quinta-feira, 18 de abril de 2013

Salgueiro (PE) já vive os preparativos para 5° Festival da Sanfona



Postado em  por  às 13:31


festival sanfona/Ascom PMSSalgueiro (PE), no Sertão Central, já começa os preparativos para a 5ª edição do Festival da Sanfona, que acontecerá de 28 a 30 de abril. O evento faz parte do calendário da programação de aniversário do município e serve como uma espécie de ‘aquecimento’ para os festejos juninos.
Promovido pela Secretaria de Cultura e Esportes, a 5ª edição do festival terá as eliminatórias realizadas na Casa do Sanfoneiro. Segundo a assessoria da prefeitura, a programação contará com 12 apresentações nas duas primeiras noites, além de palestra, oficina de formação e concerto com o músico Toninho Ferragutti, além de aula espetáculo com Genário.
Este ano a premiação para o 1º lugar na categoria ‘Sanfona Livre’, será de R$ 2 mil; para o 2º lugar, R$ 1 mil e o 3º, R$ 500. Já na categoria ‘Sanfona de 8 baixos’, o campeão leva R$ 2 mil. Na categoria ‘Sanfona Infanto-Juvenil’, o 1º lugar será contemplado com R$ 1 mil.
Na abertura do evento, dia 28, está programada a apresentação de doze sanfoneiros e show de Antônio da Mutuca. No dia seguinte, entram em cena mais doze sanfoneiros na eliminatória que se encerra com apresentação de Herinho Monteiro e o Kinteto do Forró.
Oficina
Já no dia 30, em que acontece a final e o resultado dos vencedores, outro atrativo será a palestra e oficina de formação com Toninho Ferragutti.
Arranjador e compositor, Ferragutti possui uma extensa participação em shows e em CDs de artistas importantes no Brasil e no exterior. Seu CD ‘Sanfonemas’ foi indicado ao Grammy Latino no ano 2000 como o melhor de música regional, enquanto seu mais recente trabalho – ‘Nem Sol, nem Lua’ – esteve na opinião de diversos críticos entre os dez melhores na categoria música instrumental, nos últimos cinco anos. Além do trabalho autoral, Toninho tem acompanhado shows da orquestra Maria Schneider, Celine Rudolf (Alemanha), além de Maria Bethânia, Gilberto Gil, Zizi Possi entre outros. (Foto:arquivo/divulgação)

BILL ART´S

Professor da Univasf morre atropelado em Foz do Iguaçu (PR)


Um professor do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal do 




Um professor do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) morreu atropelado na noite de ontem (17), no município de Foz do Iguaçu, no Paraná. Hélio Leandro Lopes, de 36 anos, tentava atravessar a BR-277 quando foi atingido por um veículo Volkswagen Gol.
Hélio estava em Foz do Iguaçu participando de um congresso. Ele ainda foi socorrido no local do acidente, mas morreu a caminho do hospital.
Na manhã desta quinta-feira (18), o reitor Julianeli Tolentino divulgou uma nota de pesar pelo falecimento do professor. “Em nome da comunidade acadêmica, apresentamos nossos sentimentos e solidariedade aos familiares e amigos”, diz a nota.

Depois de meses de calor, chuvas dão ar da graça em Petrolina e provocam até alagamentos


Postado em  por  às 16:00

Centro alagadoDepois de vários meses de calor insuportável, finalmente chove em Petrolina. As primeiras gotas começaram a cair na madrugada de ontem (17).
Agora à tarde, novamente o tempo fechou e as chuvas caíram com mais força. No Centro da cidade, há alagamentos em vários pontos, a exemplo da Avenida Souza Filho - como mostra a foto de uma internauta, que registrou o momento no Facebook.
Para o final de semana, a previsão do Instituto Climatempo para Petrolina e região é de sol e aumento de nuvens pela manhã, com pancadas de chuva à tarde e à noite.

