quinta-feira, 1 de junho de 2017

DISPUTA PRESIDENCIAL SERIA DUELO ENTRE LULA E BOLSONARO


O levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, que apontou que 90,6% dos brasileiros querem a saída de Michel Temer e a realização de eleições diretas, revela ainda que, neste cenário, o segundo turno seria disputado entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o deputado de extrema direita Jair Bolsonaro (PSC-RJ).
Lula teria 25,8% contra 16,1% do deputado fluminense. Ou seja: o PSDB, que se associou a Eduardo Cunha e Michel Temer para golpear a democracia brasileira ficaria de fora.
É por isso mesmo que a oligarquia política luta para emplacar o "golpe dentro do golpe", que seria a substituição de Temer por um presidente biônico, por meio de eleições indiretas.
Confira, abaixo, os cenários levantados pela Paraná Pesquisas:
Cenário 1
Lula 25,8%
Jair Bolsonaro 16,1%
João Doria 12,1%
Marina Silva 11,1%
Joaquim Barbosa 8,1%
Ciro Gomes 4,3%
Ronaldo Caiado 1,6%
Luciana Genro 1,5%
Cenário 2
Lula 25,4%
Jair Bolsonaro 16,8%
Marina Silva 10,4%
Joaquim Barbosa 8,1%
Luciano Huck 7,3%
Geraldo Alckmin 6,4%
Ciro Gomes 4,2%
Ronaldo Caiado 1,6%
Luciana Genro 1,3%
Cenário 3 (sem Lula)
Jair Bolsonaro 17,2%
Marina Silva 14,9%
João Doria 13,6%
Joaquim Barbosa 8,7%
Ciro Gomes 6,7%
Bernardinho do Vôlei 3,7%
Fernando Haddad 3,1%
Luciana Genro 1,9%
Ronaldo Caiado 1,8% 
(Via:247).

Blog do BILL NOTICIAS

Prazo de inscrição no Sisu do 2º semestre termina nesta quinta


O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre de 2017 encerra as inscrições às 23h59 desta quinta-feira (1º). Nesta edição, estão em disputa 51.913 vagas em 63 instituições de educação superior.
Até as 12h de quarta-feira (31) o sistema registrou 748.185 inscritos. Só podem participar estudantes que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016 e que não tenham zerado na redação.
O processo é gratuito e pode ser feito pela página http://sisu.mec.gov.br/. É preciso usar o número de inscrição e senha do Enem 2016 (ou a senha cadastrada no Enem 2017, para quem já se inscreveu novamente). No sistema, o candidato deverá selecionar, por ordem de preferência, até duas opções de cursos. Essas escolhas poderão ser modificadas durante todo o período de inscrições.

FALHA EM SENHA

Nesta edição, estudantes reclamaram de problemas ao acessar o site. O Ministério da Educação (MEC) diz que uma falha em sua base de dados afetou até 600 mil pessoas que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 . O MEC diz que quem teve dificuldade deve alterar a senha no site www.enem.inep.gov.br/participante para solucionar o problema.

CALENDÁRIO DO SISU 2017.2

Veja abaixo das datas:
  • Inscrições: 29 de maio a 1º de junho
  • Chamada regular: 5 de junho
  • Lista de espera: 5 de junho a 19 de junho
  • Matrícula da chamada regular: 9 de junho a 13 de junho
  • Convocação via lista de espera: a partir de 26 de junho
Via G1 (Povo com a Noticia).

Blog do BILL NOTICIAS

SOBE PARA 31 O TOTAL DE CIDADES ATINGIDAS PELAS CHUVAS


Sumaia Villela, correspondente da Agência Brasil - O número de municípios atingidos pelas chuvas em Pernambuco subiu para 31. A informação foi divulgada no fim da noite de ontem (31) pelo governo estadual. Segundo a nota, o número de desalojados é de 39.725, e o de desabrigados, aqueles que perderam as casas, é de 3.560.
Desde domingo, 24 cidades tiveram estado de emergência reconhecido pelo governo. Com as chuvas de ontem, a nova lista traz os municípios de São Joaquim do Monte, Altinho, São José da Coroa Grande, Cupira, Escada, Bonito e Gravatá.
Apesar de não constarem na relação, Recife e Olinda também sofreram com os impactos do mau tempo. Duas pessoas morreram soterradas em um deslizamento de terra no bairro de Dois Unidos, zona norte da capital, e alagamentos foram registrados em diversos pontos.
Hospital de Campanha
O governo de Pernambuco também informou que o Hospital de Campanha do Exército começa a ser montado hoje (1º) no município de Rio Formoso, que teve o hospital da cidade inundado no último fim de semana, perdendo equipamentos. O prédio sofreu danos. O governo prevê 250 atendimentos por dia no local.
ICMS
Durante reunião realizada ontem com a bancada da Assembleia Legislativa de Pernambuco, foi apresentada pelos parlamentares proposta para prorrogar o prazo de pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para os comerciantes formalizados nas regiões atingidas pelas chuvas. A nota diz que o governador Paulo Câmara autorizou a medida. Um decreto deverá ser publicado oficializando a prorrogação. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

