segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Sertanejos Fábio e Guilherme, os “Gordinhos”, morrem em acidente de carro

  Por: Vinicius de Santana
 

Os irmãos teriam morrido ainda no local do acidente (Reprodução/Divulgação)
Os irmãos Fábio Antônio Tomé e Guilherme Aramis Tomé, que formavam a dupla sertaneja Fábio & Guilherme, morreram em um acidente de carro no domingo (21) na Rodovia Altino Arantes, em Batatais, interior de São Paulo.
O Honda Civic da dupla teria perdido o controle da direção e sido arrastado para um matagal, após invadir a pista contrária e bater de frente com um caminhão. As causas do acidente ainda estão sendo investigadas pela Polícia Civil.
 A dupla mineira Fábio & Guilherme
A dupla mineira Fábio & Guilherme (Arquivo Pessoal/Divulgação)
Os corpos dos irmãos, que morreram ainda no local, ficaram presos às ferragens e foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros. Ainda de acordo com a Polícia Rodoviária, o caminhoneiro envolvido no acidente não se feriu e o trânsito não chegou a ser interrompido.
Após passarem por necropsia no Instituto Médico Legal (IML) de Franca, em São Paulo, os corpos dos irmãos devem ser levados, na tarde desta segunda-feira (22), para Passos, cidade mineira onde a dupla nasceu. Ainda não há informações sobre local, data e horário do velório.
O carro da dupla Fábio & Guilherme ficou destruído após colidir com caminhão

Conhecidos no universo sertanejo como “Gordinhos”, os irmãos Fábio e Guilherme iniciaram a carreira artística em maio de 2009, sua música mais conhecida, chamada Toalhinha, conta com mais de 15 000 visualizações no YouTube. A dupla recebeu mensagens de apoio nas redes sociais.

Blog do BILL NOTICIAS

Concursos públicos têm mais de 190 vagas em Pernambuco

     Por:Vinicius de Santana
]

Concursos públicos e seleções simplificadas com inscrições abertas reúnem, em Pernambuco, mais de 240 vagas. Há oportunidades tanto para nível superior, quanto para médio e técnico. Os salários vão até R$ 11 mil. Confira abaixo a relação:
Adagro – A Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) está com as inscrições abertas para o concurso público com 90 vagas para assiste de defesa agropecuária, com exigência de nivel técnico, e outras 50 para fiscal estadual agropecuário, de nível superior.
Os salários são de até R$ 4.860,21 e o edital completo pode ser consulado no site da IAUPE. As inscrições vão até o dia 8 de novembro. A taxa é de R$ 50 para o cargo de assistente de defesa agropecuária e de R$ 64 para o de fiscal estadual agropecuário.
Marinha – O Serviço Militar Voluntário de Oficiais para o 3º Comando do Distrito Naval da Marinha do Brasil oferece 6 vagas para Pernambuco, além de oportunidades para outros estados. Para o estado, são vagas para as áreas de enfermagem, ciências contábeis, biblioteconomia, física e matemática.
Os salários base são de R$ 11 mil, considerando as gratificações. As inscrições são feitas através do site da Marinha e vão até o dia 31 de outubro. A taxa é de R$ 127.
Prefeitura do Recife – A Secretaria de Planejamento, Administração e Gestão de Pessoas do Recife está com as inscrições abertas para o concurso público com 25 vagas. As oportunidades são para cargos de nível médio e superior. Os salários variam de R$ 1.603,50 até R$ 7.374,00.
Cinco vagas são para nível médio, para o cargo de Analista de Gestão Pública. Há também cinco vagas para Analista em Gestão Contábil, com exigência do curso superior em Ciências Contábeis. As outras 15 vagas são para qualquer curso de nível superior, sendo dez para os cargos de Analista de Gestão Administrativa e cinco para Analista de Planejamento, Orçamento e Gestão.
As inscrições devem ser feitas no site da Fundação Carlos Chagas, organizadora do certame. A taxa é de R$ 100 para os cargos de nível superior e R$ 75 para os de nível médio.
MPPE – O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) está com concurso visando preencher 23 vagas imediatas, além de cadastro de reserva. O salário inicial é de R$ 4.809,54, para cargos que exigem ensino superior, e R$ 3.171,52, para cargos de nível médio.
As vagas de nível médio são para o cargo de Técnico Ministerial – Administrativa. Já as vagas de nível superior são para Analista Ministerial com oportunidades para 11 diferentes formações.
As inscrições devem ser feitas no site da Fundação Carlos Chagas, organizadora do certame. A taxa é de R$ 110 para os cargos de nível superior e R$ 75 para os de nível médio.
Prefeitura de Olinda – A Secretaria de Saúde de Olinda abriu uma seleção simplificada com 48 vagas de níveis médio, técnico e superior. Os salários de até R$ 7 mil.
As inscrições podem ser feitas até 30 de outubro, na sede da Secretaria de Saúde de Olinda, na Rua do Sol, nº 311, no Carmo.
Além da ficha de inscrição preenchida, o candidato deve anexar cópias dos documentos de identidade, CPF, comprovante de residência e certificado de conclusão de escolaridade de uma instituição reconhecida oficialmente pelo Ministério da Educação.
O processo é feito em uma única etapa de avaliação curricular, que consiste na análise da experiência profissional e dos títulos dos candidatos. O edital está disponível no Diário Oficial dos Municípios do dia 16 de outubro.

