domingo, 17 de março de 2013

Eleições 2014: Pesquisa aponta vitória de Dilma ou Lula no primeiro turno



imagesPesquisa encomendada por empresários do Estado do Rio de Janeiro aponta vitória da presidente Dilma Rousseff no primeiro turno de 2014, com 56%; na simulação com ex-presidente Lula no lugar dela, o índice atinge 62%
A temperatura política no Estado do Rio de Janeiro, terceiro maior eleitorado do País, está quente. Levantamento do Instituto Ulrich Pesquisa e Maketing aponta para uma vitória em primeiro turno, na eleição presidencial de 2014, tanto para a presidente Dilma Rousseff, com 56 % das intenções, como para o ex-presidente Lula, que marcou 62 % quando a pergunta sobre qual será o candidato do entrevistado não incluia a presidente Dilma no cenário.
Nas simulações para a eleição do ano que vem para presidente da República, Dilma e Lula batem todos os seus adversários. Lula com índice maior que o de Dilma. Na opinião de Erich Ulrich, que durante 20 anos foi diretor de pesquisas do Ibope e agora dirige seu próprio Instituto, o quadro mostra um favoritismo muito grande no plano nacional para os candidatos do PT.O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do PSB, marcou apenas 1% das intenções de voto.
Abaixo, os números da pesquisa Ulrich:
Para presidente da República:
Dilma- 56%
Serra – 11%
Marina – 10%
Aécio – 5%
Gabeira – 4%
Eduardo Campos – 1%
Brancos/Nulos – 6%
Indecisos – 9%
_________________________
Lula – 62%
Serra – 10%
Marina – 10%
Aécio – 5%
Gabeira – 3%
Eduardo Campos – 1%
Brancos/ Nulos – 5%
Indecisos – 5%
Blog do Banana

Coma de Dominguinhos é irreversível



imagem1No dia 25 de fevereiro, médicos do hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, deram uma difícil notícia para os familiares do sanfoneiro, cantor e compositor José Domingos Moraes, o Dominguinhos: comunicaram que o coma em que ele está há quase três meses é irreversível e ele não deve mais acordar.
Em tratamento contra um câncer de pulmão há sete anos, Dominguinhos foi internado no dia 17 de dezembro com um quadro de pneumonia. No início da internação, sofreu oito paradas cardíacas, chegando a ficar quase cinco minutos com o coração sem bater.
Filho mais velho do primeiro casamento de Dominguinhos, Mauro da Silva Moraes resolveu divulgar o estado de saúde do pai em respeito aos fãs. “Quando meu pai ainda estava internado no Recife, um médico disse que ele não ia mais acordar. Não acreditei, outros médicos disseram que ele poderia sair do coma. Ele abria os olhos e ficava todo mundo esperançoso”, lembra Mauro.
“No mês passado, o médico dele no Sírio-Libanês falou que o coma não tinha mais volta. Eu perguntei se ele ia acordar e ele me disse que não, que o quadro do meu pai estava caminhando para um coma vegetativo”, lamentou o filho. “É triste saber que os admiradores não sabem o verdadeiro estado de saúde dele. As pessoas pensavam que ele estava melhorando. O marcapasso foi retirado, um dos rins está funcionando, mas ele não tem reação alguma. Faz alguns movimentos, como apertar a mão, mas os médicos disseram que é involuntário”, contou. “Oro todo dia para ele acordar. Milagres existem”.
A notícia foi comunicada há cerca de três semanas somente aos amigos mais próximos. Dono do restaurante Arriégua, onde Dominguinhos encontrava os amigos para tocar sanfona, Luiz Ceará foi um dos que souberam do estado do sanfoneiro. “Foi com muita tristeza que recebi a notícia, mas já era algo esperado. O tratamento de quimioterapia era muito violento, muito cruel”, disse Luiz Ceará, que não foi visitá-lo. “Prefiro guardar a imagem dele bem, feliz”, disse.
Família - O momento para os familiares do sanfoneiro é bastante delicado. Além dos problemas com o estado de saúde dele, há uma disputa judicial entre a ex-mulher Guadalupe Mendonça e o  filho dele, Mauro. Ela o acusa de ter “se apossado” do apartamento do músico no Morumbi. Em entrevista ao blog, publicada na quarta-feira passada, ela usou palavras duras contra Mauro.
Detentora de uma procuração de plenos poderes em relação a Dominguinhos desde 1994, Guadalupe afirmou que Mauro entrou na Justiça para conseguir anular o documento dela e ser o procurador do pai.
Por telefone, falando do apartamento do pai, Mauro foi bastante polido. Disse que não queria entrar em uma troca pública de agressões verbais e que o caso estava sendo resolvido na Justiça. Pediu para falar apenas sobre o pai. “Tive uma vida bastante sofrida. Meu pai foi ausente sim, por conta do trabalho dele, mas sempre o amei muito”, disse. “Deixei minha família no Rio de Janeiro e estou aqui em São Paulo exclusivamente para ficar perto dele e cuidar dele. Sou filho legítimo, por que não posso me hospedar no apartamento dele? Que mal há nisso? Pego dois ônibus todo dia para ir visitá-lo no hospital”, contou.  “Não vou falar mal de ninguém, respeito muito Guadalupe e Liv Morais (filha de Guadalupe e Dominguinhos), mas não quero que denigram a minha imagem”, disse. (Blog Play do jornal “Diário de Pernambuco”)
Blog do Banana

