segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Feliz aniversário, querida e amiga professora TATYANE


Hoje é um dia muito especial, de celebração e alegria, pois comemoramos a passagem de mais um ano da sua vida, querida professora. Feliz aniversário!

Todos os dias você, querida professora, investe seu precioso tempo não apenas ensinando a matéria. Mas também ensinando aos seus alunos e ao mundo o que é ter caráter, o que significa ter princípios, como é ter força e uma personalidade cativante.

Você é atenciosa, profissional e ao mesmo tempo maternal. Você é, com justiça, querida por todos, pois é a melhor professora e uma pessoa maravilhosa.

Parabéns, muitas felicidades, muito amor, paz e saúde! Que este seja um dia muito alegre, este e os próximos de todo o ano, e de todos os anos da sua vida.



Receba os sinceros votos do seu amigo Bianelys
 e o Blog do BILL NOTICIAS.


Blog do BILL NOTICIAS










Confira: 19 órgãos abrem inscrições nesta segunda-feira com 800 vagas! Até R$ 12.875,84!

concurso_publico_prova1234
Nesta segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017, pelo menos 19 órgãos têm inscrições abertas para preenchimento de nada menos que 800 vagas. As oportunidades são destinadas a candidatos de todos os níveis de escolaridade (fundamental, médio, técnico e superior).
Alguns concursos farão ainda, formação de cadastro reserva para contratação conforme necessidade durante a validade do certame. Os salários chegam a R$ 12.875,84 na Prefeitura de Fazenda Rio Grande (PR). Há oportunidades para Aeronáutica, Ministério Público e Institutos, além de diversos editais por todo o Brasil.
Veja a lista completa e prepare-se:
Concurso da Aeronáutica
Foi divulgado no Diário Oficial da União nada menos que cinco extratos de editais de concurso público da Aeronáutica do Brasil (Concurso Aeronáutica 2017). De acordo com os documentos publicados, são 55 vagas em cargos de nível superior para admissão nos cursos de oficiais de apoio, engenheiros, capelães, dentistas e farmacêuticos, todos com requisito de nível superior na respectiva área. Os aprovados vão ingressar nas turmas no ano de 2018. Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão a partir do dia 20 de fevereiro de 2017, nos sites (www.fab.mil.br e www.ciaar.com.br). A taxa de inscrição para participar do certame custará R$120,00. Os interessados terão até 21 de março de 2017 para efetivar a inscrição. Os salários dos cargos não foram informados.  As avaliações serão aplicadas na data prevista de Belém/PA, Salvador/BA, Natal/RN, Fortaleza/CE, Rio de Janeiro/RJ, Belo Horizonte/MG, São Paulo/SP, Campo Grande/MS, Porto Alegre/RS, Canoas/RS, Curitiba/PR, Brasília/DF, Manaus/AM. Os locais e horários serão divulgados pela Aeronáutica. Saiba mais sobre o concurso
Prefeitura Municipal Fazenda Rio Grande (PR)
No Paraná, a Prefeitura de Fazenda Rio Grande divulgou a abertura de concurso público (Concurso da Prefeitura de Fazenda Rio Grande PR 2017) para preencher 16 vagas em diversos cargos com exigência de nível superior. Os salários oferecidos oscilam entre R$ 1.158,64 e R$ 12.875,84. As vagas são destinadas aos cargos de Médico Clínico Geral / Plantonista (06 vagas), Médico da Família (10 vagas) e Professor (Cadastro Reserva). Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever entre às 10 horas do dia 20 de fevereiro e 15 horas do dia 22 de março de 2017, no endereço eletrônico oficial da organizadora (www.pucpr.br/concursos). Saiba mais
Instituto de Terras do Acre (ITERACRE)
O Instituto de Terras do Acre abriu edital de processo seletivo (Processo seletivo ITERACRE) para preencher 14 vagas em cargos de ensino médio e superior. As oportunidades são destinadas aos cargos de Agente Administrativo, Arquiteto, Assistente Social, Engenheiro Agrônomo e Engenheiro Florestal, com salários que oscilam entre R$ 1.157,10 e R$ 6.824,40. Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever entre os dias 20 de fevereiro e 04 de março de 2017, através de formulário que está disponível no site (www.sga.ac.gov.br). Os inscritos serão avaliados por entrevista e currículos.
Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (Concurso PMERJ)
A Polícia Militar do Rio de Janeiro abriu edital de processo seletivo para preencher 36 vagas e formar cadastro reserva para estudantes de cursos da saúde, com objetivo de estagiar na PM do Estado. Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever até o dia 06 de março de 2017, no endereço eletrônico oficial da corporação (www.policiamilitar.rj.gov.br/crsp). Os estudantes farão jus a bolsa no valor de R$ 700,00. A taxa de inscrição custará R$35,00.
Ministério Público do Mato Grosso (MP-MT)
O Ministério Público do Mato Grosso abriu edital de processo seletivo para preencher 173 estagiários. As oportunidades são para estudantes de nível superior em diversos cursos de graduação. A bolsa está fixada no valor de R$ 826,35, além de seguro e auxílio transporte (R$177,07), por jornada de trabalho de 25 horas semanais. Os interessados poderão se inscrever até 24 de fevereiro de 2017, no site oficial do órgão (www.mpmt.mp.br). Não haverá taxa.
Prefeitura de Moreno (PE)
A Prefeitura de Moreno, Estado de Pernambuco, faz saber aos interessados a abertura de processo seletivo (Processo seletivo Moreno PE) para preencher 138 vagas em cargos de nível fundamental, médio e superior. Do quantitativo de vagas oferecidas no edital, 82 serão para formação de cadastro reserva e, o restante, 56, serão para preenchimento imediato. Os salários oferecidos pelo município chegam a até R$2.200,00. As oportunidades são destinadas aos cargos de Advogado, Agente Administrativo, Agente Social / Orientador, Assessor Técnico, Assistente Social, Motorista, Coordenação, Digitador, Economista Doméstico, Pedagogo, Profissional de Educação Física e Psicólogo. Saiba mais
Prefeitura de Turvolândia (MG)
A Prefeitura de Turvolândia, Estado de Minas Gerais, faz saber aos interessados a abertura de concurso público para preencher nada menos que 44 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade (fundamental, médio e superior). Do quantitativo de vagas, 5% serão reservadas aos portadores de necessidades especiais. Os salários oferecidos pelo município mineiro oscilam entre R$ 837,00 e R$ 1.259,00. Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever entre os dias 21 de fevereiro e 04 de abril de 2017, no site oficial da organizadora (www.duxconcursos.com.br). A taxa de inscrição oscila entre R$20,00 e R$30,00.

