sábado, 17 de agosto de 2019

CAXANGÁ - Acidente na BR-101 deixa nove vítimas; uma morte foi confirmada

  Por: Diario de Pernambuco
Divulgação/Corpo de Bombeiros
Divulgação/Corpo de Bombeiros

Na tarde deste sábado (17), por volta das 15h20, um acidente envolvendo um caminhão tanque e três veículos de auto passeio deixou nove vítimas. Três foram atendidas e conduzidas ao Hospital da Restauração. Um óbito foi confirmado pelo Corpo de Bombeiros. 

As vítimas removidas pelo CBMPE apresentavam TCE, trauma de tórax, sendo uma delas gestante. 

Para o local, foram enviadas duas ambulâncias dos bombeiros, duas duplas de moto resgate, uma auto bomba tanque e uma viatura de comando operacional. Mais informações em instantes.

Mais informações em instantes.





Blog do BILL NOTICIAS

COTIDIANO - Estudante de odontologia morre atropelada na av. Conde da Boa Vista

O acidente aconteceu na noite dessa sexta-feira (16); a estudante e uma amiga gestante foram atingidas enquanto caminhavam pela calçada

    Por: Marcia Rodrigues/folhapeAlessandra Tamyris Tristão Santos, estudante de odontologia vítima do atropelamento
Alessandra Tamyris Tristão Santos, estudante de odontologia vítima do atropelamentoFoto: Reprodução/ Instagram
Uma estudante de odontologia foi atropelada na avenida Conde da Boa Vista, no Centro do Recife, na noite dessa sexta-feira (16). Alessandra Tamyris Tristão Santos,22, estava caminhando na calçada junto com uma amiga quando foi atingida por uma moto. A estudante, que estava indo escolher o vestido de formatura, foi arremessada e se chocou contra um poste. 

Segundo testemunhas, o motorista, não identificado, estava bêbado e fazendo manobras arriscadas na pista, quando em um momento, perdeu o controle da moto e subiu na calçada atingindo a estudante e a amiga gestante. Ele ainda sofreu agressões por pedestres que passavam pelo local, mas conseguiu fugir. 

Alessandra foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu),em estado grave, para o Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, na área central do Recife. Familiares e amigos realizaram mobilizações nas redes sociais em busca de doações de sangue, mas a estudante não resistiu aos ferimentos e morreu. Já a amiga gestante sofreu apenas arranhões e passa bem. 

A jovem fazia parte da turma de odontologia do Centro Universitário Tiradentes - Unit e iria completar a graduação ainda este ano. Em nota, a universidade lamentou a tragédia. "A Unit-PE, por meio da sua reitoria, coordenações, professores, demais colaboradores e colegas de curso, lamenta imensamente esta fatalidade. Neste momento de perda e dor transmitimos nossos sentimentos aos familiares, amigos e colegas", informou a instituição. 

De acordo com a colega de turma,Urânia Ferraz, Alessandra era uma garota inteligente e estava sempre disposta a ajudar. “Ela era incrível, inteligente, e encantava a todos. Sempre foi muito sorridente e se mostrava disponível a ajudar qualquer pessoa. É uma perda irreparável. Estamos todos em choque”, contou. 

O sepultamento de Alessandra será realizado neste sábado (17), às 16h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista. 


Blog do BILL NOTICIAS

Mais de 6.500 interações, entre propostas criadas ou apoiadas, são registradas na 1ª rodada do Seminário Todos por Pernambuco

Material será sistematizado por equipe da Seplag e ajudará
na construção do Plano Plurianual



A primeira rodada da 4ª edição do Seminário Todos por Pernambuco foi finalizada com o evento em Serra Talhada, no Sertão do Pajeú, nesta sexta-feira (16). Na quarta e na quinta-feira a escuta popular aconteceu nas cidades de Floresta, contemplando a região do Sertão de Itaparica; e Arcoverde, para a população do Sertão do Moxotó. Ao todo, mais de 4.000 pessoas compareceram aos três primeiros seminários. As propostas e apoios foram contabilizadas tanto presencialmente quanto de forma digital, o que aumentou a capacidade do Governo do Estado de ouvir a população.
O Seminário Todos por Pernambuco é realizado sempre no primeiro ano da nova gestão Estadual, por meio da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). O governador Paulo Câmara convoca grande parte do secretariado para rodar o Estado e escutar as demandas da sociedade. Representantes dos legislativos estadual e municipal também prestigiaram os eventos. Alexandre Rebêlo, secretário de Planejamento e gestão, é o responsável por abrir cada um dos seminários, apresentando toda a metodologia de funcionamento, além de mostrar as ações já realizadas pela gestão de Paulo Câmara.
“Quem ouve mais, acerta mais. É para isso que fazemos o Todos por Pernambuco. Ouvindo a população podemos fazer as escolhas certas para atingir aqueles que mais precisam, melhorar o dia-a-dia da população e projetar um futuro melhor para os pernambucanos”, afirmou Alexandre Rebêlo. O governador Paulo Câmara também definiu a essência do Seminário: “O Todos por Pernambuco é isso: ir às regiões e ouvir as propostas das pessoas, planejar e realizar entregas. Essa iniciativa tem como objetivo a construção de um Pernambuco mais forte, mais igual e que possa melhorar a vida principalmente daquelas pessoas que mais precisam. Nessa construção, que não começou agora, temos buscado imprimir um modelo de gestão que faça com que as coisas aconteçam com responsabilidade. É com esse espírito que a gente vai continuar a trabalhar para implementar as políticas públicas que vêm fazendo bem a Pernambuco, e dar mais oportunidades ao nosso povo”.
Nesta 4ª edição do Seminário, a grande novidade foi a possibilidade da participação digital da população. O site www.participa.pe.gov.br está no ar desde julho e qualquer cidadão de qualquer lugar do estado pode deixar sua proposta ou apoiar alguma sugestão já cadastrada. Nesta plataforma, 6.500 interações da população foram registradas até meio-dia desta sexta-feira (16).
 
Nos locais de cada seminário foram montadas ilhas de propostas onde gestores governamentais da Seplag orientam os cidadãos que compareceram presencialmente a deixarem suas propostas pelo site. Neste ambiente foi registrado a maioria das 700 propostas consolidadas. Além disso, uma cabine digital também estava disponível para que os interessados gravassem vídeos com suas sugestões e propostas.
Todo esse material será sistematizado pela Seplag e servirá como insumo para a construção do Plano Plurianual (PPA), documento que contém um plano de médio prazo que orientará as ações do Governo de Pernambuco de 2020 à 2023.
A estudante de Arcoverde Adya Barbosa, 18 anos, fez questão de comparecer as ilhas de propostas para fazer suas sugestões. “Pedi ações na área da educação, sugeri a construção de uma delegacia da mulher em Arcoverde e asfalto na frente da minha escola. Gostei muito desta iniciativa de participação digital. Nós estudantes temos muitas ideias, apesar de sermos novos, e era difícil nos fazermos ouvir. Agora ficou mais fácil”, explicou Adya.
A segunda rodada do Seminário Todos por Pernambuco acontece na próxima semana, em Petrolina, Sertão do São Francisco, Araripima, Sertão do Araripe, e Salgueiro, Sertão Central. Até o fim de setembro, todas as 12 regiões de desenvolvimento do Estado terão sido contempladas com um Seminário.(Secretaria Estadual de Planejamento de PE)


Blog do BILL NOTICIAS

INVESTIGAÇÃO - Promotoria investiga ministro do Meio Ambiente por enriquecimento ilícito

A Justiça já negou duas vezes pedidos da Promotoria para a quebra de sigilo bancário e fiscal do ministro

  Por: Folhapress 
Ricardo Salles é ministro do Meio Ambiente
Ricardo Salles é ministro do Meio AmbienteFoto: Reprodução/Facebook


O Ministério Público de São Paulo abriu inquérito para apurar suspeita de enriquecimento ilícito do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. 

A informação foi publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo neste sábado (17). 

De acordo com o jornal, a investigação está concentrada no período entre 2012 e 2017, quando alternou a atividade de advogado com cargos no governo paulista. 
A Justiça já negou duas vezes pedidos da Promotoria para a quebra de sigilo bancário e fiscal do ministro. 