Blog do BILL NOTICIAS

FACEBOOK DERRUBA 68 PÁGINAS E 43 CONTAS DE BOLSONARISTAS


O Facebook excluiu nesta segunda-feira, 22, uma rede de apoio ao candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro, formada por 68 páginas e 43 contas da rede social. 
Segundo a empresa informou ao Estado de S. Paulo, os donos dessas páginas, controladores de um grupo chamado Raposo Fernandes Associados (RFA), violaram as políticas de autenticidade e spam ao criar contas falsas e múltiplas contas com os mesmos nomes para administrar os grupos. 
A empresa que administra o grupo é a Novo Brasil Empreendimentos Digitais Ltda, de propriedade do advogado Ernani Fernandes Barbosa Neto e de Thais Raposo do Amaral Pinto Chaves. As páginas da rede são sempre identificadas com a sigla RFA na descrição.
"Autenticidade é algo fundamental para o Facebook, porque acreditamos que as pessoas agem com mais responsabilidade quando usam suas identidades reais no mundo online. Por isso, exigimos que as pessoas usem seus nomes reais e também proibimos spam, uma tática geralmente usada por pessoas mal intencionadas para aumentar de maneira artificial a distribuição de conteúdo com o objetivo de conseguir ganhos financeiros", diz a nota do Facebook.247