Eduardo Campos diz que falou com Dilma sobre eleições de 2014



imagemO governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), revelou nesta sexta-feira que conversou com a presidente Dilma Rousseff há cerca de 15 dias sobre o destino dele e do PSB em 2014. “Eu falei com a presidente Dilma e acho que é o suficiente falar com a presidente Dilma sobre o que o PSB acha sobre o futuro. Estou falando com quem deve liderar o processo”, respondeu o governador, sem deixar claro se vai manter a aliança em torno da candidatura à reeleição da presidente ou se vai lançar seu nome para essa disputa.
Após almoço com empresários do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), em São Paulo, Campos disse que conversou com Dilma sobre as preocupações dele para 2013 e sobre os problemas causados pelas disputas eleitorais em 2012 entre PT e PSB. Ele ressaltou que seu partido, do qual é presidente, não decidiu sobre uma candidatura em 2014. “Ela sabe que não é a hora do PSB decidir, porque o PSB vai decidir no seu tempo e, se fosse decidir hoje, ela sabe o que daria”, afirmou o governador.
Campos disse que continuará mantendo uma relação de respeito com Dilma e que a sucessão presidencial só será discutida em 2014. “Para mim, vale a conversa que tive com a presidente Dilma. Quando eu tiver alguma coisa para dizer ao PT, ou à presidente Dilma, ou ao conjunto, eu vou lá falar efetivamente com quem eu devo falar. Não vou ficar falando no jornal”, respondeu o pessebista.
O governador não quis comentar as críticas do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), que hoje questionou se Campos, ao falar sobre a economia do País, se posicionava como governador ou como candidato. “Não vou responder a Eduardo Braga. Ele não merece minha resposta.” (JC Online)
Blog do Banana

Petrolina tem novo Secretário da Educação



imagem“Sinto-me honrado em estar assumindo esse cargo. É um desafio principalmente pelos avanços educacionais obtidos com o governo Julio Lossio, a exemplo do desenvolvimento no índice do IDEB. Minha missão é dar prosseguimento a política educacional que vem sendo implantada no município desde a educação infantil ao ensino fundamental”. É com essa frase que Heitor Bezerra Leite, mais conhecido como Coronel Leite, assume a pasta da Educação em Petrolina, no lugar da professora Célia Regina de Carvalho.
Coronel Leite serviu ao Exército por 37 anos e é um renomado profissional na área educacional. Doutor em Ciências Militares integrou o corpo docente da Escola Preparatória de Cadete de Campinas (SP), bem como da Academia Militar das Agulhas Negras no Rio de Janeiro, Escola de Comando de Estado Maior do Exército em Praia Vermelha (RJ). Foi diretor da Escola de Formação Complementar do Exército e do Colégio Militar na cidade de Salvador (BA) até fevereiro de 2012.
Na direção do Coronel Leite, o Colégio Militar de Salvador alcançou o primeiro lugar tanto na capital baiana como no Estado no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Na mesma instituição implantou a Escola de Tempo Integral, uma das políticas educacionais em análise pelo governo municipal.
ASCOM/PMP
POR BLOG DO BANANA EM 15 DE MARÇO DE 2013  - 9:56 PM
Blog do Banana

Prefeitura de Petrolina distribui 95 toneladas de livros para alunos da rede municipal




A secretaria de Educação de Petrolina está entregando o correspondente a 95 toneladas de livros para estudantes das escolas municipais, Centros de Educação Infantil (CMEI´s) e Novas Sementes. Os livros são do Instituto Alfa e Beto para as disciplinas de Português, Matemática e Ciências, que serão trabalhados na pré-escola, no Programa de Aceleração de Aprendizagem (PAA1 e PAA2) e do 1º ao 9º anos.

Mais de 30 mil alunos receberão os livros que foram entregues à secretaria no fim de fevereiro. A distribuição nas instituições de ensino da zona urbana já foi concluída e a entrega dos livros na zona rural já começou. Para não haver demora na distribuição, a Superintendência de Gestão da secretaria de Educação fez um planejamento de logística dividido em três etapas. “Dividimos a logística em três partes. A primeira foi o recebimento e a separação dos livros por série, a segunda foi a separação por escola de acordo com o número de alunos e a terceira, a entrega”, conta o diretor de Logística, Eduardo Nogueira.

Em 2012 a prefeitura recebeu apenas os livros de educação infantil, PAA1 e primeiro ano. Agora em 2013, a quantidade de livros é bem maior. Além disso, o Instituto Alfa e Beto mandou kits para os professores compostos por cartazes, bonecos, letras do alfabeto, agenda, a fim de auxiliar os professores com as atividades pedagógicas. De acordo com o prefeito, Julio Lossio, o aumento na quantidade de séries e alunos que recebem os livros didáticos é de extrema importância para a melhoria na qualidade de ensino de Petrolina.

A distribuição está prevista para ser concluída esta semana. "Já começamos a entregar os livros nas escolas da zona rural. A previsão é de que até esta terça o processo esteja concluído”, informa Nogueira.


Fernanda Marins
Assessoria de Comunicação - PMP
11.03.2013

Pedra Linda recebe serviços de manutenção de limpeza




As equipes da secretaria de Infraestrutura do município de Petrolina, na última sexta-feira (08), realizaram no bairro Pedra Linda serviços de limpeza, com o auxílio de máquinas, na área em que será construída a Usina de Biomassa e o Centro de Triagem do Lixo.

A Usina de Biomassa é um projeto pioneiro no Nordeste e estará voltada para a fabricação de briquetes, que são blocos em formato de lenha produzidos com materiais orgânicos oriundos da fruticultura irrigada, a exemplo de sementes de frutas, galhos de plantas, palha de coco, madeira, poda de árvore dentre outros, até então, descartados pelas empresas através de queimadas.

Através dos briquetes, a comunidade contará com uma energia alternativa que poderá ser utilizada por diversos estabelecimentos que usam o carvão no preparo de alimentos e em outras atividades comerciais, a exemplo de padarias e pizzarias.

O Centro de Triagem também é uma ação do governo municipal, juntamente com outras entidades sociais, em prol da sustentabilidade do meio ambiente. O empreendimento será responsável pelo recebimento, separação e reciclagem do lixo.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Ricardo Rocha, “estamos trabalhando também em conjunto com outros projetos que visam trazer mais sustentabilidade e dignidade para nossa população. Através desses serviços contribuímos para uma melhor visibilidade da cidade ao mesmo tempo em que estamos mais próximos das pessoas”, afirma.

Texto: Alinne Torres
Assessoria de Comunicação - PMP
12.03.2013

Vigilância epidemiológica de Petrolina realizará busca ativa de Hanseníase




No intuito de intensificar o combate à Hanseníase em crianças e adolescentes, a Secretaria Municipal de Saúde de Petrolina (SMS), em parceria com as Secretaria de Educação (SMEP), realizará, entre os dias 18 e 22 de março, uma busca ativa de hanseníase em estudantes de 5 a 15 anos, alunos da Rede Municipal de Ensino. A campanha tem como objetivo identificar casos suspeitos da doença e encaminhar os pacientes para tratamento nas Unidades Básicas de Saúde e unidades de Atendimento Multiprofissional Especializado - AME Saúde da Família.

Para o técnico em vigilância epidemiológica da SMS, Francisco Freitas, a campanha é importante, pois orienta as pessoas que têm um maior contato com os alunos nas escolas sobre os perigos da hanseníase. “Diretores e coordenadores estarão habilitados a detectar qualquer sinal suspeito de Hanseníase no aluno, assim poderão orientar os pais a procurarem uma das Unidades Básicas de Saúde de Petrolina, caso encontrem algum sinal suspeito” explicou.

A Coordenadora de educação, Maria Araújo, percebe a necessidade de cada professor estar apto a reconhecer os sinais que podem caracterizar a hanseníase. “Os professores de educação física sempre tem um contato visual maior com a pele das crianças, esse professores poderão identificar com maior facilidade qualquer mancha suspeita” enfatizou a coordenadora. Além da busca ativia para hanseníase, os alunos também serão avaliados quanto a existência da geohelmintíase. Doença provocada por parasitas e encontrada frequentemente em crianças e adultos, tanto no meio urbano como na área rural.

Hanseníase - é uma doença infecto contagiosa que pode ser transmitida de uma pessoa infectada para a outra. A doença é causada por uma micro-bactéria mais conhecida como Bacilo de Hansen. Os principais sintomas da hanseníase são manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade.


