domingo, 31 de março de 2013

Dois anos sem “José Alencar”

imagem 
Hoje, 29 de março, faz dois anos que o Brasil perdeu uma das maiores lideranças políticas da história. É, pois, com sentimento de dever e saudade, que precisamos manter viva a memória desse ilustre personagem: o ex-Vice-Presidente José Alencar.
Pouco antes de suas últimas internações, José Alencar disse: “Não tenho medo da morte. Tenho medo da desonra”. E foi assim, preocupado em agir sempre sob os princípios mais rígidos de honradez e dignidade que o Vice-Presidente pautou sua vida, nos campos pessoal, familiar, profissional e político.
Sua jornada contra o câncer e outras enfermidades durou treze anos, rendendo-lhe, mais de quinze cirurgias e longos períodos acamado. A vontade de viver e a determinação, no entanto, sempre se sobrepuseram aos tempos mais duros, e enriqueceram sua biografia com traços nobres, modelo incontestável de sucesso em todas as searas que ousou lavrar.
Nascido em Muriaé (MG), em 17 de outubro de 1931, destacou-se, ainda muito jovem, como vendedor de admirável talento. Aos catorze anos, deixou a casa dos pais para, sozinho, se lançar em novos desafios profissionais. Começou como balconista em uma loja de tecidos e, poucos anos depois, abriu seu próprio negócio, na cidade de Caratinga, ajudado pelo empréstimo oferecido por um de seus irmãos. A paixão e aptidão para os negócios levaram José Alencar a ser um dos maiores empresários brasileiros. Foi Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, concorreu ao Governo do Estado, em 1994, e elegeu-se Senador em 1998. Ao aceitar o convite de Luiz Inácio Lula da Silva para integrar sua chapa, em 2002, Alencar abriu mão de quatro anos de mandato a que tinha direito no Senado e deu, assim, passo decisivo para sua inscrição entre os grandes nomes da política nacional. Eleito Vice-Presidente da República pelo então PL, foi fundamental para atrair a confiança do setor empresarial à gestão do Presidente Lula.
Por vezes, não hesitou em tecer duras críticas à política de juros altos conduzida pelo Banco Central e Ministério da Fazenda. Queria ver o País crescer. Queria o Brasil desenvolvido e autônomo, capaz de gerar mais riquezas, e queria distribuí-las com equidade a toda a população. Sua pregação contra os juros altos iria encontrar na administração da Presidenta Dilma total apoio no enfrentamento incansável com aqueles que desejavam perpetuar no Brasil o paraíso da usura.
José Alencar enfrentava seus problemas de saúde com vigor e otimismo invejáveis. Nunca desistiu de buscar a cura, bem como jamais se desiludiu diante dos prognósticos que lhe apresentavam.
Ao rememorar a carreira desse ilustre líder, manifesto o orgulho que foi para nós, correligionários do PRB, a presença de José Alencar em nossos quadros partidários. Em nosso meio, agregou prestígio com seu exemplo de conduta na vida pública, e se tornou referência ímpar de trabalho pelo bem comum.
Estamos certos de que a inspiração em sua história de vida e em suas lições representa caminho certeiro para alcançarmos os resultados mais profícuos na função que abraçamos em nossos mandatos parlamentares.(Vitor Paulo- Deputado Federal – (PRB/RJ) (Blog do Vinicius de Santana)
Blog do Banana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

STJ autoriza divulgação de resultados do Sisu e inscrições do Prouni

(Foto: PR | ABr) 247 -  O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, liberou nesta terça-feir...