APÓS INUNDAÇÕES E MORTES, MINISTÉRIO E GOVERNO DE PE TROCAM ACUSAÇÕES


Sumaia Villela, correspondente da Agência Brasil - O Ministério da Integração Nacional afirmou, em nota enviada hoje (30) à Agência Brasil, que falhas nos projetos de construção de quatro das cinco barragens planejadas em 2010 para impedir enchentes em Pernambuco determinaram a devolução de verba para a União. A informação contradiz a versão do governo de Pernambuco de que faltaram recursos federais para as obras. Nesse fim de semana, a Zona da Mata Sul do estado sofreu com enchentes causadas pelas fortes chuvas e seria uma das áreas beneficiadas com as barragens.
A Agência Brasil havia adiantado ontem (29) que havia a indicação de que outros problemas teriam contribuído para que a promessa feita em 2010 do "cinturão" de barragens da bacia do Rio Una não fosse cumprida pelo governo estadual. As estruturas foram planejadas depois que uma grande enchente devastou municípios e deixou cerca de 80 mil pessoas desalojadas e desabrigadas na região banhada pelo rio. Sete anos depois, apenas uma delas, a de Serro Azul, ficou pronta. O restante está com as obras paralisadas.
O estado diz que faltou dinheiro federal para concluir as outras. A versão foi apresentada ontem pelo próprio secretário de Planejamento e Gestão de Pernambuco, Márcio Steffani. No entanto, a nota do Ministério da Integração adiciona outros componentes: "o governo do estado identificou falhas e exigências de readequações nos projetos das barragens de Gatos e Panelas II, o que levou o ente a devolver os recursos federais já repassados pela União. No momento, o ministério aguarda novo escopo dos projetos e custos", diz o órgão, na nota.
Barragens
Sobre a Barragem de Guabiraba, o ministério diz que "apesar de ser possível executá-la", o estado não priorizou a obra em 2015 e optou por rescindir o contrato com a construtora. Para retomar as obras, a pasta federal indica que aguarda informações sobre a nova licitação a ser realizada e o levantamento do que falta ser feito. Em relatório de gestão do Ministério da Integração referente ao ano de 2014, a obra da barragem de Guabiraba tem execução física de 22%.
O ministério diz que houve prioridade para a construção da Barragem de Igarapeba, mas o estado comunicou que era necessária a liberação de R$ 63 milhões em recursos adicionais, não previstos no projeto original. "Essa solicitação foi feita ao Ministério da Integração Nacional em setembro de 2016 e está em análise pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão", diz a nota.
Ontem, o prefeito de Palmares, Altair Júnior, disse que a única barragem concluída, Serro Azul, impediu que a cidade "saísse do mapa", e que a inundação do município aconteceu por causa da cheia de dois afluentes do Rio Una, onde estão dois reservatórios não concluídos. Há mais de 10 mil desalojados e mil desabrigados no município. A cidade também foi uma das que mais sofreu com a última grande cheia de Pernambuco, em 2010, e que gerou o projeto do cinturão de barragens para prevenir inundações.
Outro lado
O governo do estado divulgou uma nota no início da noite de hoje que informa que os governadores de Pernambuco, Paulo Câmara, e de Alagoas, Renan Filho, chegaram a um acordo com o Ministério da Integração Nacional para o repasse de recursos para ações emergenciais nos estados. Pernambuco solicitou cerca de R$ 20,5 milhões para liberação imediata para ações emergenciais.
Segundo a nota, ficou acertado que será feito um levantamento conjunto das quatro barragens - Panelas II, Gatos, Igarapeba e Barra de Guabiraba - que ainda não foram concluídas. Três novas barragens, uma no Agreste e duas na Região Metropolitana, que haviam sido incluídas na Emenda de Bancada de 2016 e não tinham sido empenhadas, também entrarão no pacote proposto pelo governador.
O cálculo preliminar do Ministério da Integração Nacional é que as obras deverão custar entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões para serem concluídas. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