Texto e Foto: Aurilio Marcos
Assessoria de Comunicação - PMP
12.03.2013

Monsanto inaugura sede em Petrolina



Muito prestigiada a chegada em Petrolina, de uma das maiores empresas mundiais de Biotecnologia. Com a presença de autoridades como o prefeito do município Julio Lossio e todo o secretariado, e representantes do governo do estado, como secretário de Ciência e Tecnologia de Pernambuco, Marcelino Granja e o secretário de Agricultura, Ranilson Ramos, além do Ministro da Integração, Fernando Bezerra foi inaugurada, ontem(11), o centro de desenvolvimento e pesquisa da Monsantom no projeto Senador Nilo Coelho, no lote 1557 ,o centro de desenvolvimento e pesquisa da Monsanto.

A Monsanto existe no Brasil há 50 anos e é uma das maiores referências mundiais em agricultura e inovação tecnológica, principalmente nas áreas de engenharia genética e biotecnologia. A instituição é pioneira no desenvolvimento de herbicidas, sementes convencionais e geneticamente modificadas que permitem produzir conservando os recursos naturais.

Para a instalação da Monsanto no município foram investidos 40 milhões de dólares, sendo que as condições climáticas, a infraestrutura da cidade e a mão de obra qualificada foram índices importantes para a escolha da localização da sede da empresa em Petrolina.
A Unidade de Petrolina – 36aa no Brasil- irá funcionar como um braço de pesquisa e tecnologia da instituição, através de estudos em cima das culturas de milho, soja, sorgo e cana de açúcar, com vistas, sobretudo, ao atendimento do amplo mercado nacional.

“A produção de alimentos terá que dobrar nos próximos anos no Brasil e por isso a importância de criar esta sede da Monsanto em Petrolina. Por conta do clima favorável da região, iremos produzir três ciclos de milho por ano o que irá acelerar a pesquisa e o lançamento de produtos novos no mercado”, argumenta o presidente da Monsanto no Brasil Rodrigo Santos, enfatizando que no centro de pesquisa da Monsanto em Petrolina passarão também produtos fabricados em outros Estados do país, o que irá beneficiar o desenvolvimento da agricultura brasileira.

Para o prefeito Julio Lossio, “Petrolina se tornará a incubadora da agricultura brasileira. Faremos aqui o que se pode fazer em outros lugares. Por isso é importante abraçar esse novo empreendimento que chega para somar nossos projetos de desenvolvimento. Petrolina agora entra em um novo clico de produção”.


Texto: Alinne Torres
Assessoria de Comunicação - PMP
12.03.2013

87 ° Unidade do Programa Nova Semente é inaugurada no Alto do Cocar



Nessa terça-feira (12), no bairro Alto do Cocar, rua 22, foi inaugurada a unidade Nova Semente Marília de Castro Macedo Constantino. O nome da instituição é em homenagem a memória de uma das educadoras que mais contribuiu para o fortalecimento da educação no município. Essa é a terceira unidade do Programa instalada no bairro.

Contando com um ambiente, materiais didáticos e pedagógicos adequados, a unidade a partir dessa quarta-feira (13) atenderá 60 crianças de zero a seis anos, sempre das 6h às 17h30. A gestora do prédio, Leidnara Gomes, ressalta a expectativa para o início dos trabalhos. “Nós sementeiras estamos bastante ansiosas para receber as crianças. Toda a decoração, os objetos e móveis foram pensados no bem estar delas. O Nova Semente é um projeto desafiador e muito bonito. Vamos oferecer o melhor para nossa comunidade”.

A trabalhadora e mãe Eliane Alves destaca a importância do Programa quanto a assistência para com as crianças e famílias petrolinenses. “Meus dois filhos irão estudar nesta unidade do Nova Semente. A gente tinha medo de deixar nossos filhos em qualquer lugar por conta do trabalho. Hoje isso não existe mais. As sementeiras tem muita responsabilidade e cuidam bem das crianças. Estou muito feliz em poder ter um local tranquilo e seguro para deixar meus filhos”.

O programa Nova Semente, idealizado pelo gestor municipal Julio Lossio, funciona desde outubro de 2010 e seis mil crianças recebem diariamente cinco refeições, acompanhamento médico, odontológico e nutricional. O ensino oferecido nas unidades seguem o programa pedagógico do Instituto Alfa e Beto. A ação conta ainda com parcerias de entidades sociais como o Petrape e a comunidade local.

“Queremos transformar a vida das pessoas através da Educação e por isso nossa luta é inserir as crianças de Petrolina na educação infantil. Nosso compromisso é com o futuro do nosso município e o Nova Semente é um grande parceiro deste objetivo. Nós temos pessoas qualificadas, treinadas e acima de tudo que possuem amor para cuidarem das crianças”, frisa o prefeito Julio Lossio.