Blog do BILL NOTICIAS

MARINA ANUNCIA VOTO CRÍTICO E APOIO A HADDAD


A ex-senadora Marina Silva, que concorreu na disputa presidencial deste ano, declarou na tarde desta segunda-feira 22 posicionamento de seu partido, Rede Sustentabilidade, ao candidato Fernando Haddad (PT) no segundo turno. Marina foi uma das maiores críticas à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) durante a campanha do primeiro turno. O partido já havia recomendado aos seus filiados o voto contra o capitão reformado, mas sem declarar oficialmente o voto em Haddad.
"Sei que, com apenas 1% de votação no primeiro turno, a importância de minha manifestação, numa lógica eleitoral restrita, é puramente simbólica. Mas é meu dever ético e político fazê-la", escreveu no comunicado, lembrando que será oposição em qualquer um dos dois governos. Fazendo críticas aos dois projetos, ela conclui: "Diante do pior risco iminente, de ações que, como diz Hannah Arendt, 'destroem sempre que surgem', 'banalizando o mal', propugnadas pela campanha do candidato Bolsonaro, darei um voto crítico e farei oposição democrática a uma pessoa que, 'pelo menos' e ainda bem, não prega a extinção dos direitos dos índios, a discriminação das minorias, a repressão aos movimentos, o aviltamento ainda maior das mulheres, negros e pobres, o fim da base legal e das estruturas da proteção ambiental, que é o professor Fernando Haddad".
Leia a íntegra:
POSICIONAMENTO NO SEGUNDO TURNO
Neste segundo turno a Rede Sustentabilidade já recomendou a seus filiados e simpatizantes que não votem em Bolsonaro, pelo perigo que sua campanha anuncia contra a democracia, o meio-ambiente, os direitos civis e o respeito à diversidade existente em nossa sociedade.
Do outro lado, a frente política autointitulada democrática e progressista não se mostra capaz de inspirar uma aliança ou mesmo uma composição. Mantém o jogo do faz-de-conta do desespero eleitoral, segue firme no universo do marketing, sem que o candidato inspire-se na gravidade do momento para virar a própria mesa, fazer uma autocrítica corajosa e tentar ser o eixo de uma alternativa democrática verdadeira. Alianças vêm de propósitos comuns, de valores políticos e éticos, de programas e projetos compartilhados, que só são possíveis em um ambiente de confiança em que, diante de inaceitáveis e inegáveis erros, a crítica é livre e a autocrítica é sincera.
Cada um de nós tem, em sua consciência, os valores que definem seu voto. Sei que, com apenas 1% de votação no primeiro turno, a importância de minha manifestação, numa lógica eleitoral restrita, é puramente simbólica. Mas é meu dever ético e político fazê-la.
Importa destacar que, como já afirmei ao final do primeiro turno, serei oposição, independentemente de quem seja o próximo presidente do Brasil, e continuarei minha luta histórica por um país politicamente democrático, economicamente próspero, socialmente justo, culturalmente diverso, ambientalmente sustentável, livre da corrupção, e empenhado em se preparar para um futuro no qual os grandes equívocos do modelo de desenvolvimento sejam superados por uma nova concepção de qualidade de vida, de justiça, de objetivos pessoais e coletivos. O meu apoio à Operação Lava-jato, desde o início, faz parte dessa concepção, na qual o Estado não é um bunker de poder de grupos, mas um instrumento de procura do bem público.
Vejo no projeto político defendido pelo candidato Bolsonaro, risco imediato para três princípios fundamentais da minha prática política: primeiro, promete desmontar a estrutura de proteção ambiental conquistada ao longo de décadas, por gerações de ambientalistas, fazendo uso de argumentos grotescos, tecnicamente insustentáveis e desinformados. Chega ao absurdo de anunciar a incorporação do Ministério do Meio Ambiente ao Ministério da Agricultura. Com isso, atenta contra o interesse da sociedade e o futuro do país. Ademais, desconsidera os direitos das comunidades indígenas e quilombolas, anunciando que não será demarcado mais um centímetro de suas terras, repetindo discursos que já estão desmoralizados e cabalmente rebatidos desde o início da segunda metade do século passado. Segundo, é um projeto que minimiza a importância de direitos e da diversidade existente na sociedade, promovendo a incitação sistemática ao ódio, à violência, à discriminação. Por fim, em terceiro lugar, é um projeto que mostra pouco apreço às regras democráticas, acumula manifestações irresponsáveis e levianas a respeito das instituições públicas e põe em cheque as conquistas históricas desde a Constituinte de 1988.