Está chegando a hora. É nesta quinta-feira(01) o Forró do Beco. 15ª edição. Vá e leve mais gente

banner
Com data confirmada para hoje, quinta-feira, dia 01 de junho, o Forró do Beco, evento beneficente que integra a programação dos petrolinenses nos festejos junino, já tem sua grade de atrações confirmada. Junto com o sanfoneiro Targino Gondim, parceiro do evento desde sua primeira edição, também subirão ao palco Jorge de Altinho, Nádia Maia, Rennan Mendes e Adãozinho de Rajada.
Os ingressos custam R$ 40,00 inteira e R$ 20,00 meia, e seguem à venda no escritório central da Apami na rua Pacífico da Luz, número 709, Centro de Petrolina de segunda a sexta-feira das 07h às 12h e das 13h às 17h. Toda a renda arrecadada será destinada à compra de parte dos medicamentos não subsidiados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ao paciente oncológico atendido pelo Centro de Oncologia da Apami. 
O evento que acontecerá às 19h no Iate Clube é realizado pelo Movimento de Combate ao Câncer (MCC), entidade sem fins lucrativos em parceria com a Apami. O MCC é mantido por ações de voluntários tendo como uma das suas maiores fontes de receita, o Forró do Beco, além da venda de materiais artesanais produzidos pelo grupo de voluntários. (Via:Convocação Geral).

Blog do BILL NOTICIAS

Prefeito de Juazeiro Paulo Bomfim recebeu a visita de Miguel Coelho nessa quarta-feira(31)

IMG-20170531-WA0074

Paulo Bomfim recebeu na manhã desta quarta-feira, 31, o colega gestor da vizinha cidade de Petrolina. Além de retribuir a visita feita pelo prefeito de Juazeiro, ocorrida no dia 9 de Fevereiro, Miguel Coelho veio reforçar a parceria entre os dois municípios e apresentar a programação junina da cidade.
“Vim aqui em Juazeiro bater um papo com o prefeito Paulo Bonfim, reforçando nosso desejo de manter a proximidade das nossas cidades para que, juntos, possamos realizar projetos que beneficiem a todos. Aproveitei a oportunidade e convidei o prefeito para prestigiar o São João de Petrolina, um dos maiores do Brasil”, disse Miguel Coelho.
A proposta para um trabalho em conjunto entre as duas prefeituras prevê o fortalecimento e ampliação da parceria na área da saúde. Alguns projetos de infraestrutura também entram na pauta, a exemplo do Anel Viário de Juazeiro e Petrolina.
Esse projeto – que já está em estágio de conclusão do estudo de viabilidade por parte do DNIT – consiste em uma nova ponte para desvio dos veículos pesados. Melhorias e manutenção de ações na Ilha do Fogo também estão previstas. Do ponto de vista econômico, a Fenagri terá uma atenção diferenciada por parte das duas gestões. Paulo Bomfim agradeceu a visita do prefeito Miguel Coelho e endossou o compromisso em fortalecer ainda mais a parceria entre as duas maiores cidades da região.
“Estamos conectados no mesmo objetivo, que é continuar promovendo o desenvolvimento de Juazeiro e Petrolina e com isso alavancar o crescimento de todo o Vale do São Francisco. Temos algumas demandas em comum que mediante um alinhamento entre as duas gestões resultará em bons serviços para a população das duas margens do rio”, destacou Bomfim.
O secretário de Governo, Clériston Andrade, e o chefe de Gabinete, Vilmar Ferreira, também participaram do encontro.(Via: Convocação Geral).

