quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Em Petrolina, profissionais da atenção básica são treinados para fortalecer controle da hanseníase


Profissionais da Atenção Básica de Petrolina encerram, nesta quinta-feira (23), uma capacitação sobre Hanseníase, com o objetivo de atualizações sobre o agravo e a importância do diagnóstico precoce. Iniciado na última segunda-feira (20), a oficina é promovida pela Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde, vinculada à Secretaria de Saúde.
A hanseníase, popularmente conhecida por lepra, é alvo de bastante preconceito, porém, tem cura.  É função da equipe de Atenção Básica diagnosticar o agravo e encaminhar o paciente para o tratamento, que é feito gratuitamente pelo SUS. O diagnóstico é feito pelo médico e envolve a avaliação clínica dermatoneurológica do paciente, por meio de testes de sensibilidade, palpação de nervos e avaliação da força motora. Se necessário, realiza-se um exame chamado baciloscopia.
 De acordo com a secretaria executiva de Vigilância em Saúde, Marlene Leandro, a ação é voltada para que qualquer profissional da atenção básica esteja apto a detectar a doença. “A Secretaria de Saúde tem investido em momentos como estes, de educação continuada, pois acredita que por meio da capacitação profissional, é possível ofertar um serviço de saúde com qualidade para as pessoas”, destaca.
HANSENÍASE
A hanseníase é uma doença infecciosa, causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen. A transmissão do M. leprae se dá por meio de convivência muito próxima e prolongada com o doente da forma transmissora, chamada multibacilar, que não se encontra em tratamento, por contato com gotículas de saliva ou secreções do nariz. Tocar a pele do paciente não transmite a hanseníase. Ela afeta principalmente a pele, os olhos, o nariz e os nervos periféricos. Os sintomas incluem manchas claras ou vermelhas na pele com diminuição da sensibilidade, dormência e fraqueza nas mãos e nos pés. A doença pode ser curada entre  6 e 12 meses de terapia com vários medicamentos. O tratamento precoce evita deficiência. (Ascom),(C.Geral).

Blog do BILL NOTICIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário