sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Justiça Federal suspende regra que zera redações do ENEM por violação de direitos humanos


A Justiça Federal suspendeu, nessa quinta-feira (26), a regra do Exame Nacional de Ensino Médio, o ENEM, que zera as redações de alunos consideradas desrespeitosas aos direitos humanos. O pedido foi feito pela Associação Escola Sem Partido e julgado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. O artigo 19° da Constituição determina que todos têm o direito à liberdade de opinião e de expressão. A partir daí, violar esses direitos seria criticar ou excluir alguém por crenças, ideais ou estilo de vida.A Associação Escola Sem Partido argumentou durante o julgamento que “ninguém é obrigado a dizer o que não pensa para poder ter acesso às universidades”.
Já o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o INEP, defendeu a regra e, em nota, divulgou que vai recorrer à sentença assim que for notificado. Desde 2013, o critério faz parte do edital do ENEM.A decisão do tribunal preocupa a professora da Universidade de Brasília (UnB) Edileuza Fernandes. Para ela, o desrespeito aos direitos humanos é uma questão discutida em âmbito universal. “Está garantido pela nossa constituição. De garantir os direitos humanos, de respeitar os direitos de todos, de pensar diferente, em relação às questões étnicas, raciais, de gênero, de crença. As diferenças físicas, sociais e econômicas”, afirmou.
A decisão é provisória, mas está valendo para quem vai fazer a prova nos dias 5 e 12 de novembro. É o caso da estudante brasiliense Mayara Mendes, que se prepara há mais de um ano para fazer o ENEM. Ela se sente aliviada com a decisão do tribunal. “Eu acho que vai ser muito bom, porque antes a regra feria a nossa liberdade de expressão. E a gente precisava escrever o que eles queriam ler e não o que nós acreditamos”, conta.(C.Geral).

Blog do BILL NOTICIAS


O PRÉ-SAL JÁ É DA EXXON, DA PETROGAL E DA STATOIL

REUTERS/Ricardo Moraes | Reprodução

O consórcio entre a norte-americana Exxon Mobil, a norueguesa Statoil e a Petrogal arrematou a área de Norte de Carcará com um lance de 67,12 por cento de óleo à União, versus percentual mínimo de 22,08 por cento, de acordo com resultado do leilão realizado pela reguladora ANP nesta sexta-feira.
As três empresas disputaram a área, na Bacia de Santos, com a Shell.
No consórcio de Norte de Carcará, a Statoil ficou com 40 por cento de participação, a Exxon com outros 40 por cento, e a Petrogal, com 20 por cento.
Norte de Carcará é uma área adjacente a Carcará, onde a Statoil detém participação majoritária, após acordo com a Petrobras de 2,5 bilhões de dólares.
As petroleiras Galp, com 14 por cento de participação em Carcará, e Barra Energia, com 10 por cento, estão entre as outras sócias da área.
A área de Sudoeste de Tartaruga Verde, no pré-sal da Bacia de Campos, que não havia registrado lances quando foi leiloada pela primeira vez, também não recebeu oferta em rodada de “repescagem”.
Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre o leilão:
Nielmar de Oliveira e Vinícius Lisboa - Repórteres da Agência Brasil
O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), Décio Oddone, disse hoje (27) que com a demora na realização de leilões para exploração do pré-sal, o país perdeu grande volume de investimentos. Desde que o pré-sal foi descoberto, somente uma área tinha sido licitada até o momento. 
"O pré-sal foi descoberto há uma década, e nesse período, só uma área foi licitada, a de Libra. A sociedade brasileira perdeu mais de R$ 1 trilhão, entre investimentos e arrecadação. Esse atraso no desenvolvimento do pré-sal foi a maior oportunidade perdida em uma geração. Mas estamos deixando esse tempo para trás", disse Décio Oddone, na abertura da segunda rodada de leilão de partilha dos blocos da área. 
O leilão estava programado para começar às 9h, mas uma decisão liminar do juiz Ricardo de Sales, da 3ª Vara Federal Cível do Amazonas, suspendeu a segunda e terceira rodadas. A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu, e o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) cassou a liminar, liberando a realização das rodadas de licitação do pré-sal. Para o diretor-geral, o Brasil tem mostrado segurança jurídica para os investidores.
Oddone afirmou ainda que os oito blocos ofertados vão transformar São Paulo em um dos principais produtores de petróleo do Brasil, e farão com que o Rio de Janeiro volte a ser a capital brasileira do petróleo e uma das regiões de maior produção do mundo. Os blocos estão localizados nas bacias de Campos (RJ) e Santos (SP).
"A produção do pré-sal poderá ser responsável pelo maior acréscimo de oferta de petróleo fora dos países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, nos próximos anos. Com isso, o Brasil retoma seu espaço na primeira liga do petróleo mundial".
Liderança
O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, também discursou na abertura da segunda rodada e destacou que o leilão faz parte do esforço para "reestabelecer a liderança do setor de óleo e gás na construção do Produto Interno Bruto Brasileiro".
Moreira Franco ressaltou a importância do setor para o estado do Rio de Janeiro, que vive uma das maiores crises financeiras, e afirmou que a economia nacional saiu de uma situação de "desesperança e profunda insegurança".
Segundo ele, o caminho seguido pelo governo "vai permitir a recuperação da economia brasileira e com a possibilidade de ter um desenvolvimento sustentável no país, sobretudo pela segurança jurídica, pela clareza nas regras, pela capacidade que todos terão e começam a ter, com a certeza de que há igualdade de oportunidade e concorrência em todos os campos da atividade econômica, sobretudo na relação do setor privado com o setor público".
Rota mundial do petróleo
O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, diz que o leilão dos blocos representa a "reinserção do país na rota mundial da indústria do petróleo e gás".
“É o momento em que o país se encontra dividido e envolvido em questionamentos, mas também momento de esperança. O povo brasileiro saberá dar a volta por cima”.
Ele aposta que o resultado da licitação "será um sucesso que será alardeado pelos quatro cantos do mundo, que em alto e bom som dirá que o Brasil voltou a rota da indústria de óleo e gás no mundo - e tenho certeza de que não mais sairá dela”.(247).

Blog do BILL NOTICIAS

Homem é flagrado passeando pelado na orla de Juazeiro. É arte moderna? e se a moda pega


Na noite dessa quinta-feira(26), um homem foi flagrado passeando completamente nu, em um trecho da Orla na cidade de Juazeiro se exibindo nas proximidades da praça Santiago Maior.
Pessoas flagraram o momento em que o elemento ainda não identificado ficou passeando de um lado para o outro exibindo seu órgão genital.
Andar pelado em lugares públicos pode render ao infrator, com base no artigo 233 do Código Penal, a pena de detenção de 3 meses a 1 ano, ou multa, já que a prática configura ato obsceno, nova denominação dada ao atentado violento ao pudor. (Vale em Foco),(C.Geral).



Blog do BILL NOTICIAS

DONO DE 10,3 MIL IMÓVEIS VAZIOS, GOVERNO TEMER GASTA R$ 1,6 BI COM ALUGUEL

REUTERS | JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

Apesar de ser proprietário de 10,3 mil imóveis desocupados em todo o país, o governo Michel Temer gasta anualmente R$ 1,6 bilhão com o pagamento de aluguel para abrigar órgãos e repartições públicas. Do total de imóveis sem ocupação, 80% são de residências, salas comerciais, terrenos e galpões que poderiam ser vendidos, alugados ou cedidos, mas sem necessariamente serem usados para uso da população. Os demais 20% são qualificados como "bens de uso especial", voltados para a prestação de serviços públicos, como hospitais e escolas.
De acordo com matéria da BBC Brasil, os Estados do Rio de Janeiro, Pará, Bahia e Santa Catarina, abrigam 60% dos imóveis desocupados que podem ser negociados pelo governo federal, incluindo o uso por parte da iniciativa privada, já que não possuem destinação específica. Já os imóveis que possuem destinação específica são cerca de 2 mil e estão localizados, principalmente, em São Paulo. Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.
Segundo o Ministério do Planejamento, o governo "está trabalhando para reduzir a despesa anual de R$ 1,6 bilhão com aluguel", seja por meio da ocupação ou da comercialização dos mesmos.(247).

