quarta-feira, 26 de abril de 2017

Entidades convocam comunidade universitária da UPE para a Greve Geral do dia 28

25042017114248_CAPA o brasil vai parar

As entidades representativas da Comunidade Acadêmica da Universidade de Pernambuco, aqui representadas pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), pelo Sindicato dos Servidores (SINDUPE) e pela Seção Sindical dos Docentes (ADUPE), conclamam os professores, os servidores e os estudantes para aderirem à GREVE GERAL, convocada por todas as Centrais Sindicais brasileiras, a ser realizada no dia 28 de abril de 2017.
O motivo da greve é devido às medidas e às propostas de reformas contra a nação e estado brasileiro advindas de um governo ilegítimo e impopular, que ascendeu ao poder mediante um golpe de estado, incentivado pela mídia e apoiado pelos poderes legislativo e judiciário.
As medidas e as propostas ferem a Constituição Federal de 1988. Muitas delas são realizadas mediante “Propostas de Emenda Constitucional” (PEC), haja vista a PEC 241/55, que congelou, por 20 anos, os gastos públicos, em especial com Saúde e Educação, atingindo em cheio o Ensino Público Brasileiro e o Sistema Único de Saúde. Recentemente foi anunciado um corte de 44% no orçamento para Ciência e o encerramento do Programa Ciência sem Fronteiras. Além disso, o número de matrículas nas Instituições Federais de Ensino Superior e a Medida Provisória do Ensino Médio testemunham o desmonte do Ensino e da Ciência no Brasil.
Urge dizer não! A Greve Geral do dia 28 de abril é necessária para dar um basta a tudo isso.
Duas outras Propostas estão em curso, desta vez atingindo trabalhadoras e trabalhadores brasileiros desta geração e das gerações futuras: a Reforma da Previdência e a Reforma Trabalhista.
A Reforma da Previdência veio para rasgar uma das principais conquistas do povo brasileiro que é a Seguridade Social (Saúde, Assistência Social e Previdência) prevista na Constituição Cidadã de 1988. Saúde e Educação já foram brutalmente atingidas pela PEC 241/55. Agora chegou a vez da Previdência. A proposta original propõe aumentar o tempo de contribuição e a idade mínima para se aposentar. Tem-se que contribuir por 49 anos e trabalhar até os 65 anos de idade para se ter aposentadoria integral. Desta forma, para se aposentar o trabalhador tem que entrar no mercado de trabalho e começar a contribuir ininterruptamente desde os 16 anos de idade. Regime único para servidores públicos e trabalhadores do setor privado. Homens e mulheres submetidos às mesmas regras. Trabalhadores rurais e urbanos também. Quanta injustiça! Quanta perversidade com os mais desprotegidos e os mais vulneráveis!
Para completar o pacote de maldades está em curso a proposta da reforma trabalhista. São cerca de 100 mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Começou com a terceirização irrestrita (adeus o sonho do concurso público). Aumento de jornada de trabalho, parcelamento de férias, negociação direta entre sindicatos e empresas sem proteção de leis. Os patrões têm mais força que os trabalhadores, principalmente em momentos de crise, de recessão e de desemprego.
Venha lutar conosco pelos seus direitos!
Não à Reforma da Previdência! Não à Reforma Trabalhista. Não à Terceirização Irrestrita!
Todos à GREVE GERAL
SEÇÃO SINDICAL DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO – ADUPE
SINDICATO DOS SERVIDORES DA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO
DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA UNIVDERSIDADE DE PERNAMBUCO – DCE-UPE. (Vinicius).

Blog do BILL NOTICIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário