sábado, 1 de junho de 2019

QUE PIB É ESSE?



Foi divulgado esta semana o indicador do PIB – Produto Interno Bruto – referente ao 1º trimestre de 2019. Como esperado, o resultado foi negativo. Em comparação com o último trimestre do ano passado, o PIB recuou - 0,2%. Mas o que essa informação quer dizer concretamente? Que o golpe quebrou o país e que não tem como dar certo um governo que não tem projeto para o país, olha mais para fora do que para dentro do Brasil e cada vez que se pronuncia ou anuncia alguma medida só causa mais estragos. É um desastre anunciado!
Desde o segundo turno das eleições presidenciais de 2014, um dia após a reeleição da presidenta Dilma Rousseff, começaram os ataques e bombardeios para derrubá-la, travar pautas no Congresso Nacional e imobilizar seu governo. Mas por quê? Se compararmos esse PIB de hoje com o mesmo período (1º trimestre) de 2014, que foi o último 1º trimestre sem a interferência das forças golpistas, a diferença fica bem clara. Vale lembrar que é preciso comparar indicadores iguais. Pois bem, esse PIB anunciado agora foi de R$ 1,713 trilhão. Para ele ter valor equivalente ao de 2014, precisaria ter sido de R$ 1,808 trilhão, ou seja, ele é 5,55% menor do que deveria para, no mínimo, se igualar ao do mesmo período.
A fim de esgotar esse demonstrativo, vamos observar mais alguns resultados: desde que o PT assumiu a Presidência da República, o PIB veio crescendo de forma real, ou seja, descontada a inflação, o que representa riqueza de fato e aponta o poder de compra. Ele foi crescendo assim, então, até o início do golpe ou até o final do primeiro mandato da Presidenta Dilma. A partir da fase mais agressiva do golpe, depois da derrota eleitoral do candidato tucano Aécio Neves, em 2014, a economia começou a sair dos trilhos e o PIB real foi caindo. O pior momento foi o 4º trimestre de 2016. E esse último período do ano, em geral, é um dos que têm a economia mais aquecida.
Os números por si só não contam toda a realidade. Vamos aumentar mais o campo de visão e demonstrar porque esse governo é um desastre completo. Enfrentar crise é uma coisa. Lula e Dilma passaram por crises internacionais também, mas o grande problema de agora é não ter políticas eficazes de enfrentamento e nem sequer um plano de curto, médio e longo prazos para dizer como o governo vai atuar daqui pra frente. Não temos hoje nem seriedade e nem compromisso com o bem-estar social com esse governo que está aí! O noticiário está repleto de surtos de ignorâncias, de visões preconceituosas e de um besteirol sem precedentes na história política do Brasil. Institucionalmente, estamos fadados ao fracasso e não tem como dizer isso de uma maneira mais branda. É fato!
Cada vez que Jair Bolsonaro se manifesta sobre política externa – coisa de que não entende nada e por isso não domina – ele e seus subordinados causam um problema maior para o setor produtivo brasileiro, desde o agronegócio até a agricultura familiar. Foi assim com suas falácias sobre o Mercosul (que é grande mercado importador de nossos produtos industrializados) ou com suas visões preconceituosas e submissas a interesses externos, que prejudicaram nossa produção de leite, de carnes, de alimentos orgânicos, entre outros setores.
Estrago feito, vão querer usar o argumento da crise para justificar sacrifícios por parte do trabalhador e desmontes de direitos, como a reforma da Previdência, que penaliza o trabalhador do regime geral (aquele que se aposenta com um salário mínimo) e que contribui para movimentar a economia local. Não mexem com privilégios, com as grandes empresas e nem com os sonegadores. A torneira dos investimentos nos municípios está secando e as políticas sociais estão sendo atingidas pela emenda constitucional 95, que congelou os recursos da saúde e da educação por 20 anos.
Distribuir renda, valorizar o salário mínimo e aumentar o poder de compra dos trabalhadores, foco das políticas do PT, trazem resultados concretos para a economia, com ou sem crise. Se Lula e Dilma tivessem adotado a política salarial de Bolsonaro de só corrigir o salário mínimo pela inflação, o salário mínimo hoje estaria em R$ 572,50 reais e não R$ 998, que já é baixo. Os governos do PT proporcionaram aumento real e atravessaram as crises gerando empregos formais (foram mais de 20 milhões até 2014), postos de trabalho nas grandes obras estruturais, incrementando setores que foram impulsionados também, a partir de programas como o Minha Casa, Minha Vida, o crédito rural, a alimentação escolar, a compra direta de alimentos da agricultura familiar e camponesa. E ainda tínhamos o pré-sal, a Embraer, os investimentos na indústria naval etc para gerar mais segurança e fazer o país crescer e desenvolver. Tudo com soberania, sem bater continência a nenhuma outra bandeira que não fosse a nossa, do Brasil.
Por trás desse PIB anunciado, negativo, que nem consegue ser o "pibinho" - como pejorativamente chamavam os índices alcançados nos anos de governo do PT, lembrando que a média entre 2003 e 2014 de crescimento do PIB foi de 3,5% (positivo!) -, está todo esse comparativo da realidade e da seriedade com que governávamos. Esse PIB negativo, recuado, tacanho e pequeno é um símbolo de um governo que se elegeu fugindo dos debates, alimentando ódios, ignorâncias e manipulando a opinião pública com notícias falsas. Espelha a pobreza generalizada de ideias, de projetos, de diálogo, de debates e de soluções. Reflete a incompetência de gestão. E a gente bem sabe quem é que paga a conta desse desastre.247 
Por:Gleise Hoffmann - Deputada federal pelo Paraná 