Transposição tem o DNA de Lula

maxresdefault

1474926065

Dez anos após o ex-presidente Lula dar o pontapé inicial das obras, esboço de um projeto do tempo do Império, em 1877, as águas da Transposição do Rio São Francisco transbordam por canais e começam a chegar a regiões distantes. Sábado passado, moradores de Sertânia, no Sertão do Moxotó, região inóspita, com reservas hídricas esgotadas e chão esturricado, molharam as mãos e os pés, pela primeira vez, com as águas do Velho Chico.
A notícia de que seria possível transportar a água do rio da Integração Nacional para regiões mais secas transformou-se em realidade e, mais do que isso, em esperança para um povo esquecido livrar-se do flagelo da seca e da humilhação de não ter um copo de água para matar a sede. Menos de 5% do potencial hídrico do País estão no Nordeste, que detém entre 12% e 16% das reservas de água doce para atender 22,5 milhões de habitantes.
Foram muitos anos de espera, mas o imaginário começou a virar real quando as comportas do sistema foram acionadas na quarta estação de bombeamento do Eixo Leste, na cidade de Custódia, no Sertão do Moxotó, completando um percurso de 96,5 km do trecho. De lá, seguiu por gravidade até a quinta estação elevatória, em Sertânia. A expectativa do Ministério da Integração Nacional é chegar ao segundo Estado, Paraíba, pela cidade de Monteiro, já no próximo mês.
Em Floresta, há 20 dias, o presidente Michel Temer (PMDB) já havia acionado a estação elevatória três, chamada tecnicamente de EBV-3, que abasteceu três reservatórios – Salgueiro, Muquém e Cacimba Nova, além do aqueduto Jacaré. Quando totalmente concluída, a Transposição vai atender mais de 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.
A obra foi iniciada durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, com base no projeto elaborado no Governo de Fernando Henrique Cardoso. Depois do investimento inicial, de cerca de R$ 4 bilhões, o rendimento dos trabalhos diminuiu em 2010 por problemas de adequação do Projeto-Base à realidade da execução, e novas licitações precisaram ser feitas. Somente no final de 2013, conforme o Ministério da Integração Nacional, responsável pelo projeto, às obras foram 100% retomadas.
Temer vai a Monteiro, no próximo dia 6, entregar sexta estação elevatória, permitindo que os paraibanos passem a contar, também, com água em abundância retirada do leito do São Francisco. Por mais esforço que possa fazer, Temer nunca entrará para a história como padrinho do projeto. A Transposição tem o DNA de Lula e é ele que vai captar, politicamente, os dividendos da obra, perpetuando-se como o governante que fez um sonho do Império virar realidade.(Blog de Magno Martins).