Por sua vez, a campanha de Haddad, embora afirmando no discurso a democracia e os direitos sociais, evocando inclusive algumas boas ações e políticas públicas que, de fato, realizaram na área social em seus governos, escondem e não assumem os graves prejuízos causados pela sua prática política predatória, sustentada pela falta de ética e pela corrupção que a Operação Lava-Jato revelou, além de uma visão da economia que está na origem dessa grave crise econômica e social que o país enfrenta.
Os dirigentes petistas construíram um projeto de poder pelo poder, pouco afeito à alternância democrática e sempre autocomplacente: as realizações são infladas, não há erros, não há o que mudar.
Ao qualificar ambos os candidatos desta forma, não tenho a intenção de ofender seus eleitores, milhões de pessoas que acreditam sinceramente em um deles ou que recusam o outro, com muitas e justificadas razões. E creio que os xingamentos e acusações trocados nas redes sociais e nas ruas só trazem prejuízos à democracia, mas é visível que, na maioria das vezes, essas atitudes são estimuladas pelos discursos dos candidatos e de seus apoiadores. A política democrática deve estar fortemente aliançada no respeito à Constituição e às instituições, exercida em um ambiente de cultura de paz e não-violência.
Outro motivo importante para a definição e declaração de meu voto é a minha consciência cristã, valor central em minha vida. Muitos parecem esquecer, mas Jesus foi severo em palavras e duro em atitudes com os que têm dificuldade de entender o mandamento máximo do amor.
É um engano pensar que a invocação ao nome de Deus pela campanha de Bolsonaro tem o objetivo de fazer o sistema político retornar aos fundamentos éticos orientados pela fé cristã que são tão presentes em toda a cultura ocidental. A pregação de ódio contra as minorias frágeis, a opção por um sistema econômico que nega direitos e um sistema social que premia a injustiça, faz da campanha de Bolsonaro um passo adiante na degradação da natureza, da coesão social e da civilização. Não é um retorno genuíno ao mandamento do amor, é uma indefensável regressão e, portanto, uma forma de utilizar o nome de Deus em vão.
É melhor prevenir. Crimes de lesa humanidade não tem como se possa reparar. E nem adianta contar com o alívio do esquecimento trazido pelo tempo se algo irreparável acontecer. Crimes de lesa humanidade o tempo não apaga, permanecem como lição amarga, embora nem todos a aprendam.
Todas essas reflexões me inquietam, mas mostram o caminho da firmeza, do equilíbrio na análise e a necessidade de pagar o preço da coerência, seja ele qual for.
E assim chegamos, neste segundo turno, ao ponto extremo de uma narrativa antiga na política brasileira, a do "rouba, mas faz" e depois, do "rouba, mas faz reformas", mas ajuda os pobres, mas é de direita, mas é de esquerda etc. De reducionismo em reducionismo, inauguramos agora o triste tempo do "pelo menos".
Diante do pior risco iminente, de ações que, como diz Hannah Arendt, "destroem sempre que surgem", "banalizando o mal", propugnadas pela campanha do candidato Bolsonaro, darei um voto crítico e farei oposição democrática a uma pessoa que, "pelo menos" e ainda bem, não prega a extinção dos direitos dos índios, a discriminação das minorias, a repressão aos movimentos, o aviltamento ainda maior das mulheres, negros e pobres, o fim da base legal e das estruturas da proteção ambiental, que é o professor Fernando Haddad.247