Blog do BILL NOTICIAS

GOVERNO FEDERAL RECONHECE EMERGÊNCIA EM CIDADES DE PE E AL


Agência Brasil - O Diário Oficial da União traz publicadas, na edição de hoje (31), portarias do Ministério da Integração Nacional em que reconhece a situação de emergência em municípios de Alagoas e de Pernambuco devido aos danos causados pela chuva.
Estão na lista da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Social as cidades pernambucanas de Água Preta, Amaraji, Barra de Guabiraba, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Gameleira, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso e São Benedito do Sul.
Em Alagoas, fazem parte da portaria os municípios de Atalaia, Barra de Santo Antônio, Cajueiro, Capela, Chã Preta, Colônia Leopoldina, Coruripe, Coqueiro Seco, Igreja Nova, Japaratinga, Joaquim Gomes, Murici, Paulo Jacinto, Paripueira, Pilar, Quebrangulo, Rio Largo, Satuba, São Luiz do Quitunde, São Miguel dos Campos, Santa Luzia do Norte, Jacuípe, Jundiá, Viçosa e União dos Palmares.
Recursos
O reconhecimento do estado de emergência foi pauta do encontro ontem (30), em Brasília, entre os governadores de Alagoas, Renan Filho, e de Pernambuco, Paulo Câmara, com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.
O aporte financeiro poderá ser liberado ainda esta semana, de acordo com o ministério. Cerca de R$ 30 milhões devem ser destinados às cidades afetadas como parte do apoio federal.
Entre as ações previstas estão recursos para a instalação de hospitais de campanha do Exército, aquisição de kits de ajuda humanitária, auxílio às famílias desabrigadas, contratação de maquinários para limpeza das vias públicas e ações de recuperação de danos nas regiões mais afetadas pelas fortes chuvas.
O grande volume de chuva que atingiu Pernambuco no fim de semana causou enchentes e transtornos em mais de 20 municípios e afetou também o sistema de abastecimento de água do estado. Na capital alagoana, Maceió, a forte chuva provocou mortes por soterramento e deixou centenas de pessoas desalojadas.(247).

Blog do BILL NOTICIAS

PERNAMBUCO MUDA CLASSIFICAÇÃO DE MUNICÍPIOS ATINGIDOS PELAS CHUVAS


Sumaia Villela, correspondente da Agência Brasil - O governo de Pernambuco mudou a classificação de 14 municípios em estado de calamidade, por causa da chuva forte que caiu neste fim de semana, para situação de emergência.
O decreto nº 44.491, publicado ontem (29) em edição extra do Diário Oficial do Estado, foi republicado hoje (30) com a alteração. Além disso, outras dez cidades tiveram o estado de emergência reconhecido em um segundo decreto.
Ambos foram assinados ontem (29) pelo governador Paulo Câmara. Os municípios classificados inicialmente em estado de calamidade e que agora estão em situação de emergência são: Água Preta, Amaraji, Barra de Guabiraba, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Gameleira, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso e São Benedito do Sul.
No decreto, foi incluído o trecho em que se explica que a decisão da alterar a classificação dos municípios para estado de emergência considerou Parecer Técnico da Coordenadoria de Defesa Civil do Estado de Pernambuco – Codecipe.
Já as cidades incluídas no novo decreto são Caruaru, Ipojuca, Joaquim Nabuco, Jurema, Lagoa dos Gatos, Primavera, Quipapá, Sirinhaém, Tamandaré e Xexéu. Ambos os decretos valem por 180 dias, a contar da data da ocorrência dos desastres.
De acordo com o site do Ministério da Integração Nacional, a situação de emergência é decretada em razão de desastre menos graves, quando a capacidade de resposta do município atingido não é superada, mas requer ajuda complementar do estado ou da União para as ações de socorro e de recuperação. Já o estado de calamidade é utilizado quando é necessário o auxílio direto do estado ou da União por causa da magnitude do desastre.
A Agência Brasil entrou em contato com a Codecipe e com o governo do estado para saber o motivo da mudança de estado de calamidade para situação de emergência, mas ainda não obteve resposta. (247).