Nesse mês 15 unidades do programa Nova Semente serão instaladas em Petrolina. Nessa quarta-feira será inaugurado o prédio Nova Semente Maria Lúcia Diogo, a partir das 18h30, na Ilha do Massangano.


Texto: Alinne Torres
Foto: GIlson Santos
Assessoria de Comunicação - PMP
13.03.2013

Petrolina já tem projeto do Centro de Iniciação ao Esporte pelo PAC




Uma área que contemplará diversas modalidades olímpicas e paraolímpicas deverá ser construída em Petrolina. Trata-se do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE), projeto da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) em parceria com os municípios. Orçada em mais de três milhões de reais, o projeto prevê a construção de Ginásio Poliesportivo com arquibancada para 195 pessoas, área de apoio com administração, vestiários, chuveiros, enfermaria, copa, depósito e academia e Arena Poliesportiva externa.

Toda a documentação necessária para a viabilidade de um desses CIEs para Petrolina já está regulamentada, assim como a contrapartida do município quanto à aquisição do terreno para a construção da obra. A Prefeitura de Petrolina, por meio da Secretaria de Esportes, acredita que a construção do CIE na cidade, vai potencializar ainda mais a descoberta de atletas na região além dos muitos benefícios que pode trazer no que se refere à prática esportiva e de lazer para a população.

“Petrolina já é berço de grandes atletas nacionais. Com mais infraestrutura esportiva, nossos jovens terão mais um espaço para praticar exercícios e possivelmente serão descobertos aqui, novos grandes competidores”, destaca o secretário de Esportes, Britto Júnior. O próximo passo é a aprovação final da candidatura da cidade como uma das contempladas com o CIE.

Modalidades olímpicas como esgrima, boxe, levantamento de peso, taekwondo, tênis de mesa, vôlei, judô, basquete e atletismo são compreendidas pelo projeto e ainda algumas paraolímpicas tais como o esgrima de cadeira de rodas, voleibol sentado e halterofilismo.


Texto: André Nazário
Foto: Gilson Santos
Assessoria de Comunicação- PMP
15.03.2013

Semana Santa



Uma das mais importantes datas do mundo Cristão se aproxima, a “Semana Santa”, por este motivo enviamos este pequeno resumo sobre está transcendental semana.

Origem da Semana Santa

A origem da festa está nos costumes judaicos. Inicialmente era a festa da passagem das pastagens. O rebanho era levado de um pasto fraco para um pasto de capim viçoso. Chamava-se "Dia da Páscoa". Esta festa existe antes de Moisés. Ela se combinou com a festa dos ázimos expressando o momento em que o povo de Israel passou para a agricultura, e então celebrava esta festa no princípio da colheita. O texto fundamental da narrativa da páscoa judaica está no livro do Êxodo (12, 1-13) e descreve a luta de Javé pela libertação de seu povo da escravidão do Egito, para levá-lo sobre suas asas ao encontro do Sinai e da Aliança. É uma festa de família, celebrada na noite de lua cheia no início da primavera, no 14º dia do mês das espigas, que depois do exílio, passou a se chamar Nisan.

Independentemente de um dia certo da semana e, em Roma, na maior parte das igrejas, o mistério era comemorado no domingo seguinte ao 14 de Nisan. Essa controvérsia quanto à data correta de comemoração do Mistério Pascal dificultava a unificação da Igreja.

A fim de diminuir as disputas sobre essa data, em 325, o Concílio Ecumênico de Nicéia prescreveu que a Páscoa deveria ser celebrada no domingo depois da primeira lua cheia da primavera daquele hemisfério, evitando assim, que ela fosse comemorada no mesmo dia da Páscoa judaica. Mais tarde, surgiu a necessidade de estabelecer uma data para essa comemoração, em função do estreitamento dos povos das mais diversas regiões.

Por causa disso, o Concílio Vaticano II estabeleceu um código que tinha como objetivo dar à festa da Páscoa um Domingo determinado e estabelecer um calendário fixo.

A partir de então, em Jerusalém, teve início a celebração do martírio de Cristo em três dias consecutivos e foi chamado de TRÍDUO PASCAL. Este termo deriva do latim "tres dies", ou seja, três dias dedicados a celebrações e orações especiais. Na liturgia romana, o tríduo mais importante é o pascal, formado pela Quinta Feira, Sexta Feira e Sábado que antecedem a celebração da Páscoa da Ressurreição, e por isso são seguidos do adjetivo "Santo".

Sexta-feira da Paixão passou a ser o dia dedicado ao sacrifício e morte de Jesus, Sábado de Aleluia o dia consagrado ao luto, e Domingo de Páscoa a festa da ressurreição.

Um decreto papal estabeleceu o Domingo da Ressurreição como a data mais importante do ano eclesiástico. Ele é celebrado sempre no domingo seguinte à primeira lua cheia da primavera no Hemisfério Norte e do outono no Hemisfério Sul.