A investigação começou em julho, após a representação de uma empresa chamada Sppatrim Administração e Participações. A empresa levantou suspeita sobre a evolução patrimonial do ministro, com base nas próprias declarações de bens que ele prestou à Justiça Eleitoral. 

Salles foi candidato a vereador de São Paulo pelo PSDB em 2012, sem ser eleito. Na época, ele declarou R$ 1,4 milhão em bens, 10% de um apartamento, um carro e uma moto. Em 2018, quando tentou ser deputado federal pelo Novo, a declaração foi de R$ 8,8 milhões, dois apartamentos de R$ 3 milhões cada, R$ 2,3 milhões em aplicações e um barco de R$ 500 mil. O aumento foi de 335%. 

O ministério afirmou ao jornal, em nota, que "patrimônio e os rendimentos do ministro foram sempre declarados adequadamente à Receita Federal". Além disso, afirmou que "a própria representação não traz nada diferente do que nelas constam". 

A reportagem procurou o Ministério Público, que afirmou que não falaria sobre o caso por estar em segredo de Justiça. Nenhum representante do Ministério do Meio Ambiente foi localizado neste sábado. 

No período investigado, Salles atuou em cargos no governo estadual. Foi secretário particular do ex-governador Geraldo Alckmin em 2013 e 2014. Na mesma gestão, entre 2016 e 2017, foi secretário do Meio Ambiente. Neste período, recebeu entre R$ 12 mil e R$ 18 mil. 




Blog do BILL NOTICIAS

Governador Paulo Câmara participa do seminário `Todos por Pernambuco´em Serra Talhada

 Via:Vinicius de Santana


O governador Paulo Câmara esteve na cidade de Serra Talhada, no Sertão do Pajeú, nesta sexta-feira (16), para comandar o Seminário Todos por Pernambuco.
A ação já passou pelos sertões de Itaparica e do Moxotó nos dois últimos dias e ouviu as sugestões da população.
O governador percorrerá todas as 12 macrorregiões do Estado para conversar diretamente com o povo de cada região e saber as demandas para, dessa forma, realizar um planejamento para melhorar ainda mais a qualidade de vida das pessoas.
“O Pajeú sempre nos recebe muito bem, e foi assim com toda a nossa equipe de Governo, hoje, no Todos Por Pernambuco. Fechamos, em Serra Talhada, a primeira rodada dos seminários que dialogam com a população.
Recebemos das regiões de Itaparica, Moxotó e Pajeú muitas propostas e sugestões, que nos ajudam a planejar Pernambuco, levando desenvolvimento para os municípios. A todos que participaram dessa primeira rodada, os nossos agradecimentos por contribuírem com o debate por um Estado melhor para todos”. Disse Paulo Câmara em sua rede social.


Blog do BILL NOTICIAS

ESCALPELAMENTO NO KART - Caso de jovem escalpelada é 'dramático', diz microcirurgião de Houston

Cirurgião plástico que atua nos Estados Unidos fala com exclusividade ao Portal FolhaPE sobre os próximos passos do tratamento da auxiliar de ensino infantil Débora Stefanny

  Por: Portal FolhaPE com Edward Pena, de Cotidiano
Débora Estephany passou por cirurgia e permanece internada no HR
Débora Estephany passou por cirurgia e permanece internada no HRFoto: Cortesia


O caso da auxiliar de ensino infantil Débora Stefanny, 19, é “dramático”, segundo o cirurgião plástico especialista em microcirurgia Marco Maricevich. A jovem foi escalpelada em um acidente de kart no estacionamento do Walmart localizado em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, no último domingo (11). O médico, que atua no centro hospitalar de referência Baylor College of Medicine, de Houston, nos Estados Unidos, se colocou à disposição para tratar da paciente e recomendou tratamento para a jovem em Ribeirão Preto, em São Paulo. Em entrevista exclusiva por telefone à Folha de Pernambuco, ele avalia a recuperação de Débora e indica os próximos passos do tratamento.

