutos antes de chegar ao prédio da Justiça Federal em Curitiba, nesta quarta-feira, 10, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, disse o método usado pelo juiz Sérgio Moro leva, na prática, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a um linchamento público antes de ser julgado.
"Esse método de fazer Justiça é muito questionável. Pode ter linchamento de pessoas", disse, ao criticar a exposição do processo antes do julgamento final. "Na prática, vai para o linchamento. Temos aqui [em Curitiba] toda essa confusão porque ele seria dono de um triplex", declarou. 
Lula presta depoimento ao juiz Sérgio Moro na ação penal em que é acusado de ser dono de um triplex no Guarujá (SP), e o sobre o armazenamento do acervo presidencial dele. Paulo Okamotto é réu na mesma ação e já foi ouvido. 
Okamotto foi questionado também sobre a decisão do juiz federal Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, que mandou suspender as atividades do Instituto Lula. Ele afirmou ser "muita coincidência" a suspensão ser divulgada na véspera do depoimento do ex-presidente a Moro.
"Muita gente está dizendo que isso foi uma forma de tirar a gente do foco, mas eu não tenho como provar", disse. O presidente do instituto disse ainda que não sabe qual é a extensão da suspensão. "Vamos ter de tirar nosso site do ar?", questionou.
Ele ainda disse que, se for aplicar a tese de interrupção de atividades para todos os locais onde há discussão política, "não tem mais sindicato, não tem mais nada". "Quero saber qual a base legal para a suspensão", provocou. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

#MOROPERSEGUELULA VIRA UM DOS TEMAS MAIS COMENTADOS DO TWITTER NO MUNDO

Ricardo Stuckert

A hashtag #MoroPersegueLula virou um dos temas mais comentados no Twitter mundial nesta quarta-feira 10, data em que o ex-presidente Lula depõe ao juiz Sergio Moro pela primeira vez em Curitiba no âmbito da Operação Lava Jato.
O termo chegou a ficar em quarto lugar entre os assuntos mais comentados do mundo na rede social. No Brasil, liderou os comentários do dia.
A expressão é usada desde março de 2016, quando Lula foi alvo de um mandado de condução coercitiva e levado pela força-tarefa ao aeroporto de Congonhas.
Em Curitiba, dezenas de milhares de manifestantes acompanharam Lula em sua chegada ao prédio da Justiça Federal, onde ele realiza o depoimento. O ex-presidente desceu do carro onde estava para caminhar até o local com a militância. O depoimento começou pouco depois das 14h. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

FRENTE A FRENTE COM LULA, MORO ENFRENTA TAMBÉM UMA MULTIDÃO


O encontro marcado entre o juiz Sergio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva finalmente começou em Curitiba; Lula, no entanto, não é apenas um réu.
É também uma multidão e representa a esperança de milhões de brasileiros que querem vê-lo novamente na presidência da República, como mostram todas as pesquisas de intenção de voto, e lutam pela volta da democracia no Brasil. No Brasil de hoje, com seu fórum cercado por policiais, Curitiba lembra a ditadura, assim como Brasília, onde o Congresso Nacional também foi cercado para a votação da reforma da Previdência. 
Nas redes sociais, milhares de manifestantes estão utilizando a hashtag #Lulaeuconfio para declarar apoio a Lula. O assunto foi um dos mais comentados do Twitter. 
Lula chegou à capital paranaense por volta de 11 horas da manhã e teve recepção calorosa de vários dos principais líderes políticos de oposição do País. A presidente deposta Dilma Rousseff, governadores, senadores, deputados, prefeitos, dirigentes políticos e líderes de movimentos sociais foram ao aeroporto demonstrar apoio e confiança ao ex-presidente (leia mais). 
Nas redes sociais, Dilma já havia manifestado confiança. "Já estou em Curitiba para prestar minha total solidariedade ao presidente Lula. A verdade vai prevalecer", escreveu.
"Estamos aqui para trazer não só a nossa solidariedade, mas para fazer uma verdadeira batalha pela democracia. O que está se costurando aqui é a continuidade do golpe. A burguesia, representada pela Globo, quer inviabilizar a candidatura do Lula. Para implementarem o plano neoliberal, que já está em curso, com a retirada de direitos dos trabalhadores, eles precisam de mais tempo. E eles sabem que o presidente Lula é imbatível nas urnas, sabem que o povo brasileiro não aguenta esse plano maquiavélico e golpista", afirmou Stédile, na saída do aeroporto.
A senadora petista Gleisi Hoffman também viajou ao Paraná, estado que representa no legislativo federal, para prestar solidariedade a Lula. "Acompanhar o presidente, dar solidariedade a ele, estar junto nas mobilizações e mostrar para o Brasil e o mundo a injustiça que está acontecendo aqui", afirmou.
O presidente nacional do PT, Rui Falcão, teceu críticas a Moro pela parcialidade na condução das acusações contra Lula. "É um juiz que tem sido parcial, por suas declarações, inclusive pela última gravada em vídeo em que pede a seus apoiadores que não venham a Curitiba. Ora, juiz não tem nem apoiador nem oponente. Juiz é juiz", disse Falcão, na manhã de hoje.
Às 18h será realizado um ato político com a presença do ex-presidente Lula. Os advogados que o acompanharão no depoimento preveem conceder entrevista coletiva no mesmo horário, no salão Milano do Restaurante Madalosso, bairro central de Santa Felicidade. (Com informações da RBA) (Via: 247).