Blog do BILL NOTICIAS

Saiba como evitar problemas após acidentes de trânsito


XX
Keiny Andrade/Folhapress   Ilzidete Salvador Costa, 56, que teve seu Renault Sandero batido em São Paulo

Era final da tarde de uma sexta-feira de janeiro e a auxiliar técnica Ilzidete Salvador Costa, 56, fazia o caminho de volta do trabalho, a bordo de seu Renault Sandero. Ao entrar em um cruzamento, sentiu um impacto na lateral direita do carro.
Outro veículo, da mesma marca, atingiu a carroceria de seu hatch. Apesar do susto, ninguém se machucou.
Desde então, o carro de Ilzidete está parado em uma oficina na zona leste da cidade. Ela afirma não ser a culpada pela colisão e espera que Marcia, que estava no outro veículo, pague o conserto, calculado em R$ 7.000.
“Inicialmente, ela pediu que eu fizesse alguns orçamentos, depois passou a não me atender mais. Disse que não vai pagar, porque não se sente culpada pelo o que aconteceu. Eu nunca passei por isso”, afirma a auxiliar técnica, que terá de pagar a franquia de seu seguro, no valor de R$ 2.600, se quiser ter o veículo consertado.
A Folha entrou em contato com Marcia, mas ela preferiu não falar sobre o assunto.
Casos como o de Ilzidete são comuns. Quando nenhuma das partes assume a culpa, cada um fica com seu próprio prejuízo. “Não é possível forçar que a seguradora alheia pague o prejuízo se o segurado diz não ter responsabilidade”, explica Bruna Timbó, corretora especialista em seguros e avaliação de riscos da LTSeg.
Segundo ela, ainda assim, motoristas devem seguir alguns procedimentos básicos depois de uma colisão. “A melhor coisa, no primeiro momento, é manter a calma. Depois, acione o órgão de trânsito ou a polícia e faça um boletim de ocorrência.”
O procedimento certo na hora de relatar o ocorrido pode evitar uma recusa das seguradoras, que sempre procuram por fraudes. “Muita gente aciona o seguro para terceiros na tentativa de que o carro de um parente ou amigo receba atendimento. As vistorias exigidas pelas seguradoras, o boletim de ocorrência e outras apurações são aliados das empresas na hora de descobrir esse tipo de trapaça”, diz a corretora.
Ela recomenda também a troca de contatos entre os motoristas. “Aconselho fotografar carros e placas, além da carteirinha do seguro. Cada motorista também deve ligar para sua respectiva seguradora e avisar sobre a colisão, ainda que não se sinta culpado pela batida”, diz.
Embora não seja obrigatório em acidentes sem vítimas, o boletim de ocorrência feito por autoridade de trânsito é um documento que registra as informações do ocorrido. Mas torna-se necessário para casos de reparação de danos, acionamento da empresa de seguros ou em caso de processo judicial de indenização.
O fim da novela de Ilzidete ainda é desconhecido. Mas o caminho, segundo ela, será entrar com uma ação do Juizado Especial Cível, popularmente conhecido como juizado de pequenas causas.
“Quero uma indenização pelo prejuízo. Passei por muito estresse, estou me deslocando a pé e tive problemas de saúde por isso”, afirma.
Para a psicóloga Mariane Caiado, a conduta de não assumir a culpa quando se está de fato errado é algo cultural. “O brasileiro, em especial, tem dificuldade de assumir um erro, como se isso fosse feio. Tentamos justificativas, somos pouco assertivos. Mas claro que tem a ver também com a honestidade de cada indivíduo”, avalia.

O que fazer em uma colisão leve

Mantenha a calma
Certifique-se de que não há feridos no seu veículo. Saia do carro e tente manter a calma ao falar com o outro motorista
Sinalize
Se possível, remova o veículo da pista para o acostamento para o trânsito fluir. Sinalize o local com o triângulo de segurança e ligue o pisca-alerta
Registre
Chame o órgão responsável pelo trânsito na sua cidade ou a polícia e faça um boletim de ocorrência. O documento pode ser feito pela internet
e não indica um culpado, apenas registra a história
Acione o seguro
Mesmo que nenhum dos lados assuma a culpa, ambos devem entrar em contato com suas seguradoras imediatamente. Caso ninguém se responsabilize pelo acidente, cada um acaba arcando com o próprio prejuízo. Quando um motorista se sente injustiçado, ele pode procurar o Juizado Especial Cível, também conhecido como juizado de pequenas causas, e entrar com uma ação judicial pedindo o ressarcimento dos gastos