“É um caso dramático. Ela [Débora] precisa de um time especializado e é importante que seja transferida para um centro de referência”, pondera Maricevich. Desde o acidente com o kart, Débora passou por duas cirurgias feitas pelo cirurgião Jonathan Vidal no Hospital da Restauração (HR), no Recife, onde permanece internada. Segundo boletim médico divulgado nessa sexta-feira (16) pelo hospital, o estado de saúde da jovem é estável. Um novo balanço deverá ser emitido na próxima terça-feira (20).
A área da pele reimplantada apresentou microtrombos na quinta-feira (15). Esses pequenos coágulos sanguíneos devem levar à perda do implante feito em Débora com pedaços de pele de outras regiões do corpo. “Esse é um caso dificílimo. Os vasos estão traumatizados, assim como o tecido. Essa situação faz com que a probabilidade de trombos e coágulos seja maior e a chance de perder o reimplante é altíssima”, explica o microcirurgião. 

O médico recomendou à família que Débora seja transferida para o Hospital Especializado de Ribeirão Preto, em São Paulo, pois transtornos de uma possível viagem aos Estados Unidos, como voo, logística, visto e língua diferente poderiam ser ruins para a paciente.“A equipe de Ribeirão Preto faz microcirurgia reparadora todo dia. Existem microcirurgiões de muita experiência e muita qualidade lá, liderados pelo dr. Daniel Lazo”, detalha Maricevich.

O Hospital Especializado é um centro de referência para casos similares aos de Débora, os de microcirurgias reparadoras. Segundo Maricevich, os equipamentos do hospital paulista são tão bons quanto os dos Estados Unidos, assim como a equipe. “Estou à disposição para recebê-la em Houston ou ir para Ribeirão Preto. Para a paciente, acho que talvez fosse melhor para ela ficar no Brasil do que vir para os Estados Unidos”, acrescenta.

O microcirurgião ressalta o trabalho realizado pela equipe do dr. Jonathan Vidal. “Quero enfatizar o trabalho fantástico que foi feito com essa paciente. Ele [dr. Jonathan] foi muito corajoso de operar esse caso. Infelizmente não deu certo, porque é de alta complexidade e muito difícil. Ele tentou uma vez, tentou outra vez, fez tudo que tinha que ser feito”, elogia o médico.

Sobre a recuperação de Débora, Maricevich ressalta que ainda não é possível cravar um tempo exato que poderá levar, e que a jovem deve seguir sendo acompanhada por especialistas por alguns anos. “Depois ela não vai precisar ficar internada. Vai ser acompanhada por anos com cirurgias e retoques”, indica o microcirurgião. Ainda segundo o médico, Débora não corre risco de morrer, mas o osso do crânio exposto tem que ser coberto com tecido com urgência para evitar necrose e infecção.

O noivo de Débora, o microempresário Eduardo Tumajan, 28, disse que enviou nessa sexta-feira (16) toda a documentação médica para o Walmart e espera um retorno do grupo para saber qual ajuda poderá ser dada em caso de transferência para outra unidade de saúde. A assessoria de Comunicação do Walmart informou que aguarda a avaliação dos laudos médicos para emitir um posicionamento oficial sobre as questões de gastos com a viagem e com a cirurgia. Por enquanto, não falaram se realmente vão ajudar com as despesas.

A pista onde Débora sofreu o acidente funcionava sem alvará no estacionamento do Walmart localizado em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife,e  era administrada pela empresa Adrenalina Kart. O local foi interditado na segunda-feira (12), um dia após o acidente em fiscalização feita pelo Procon-PE e Corpo de Bombeiros. A família registrou o caso em Boletim de Ocorrência e a Polícia Civil de Pernambuco abriu inquérito para investigar o acidente. O representante da Adrenalina Kart, o empresário Vanderlei Dreyer, pai do proprietário Fábio Dreyer, classificou o caso foi uma "fatalidade".