Blog do BILL NOTICIAS

HADDAD: COMO AS PESSOAS VÃO SE SENTIR SEGURAS?




O candidato do PT a presidente, Fenando Haddad, atacou o candidato da extrema-dirreita, Jair Bolsonaro (PSL), que ofereceu duas alternativas aos opositores: a cadeia ou o exílio (leia mais). 
"Bolsonaro ameaçou a sobrevivência da oposição a ele. As instituições demoram a reagir, se sentem ameaçadas, inclusive por parte das Forças Armadas. Precisamos defender o estado democrático de direito. Como as pessoas vão se sentir seguras se ele ameaça quem pensa diferente dele?", questionou Haddad pelo Twitter.247

Blog do BILL NOTICIAS

MORAES PEDE INVESTIGAÇÃO DA PGR CONTRA AMEAÇA DE BOLSONARO AO STF


247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes pediu na manhã desta segunda-feira (22) que a Procuradoria Geral da República (PGR) investigue o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) por sua ameaça de fechamento do STF como crime previsto na Lei de Segurança Nacional. Moraes, sem citar o nome de  Bolsonaro, disse que as declarações são "absolutamente irresponsáveis".
Moraes esteve nesta segunda-feira, 22, em São Paulo para uma palestra no Ministério Público e disse que a sociedade brasileira hoje vive um "paradoxo". "Porque mesmo com 30 anos de Constituição, temos que conviver com declarações dúbias, feitas de maneira absolutamente irresponsável, por um membro do Parlamento brasileiro", criticou. "É algo inacreditável que tenhamos que ouvir tanta asneira da boca de quem representa o povo. Nada justifica a defesa do fechamento da instituições republicanas."
Os comentários de Eduardo Bolsonaro, filho do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) foram feitos em julho, durante um palestra a alunos de um curso preparatório para o concurso da Polícia Federal. Ao responder a uma pergunta sobre uma hipotética ação do Exército caso o STF tente impedir seu pai de assumir a Presidência, o deputado, reeleito por São Paulo este ano com a maior votação da história, disse que bastariam "um soldado e um cabo" para fechar o Supremo (aqui). "Será que eles vão ter essa força mesmo (de impugnar)? O pessoal até brinca lá: se quiser fechar o STF sabe o que você faz? Você não manda nem um Jipe, manda um soldado e um cabo. Não é querendo desmerecer o soldado e o cabo. O que é o STF, cara? Tira o poder da caneta de um ministro do STF, o que ele é na rua?", questiona. 
O ministro do STF deixou o evento sem dar entrevista. Na palestra, porém, disse que as declarações merecem "imediata abertura de investigação" da PGR por incitar animosidade entre Forças Armadas e instituições civis. "Não é possível que se afirme dizer que estava brincando, não se brinca com a democracia", disse.
Moraes disse ainda que os comentários refletem um "total desrespeito" às Forças Armadas, uma vez que atribuem a elas "servilismo das Forças a uma pessoa, o que não existe".


Blog do BILL NOTICIAS

FHC DESPERTA E AGORA VÊ FASCISMO NA FAMÍLIA BOLSONARO


247 – O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso finalmente despertou para a ameaça representada pelo bolsonarismo, depois que soube das declarações de Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, que disse que "basta um soldado e um cabo" para fechar o Supremo Tribunal Federal. "As declarações do dep. E Bolsonaro merecem repudio dos democratas. Prega a ação direta, ameaça o STF. Não apoio chicanas contra os vencedores, mas estas cruzaram a linha, cheiram a fascismo. Têm meu repúdio, como quaisquer outras, de qualquer partido, contra leis, a Constituição", disse FHC
Confira o tweet de FHC, leia reportagem do 247 sobre o caso e confira o vídeo:
As declarações do dep. E Bolsonaro merecem repudio dos democratas. Prega a ação direta, ameaça o STF. Não apoio chicanas contra os vencedores, mas estas
cruzaram a linha, cheiram a fascismo. Têm meu repúdio, como quaisquer outras, de qualquer partido, contra leis, a Constituição.

247 - O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do candidato de extrema direita Jair Bolsonaro (PSL) disse, durante uma palestra pouco antes do primeiro turno, que se o Supremo Tribunal Federal (STF) impugnar a candidatura do presidenciável "terá que pagar para ver o que acontece". "Será que eles vão ter essa força mesmo? Se quiser fechar o STF você não manda nem um Jipe, manda um soldado e um cabo", disse.
A afirmação, feita antes do primeiro turno, veio como resposta a uma pergunta feita por alguém da plateia sobre qual seria a reação do Exército no caso de impugnação da candidatura de Bolsonaro. A gente tá caminhando para um estado de exceção... o STF vai ter que pagar pra ver e aí quando ele pagar pra ver, vai ser ele contra nós. Você está indo para um pensamento que muitas pessoas falam e que muito pouco pode ser dito. Mas se o STF quiser arguir qualquer coisa, sei lá, recebeu uma doação ilegal de R$ 100 de José da Silva e impugna a ação dele. Não acho isso improvável não", disse.
"Mas aí eles vão ter que pagar para ver. Será que vão ter essa força toda mesmo? O pessoal até brinca lá: se quiser fechar o STF você não manda nem um Jipe, manda um soldado e um cabo. Não é querendo desmerecer o soldado e o cabo. O que que é o STF? Tira o poder da caneta de um ministro do STF, o que que ele é na rua?", indagou.
"Se você prender um ministro do STF, você acha que vai ter uma manifestação popular em favor dos ministros do STF? Milhões na rua "solta o Gilmar, solta o Gilmar" (referência o ministro do STF Gilmar Mendes), com todo o respeito que tenho pelo ministro Gilmar medes, que goza de imensa credibilidade junto aos senhores", ironizou.
"É igual a soltar o Lula. O Moro (juiz federal Sergio Moro) peitou um desembargador que está acima dele, por quê? Porque o Moro está com moral pra cacete. Vai ter que ter um colhão filho da puta para conseguir reverter uma decisão dele", disse.