Blog do BILL NOTICIAS



CÂMARA BUSCA RECURSOS FEDERAIS PARA CONSERTAR ESTRAGOS FEITOS PELAS CHUVAS


Sumaia Villela, correspondente da Agência Brasil - O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, vai a Brasília amanhã (30) para percorrer gabinetes de ministros em busca de apoio federal para enfrentar os estragos provocados pela chuva nas regiões da Zona da Mata Sul e no Agreste do estado. A informação foi dada pelo secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Steffani, depois de reunião do governador e do secretariado na noite de hoje (29), no Palácio do Campo das Princesas, no Recife, sede do governo estadual.
As principais demandas do estado são a liberação de R$ 383 milhões para retomar as obras de quatro das cinco barragens que estavam prometidas desde a última grande cheia em Pernambuco, ocorrida 2010. Apenas uma foi concluída, a de Serro Azul, enquanto o restante está com as obras paradas desde 2014. A solicitação foi feita ao presidente Michel Temer durante sua visita ao estado ontem (28) à noite e deve ser reforçada em Brasília por Câmara.
O outro pedido é a liberação de empréstimo de R$ 600 milhões pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Essa quantia havia sido solicitada recentemente à então presidente do banco, Maria Silvia Bastos, e aguarda um retorno. O governo estadual sinalizou à União que poderá utilizar parte do dinheiro para a construção das barragens.
"Pediram nota técnica, foi elaborada a nota técnica. Pedimos um tratamento similar ao de 2010 [quando houve uma grande cheia]. Em 2010, o estado de Pernambuco, em conjunto com o de Alagoas, foi ao BNDES e pediu um financiamento diferente do ordinário. Para situações excepcionais se pediu uma excepcionalidade. E naquela época o banco entendeu", disse o secretário.
Barragens
A única barragem que ficou pronta, a de Serro Azul, no Rio Una, aumentou o volume de água represado em mais de cinco vezes com a chuva do fim de semana, impedindo que a enxurrada continuasse rio abaixo. No entanto, no caso da cidade de Palmares, por exemplo, dois afluentes do rio transbordaram e inundaram a cidade. Nesses dois cursos d'águas estavam previstas barragens não concluídas. "Palmares sofreu danos, mas se a gente olhar, os danos de 2010 foram muito maiores".
Steffani voltou a usar o argumento do governo estadual para justificar a paralisação das obras: a falta de repasse de recursos federais. "A maior barragem que acumula mais água que todas as outras juntas foi concluída. As outras não foram concluídas por uma razão muito simples: não houve dinheiro. No pactuado inicialmente era para o estado colocar R$ 15 milhões nas demais barragens. Até hoje o estado de Pernambuco colocou R$ 79 milhões e as obras não foram concluídas. Ontem o governador mais uma vez solicitou ao presidente da República, solicitações que vêm desde o ano de 2015. Ele já encaminhou vários ofícios, já despachou várias vezes em Brasília solicitando", diz.
A Agência Brasil tem a informação de que a versão federal é que existiam falhas e a necessidade de readequações nos projetos das barragens de Panelas II e Gatos, e que por esse motivo o governo do estado teria devolvido recursos repassados pela União. O Ministério da Integração Nacional agora estaria aguardando os projetos atualizados, o levantamento do que falta nas obras e quanto custaria. Durante entrevista à imprensa, o secretário reconheceu que os projetos precisam ser "atualizados", mas não forneceu mais detalhes.
Estado de calamidade
Na noite desta segunda-feira também foi anunciado que Caruaru teve o decreto de calamidade assinado pelo governador. A publicação do documento deve ocorre amanhã (30). Contanto com a cidade do agreste, são 15 municípios em estado de calamidade pública.
Considerando as cidades com estragos menores, são 23 municípios atingidos, de acordo com a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), além de 45 mil pessoas desalojadas ou desabrigadas.
O secretário de Planejamento informou que a preocupação do governo era, em um primeiro momento, com a segurança da população e a ajuda humanitária. A terceira etapa é a limpeza das cidades, iniciada hoje em vários municípios por conta própria. Além disso, um dos dois helicópteros solicitados ao Ministério da Defesa chegaram ao Recife nesta noite. O outro deve chegar amanhã, segundo o gestor.
Quanto ao hospital de campanha solicitado à Defesa para Rio Formoso, cidade que teve o hospital inutilizado na cheia, Steffani não deu prazo para a instalação da estrutura. Nesta tarde, o órgão federal informou à Agência Brasil, por e-mail, que o pedido ainda não havia sido feito oficialmente. O secretário estadual respondeu que o próprio presidente Michel Temer havia assegurado o apoio.
Novas chuvas
Há uma preocupação do governo estadual com uma nova previsão de chuvas fortes a partir de quinta-feira (1º), feita pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC). "Estamos monitorando o leito dos rios, a situação das barreiras, o solo que está muito encharcado. Encaminhamos lonas aos municípios", diz Steffani.
A situação do município de Barreiros, onde o nível da água ainda não baixou, também é preocupante. Na cidade de Sirinhaém há a informação de muitos deslizamentos de barreira ainda acontecendo. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