BILL ART´S

Prefeituras de Petrolina e Juazeiro definem primeiras ações para reabertura da Ilha do Fogo


Postado em  por  às 17:04

Grupo de Trabalho Ilha do FogoRepresentantes das prefeituras de Petrolina e Juazeiro se reuniram esta semana para definir as primeiras ações para a reabertura da Ilha do Fogo. O secretário de Relações Institucionais de Juazeiro, Fernando Dantas, acompanhado de um engenheiro do município, e os secretários municipais de Petrolina, Rogério Valença (Obras) e Iuric Pires (Turismo), visitaram a Ilha e fizeram um levantamento do que é preciso para que a população volte a ter acesso ao ponto turístico e de lazer das duas cidades.
Durante a visita, foram definidos quatro pontos: construção de rampas de acesso, reforço da grade de proteção, construção de banheiros, e implantação de cercas para o não acesso à parte leste da Ilha. “Vamos fazer um orçamento do que é preciso ser feito para, em seguida, pactuar as responsabilidades das duas prefeituras. Também iremos buscar parceiros para que o local seja reaberto à população o mais rápido possível”, declarou Fernando Dantas.
Um Grupo de Trabalho foi formado para discutir os problemas e as demandas exigidas pelo Exército. Segundo o Coronel James Corlet, comandante do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado (72º BIMtz), assim que as prefeituras cumprirem as exigências, a Ilha do Fogo será liberada. (Fonte/foto: Ascom PMJ)

BILL ART´S

Apesar de ‘trégua’ no impasse, matadouro de Petrolina ainda está longe de consenso


Postado em  por  às 17:50

cristina costaUm dos assuntos mais debatidos em Petrolina nos últimos dias, o matadouro público ganhou novamente espaço na Casa Plínio Amorim, durante sessão ordinária desta quinta-feira (18). Representantes dos marchantes foram novamente à Câmara de Vereadores, como fizeram na sessão da terça (16), mas desta vez sem protestos.
Com a garantia dada pelo prefeito Júlio Lóssio (PMDB) de que continuarão a abater bovinos pelos próximos 90 dias, quando uma solução definitiva para o impasse deverá ser dada, o discurso dos vereadores foi mais ameno. Mesmo assim, passou longe de um consenso.
Integrante da bancada de oposição, Maria Elena enalteceu a atitude de Lóssio em retroceder à decisão inicial de fechar o matadouro. “O prefeito deu mostras de que, quando quer, sabe retroagir”, afirmou. A vereadora, no entanto, ressaltou que a responsabilidade de gerir o matadouro é do município, o qual poderia“pactuar acordos” com os marchantes – ou seja, trabalhar em parceria.
Já Alvorlande Cruz (PRTB) chamou atenção para o fato de que o prazo de três meses precisa ser levado em conta pelos marchantes, uma vez que, após esse tempo, a questão entra em outro mérito. “Vocês precisam se organizar, porque depois do prazo é com o Ministério Público e a Justiça, e aí não tem jeito. Eles lacram mesmo”.
Erros persistentes
Em seu discurso, a petista Cristina Costa deixou claro aos marchantes que apenas conquistaram o direito de serem ouvidos, mas os problemas no matadouro ainda são muitos. E lembrou de um processo, datado de 2009, que moveu contra a prefeitura por conta da situação precária do local.
Cristina destacou também que só aumentar a taxa do abate não resolve, justificando que o problema no matadouro são os inúmeros equívocos das gestões passadas – e que continuam na atual, a exemplo da falência da Empresa Petrolina de Abastecimento (Empa), da qual o matadouro é vinculado. Entre outras coisas, ela também disse ser inadmissível que a fiscalização do abate seja feita pelos próprios funcionários do matadouro e que alguns comerciantes abatem seus animais, mesmo sem a taxa, enquanto outros são obrigados a pagar. Sobre a venda do matadouro, a vereadora foi categórica: “ninguém aqui é louco de aprovar um projeto desses sem que antes seja construído um novo matadouro”.
Ao Blog, um dos representantes dos marchantes, Gledson Falcão, salientou que viu de forma positiva a atitude de Lóssio em voltar atrás. Ele disse estar determinado a ‘rearrumar a casa’ junto com os demais colegas, dentro do prazo dado. Isso incluiria esforços dos profissionais a ajudar o município a gerir de forma mais eficiente o matadouro. Mas descartou, pelo menos nesse primeiro momento, de os marchantes assumirem a administração do local. “Nenhum marchante tem condição. Essa hipótese está totalmente descartada”, concluiu.