Blog do BILL NOTICIAS

Inscritos no Enem podem checar local de provas a partir desta segunda-feira

Em Pernambuco, os portões dos locais abrem às 11h 
e fecham às 12h

  Por: Agência Brasil
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Os estudantes que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 podem acessar a partir de hoje (22) os cartões de confirmação da inscrição. Para consultar o documento, é necessário acessar a página do participante, onde deve ser colocado o CPF e senha ou baixar em seu celular o aplicativo Enem 2018. A primeira etapa do exame será aplicada no domingo, dia 4 de novembro.

O cartão reúne os dados do estudante, o endereço do local, a data e hora da aplicação da prova, além das informações sobre a língua estrangeira escolhida e recursos de acessibilidade, se tiverem sido solicitados. Caso tenha problema com as informações do cartão ou dificuldade de acesso ao documento, o estudante pode entrar em contato com o MEC pelo telefone 0800616161 ou pelo link Fale Conosco, no site do Enem.

Com a entrada em vigor do horário de verão no mesmo dia da primeira etapa do Exame, em 4 de novembro, o Ministério da Educação recomenda que os inscritos fiquem atentos aos horários de abertura e fechamento dos portões dos locais de prova em cada estado.

O MEC recomenda também que o estudante faça antes o trajeto até o local da prova, organizando o planejamento. A sugestão é que os participantes comecem a ajustar o horário de sono e dormir mais cedo uma semana antes do dia da prova.

Confira os horários do fechamento dos portões

No Distrito Federal e nos estados do Espírito Santo, de Goiás, Minas Gerais, do Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e São Paulo, os portões abrem às 12h e fecham às 13h.

Nos estados de Alagoas, do Amapá, da Bahia, do Ceará, Maranhão, de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, do Pará, da Paraíba, de Pernambuco, do Piauí, Rio Grande do Norte, de Sergipe, do Tocantins, os portões abrem às 11h e fecham às 12h.

No Amazonas, em Rondônia e Roraima, os portões abrem às 10h e fecham às 11h. No Acre, os portões abrem às 9h e fecham às 10h, no horário local.



Blog do BILL NOTICIAS

Médicos retiram 122 pregos de estômago de paciente na Etiópia

Além dos 122 pregos de 10 cm de comprimento, os médicos retiraram quatro tachinhas, duas agulhas, um palito e vários pedaços de vidro

  Por: AFP - Agence France-Presse
Foto: AFP
Foto: AFP

Os médicos de um hospital de Addis Abeba extraíram 122 pregos e outros objetos cortantes do estômago de um paciente de 33 anos. "O paciente sofre de uma enfermidade mental desde os 10 anos e há dois anos parou de tomar os medicamentos", afirmou AFP Dawit Teare, cirurgião do hospital St. Peters de Addis Abeba, capital da Etiópia. "Provavelmente por esta razão começou a consumir estes objetos", completou.

Além dos 122 pregos de 10 cm de comprimento, os médicos retiraram quatro tachinhas, duas agulhas, um palito e vários pedaços de vidro, informou Teare, antes de explicar que por sorte os objetos não cortaram seu estômago, o que poderia ter provocado uma infecção grave e a morte.

"Imagino que consumiu estes objetos tomando água", disse o cirurgião, que já havia operado pacientes com problemas psíquicos que haviam consumido objetos cortantes, mas nunca em tal quantidade.



Blog do BILL NOTICIAS

PSOL ENTRA COM REPRESENTAÇÃO NA PGR CONTRA EDUARDO BOLSONARO


Ana Pompeu, Conjur - Em representação apresentada, nesta segunda-feira (22/10), o PSOL provocou a Procuradoria-Geral da República e pediu que abra investigação sobre a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) a respeito do fechamento do Supremo Tribunal Federal.
"Fora do ambiente parlamentar e na condição de palestrante em ato de campanha dele e de seu pai, Jair Bolsonaro, teria atentado contra o Estado de direito, ameaçado contra a democracia e ido contra a instituições constitucionalmente estabelecidas", diz o texto, se referindo à imunidade parlamentar — regra que impede que deputados e senadores respondam na Justiça por discursos proferidos no exercício do mandato e concentra processos contra eles no Supremo.
Verificadas as irregularidades apontadas, o PSOL pede que sejam tomadas "as providências administrativas, civis ou penais cabíveis, visando o cumprimento da lei e resguardo dos direitos constitucionais atinentes".


Blog do BILL NOTICIAS

Cartão de confirmação do Enem 2018 será divulgado nesta segunda-feira(22)

Resultado de imagem para enem2018


Os 5,5 milhões de estudantes que estão com a inscrição confirmada no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vão poder checar seu local de provas nesta segunda-feira (22). Essa é a data em que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) vai liberar o acesso ao cartão de confirmação do Enem 2018.
  • Baixe o aplicativo G1 Enem, jogo de perguntas e respostas
As provas acontecem nos dias 4 e 11 de novembro, dois domingos consecutivos.
Veja abaixo as perguntas e respostas sobre o cartão de confirmação:

Para que serve o cartão de confirmação?

É o documento que confirma a inscrição de cada candidato no Enem, e traz os detalhes sobre o local de provas. Além do nome da rua e número do edifício, o cartão também informa, por exemplo, o número da sala em que cada estudante fará o exame.

Como posso acessar o cartão de confirmação?

Apenas pela internet. O cartão de confirmação ficará disponível para consulta a partir de segunda pelo site https://enem.inep.gov.br/participante/.
O acesso é individual, ou seja, é preciso inserir os dados pessoais e a senha para poder verificar o local de provas.

Preciso levar o cartão de confirmação no dia do Enem?

O Inep afirma que não é obrigatório apresentar o cartão de confirmação no dia do exame, mas ele recomenda que todos os candidatos imprimam e levem o documento, porque ele facilita o acesso às informações e evitar confusões com o endereço e os horários da prova.


Blog do BILL NOTICIAS

Vale a pena optar por outro curso por causa do ponto de corte?

Feras são levados a mudar a primeira opção de curso no Vestibular ao se inscreverem no Sisu

  Por: Isabelle Barbosa, da Folha de Pernambuco
Muitos candidatos acabam mudando por não terem alcançado nota suficiente e migram para outras graduações
Muitos candidatos acabam mudando por não terem alcançado nota suficiente e migram para outras graduaçõesFoto: Divulgação

Diante da grande concorrência para ingressar no ensino superior público, muitos candidatos que se inscrevem noSistema de Seleção Unificada (Sisu) acabam abrindo mão da primeira opção de curso por não terem alcançado nota suficiente, e migram para outras graduações, nem sempre desejadas.

É o caso do estudante Guilherme Silva, 21 anos, que sempre sonhou em cursar Direito na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mas por não ter obtido notas suficientes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), acabou optando pelo curso de Ciências Sociais na mesma universidade.

“Eu faço preparatório para o Enem desde 2015, quando cursava o último ano do ensino médio. Minha classificação sempre ficou muito próxima da nota de corte e eu sempre colocava muita expectativa, mas acabava me frustrando. Então, no segundo semestre deste ano, mesmo sem me identificar, decidi entrar no curso de Ciências Sociais para garantir uma vaga”, explicou Guilherme, que ainda continua se preparando por meio de cursinhos para o exame em novembro. “Não vou desistir. Sinto que direito é uma vocação e que vou conseguir”, afirmou.

Assim como ele, Luiz França, 21, também passou pela mesma situação. Ele sempre quis cursar Medicina, e desde 2014 faz cursinhos preparatórios para o Enem, mas ainda não alcançou notas suficientes para entrar no curso que tanto quer. Diante das tentativas frustradas, Luiz acabou deixando Medicina em segundo plano e começou a cursar Enfermagem dois anos depois. “Foi um divisor de águas na minha vida porque percebi que realmente me encontro na área de saúde. Hoje, eu gosto muito do meu curso, ele me dá muito orgulho”, contou. “A pesar de ter me identificado na Enfermagem, meu objetivo é ser médico. Eu faço o Enem todos os anos e minhas notas têm melhorado bastante. Sei que o meu dia vai chegar”, completou.