Blog do BILL NOTICIAS

Parceria entre Prefeitura de Petrolina e Polícia Militar intensifica segurança na feira da Areia Branca


Mais segurança e tranquilidade as centenas de frequentadores da tradicional Feira da Areia Branca. Este é o objetivo da parceria entre a Prefeitura de Petrolina e a Secretaria de Defesa Social, que autorizou mais policiamento no centro de compras com a instalação de um trailer itinerante da Polícia Militar. O equipamento já está próximo ao pátio da feira nesta semana, reforçando a segurança do local.
A iniciativa foi acordada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário e Associação dos Feirantes, para inibir qualquer tipo de ação criminosa. A ação já havia sido realizada com sucesso em outubro, na feira do bairro José e Maria e agora será implementada até o final do mês na feira da Areia Branca.
De acordo com o diretor de feiras, Tony César, a Prefeitura vem desenvolvendo atividades rotineiras a fim de garantir maior segurança para quem trabalha e frequenta nas feiras. “Foi fundamental o diálogo com a Associação dos Feirantes e a sensibilidade do comando da Policia Militar. Poder contar com a parceria de todos só vem somar em nossas feiras e levar tranquilidade tanto para vendedores como para os consumidores”, ressalta o diretor. (Ascom), (C.Geral).

Blog do BILL NOTICIAS

JUSTIÇA APONTA PREÇO VIL E SUSPENDE LEILÃO DO PRÉ-SAL

O juiz Ricardo Sales, da 3ª Vara Federal Cível da Justiça Federal do Amazonas, concedeu nesta quinta-feira liminar a uma ação civil pública para suspender a 2ª e 3ª rodadas dos leilões do pré-sal, marcadas para esta sexta-feira, com o argumento de que há risco de prejuízo ao patrimônio público pelo lance inicial, considerado baixo.
O magistrado também aceitou a tese de vício de iniciativa do projeto de lei.
"Aponto que esse aparente vício constitucional macula o processo legislativo da lei de 2016 que promoveu drásticas alterações na Lei nº 12.351, de 2010, no que concerne ao regime de partilha de produção em áreas do pré-sal e às competências dos órgãos e entidades públicos envolvidos", afirmou. Para o juiz, o projeto teria que ser de autoria do Executivo, e não do senador José Serra (PSDB-SP).
O juiz também afirma na decisão que "há patente a verossimilhança" no argumento da ação de que "é perceptível a distorção de valores e o rebaixamento dos valores" no bônus de assinatura dos leilões. O partido sustenta na ação que não há motivos para o leilão de quatro áreas das duas novas rodadas do pré-sal ter como lance inicial R$ 7,7 bilhões, enquanto só o campo de Libra, em 2013, foi leiloado por R$ 15 bilhões.
Sales abre o prazo de 20 dias para a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) se manifestar e determina aplicação de multa de R$ 10 milhões em caso de descumprimento da decisão.
A ação é de autoria de Wallace Byll Pinto Monteiro, filiado ao PT e do sindicato dos petroleiros do Amazonas. O partido orientou filiados em todo o país a ingressarem com ações na justiça federal para suspender liminarmente o leilão.
AGU tenta reverter suspensão
A Advogacia-Geral da União (AGU) apresentou recurso ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região contra a decisão de um juiz federal do Amazonas que suspendeu a realização dos leilões do pré-sal para exploração nas bacias de Santos e Campos marcados para a manhã desta sexta-feira, informou o órgão (leia mais).
As informações são de reportagem de Raphael di Cunto no Valor.
Abaixo, reportagem da Agência Brasil:
Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil
O juiz Ricardo de Sales, da 3ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Estado do Amazonas, concedeu liminar ontem (26) à noite suspendendo o leilão de partilha de blocos do pré-sal. A ação foi proposta por Wallace Byll Pinto Monteiro, integrante do Sindicato dos Petroleiros do Amazonas, contra a ANP e a Petrobras. Na ação, ele alega que a Lei n.13.365/2016 promoveu radical alteração na Lei n.12.351/2010, na medida em que retira da Petrobras a atuação como operadora única dos campos do pré-sal, com uma participação de  pelo menos 30%, além de deixar de ser a única  empresa responsável pela  condução e execução, direta ou   indireta, de todas as atividades de exploração, avaliação, desenvolvimento e produção.