Blog do BILL NOTICIAS

Com ajuda de drone, polícia localiza plantação com 40 mil pés de maconha no norte da Bahia

  Via:Carlos Britto
(Foto: SSP-BA/Divulgação)


Uma operação conjunta entre as Companhias Independentes de Policiamento Especializado (Cipes) Caatinga e Nordeste, da Polícia Militar da Bahia (PMBA), erradicou, na sexta-feira (16), cerca de 40 mil pés de maconha. Com uso de drone a plantação foi descoberta na cidade de Canudos, no norte do estado.
Uma denúncia anônima indicou o plantio ilegal no distrito de Bendegó, na zona rural. Após algumas horas sobrevoando a região, os PMs encontraram a plantação de maconha, uma quantidade relevante da erva já colhida e acampamentos usados pelos criminosos que davam manutenção no plantio.
Com a chegada das guarnições um grupo fugiu utilizando um veículo, mas um integrante do bando, ainda não identificado, foi cercado e preso com uma espingarda.
Após juntar os milhares de pés de maconha, os materiais foram queimados. “Mais uma ação de combate ao tráfico de drogas na Bahia. Não paramos“, garantiu o comandante do Policiamento Especializado (CPE) da PMBA, coronel Sérgio Freire.


Blog do BILL NOTICIAS

PESQUISA - Monitoramento da Amazônia pelo Inpe é o melhor do mundo, diz especialista

  Por: AE
Jody Amiet/AFP
Jody Amiet/AFP

O sistema de monitoramento da Amazônia do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) não é só um produto único para fiscalizar a floresta. Trata-se da melhor ferramenta disponível para esse tipo de atividade no mundo e já inspirou a criação de sistemas similares em outros países. Essa é a avaliação de Gilberto Câmara, diretor do secretariado do Grupo de Observações da Terra (GEO) e chefe do Inpe de 2006 a 2013, órgão que tem sido alvo de críticas do governo Jair Bolsonaro. 

Vinculado às Nações Unidas, o órgão é a principal instituição internacional para monitoramento e observação da Terra. Câmara é membro sênior da Association for Computing Machinery (ACM), doutor honoris causa pela Universidade de Muenster (Alemanha) e cavaleiro da Ordem Nacional do Mérito da França. Já orientou 31 mestrados e 23 doutorados. Em 2012, recebeu o Global Citizen Award da Global Spatial Data Infrastructure Association o Pecora Award, da Nasa.

Câmara participou da criação do sistema Deter, a plataforma do Inpe de informações que emite os alertas sobre desmate na Amazônia. Para o pesquisador, a crise deflagrada pelo governo Bolsonaro em relação aos dados de desmate gerados pelo Inpe tem colocado não só a instituição pública em xeque, mas toda a credibilidade da ciência nacional e a imagem do próprio País, que pode passar a ser visto como manipulador de informações que, tratadas com total transparência nas últimas décadas. O Estado de S. Paulo mostrou em julho que os alertados do Inpe indicaram alta de 40% no desmate da Amazônia entre agosto de 2018 e julho deste ano. A gestão Bolsonaro tem afirmado que esses dados são "exagerados" e "manipulados". 

O sistema de detecção de desmate do Inpe tem problemas, como diz o governo? É uma tecnologia limitada, de baixa qualidade?
Deter é o melhor sistema para esse tipo de atividade em todo o mundo. O problema é que querem fazer discussão de coisas distintas. O Deter é um sistema que utiliza imagens de satélites e, por meio de uma metodologia, produz informação sobre o desmate, orientando as campanhas (fiscalizações em campo). Isso não pode ser comparado com um simples conjunto de imagens de satélite, como querem fazer. Criaram uma dicotomia entre um sistema e grupo de imagens. São coisas absolutamente diferentes. O sistema brasileiro é o melhor que temos hoje e, mais importante ainda, é suficiente para fazer o trabalho a que se propõe.

O governo falar em adquirir sistemas mais modernos e já testa produtos privados. Como o senhor avalia isso?
Hoje não há sistema no mundo que possa se equiparar ao Deter. Temos sistemas similares, mas com resolução de imagem menor e interpretação automatizada dos dados. Esses sistemas não mostram, por exemplo, quanto da floresta foi desmatada em cada município, em cada terra indígena ou área de proteção ambiental. Fora isso, o que existem são imagens de alta resolução, mas sem inteligência. Portanto, o Deter não tem paralelo no mundo e isso é reconhecido pelos órgãos internacionais.