FBC APARECE EM NOVA DELAÇÃO COMO BENEFICIÁRIO DE PROPINA EM SUAPE

: <p>Senador Fernando Bezerra Coelho ((PSB-PE) e Porto de Suape .2</p>

Pernambuco 247 - O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) voltou a ter o nome citado em uma nova delação premiada que o acusa de envolvimento em corrupção. Segundo o ex-executivo da construtora Andrade Gutierrez Rodrigo Ferreira Lopes da Silva, a empreiteira pagou propinas da ordem de 5% do valor de um contrato de revitalização do píer de granéis líquidos do Complexo Industrial e Portuário de Suape. Silva também citou que o empresário e ex-presidente da Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) Aldo Guedes teria sido beneficiado com a propina referente a obra, além de FBC. Guedes já foi citado em outras delações premiadas e é apontado como operador de campanhas do ex-governador Eduardo Campos (PSB), falecido em 2014.
De acordo com Silva, o valor de 5% teria sido pago a Aldo Guedes e ao senador FBC e estaria ligado a obras de revitalização do píer de graneis líquidos e que teria sido pago pelo consórcio do qual a empreiteira fazia parte juntamente com a OAS. A defesa de Aldo Guedes disse que só irá se pronunciar após ter acesso a "integralidade das provas e dos depoimentos".
Já FBC disse, por meio de nota, que "não irá se manifestar acerca da dita colaboração até que tome conhecimento de sua integralidade pelos meios oficiais. Os advogados do parlamentar também destacaram que "repudiam com veemência tais afirmações do suposto delator, sem qualquer fundamento. Todos os contatos do senador com a empresa citada foram absolutamente institucionais e as contas relativas à gestão dele à frente do Porto de Suape, entre 2007 e 2010, aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado". (247).

Blog do BILL NOTICIAS

NOVO ÁUDIO REVELA TRUCULÊNCIA DE AÉCIO E ANDREA NEVES

Cristiane Mattos/Reuters | Edilson Rodrigues/Agência Senado

Interceptações telefônicas realizadas pela Polícia Federal do senador afastado Aécio Neves e da irmã dele, Andrea Neves, mostram que os dois ficaram irritados com o secretário-chefe da Casa Civil do Paraná, Valdir Rossoni.
No primeiro telefonema, Andrea liga para Aécio para revelar que Rossoni se diz decepcionado ao ver o nome do senador citado nas delações de executivos do Grupo Odebrecht. 

Andrea Neves – Oi
Aécio Neves – Fala
Andrea Neves – É o seguinte: tem um cara babaca do Paraná, que postou, já tá no Uol, lá do Uol do Paraná… Um cara, não sei, acho que secretário do Richa, de que… dando notícia de que você tem conta no exterior, que se você for preso , que ele vai te visitar na cadeia, entendeu? Alô?
Aécio – Hã.
Andrea Neves – Aí, a matéria é “Secretariado já considera…”, entendeu? Babaca!
Aécio Neves – Pois é.
Andrea Neves – Então mandei aí, para você dar uma lida, assim que ligar no Richa, esse cara tem que apagar esse troço, colocar um pedido de desculpa. Até mandei uma sugestão aí.
Aécio Neves – Como é o nome do cara, hein?
Andrea Neves – Tá aí no seu WhatsApp, aí.

Após descobrir do que se tratava, Aécio se irritou e entrou em contato com Richa, para que ele obrigasse Rossoni a se retratar sobre o vídeo.
Truculência e perseguições
O tom de Andrea Neves ao tratar do secretário de Richa reforça a tese de que imperava um estado de censura e de perseguição em Minas Gerais na época em que Aécio governou o estado.
Segundo denúncias de dezenas de jornalistas mineiros, Andrea controlava de perto tudo o que era publicado por jornais e portais e tudo o que era transmitido por emissoras de rádio e tevê.
Com ameaças diversificadas e sempre exercendo postura autoritária, Andrea conseguiu que toda a mídia mineira parasse de veicular qualquer pauta negativa relacionada ao seu irmão. (247).