Depois de Jerusalém, diversas comunidades cristãs adotaram a Semana Santa, que, hoje em dia, começa sete dias antes da Páscoa, com o Domingo de Ramos, que comemora a entrada de Jesus em Jerusalém, saudado pelo povo com ramos de árvores.

Na quinta-feira é celebrada a Última Ceia, a última noite que Jesus passou com os discípulos.

A primeira celebração da Semana Santa pelos cristãos foi em 1.682. Desde então, festejam-se em oito dias a paixão, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.

SEMANA SANTA

Tem início no domingo de Ramos e termina no tríduo pascal, sendo, portanto, a última semana do tempo quaresmal. Seu desenvolvimento deve-se, sobretudo, à exigência de testemunhar os eventos da Paixão de Cristo. Sta. Etéria, que viveu no final do século IV, descreve em seu livro "Itinerarium" a rica liturgia que se desenvolveu em Jerusalém, teatro das últimas horas de vida do Redentor, e compreende o intervalo de tempo que vai do domingo de Ramos à Páscoa. Na Idade Média essa semana era chamada de "semana dolorosa", porque a Paixão de Cristo era dramatizada pelo povo, mais que celebrada "no mistério", pondo em destaque os aspectos do sofrimento e da compaixão emotiva, talvez com prejuízo do aspecto salvífico e da vitória da ressurreição sobre a morte.

Atualmente, muitas igrejas gostam dessa tradição, que se desenrola com ricas procissões, representativas das pessoas e dos eventos que acompanharam a Paixão de Jesus. As sagradas representações da Paixão são autênticas dramatizações desenvolvidas a partir do século XII, muitas vezes acompanhadas de composições musicais. Músicas próprias, comemorativas da Paixão, exprimem-se segundo o esquema "dos oratórios" de Bach, Haendel, Perosi e Mozart.

As principais celebrações da semana santa são:

DOMINGO DE RAMOS, "DE PASSIONE DOMINI": celebra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, poucos dias antes de sua paixão: "... a numerosa multidão que viera para a festa (páscoa hebraica) ouviu dizer que Jesus estava chegando a Jerusalém. Saíram-lhe ao encontro com ramos de palmeiras, exclamando: Hosana! Bendito quem vem em nome do Senhor, o rei de Israel!" (Jo 12,12-13).

Antigamente, na manhã da Quinta Feira Santa celebrava-se o rito da reconciliação dos penitentes que já haviam cumprido todo o itinerário penitencial, segundo uma rígida disciplina, pelos pecados graves que os tinham excluído da participação da eucaristia. Já na quarta-feira de cinzas, o bispo lhes tinha imposto o cilício; depois, permaneciam reclusos até a Quinta Feira Santa e absolvidos; somente assim podiam ser readmitidos à celebração eucarística na noite de páscoa. Hoje, os critérios penitenciais são muito menos rigorosos e deixados de preferência à livre iniciativa dos participantes. Nesse dia, a liturgia celebra a "missa do crisma", do grego "chrismon", que significa ungüento; é óleo de oliveira misturado com aromas que o bispo consagra durante a missa do crisma.

Servirá depois para administrar o batismo, a crisma, as ordenações sacerdotais e episcopais; servirá também para a consagração das igrejas, dos altares, dos vasos sagrados, bem como dos sinos. A origem da bênção dos óleos santos e do sagrado crisma é romana, embora o rito tenha marcas galicanas. Há uma determinada seqüência litúrgica que deve ser respeitada, de acordo com o "Pontifical Romano": "Em conformidade com a tradição latina, a bênção do óleo dos enfermos faz-se antes da conclusão da oração eucarística; a bênção do óleo dos catecúmenos e do crisma é dada depois da comunhão. Permite-se, todavia, por razões pastorais, cumprir todo o rito de bênção depois da liturgia da Palavra, conservando, porém, a ordem indicada no próprio rito". Independentemente da bênção dos óleos, tem lugar, logo depois da homilia do bispo, como prescreve o Missal Romano, a renovação das promessas sacerdotais por parte de todos os presbíteros presentes, que, nesse dia, reúnem-se todos em torno do próprio bispo para ter sancionada a consagração sacerdotal.

SEGUNDA, TERÇA E QUARTA-FEIRA SANTAS. A Segunda e Terça-feira da Semana Santa não remontam aos primeiros tempos da liturgia da Igreja Católica. Porém, na Quarta-feira Santa duas celebrações faziam parte da programação: pela manhã, uma reunião comunitária simples com a liturgia da palavra e, ao anoitecer, uma missa. Segundo os princípios da Igreja, esses três dias são uma preparação para o Tríduo Sacro, ou seja, para os dias da Crucificação, Morte e Ressurreição de Jesus.
QUINTA-FEIRA SANTA indica o início do “tríduo pascal” com a celebração da missa vespertina in Coena Domini, na qual se comemora a Última Ceia da páscoa hebraica que Jesus fez com os 12 apóstolos antes de ser preso e levado à morte na cruz. Durante essa ceia "Ele instituiu a eucaristia e o sacerdócio cristão", prefigurando o evento novo da Páscoa Cristã que haveria de se realizar dois dias depois.

O Cordeiro Pascal, a partir dessa ceia, é Ele próprio, que se oferece num voluntário sacrifício de expiação, de louvor e de agradecimento ao Pai, marcando assim a definitiva aliança de Deus com toda a humanidade redimida do poder do mal. A simbologia do sacrifício é expressa pela separação dos dois elementos "o pão" e "o vinho", a carne e o sangue, o Corpo e o Espírito de Jesus, inseparavelmente unidos e separados, sinal misterioso ao mesmo tempo de vida e de morte. Esse evento do mistério de Jesus é também profecia e realização do primado do amor e do serviço na Sua vida e na dos fieis, o que se tornou manifesto no gesto do lava-pés.

Depois do longo silêncio quaresmal, a liturgia canta hoje o Glória. A liturgia da Palavra concentra-se na mensagem do Deus que "salva" desde a primeira aliança celebrada no sangue do cordeiro, por meio do qual Adonai escolhe "os seus", dentro da terra de escravidão, o Egito, até a última aliança marcada na ceia-oferta do próprio Filho. Após a homilia vem a cerimônia do lava-pés feita por quem preside a liturgia para significar que "o serviço" é fundamento do amor; cantam-se, de fato, durante esse rito os responsórios do amor extraídos de João e do apóstolo Paulo. A seguir vem a liturgia eucarística, ao término da qual se tiram as toalhas do altar-mor para indicar o abandono que o Senhor vai encontrar agora; a santa Eucaristia, que não poderá ser consagrada no dia seguinte, é exposta solenemente com procissão interna ou externa à igreja e a seguir recolocada sobre o altar da Deposição até a meia-noite para a adoração por parte dos fiéis. Os paramentos sacros e as vestes litúrgicas têm cor branca. A partir desse momento os sinos silenciam.

SEXTA-FEIRA SANTA é o segundo dia do tríduo pascal: nele se comemora a morte de Jesus na cruz, após um rápido processo. A liturgia celebra este evento, não como dia de luto e de choro, mas na contemplação do extremo sacrifício de Jesus, fonte da salvação universal. Por antiqüíssima tradição, a Igreja não celebra a Eucaristia nesse dia; toda a liturgia do dia gira em torno da proclamação da Palavra. A celebração compõe-se de três partes: - a liturgia da Palavra - a adoração da cruz e a comunhão.

A liturgia da Palavra é toda ela um entrelaçamento das profecias do Antigo Testamento de Zacarias e de Isaías, da dor expressa pelo livro das Lamentações e dos textos do Novo Testamento tirados da primeira carta de Pedro e da leitura da Paixão segundo o Evangelho de um dos sinóticos, em conformidade com o ciclo anual, bem como da morte segundo o evangelho de João; confirmando cada uma das partes o mistério do Filho do Homem, "desprezado, refugo da humanidade, homem das dores e habituado à enfermidade" (Is 53,1-3).

Às quinze horas tem início a liturgia da cruz, com leituras do profeta Isaías e das Lamentações entrelaçadas com textos de Lucas e dos Salmos, a que se segue a Paixão segundo João, que mostra Jesus como rei que percorre livremente o caminho da paixão e da cruz. Depois da leitura da Paixão segundo João, vem o descobrimento da cruz para a adoração. Após o rito da adoração, normalmente expresso pela procissão até a cruz e o beijo em Cristo crucificado, proclama-se a grande oração universal: - por todos os ministros do povo de Deus - pelos catecúmenos - pela unidade das Igrejas - pelo povo de Israel - pelos que acreditam em Deus - pelos que não acreditam em Deus - pelos governantes - pelos que sofrem - por todos os mortos Segue-se a adoração pessoal e silenciosa de cada fiel até as Vésperas do dia seguinte. O altar está totalmente desnudo, sem cruz, sem candelabros, sem toalhas; todas as imagens da igreja estão cobertas; a cor das vestes é roxa; acendem-se luzes de velas somente ao redor da cruz. Tudo deve significar o silêncio sereno da Morte do Justo. Prescreve-se o jejum e a abstinência de tudo o que satisfaça qualquer desejo material.