Blog do BILL NOTICIAS

Prefeitura divulga resultado de licitação e Petrolina terá nova frota de ônibus coletivos com ar-condicionado e wi-fi

  Via:Carlos Britto
(Foto: Ilustração)

Petrolina já conta com uma nova concessionária do transporte coletivo. Trata-se da ‘Atlântico Transportes’, empresa da Bahia que venceu a licitação da Prefeitura. O resultado foi divulgado agora há pouco, pela assessoria de comunicação da Gestão Miguel Coelho.
Quatro empresas participaram do processo licitatório da prefeitura que deve ser homologado em até 10 dias. De acordo com as exigências da prefeitura, a empresa vencedora deverá oferecer aos petrolinenses uma frota de ônibus 100% nova, com carros equipados com ar-condicionado e todos eles com equipamentos de acessibilidade, além de serviço de wi-fi.
Para o prefeito Miguel Coelho, as mudanças representam um novo patamar no serviço público de transporte. “Esse era um dos maiores desejos dos petrolinenses, ônibus de qualidade, com preço justo. É a confirmação do compromisso que firmamos lá atrás, ainda na época de campanha. Dissemos que iríamos priorizar as pessoas, com um serviço de qualidade e com respeito ao nosso povo“, destaca o prefeito.
O processo licitatório avaliou itens como: tarifa, idade da frota, frota com energia limpa, entre outros. O secretário-executivo da Autarquia Municipal de Mobilidade (AMMPLA), José Carlos Alves, lembra que existem prazos jurídicos que podem variar durante o processo de homologação, mas ressalta que a previsão é de que a nova empresa passe a operar em até 180 dias, a partir da assinatura do contrato.


Blog do BILL NOTICIAS

BOLSONARO DEFENDE MACRI, QUE AFUNDOU A ARGENTINA


247 - Jair Bolsonaro voltou a criticar a ex-presidenta Cristina Kirchner e expressou seu apoio à reeleição de Mauricio Macri, prejudicando a campanha do argentino e dando aquela força à campanha da ex-presidenta. Em 2018, 2,65 milhões de argentinos adentraram a linha de pobreza, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec), consolidando o desastre de Macri. 
A reportagem do jornal O Globodestaca a fala - tóxica a Macri - de Bolsonaro: "Contamos com o povo argentino para escolher bem seu presidente em outubro".
Bolsonaro também falou sobre Venezuela, quase fazendo uma autocrítica involuntária: "a fraqueza de Maduro torna mais forte a ditadura na Venezuela. Há ali células do grupo Hezbollah, milícias, coletivos... Então, Maduro não é quem manda. Maduro é hoje um fantoche na Venezuela. Tem que haver uma rachadura na liderança do Exército venezuelano. Até que isso aconteça, essa questão não termina. O grande problema é que o regime pode transformar-se em uma Coreia do Norte sem bomba atômica; os russos também têm participação ali, porque há petróleo e ouro."
Sobre Trump, o pai de Flávio Boslonaro disse: "Qual foi o círculo de amigos do Brasil até um tempo atrás? Venezuela, Cuba, Bolívia. Qual é o nosso futuro? Sempre admirei os Estados Unidos e fiquei muito feliz com a vitória de Trump, torci por ele e fui aos Estados Unidos. Tudo o que propus a Trump e ele aceitou foram alianças. Precisamos buscar ciência, inovação e tecnologia. Eu também fui buscar isso em Israel."