Blog do BILL NOTICIAS


FOLHA COMEÇA A ABANDONAR TEMER


A Folha de S.Paulo começa a abandonar Michel Temer.
Depois de contratar um perito para salvá-lo —que teve seu laudo e competência foram desmascarados pelo Globo—  o jornal da família Frias agora cita o mesmo áudio que tentou refutar, além do agravamento da crise política, para fritar o peemedebista.
Em editorial, a Folha enumera os tropeços de Temer, indo desde o diálogo comprometedor com Joesley Batista até a tentativa de evitar seu depoimento à PF e de tentar manter o foro privilegiado Rocha Loures.
Confira abaixo a íntegra do editorial:
Desde que veio a público, duas semanas atrás, a gravação da deplorável conversa entre o presidente Michel Temer (PMDB) e o empresário Joesley Batista, da JBS, esta Folha se bate pelo pronto esclarecimento do episódio, sem prejulgamento nem complacência.
Aqui se apontou que o conteúdo do áudio, ao menos nos trechos discerníveis, não configurava comprovação cabal de ação dolosa. Não obstante, a mera realização do encontro e o teor suspeitíssimo do diálogo eram graves o bastante para solapar a credibilidade do presidente da República.
Embora a crise política, em boa medida, tenha adquirido dinâmica própria, sua evolução permanece condicionada à capacidade de defesa jurídica do Planalto. Esta, entretanto, tem gerado até o momento mais dúvidas que respostas.
É justificável que se peça perícia da gravação, sobre a qual paira a suspeita de ter sido editada. O que causa estranheza é a tentativa (frustrada) de suspender, até a conclusão de tal exame, um depoimento de Temer à Polícia Federal.
No mínimo, o movimento contrasta com a cobrança inicial do mandatário —"Exijo investigação plena e muito rápida", foi o que disse, em pronunciamento público, logo ao eclodir da crise.
O presidente já se atrapalhou ao explicar por que recebeu Joesley Batista, sem anotação em agenda oficial, na residência do Jaburu.
A este jornal, relatou ter imaginado que o empresário desejasse discutir a Operação Carne Fraca, da PF. Esta, porém, só viria a ser deflagrada em 17 de março, dez dias após a conversa gravada.
Acrescentou não saber, na ocasião, que seu interlocutor era alvo de investigações —embora não tenha demonstrado surpresa quando o dono da JBS relatou a intenção de subornar procuradores.
Acima de tudo, continua obscura, para dizer o de menos, a relação entre Temer e seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, flagrado com uma mala de dinheiro entregue pela JBS. Este, segundo o presidente, teria se deixado corromper.
Se assim foi, por que o empenho em encontrar outro posto no Executivo para o deputado e ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio (PMDB-PR), o que garantiria a Loures, seu suplente, uma vaga na Câmara —e foro privilegiado?
Infelizmente, a prioridade do Palácio do Planalto parece ser apenas ganhar tempo, apostando no arrefecimento da pressão política. Mesmo que venha a ser bem-sucedida, tal estratégia não produzirá mais que um governo desacreditado e sujeito a novas turbulências. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

O BRASIL SÓ TERÁ PAZ QUANDO MICHEL TEMER CAIR

Valter Campanato/Agência Brasil

Nunca antes na história deste país houve um ocupante da presidência da República tão rejeitado como Michel Temer. Os motivos são óbvios. Vão desde a sua ilegitimidade no poder, conquistado por meio de um golpe parlamentar, até o fracasso de sua gestão, que produziu a maior depressão econômica de todos os tempos e deixou nada menos que 14 milhões de brasileiros sem emprego (leia mais aqui).
Rejeitado por 90,6% dos brasileiros, que exigem sua saída e pedem eleições diretas, segundo levantamento da Paraná Pesquisas (leia aqui), Temer finge que ainda governa e, nesta quarta-feira, ao dar posse ao seu novo ministro da Justiça Torquato Jardim, que parece agir como seu advogado de defesa, fez um apelo para que "deixem o Executivo trabalhar em paz".
No entanto, se Temer realmente deseja a paz para o Brasil, a única coisa que ele pode fazer é renunciar e apoiar o processo de eleições diretas, o que ainda lhe daria uma saída honrosa.
Um dos motivos, claro, é a rejeição quase unânime dos brasileiros.
Outro, o fato de ele ser o único "presidente" na história do Brasil investigado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial, além de alvo de 14 pedidos de impeachment, um deles apresentado pela Ordem dos Advogados do Brasil.
Se isso não bastasse, para o Conselho Federal de Economia (Confecon), a permanência de Temer no poder prejudica a recuperação da atividade econômica no Brasil. "Tanto a permanência de Temer quanto a eleição indireta de um novo presidente manterão a economia brasileira 'na UTI' nos próximos 18 meses, com a retração dos investimentos e a consequente ampliação do desemprego, fomentando a desesperança e ampliando o risco de explosão do 'caldeirão social'", diz o texto aprovado ontem pelo Confecon (leia mais aqui).
Além disso, dentro de poucos dias, ele será denunciado ao Supremo Tribunal Federal pelo procurador-geral Rodrigo Janot.
É hora de reconhecer que acabou, Temer.
Abaixo, reportagem da Reuters sobre a fala de Temer nesta quarta-feira:
Por Lisandra Paraguassu
BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira que o país vive um momento de "grande conflito institucional" e fez um apelo para que deixem o Executivo "trabalhar em paz", num momento em que enfrenta grave crise política decorrente de delações de executivos do grupo J&F.
"Vamos deixar o Judiciário trabalhar sossegado, vamos deixar o Legislativo trabalhar em paz, vamos deixar o Executivo, convenhamos, trabalhar em paz", disse Temer, na cerimônia de posse do novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, no lugar do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR).
"Eu vejo em pronunciamentos meus que as pessoas querem muito que continue o programa de governo que nós inauguramos no país um ano atrás", acrescentou o presidente, que sofreu fortes pressões nas últimas semanas para renunciar.
"Até quando fazem uma ou outra objeção dizem que é preciso continuar o programa que se iniciou nesse governo, ou seja, um governo acolhido pelo país, um programa de governo acolhido pelas necessidades do país."
Temer, que vinha comemorando a melhora em diversos indicadores econômicos e se colocou sempre como presidente de um governo reformista, viu seu apoio parlamentar diminuir e o ritmo das reformas desacelerar depois da revelação de uma gravação de conversa dele com o empresário Joesley Batista, do grupo J&F, que levou o Supremo Tribunal Federal (STF) a autorizar a abertura de um inquérito contra ele.
Às vésperas do julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pode cassar seu mandato no processo sobre a chapa vencedora na eleição presidencial de 2014, quando disputou a reeleição como vice da então presidente Dilma Rousseff, e com o pano de fundo da operação Lava Jato, que tem investigado dezenas de políticos, Temer disse que o país precisa "recuperar a institucionalidade".
"O Brasil vive hoje momentos de grande conflito institucional... precisamente porque não se dá cumprimento muitas e muitas vezes à ordem institucional", disse.
"O que nós precisamos, com muita celeridade, é exatamente recuperar a institucionalidade do país, porque a recuperação da institucionalidade significa, precisamente, a recuperação da ordem; significa, sim, o cumprimento da lei."
Apesar do esforço do governo para procurar mostrar que a troca de ministro ocorreu sem problemas, Serraglio, que teria ficado irritado com o modo como foi sacado do comando da Justiça, não compareceu à cerimônia. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