Quatro anos depois do primeiro leilão de partilha da área de Libra, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) marcou para hoje (27) o leilão de áreas exploratórias no regime de partilha. Deverão ser licitados oito blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural. O evento deverá ter início às 9h no Hotel Grand Hyatt, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Com novas regras e flexibilizações, o leilão chamou a atenção de gigantes petrolíferas do mundo e a expectativa é gerar investimentos bilionários para o país. Entre as 16 empresas habilitadas pela ANP para participar das duas rodadas - a segunda e a terceira - do leilão estão as americanas Exxon/Mobil e Chevron, a espanhola Repsol, a britânica Shell, a francesa Total, a norueguesa Statoil e as chinesas Cnooc e CNPC.


A previsão da ANP é de que os oito blocos gerem US$ 36 bilhões em investimentos (o equivalente a cerca de R$ 120 bilhões), além de cerca de US$ 130 bilhões em royalties, óleo-lucro e imposto de renda decorrentes da fase de desenvolvimento das reservas, estimadas em mais de 4,5 bilhões de barris de petróleo – mais de um terço das reservas provadas do país.

As alterações nas regras do leilão promovidas pelo governo federal, como a flexibilização da operação na área do pré-sal, a revisão da política de conteúdo local e a maior previsibilidade dada às novas rodadas de licitação, além da extensão do Repetro (Regime Especial de Tributação da Cadeia do Petróleo) são consideradas fundamentais para a retomada da indústria petrolífera do país. Soma-se a isto fatores conjunturais da economia, como a baixa da inflação e a queda das taxas de juros.

Partilha da Produção

Nas licitações de partilha, vence a empresa que oferecer ao Estado, a partir de um percentual mínimo fixado, a maior fatia de óleo e gás natural descontado o custo da produção, o chamado óleo-lucro. “As ofertas serão julgadas e classificadas segundo a ordem decrescente do excedente em óleo para a União, sendo declarada vencedora a licitante que ofertar o maior percentual para a União”, informou a ANP.
De acordo com a agência, as empresas habilitadas a participar do leilão apresentarão ofertas para cada um dos blocos em licitação. Elas terão de pagar bônus de assinatura fixo para as duas rodadas.
Rodadas

Na 2ª Rodada, serão ofertados blocos unitizáveis (com jazidas adjacentes a campos ou prospectos de reservatórios que ultrapassam a área contratada). Os blocos são: Carcará; do Campo de Sapinhoá, na bacia de Santos Gato do Mato, e no Campo de Tartaruga Verde, este último na Bacia de Campos. Os bônus total de assinatura para esta rodada foi fixado em R$ 3,4 bilhões.

A unitização permite um projeto único de produção que pode ser estendido para áreas de concessão, cessão onerosa ou partilha sob comando de operadores diferentes ou para locais ainda não contratados.

Já a 3ª Rodada ofertará as áreas de Pau Brasil, Peroba e Alto de Cabo Frio Oeste, na Bacia de Santos; e a de Alto de Cabo Frio Central, nas bacias de Santos e Campos. O bônus de assinatura totaliza R$ 4,35 bilhões.

Segundo a ANP, os dez poços que mais produzem no Brasil estão no polígono do pré-sal, que já é responsável por cerca de metade da produção brasileira.
Direito de preferência da Petrobras
Mesmo com restrição orçamentárias, a Petrobras pretende exercer seu direito de preferência de operadora para arrematar 30% de três áreas, o que custará à empresa R$ 810 milhões em bônus de assinatura.
O direito de preferência será exercido pela estatal para as áreas de Sapinhoá, Peroba e Alto de Cabo Frio Central, conforme antecipou o presidente da petrolífera, Pedro Parente, nesta semana. O direito de preferência é facultado à empresa. Para atuar como operadora nesses blocos, a Petrobras precisa compor consórcio com a licitante vencedora desde que o percentual do excedente em óleo ofertado para a União for igual ao percentual mínimo estipulado no edital.
Durante a sessão pública de ofertas, a petrolífera tem prazo de 30 minutos para decidir se integrará o consórcio com a licitante vencedora, se o percentual de excedente em óleo para a União superar o percentual mínimo.