SÁBADO SANTO é o último dia do tríduo pascal e a vigília da Páscoa da Ressurreição. É chamado de Vigília Pascal, ou Sábado de Aleluia. A liturgia do dia continua sendo a parada junto ao sepulcro do Senhor, com a meditação de sua paixão e morte, sem celebrar nenhum rito litúrgico por todo o dia.No início do cristianismo, o Sábado Santo não tinha liturgia, e a eucaristia não era celebrada. Nesse dia, havia apenas o último exorcismo solene feito pelo bispo. No século II, a Vigília Pascal era marcada pela celebração da palavra, o batismo e a celebração eucarística.

A partir do século IV, teve início a celebração do Sacratíssimo Tríduo do Senhor Crucificado, Sepultado e Ressuscitado. A utilização da expressão Tríduo Pascal só passou a ser usada em 1930.
Mais tarde, no século VII, a Vigília Pascal passou a ter início na tarde do Sábado e a eucaristia era celebrada no começo da noite. As leituras começavam a partir das duas horas da tarde, havia a benção do fogo e o canto "Exulted".

No final das Vésperas ou à noite, segundo as tradições locais, celebram-se os ritos da ressurreição com a "solene vigília pascal". Vigília, do latim "vigília", indica o costume de preparar-se para uma solenidade, vigiando em orações durante a noite precedente; a vigília por excelência é a vigília pascal, vértice do ano litúrgico. Desta vigília é que nasceu depois o hábito de iniciar com uma vigília também outras solenidades, como o Natal e Pentecostes. A vigília adquire significado escatológico à luz da parábola das 10 virgens em Mt 25,6: "À meia-noite, ouviu-se um clamor: ‘Lá vem o noivo! Saí-lhe ao encontro!’" e do convite de ficar sempre atento que Jesus dirigiu aos apóstolos em Mc 13,35-36: "Vigiai, pois não sabeis quando o Senhor da casa voltará, se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo ou pela manhã, para que não suceda que, vindo de repente, vos encontre dormindo".

A noite do Sábado Santo passou a ter as seguintes partes:

Celebração da Luz - Realiza-se perante a fogueira acesa, na qual se acende o círio pascal. A reunião dos fiéis ao redor da fogueira manifesta a participação comunitária. A antiga tradição de acender a fogueira através do atrito entre pedras tem a ver com a alusão a Cristo, que é a pedra angular e que, do túmulo escuro de pedras, nasce como luz para o mundo.

Celebração do Círio - O Círio Pascal nasce da tradição de iluminar a noite com tochas de fogo ou muitas lâmpadas. Elas representam o Senhor ressuscitado como luz nas trevas humanas. Seguir o Círio Pascal em procissão tem grande valor simbólico, pois representa o seguimento de Jesus, que se apresenta como a luz do mundo e lembra o povo de Israel que seguia Moisés na escuridão em busca da libertação, iluminando somente pela fé em Javé.

Liturgia da Palavra - Nove leituras bíblicas, sendo sete do Antigo Testamento e duas do Novo Testamento (epístola e evangelho), que podem ser diminuídas por razões pastorais. Todas estas leituras são entremeadas por salmos ou cânticos, que devem ter, além da proclamação de seu conteúdo específico, a função de dinamizar e animar a assembléia celebrante.

Liturgia Batismal - A Igreja, desde os primeiros séculos, ligou a celebração do batismo à noite pascal, pois esta foi sempre a celebração, por excelência, da realização do batismo na comunidade cristã primitiva.

Liturgia Eucarística - É o coração da vigília pascal. Embora as circunstâncias das comunidades urbanas sejam menos propícias, por questão de transporte e mesmo de violência, muitas comunidades rurais ou de bairros realizam um ágape ou uma confraternização após a celebração da vigília, para comemorar e celebrar de forma festiva este acontecimento fundamental da fé cristã. Quando preparado pela equipe de liturgia ou pelos membros da comunidade, deve-se estimular a participação de todos, pois este evento constitui parte integrante da celebração.

O tríduo pascal termina com as Vésperas do domingo da Ressurreição.

DOMINGO DE PÁSCOA

No início do cristianismo, como a Celebração Pascal celebrada no Sábado Santo durava até a madrugada, não existia uma liturgia própria para o Domingo. Somente após a reforma de 1955 foi que o Domingo de Páscoa passou a ter um caráter verdadeiro. Em uma celebração muito alegre, a comunidade se reúne para exaltar Jesus Cristo, que venceu as barreiras da Morte, e convida todos à Ressurreição.

A Semana Santa deve representar para todos os Cristãos a consumação da Obra que Nosso Senhor Jesus Cristo fez pela humanidade, Amor, Humildade e Piedade.

"Deus é Amor, Amor Magnânimo, que encerra em si todas as Virtudes”.
Paz Profunda

Fonte: Sociedade das Ciências Antigas - SCA