Blog do BILL NOTICIAS

Destaque Os 7 maiores caminhões do mundo


Brasil sempre foi um país que apostou bastante no sistema rodoviário de transporte e, por conta disso, os caminhões sempre fizeram parte do nosso trânsito, tanto em ruas quanto em estradas.
Mas nem todos os veículos dessa área possuem o mesmo porte: alguns, mais por necessidade do que por estilo, são verdadeiros gigantes. Vários caminhões que trabalham em minas ou obras imensas parecem mais robôs saídos diretamente da franquia Transformers.
Eles impressionam por conta do tamanho e da quantidade de carga que carregam e, abaixo, você conhece alguns deles – sem ordem nenhuma e sem englobar todos os integrantes do universo desses gigantes de metal.

1) Liebherr T 282C, o líder

  • Altura: 7,84 metros
  • Comprimento: 15,31 metros
  • Velocidade máxima: 64 km/h
  • Carga máxima: 363 t
  • Peso total: 600 t
Desde 2011 reconhecido pelo Guinness, o Livro dos Recordes, como o maior caminhão do mundo, o Liebherr T282C, fabricado pela Westech, é utilizado em áreas de mineração para transporte de resíduos. Só as rodas desse gigante medem 4,57 metros de altura.
Lieblerr_T_282C
Comparação entre um ser humano e o gigante.
Liebherr_T_282C
E ele não é só tamanho: tecnologias que ajudam na estabilidade do material carregado e que diminuem a formação de poeira fazem dele uma das melhores opções no ramo, além de ser o veículo com a maior capacidade de carga da classe em relação ao peso do caminhão vazio. Funciona a partir de um motor a diesel e tem um sistema de direção personalizado.

2) Caterpillar 797F, o monstro

caterpillar_79

  • Altura: 7,7 metros
  • Comprimento: 15 metros
  • Velocidade máxima: 67,6 km/h (cheio)
  • Carga máxima: 363 t
  • Peso total: 623 t
O monstro da Caterpillar também é usado em minerações e ganhou um infográfico só para ele aqui no Tecmundo. Praticamente todos os números sobre o modelo impressionam: por exemplo, cada pneu do veículo tem 4 metros de altura e custa cerca de R$ 97 mil.
caterpillar
O motor de 20 cilindros dá até 4 mil cavalos de potência – mas que não são o suficiente para fazer o veículo andar muito rápido, tamanha a quantidade da carga que ele costuma carregar. Quem quiser um desses precisa desembolsar até R$ 11,4 milhões.

3) Terex 33-19 Titan, o único

terex_3399

  • Altura: 9,2 metros
  • Comprimento: 20,35 metros
  • Velocidade máxima: 48 km/h (cheio)
  • Carga máxima: 350 t
  • Peso total: 548 t
Fabricado pela General Motors do Canadá em 1973, essa máquina pintada na cor verde ficou 13 anos servindo o país em obras e estradas até virar uma atração turística. Por muito tempo, ele foi considerado o maior caminhão do mundo, especialmente por contar com um motor extremamente potente de 16 cilindros.
terex
O mais curioso é que apenas um protótipo do Titan foi construído para o mercado de mineração de carvão. Para você ter uma ideia da capacidade, dois ônibus e duas camionetes são capazes de preencher totalmente a caçamba do veículo.

4) LeTourneau TC-497 Mk II, o trem sobre rodas

3

4

5

  • Comprimento: 174 metros
  • Carga máxima: 150 t
  • Peso: 450 t (cheio)
  • Velocidade máxima: 32 km/h
Este aqui foi colocado na lista pela questão histórica. Também chamado de Overland Train, o veículo é um híbrido entre caminhão e trem, com a diferença de que ele funciona todo sobre rodas, mas pode ser formado por até 12 vagões — sendo que dois deles eram usados para carregar turbinas e motores. Formado por um total de 54 rodas, o Overland Train precisava de uma equipe de seis pessoas para ser operado e custava, na época, US$ 3,7 milhões.
foto
O que sobrou do Overland Train, décadas depois. (Fonte da imagem: Reprodução/Land Train)
Esse caminhão, que parece uma serpente de metal quando visto de cima, foi construído para levar equipamentos e suprimentos dentro e fora de estradas dos Estados Unidos na década de 1950. Menos de duas décadas depois, possivelmente por conta da dificuldade em manter o veículo, ele foi descontinuado e vários dos modelos tiveram as peças reutilizadas, exceto algumas unidades, que hoje são considerados sucata. (http://mundialturbinas.com).

Blog do BILL NOTICIAS