Raíssa Barbosa, 21 anos, sempre quis cursar Engenharia Elétrica, mas, pela insegurança diante da nota, resolveu que Pedagogiaseria a segunda opção e acabou passando. “Foi muito estranho para mim porque eu nunca tinha pensado em fazer esse curso”. Mesmo depois de iniciar a graduação, ela não desistiu do curso que realmente queria. “No ano seguinte, me inscrevi no Sisu e passei em Engenharia Elétrica na Universidade Rural de Pernambuco (UFRPE), e agora faço o que realmente gosto”, contou.

Segundo a pedagoga Valéria Oliveira, para evitar frustraçõeso ideal é que o aluno tenha sempre mais de uma opção. “Isso não quer dizer que ele tem que desistir do curso que deseja, mas que ele pode tentar descobrir outros caminhos, pois a insistência por determinada área pode se perdurar por muito tempo, causando traumas ainda maiores. Algumas pessoas colocam tanta expectativa no curso que gostam que, às vezes, acabam se frustrando quando lidam com a prática dele. É necessário cautela.”

Ainda segundo ela, a escolha pela profissão vem sendo feita cada vez mais precocemente entre os jovens. “Têm adolescentes que aos 15 anos já estão na faculdade. Muitas vezes, por falta de maturidade, acabam se precipitando e escolhendo determinado curso pelo status ou por influência de outras pessoas”, afirmou. “A dica é pesquisar, procurar a grade curricular dos cursos e perceber se existe identificação e afinidade com a graduação escolhida para evitar futuras evasões.”

Psicóloga Valéria Oliveira aconselha ao fera ter sempre mais de uma opção

Pedagoga Valéria Oliveira aconselha ao fera ter sempre mais de uma opção Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco



Blog do BILL NOTICIAS

MPF consegue condenação de lojistas por aplicação indevida de recursos de programa habitacional da Caixa em Timbaúba

  Por:Carlos Britto
(Foto: Reprodução)


O Ministério Público Federal (MPF) em Goiana (PE) obteve, na Justiça Federal, a condenação de dois lojistas pela aplicação indevida de recursos do Programa ‘Minha Casa Melhor’, da Caixa Econômica Federal (CEF). Os condenados, Arivaldo Gonçalves de Meneses e Alvino Henrique de Meneses Filho, são representantes das lojas Eletromóveis e Alvino Móveis, situadas no município de Timbaúba, na Zona da Mata pernambucana.
De acordo com as apurações da CEF, os lojistas processados pelo MPF praticavam a venda de produtos a clientes, por meio do programa, com devolução de parte do crédito, de modo que era lançado o uso do valor integral e exato limite do programa, que é de R$ 5 mil. Dessa forma, a diferença entre o valor das notas fiscais apreendidas e o máximo autorizado pelo programa era devolvida aos compradores em dinheiro, a título de “troco”, com um desconto decorrente dos “juros” aplicados pelos lojistas.
Segundo as sentenças, a CEF concluiu que essa situação foge do que é praticado usualmente por demais credenciados no programa, pois a soma dos valores dos produtos adquiridos, em geral, possuem uma variação natural. Dessa forma, uma série de transações no valor exato de R$ 5 mil foi considerada como situação atípica e indicativa de irregularidade.
Arivaldo Gonçalves de Meneses e Alvino Henrique de Meneses Filho foram condenados a dois anos e 11 meses de reclusão, bem como ao pagamento de multa. A pena privativa de liberdade foi substituída por duas restritivas de direitos, consistentes na prestação de serviços comunitários e na prestação pecuniária. Os processos são os de número 0800130-59.2018.4.05.8306 e 0800131-44.2018.4.05.8306, da 25ª Vara Federal em Pernambuco.

Blog do BILL NOTICIAS