Blog do BILL NOTICIAS

PREVIDÊNCIA - Relator admite excluir estados e municípios de reforma da Previdência

Se a ideia prosperar, a reforma em tramitação no Congresso não teria efeito para estados e municípios

  Por: Folhapress
Relator da Previdência, Samuel Moreira
Relator da Previdência, Samuel MoreiraFoto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Após reunião com a equipe econômica do governo, o relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), passou a admitir excluir as mudanças nas regras de aposentadoria dos servidores estaduais e municipais. Se a ideia prosperar, a reforma em tramitação no Congresso não teria efeito para estados e municípios. Moreira, no entanto, estuda prever que governadores e prefeitos possam aprovar leis ordinárias, que depende de maioria simples, nos respectivos órgãos legislativos para aderir à reforma.

Assim, os critérios de aposentadorias dos servidores passariam a ser os mesmos do funcionalismo público federal, que continuará dentro do projeto que está no Congresso. A ideia dele é que não haja prazo para que os governadores e prefeitos tenham que aprovar o projeto de lei ordinário. Moreira encontrou-se nesta sexta (31) com integrantes do governo. 
Técnicos do Ministério da Economia argumentam que o sistema previdenciários dos estados e municípios também precisa ser reestruturado diante da crise nas contas públicas, mas a pressão no Congresso para derrubar esse item da reforma é grande.
Embora o déficit anual na Previdência dos estados esteja próximo de R$ 90 bilhões, deputados não querem ter o desgaste político em aprovar regras mais duras para que servidores estaduais -e também municipais- se aposentem.

Essa foi uma reação à campanha de governadores e prefeitos -especialmente da oposição ao presidente Jair Bolsonaro– contra a reforma da Previdência e a quem votasse a favor da proposta. Por isso, deputados passaram a recusar a ideia de aprovar medidas impopulares que beneficiariam o ajuste nas contas de estados e municípios.

Esse movimento cresceu nas últimas semanas e, então, foram apresentadas emendas -sugestões de mudanças na proposta de Bolsonaro- para excluir servidores estaduais e municipais da reforma. Integrante de um partido favorável à reestruturação da Previdência, Moreira não queria poupar os funcionários de estados e municípios do endurecimento das regras, pois ele considera grave o problema fiscal desses entes.

Mas o relator e a equipe econômica avaliam que, diante do cenário atual na Câmara, um texto mantendo esse item não deverá ser aprovado, prejudicando, assim, o ajuste nas contas da União. A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) deve gerar uma economia de R$ 1,2 trilhão em dez anos para a União.

O efeito das mudanças nas aposentadorias de servidores estaduais representaria um corte de R$ 350 bilhões nesse mesmo período; e cerca de R$ 170 bilhões no caso dos municípios. Moreira deve apresentar o relatório à comissão especial da reforma antes do dia 15 de junho. 

Ainda não há prazo para votação do parecer na comissão, que é a etapa anterior à análise pelo plenário da Câmara, onde o governo precisará de 308 votos de um total de 513 deputados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), um dos principais fiadores da reforma, quer concluir a votação no plenário até meados de julho.





Blog do BILL NOTICIAS

Mototaxista é preso suspeito de tráfico de drogas em Petrolina

  Via:Carlos Britto
(Foto: Divulgação)

Um mototaxista foi preso por tráfico de drogas em Petrolina, ontem (31). De acordo com o 2º Batalhão Integrado Especializado (BIEsp), o suspeito foi localizado no bairro Pedra Linda, zona oeste da cidade.
Quando os policias se aproximara, ele tentou fugir, mas foi detido pelos policiais. Durante revista pessoal, foram encontrados com ele um saco plástico com 3 pedras de crack e a quantia de R$ 96,00 no bolso da calça, R$ 550,00 na carteira e R$ 931,00 no tênis, totalizando R$ 1.107,00, além de uma pedra pesando aproximadamente 10g de crack no capacete.
Ainda de acordo com o 2º BIEsp, o homem informou que iria entregar a droga a uma mulher no centro. Os policiais se dirigiram ao local, onde foram encontradas 13 munições de calibre .38 intactas, sendo, ainda, solicitado o apoio do canil.
Um cão policial indicou um local no quintal do imóvel e começou a cavar, onde foram encontradas uma sacola com aproximadamente 390g de crack, uma faca de mesa suja do mesmo material, uma caixa de relógio com a quantia de R$ 3.141,00, 02 sacos plásticos (um com a quantia de R$ 1.402,00 e o outro com R$ 1.400,00). Os envolvidos foram encaminhados à delegacia, junto com o material apreendido.


Blog do BILL NOTICIAS