O sistema poderia ser aprimorado pelo Inpe?
Como qualquer outro sistema, pode e deve evoluir. Desde que começou a ser usado, de 2005 para cá, a captação do Deter passou a ser 20 vezes superior, com uma precisão bem mais detalhada. É possível melhorar o Deter? Claro. Sem isso, o Brasil deixa de ter uma estratégia de combate ao desmatamento? Não. O melhor da ciência mundial e brasileira hoje converge para o fato de que não há dúvidas de que os resultados do Inpe são confiáveis. O que há de concreto é que o desmatamento na Amazônia está aumentando. A situação está se degradando e isso é óbvio. Os dados do Deter permitem afirmar, sem sombra de dúvidas, que há um recrudescimento no desmatamento da Amazônia, e onde isso está ocorrendo.

É necessário adquirir um produto paralelo para operar com o sistema do Inpe?
Em princípio, não tem de errado na possibilidade de o Ibama utilizar imagens do sistema de microssatélites Planet (produto privado que já é testado gratuitamente pelo órgão) para confirmar os alertas do Deter. Mas a verdade é que esse mapeamento já é feito hoje pelo MapBiomas (projeto colaborativo de mapeamento que reúne especialistas pesquisadores de universidades, institutos e organizações). Se o governo usasse esse sistema, não precisaria comprar outro produto. Agora, se a ideia for substituir o Deter, vão ter de criar um sistema novo que não existe hoje no mundo. E isso é absolutamente desnecessário e contraproducente. Não há necessidade racional. A ciência brasileira não precisa de confrontação falsa entre um sistema que está operando e novas imagens.

Como avalia a repercussão dos ataques aos dados informados pelo Inpe?
O que vemos hoje em relação ao Inpe é o mesmo tipo de prática que assistimos quando alguns países discordam do aquecimento global. Setores internacionais que patrocinam políticas contra as evidências do aquecimento, como a indústria do petróleo, sabem há décadas que o uso de petróleo causa mudança climática. Da mesma forma, a indústria do tabaco sabia, desde os anos 1950, que cigarro causa câncer. O fato de esses setores contrários saberem qual é o consenso científico e a explicação mais plausível para o aquecimento, por exemplo, faz com que fujam o tempo todo do debate aberto e racional. A intenção é desqualificar e derrubar os dados, sem oferecer nada no lugar. 

O governo já sinalizou que pretende controlar a divulgação de informações do Inpe sobre o desmatamento. Como o senhor avalia isso?
Há uma estratégia de se negar o debate, só que essa estratégia é perdedora, não tem como ganhar. Amordaçar o Inpe é uma atitude contrária a todas as leis e regras que temos no País sobre a transparência do exercício público.

O governo sinalizou que pode fechar os dados públicos do Inpe a qualquer momento.
 
E o Ministério Público também pode sinalizar, a qualquer momento, que entrará com ação de improbidade administrativa contra um diretor do Inpe, porque ele violou a lei. Além disso, quais seriam as consequências de se fechar esses dados? A comunidade europeia passaria a acreditar que o desmatamento, agora, está sob controle? A população acreditaria nessas informações? Em 2008, também questionaram os dados do desmatamento do Inpe, mas depois deixaram que o trabalho prosseguisse porque viram que estavam corretos. Tanto naquela época, quanto hoje, o que está em jogo é a credibilidade do Brasil, e não do Inpe, em fornecer informações sobre uma parte da natureza que nos cabe cuidar. O Brasil já mostrou que não precisa desmatar a Amazônia para crescer. Nos últimos anos, diminuímos o desmatamento, enquanto dobramos a produção agrícola.

O Inpe pode perder o protagonismo neste tipo de monitoramento?
São 30 anos de trabalho do Inpe apresentando resultados, informações, dando acesso à comunidade científica internacional. Tem mil artigos científicos publicados que tomam os dados do Inpe como elemento de sua análise. A história mostra que essa credibilidade se constrói muito lentamente, mas também se destrói, como toda boa porcelana, muito rapidamente. Depois, não tem como emendar.





Blog do BILL NOTICIAS