Doria quis exterminar a cracolândia e acabou extinguindo a si mesmo — mas a culpa é de Haddad. Por Kiko Nogueira

Fim de uma farsa

Durou pouco mais de 100 dias a lua de mel de São Paulo com João Doria.
Nesse período, ele fez marketing e jabá, basicamente, não necessariamente nessa ordem.
Fantasiou-se de gari, puxou o tapete de seu criador, virou a grande esperança branca da extrema direita para presidente — e se afundou na ação catastrófica na cracolândia.
O higienista maluco achou que poderia resolver uma tragédia crônica de uma megalópole com a polícia e a especulação imobiliária.
Apanha diariamente da mídia amiga, o que não esperava. A truculência estudada, cultivada para ganhar eleitores de Jair Bolsonaro, o levou a puxar briga com carnavalescos, jogar flores no chão e chamar de “Lula” (?!?) qualquer ser humano que ousasse divergir dele.
A última jogada é típica de covardes e meninos mimados: terceirizar a responsabilidade.
Num evento nesta quarta, dia 31, Doria apontou o dedo para o antecessor Fernando Haddad quanto questionado sobre a burrada na cracolândia.
“Pergunta para o prefeito anterior”, disse a jornalistas que queriam saber da debacle no centro.
Haddad, elegantemente, não se manifestou.
Doria sempre foi uma fraude, mas agora não engana mais ninguém.
O estilo fascistoide contaminou até o secretário de Cultura André Sturm, um senhor pacato e franzino que, imitando o chefe, ameaçou um agente cultural de quebrar-lhe a cara numa reunião.
Afinal, se o prefeito faz isso todo dia, por que não o fariam seus subordinados?
O golpe que faltava eram seus miquinhos amestrados do MBL o trocarem por Bolsonaro. Não falta mais.
João Doria quis exterminar a cracolândia na base da porrada. Acabou extinguindo-se a si mesmo.
Mas a culpa, como sempre, é do PT. (Via:DCM).

Minha opinião pessoal como Blogueiro, o PT nunca teve nada a ver com essa situação, pois a questão da cracolândia, é um problema que já vem de muito tampo e precisa sim ser resolvido mas não dessa forma brutal e absurda como esse maluco tentou faz.
Cade os direitos humanos nessa hora?
É uma questão social e não se resolve do dia para a noite, isso leva tempo. 
É preciso que haja um planejamento com a participação de vários órgãos tais como: Sec, de Ação Social, Justiça, Cidadania, Saúde, Educação, Obras e participação da sociedade também.
Jeito e dinheiro tem é só querer!! 

Blog do BILL NOTICIAS