No caso de a Petrobras não entrar no consórcio, a licitante vencedora, individualmente ou em consórcio, terá de assumir 100% da participação no bloco licitado e indicará a operadora e os novos percentuais de participação.

Ao participar da Offshore Technology Conference (OTC 2017), encerrada ontem (26), no Riocentro, Parente admitiu que a participação da empresa poderá se dar em parceria com outras  petrolíferas e que pode não ficar restrita às áreas com direito de preferência.

“A parceria é a maneira usual de se trabalhar nesta indústria e nós vamos de parceria. Temos que ser seletivos, dado o conjunto de boas áreas ofertadas, mas faremos lances somente nas áreas que terão potencialidade maior. Podemos disputar outras áreas além das três que já estamos com um bom direito assegurado. Claramente, dentro da nossa visão do potencial de todas as áreas, [a participação da empresa] será exclusivamente uma matéria de decisão econômica”, disse.


Sobre as três áreas em que a Petrobras já manifestou preferência, Parente disse que se a companhia não vencer a disputa, poderá se associar às vencedoras e vir a atuar como operadora.

Disputa acirrada

Já a ANP prevê disputa acirrada e oferta para todos os blocos.
“Todas as áreas do pré-sal terão interessados, porque é uma área de alta produtividade. Tem poços produzimos 40 mil barris por dia, o que acontece em pouco países. É um volume de produtividade muito grande e a disputa será acirrada”, disse o diretor-geral da ANP, Décio Oddoni.
A agência já avalia a possibilidade de reabrir o prazo para apresentação de ofertas para os blocos que não forem arrematados nesta sexta-feira. Ao fim de cada rodada, as empresas terão a chance de fazer novos lances. "Isso corrige a possibilidade de confusões de última hora, de envelope, burocracia, procuração. Foi com o objetivo de dar uma oportunidade caso alguém se equivoque", afirmou.
Segundo ele, a mudança passará a valer para os próximos leilões, incluindo as rodadas de concessão.
14ª Rodada
Com menos atrativos em relação às rodadas de hoje, a 14ª Rodada de licitações de blocos exploratórios, realizada no final do mês passado, arrecadou R$ 3,84 bilhões em bônus de assinatura – o maior da história dos leilões, com ágio médio de 1.556,05%.

No entanto, foram arrematados apenas 37 dos 287 blocos ofertados, distribuídos em 16 setores de oito bacias sedimentares: Parnaíba, Potiguar, Santos, Recôncavo, Paraná, Espírito Santo, Sergipe-Alagoas e Campos.

Os blocos mais concorridos foram os da Bacia de Campos, no litoral fluminense, onde oito foram arrematados pelo consórcio Petrobras/ExxonMobil. As duas empresas pagaram R$ R$ 2,24 bilhões pelo bloco campos marítimos 346, uma das áreas mais disputadas e com o maior bônus de assinatura.
A previsão de investimentos das empresas vencedoras na primeira fase do contrato é de R$ 845 milhões.
Um total de 20 empresas, de oito países, participaram da licitação e 17 (dez nacionais e sete estrangeiras) arremataram blocos. A assinatura dos contratos deve ocorrer até o dia 31 de janeiro de 2018.
A 14ª rodada foi marcada pela simplificação das normas do regime de concessão, com a adoção da fase de exploração única e possibilidade de estendê-la por razões técnicas; retirada do conteúdo local como critério de oferta na licitação; royalties diferenciados para áreas de nova fronteira e bacias maduras com maiores riscos; e incentivos para o aumento da participação de pequenas e médias empresas.(247).


Blog do BILL NOTICIAS

LULA: ESTÃO VENDENDO O PATRIMÔNIO DO PAÍS

Ricardo Stuckert


O ex-presidente Lula denunciou a venda do patrimônio do País pelo governo Temer em novo discurso em Minas Gerais, na cidade de Francisco Sá, na noite desta quinta-feira 26.
"Eles estão vendendo tudo. O cara que não sabe governar começa a vender o patrimônio do país", criticou Lula.
Sobre 2018, Lula disse estar pronto para ser julgado nas urnas. "Eu não tenho nenhum problema em não ser candidato. Se o povo achar que eu não devo concorrer. Aceito humildemente", afirmou. "Se o povo achar que eu devo ser candidato, eu quero concorrer contra eles, contra o candidato da Globo", disse.
O ex-presidente voltou a criticar a perseguição Judiciária e midiática contra ele e desafiou a Lava Jato "a provar um real de errado na minha vida". "Eles já acharam dinheiro com todo mundo, aqui em Minas até um helicóptero com 400 quilos de cocaína acharam", destacou, sobre o caso envolvendo o senador Zezé Perrella (PMDB-MG), aliado de Aécio Neves (PSDB-MG). "Todo dia tem uma acusação contra mim e todo dia não tem uma prova", completou.
Lula fez nova crítica ao golpe contra Dilma Rousseff, com o apoio da mídia. "A elite perversa resolveu inventar uma mentira pra afastar a Dilma, aquilo repetia na Globo todo dia e a Dilma caiu". E comparou: "Como Deus escreve certo por linhas tortas, as pessoas que diziam que a Dilma era uma desgraça, perceberam que Temer e desgraça e meia".
Na parada anterior da Caravana, no município de Salinas, Lula discursou: "Não queremos gritar mais “Fora Temer”. Queremos gritar o nome de um futuro presidente que vai ajudar a reconstruir o Brasil".(247).


Blog do BILL NOTICIAS

Araripina é a única cidade do Nordeste escolhida pela União Europeia para programa de desenvolvimento urbano


Araripina (PE), no Sertão do Araripe, é a única cidade do Nordeste escolhida pela União Europeia para participar do Programa Internacional de Cooperação Urbana, que objetiva a integração com cidades da Europa em temáticas de desenvolvimento urbano sustentável.
Como parceira, a União Europeia oferece apoio técnico e logístico na elaboração de planos em favor do desenvolvimento urbano local, conhecimento sobre fontes de financiamento e todo seu respaldo internacional, além de oficinas, encontros internacionais e intercâmbios técnicos. Para a entidade, essa é uma oportunidade para os municípios brasileiros se inserirem no contexto internacional.
O prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, foi convidado pela União Europeia para estar presente no evento de lançamento oficial do programa a nível mundial, que acontecerá na cidade de Bruxelas, Bélgica, nos dias 9 e 10 de novembro. A União Europeia custeará a participação dos prefeitos das cidades selecionadas. O objetivo geral desse evento é reunir governos locais e subnacionais de várias partes do mundo para conhecerem e apresentarem práticas inovadoras em temas de desenvolvimento sustentável local e ação climática e trocarem conhecimentos entre si.
As outras cidades brasileiras selecionadas no Programa Internacional de Cooperação Urbana são Belo Horizonte (MG), Benedito Novo (SC), São Leopoldo (RS), Vitória (ES) e o Consórcio de cidades do Grande ABC (SP). Outras informações podem ser conferidas acessando aqui.(C.Britto).

Blog do BILL NOTICIAS

Abertura da nova temporada de concertos da Philarmonica 21 de Setembro encanta petrolinenses


A Philarmonica 21 de Setembro fez mais uma dessas apresentações para ficar marcada no coração e na alma dos petrolinenses. O local desta vez foi a escadaria da Catedral do Sagrado Coração de Jesus, no Centro da cidade, que recebeu na noite de ontem (25) o projeto ‘Concertos Itinerantes e Populares’, marcando a estreia da temporada 2017/2018 da Philarmonica 21 de Setembro. Ao lado da secretária de Cultura, Turismo e Esportes, Maria Elena Alencar, o prefeito Miguel Coelho fez questão de prestigiar o evento.


Além da conhecidíssima canção “Bolero de Ravel), que abriu o espetáculo, músicas como “Feira de Mangaio”, de Clara Nunes, e até uma composição de um musicista da própria Philarmonica – o samba “Taí Véio’, de Francisco de Assis dos Santos, abrilhantaram a noite. Para completar a emoção, o tenor Joel Silfer surpreendeu a plateia com sua voz. A canção “Ave Maria”, de Charles Gonoud, encerrou a apresentação para quase 230 pessoas.
Emocionada, a secretária Maria Elena de Alencar, disse que a proposta do projeto é levar a música instrumental para vários lugares da cidade, tanto na sede, quanto no interior. “O nosso intuito é levar a arte a lugares onde ela nunca foi. Concertos Itinerantes e Populares têm a proposta de descentralizar as manifestações culturais e aproximar as pessoas. Hoje foi só o começo de uma programação preparada com muito carinho”.
A próxima apresentação da Philarmonica 21 de Setembro será em outro local turístico petrolinense, o monumento “Eu Amo Petrolina”, localizado na Orla da cidade, no dia 10 de novembro às 18h30. As informações são da assessoria da PMP. (Fotos: Sérgio de Sá),(C.Britto).

Blog do BILL NOTICIAS

Deputado que mudou de lado relata assédio para apoiar Temer

César Halum disse que o líder de seu partido também questionou se o deputado não gostaria de reaver os dois cargos que havia perdido nos Correios e na Secretaria da Pesca, após votar contra Temer na primeira denúncia
Michel Temer

Michel TemerFoto: Evaristo Sá/AFP
"O líder do meu partido que me fez vários apelos, veio perguntando o que eu precisava", diz o deputado César Halum (TO), relatando a abordagem do líder do PRB na Câmara, Cleber Verde (MA), para convencê-lo a mudar de ideia e votar a favor do presidente Michel Temer na segunda denúncia.

Leia também
Oito deputados 'viram casaca' contra Temer
Após placar do PSDB em votação na Câmara, ala anti-Temer comemora
Temer perde apoio, mas consegue barrar segunda denúncia na Câmara
Deputados arquivam, mais uma vez, denúncia contra Michel Temer


As ofertas foram além. Halum diz que o líder de seu partido também questionou se o deputado não gostaria de reaver os dois cargos que havia perdido nos Correios e na Secretaria da Pesca, após votar contra Temer na primeira denúncia, por corrupção passiva. "O meu líder veio me perguntar se eu tinha interesse em voltar os cargos. Eu disse: nenhum. Eu não quero porque, quando eu arrumo emprego para um, dez ficam com raiva de mim porque não coloquei os outros. Nunca fiz política achando que emprego que vai me dar voto", afirma o deputado à Folha.

Emendas
O deputado, um dos 251 que votaram contra o prosseguimento desta segunda denúncia, relata também ter sido sondado a respeito da liberação de emendas. Assim como nos outros assédios, garante que recusou. "Muita gente me procurava [com] negócio de emenda: 'Liberou emenda para você?'. Olha, para mim, escutei muito essa tratativa aí, comigo eu não tenho essa preocupação porque eu não fico procurando nada extraordinário. Tem a lei que diz que eu tenho as minhas emendas impositivas, então paga as minhas. Se não pagar, eu vou no STF [Supremo Tribunal Federal] e faço pagar. É lei, impositiva, né não?", pondera o parlamentar.

Halum foi um dos três deputados que viraram a casaca a favor de Temer na denúncia por organização criminosa e obstrução de Justiça. Mas ele afirma que os motivos que o levaram a rejeitar a denúncia foram outros. "Não fui no aspecto 'ah, a denúncia não tem consistência, tem, não tem'. Não olhei por este lado. Olhei, no momento agora, qual que era o mal menor. Acho que meu voto define assim: eu votei pelo mal menor. Uma mudança agora seria uma mudança muito grande", afirma o deputado de segundo mandato.

Para atrair votos a favor de Temer, houve promessa até de distribuição de ambulâncias. O presidente barrou esta segunda denúncia por 251 a 233.

Motivos
César Halum diz que os motivos que o levaram a votar a favor de Temer vão da tentativa de evitar "outra bagunça no país" ao apelo do agronegócio e empresários.
"Não votei para proteger denunciado nem gente que praticou ato ilícito não. Nunca defendi nem vou defender. Quem tiver que pagar que vai pagar", afirma o deputado por Tocantins, mas natural de Anápolis (GO).

Ele diz ter votado contra primeiro porque acredita que o STF não concluiria rapidamente o julgamento e Temer poderia retornar ao Palácio do Planalto em abril, a seis meses das eleições presidenciais. "Era uma outra bagunça no país. Era uma mudança agora e uma daqui a seis meses e isso realmente é muito ruim."

Outro fator que ele afirma ter levado em consideração é que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), próximo na linha sucessória, também é alvo da Lava Jato. "A esquerda ia ficar 'fora, Maia; fora, Maia'. E o Brasil precisa de um sossego para ver se reorganiza, se recupera", pondera o deputado.

Halum também disse ter ouvido o apelo do agronegócio, setor a que é ligado, segundo ele, por ser médico veterinário. "Sou uma pessoa que tem muita atividade dentro do Estado e o setor do agronegócio me pediu encarecidamente que uma mudança agora seria muito ruim para o setor", explica.

Outro grupo de pressão foi o dos prefeitos -"pessoas que sempre me apoiaram e eu represento". Quando perguntado por qual razão esses setores não o pressionaram à época na primeira denúncia, respondeu: "Acho que eles deixaram passar batido".
A reportagem procurou o líder do PRB na tarde desta quinta-feira (26), mas ele não respondeu.(Folhape).




Blog do BILL NOTICIAS





Prefeitura de Petrolina lança Cartão do Servidor para descontos no comércio de Petrolina


A partir de agora, funcionários municipais efetivos e comissionados terão direito ao Cartão de Desconto do Servidor. O benefício foi anunciado pelo prefeito Miguel Coelho, nesta quinta-feira (26), e trará diversas vantagens na aquisição de produtos em comércios devidamente credenciados neste programa.
A iniciativa foi firmada através de convênio entre a Prefeitura, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Sindilojas e o Sindicato dos Servidores Municipais (Sindisemp). O acordo trará entre outros benefícios descontos nas compras em lojas de roupas; calçados; alimentação; entretenimento; saúde e estética. O cartão ainda vai gerar descontos nas instituições privadas de ensino em Petrolina.
Para o prefeito Miguel Coelho, além de permitir um maior poder de compra aos funcionários municipais, o Cartão de Desconto do Servidor vai aquecer o comércio local. “São milhares de servidores só na Prefeitura de Petrolina. Portanto, apesar de ceder um desconto, essa iniciativa vai aumentar os lucros dos comerciantes, pois mais gente vai poder comprar, e com isso também aquecemos a economia da cidade e geramos empregos e renda”, comentou.
Já a secretária de Gestão Administrativa, Luiza Leão, afirmou que a iniciativa é uma forma de reconhecer a importância do servidor. “Este é apenas mais um incentivo para aqueles que consideramos o maior patrimônio da administração pública. Esse cartão vai proporcionar lazer, qualidade de vida e serviços em saúde para os servidores petrolinenses”, avaliou.
Para garantir o desconto, é preciso apresentar o cartão do servidor ou o contracheque no ato da compra nas lojas conveniadas. Até o momento já estão na parceria 12 empresas, mas meta inicial é envolver pelo menos 50 instituições nos próximos meses.
Confira a relação das primeiras lojas com desconto para o servidor:
Ariston Melo Centro Médico; Coife Odonto; Faculdade Inspirar; Faculdade Maurício de Nassau; Peixada Rio Mar; Emagrecentro; DS Suprimentos; Estudo de Beleza Elizabeth Magalhães; Santa Lola; MC Ambientes; Uau Forro; Max Print; Droga Farma; Mix da Construção; Ótica Diniz; Donna Dono; BS Supermercados; Restaurante Badauê e Damásio Educacional.  (Ascom),(C.Geral).

Blog do BILL NOTICIAS