Entenda as regras do DPVAT

DEFINIÇÃO
Criado em 1974, o seguro
DPVAT (Danos Pessoais Causados Por Veículos Automotores Por Via Terrestre) serve para amparar as vítimas de acidentes de trânsito em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre. Todo proprietário de veículo deve pagar. A data de vencimento varia em cada Estado, mas deve acompanhar o calendário de pagamento do IPVA
MODALIDADE E PREÇO
Há três modalidades de cobertura: por morte, com indenização de R$ 13,5 mil; por invalidez permanente, com indenização de até R$ 13,5 mil; e reembolso de despesas médicas hospitalares, com o valor máximo de R$ 2.700
PAPELADA
A documentação para receber a indenização está no site da Seguradora Líder-DPVAT (seguradoralider.com.br), responsável pelo pagamento. Os dados também podem ser obtidos pelo telefone 0800-022-1204. Há ainda mais de 8.500 pontos de atendimento em todo Brasil
DINHEIRO
A partir da entrega dos documentos, a indenização será depositada na conta bancária da vítima em até 30 dias. Caso ela não tenha conta, a seguradora é responsável pela abertura de uma poupança
PRAZOS
A vítima -seu cônjuge ou parentes de primeiro grau- tem até três anos depois do acidente para pedir a indenização. O serviço é gratuito
Fontes: SulAmerica Seguros, Seguradora Líder e LTSeg Corretora de Seguros.(UOL)
Era final da tarde de uma sexta-feira de janeiro e a auxiliar técnica Ilzidete Salvador Costa, 56, fazia o caminho de volta do trabalho, a bordo de seu Renault Sandero. Ao entrar em um cruzamento, sentiu um impacto na lateral direita do carro.
Outro veículo, da mesma marca, atingiu a carroceria de seu hatch. Apesar do susto, ninguém se machucou.
Desde então, o carro de Ilzidete está parado em uma oficina na zona leste da cidade. Ela afirma não ser a culpada pela colisão e espera que Marcia, que estava no outro veículo, pague o conserto, calculado em R$ 7.000.
“Inicialmente, ela pediu que eu fizesse alguns orçamentos, depois passou a não me atender mais. Disse que não vai pagar, porque não se sente culpada pelo o que aconteceu. Eu nunca passei por isso”, afirma a auxiliar técnica, que terá de pagar a franquia de seu seguro, no valor de R$ 2.600, se quiser ter o veículo consertado.
A Folha entrou em contato com Marcia, mas ela preferiu não falar sobre o assunto.
Casos como o de Ilzidete são comuns. Quando nenhuma das partes assume a culpa, cada um fica com seu próprio prejuízo. “Não é possível forçar que a seguradora alheia pague o prejuízo se o segurado diz não ter responsabilidade”, explica Bruna Timbó, corretora especialista em seguros e avaliação de riscos da LTSeg.
Segundo ela, ainda assim, motoristas devem seguir alguns procedimentos básicos depois de uma colisão. “A melhor coisa, no primeiro momento, é manter a calma. Depois, acione o órgão de trânsito ou a polícia e faça um boletim de ocorrência.”
O procedimento certo na hora de relatar o ocorrido pode evitar uma recusa das seguradoras, que sempre procuram por fraudes. “Muita gente aciona o seguro para terceiros na tentativa de que o carro de um parente ou amigo receba atendimento. As vistorias exigidas pelas seguradoras, o boletim de ocorrência e outras apurações são aliados das empresas na hora de descobrir esse tipo de trapaça”, diz a corretora.
Ela recomenda também a troca de contatos entre os motoristas. “Aconselho fotografar carros e placas, além da carteirinha do seguro. Cada motorista também deve ligar para sua respectiva seguradora e avisar sobre a colisão, ainda que não se sinta culpado pela batida”, diz.
Embora não seja obrigatório em acidentes sem vítimas, o boletim de ocorrência feito por autoridade de trânsito é um documento que registra as informações do ocorrido. Mas torna-se necessário para casos de reparação de danos, acionamento da empresa de seguros ou em caso de processo judicial de indenização.
O fim da novela de Ilzidete ainda é desconhecido. Mas o caminho, segundo ela, será entrar com uma ação do Juizado Especial Cível, popularmente conhecido como juizado de pequenas causas.
“Quero uma indenização pelo prejuízo. Passei por muito estresse, estou me deslocando a pé e tive problemas de saúde por isso”, afirma.
Para a psicóloga Mariane Caiado, a conduta de não assumir a culpa quando se está de fato errado é algo cultural. “O brasileiro, em especial, tem dificuldade de assumir um erro, como se isso fosse feio. Tentamos justificativas, somos pouco assertivos. Mas claro que tem a ver também com a honestidade de cada indivíduo”, avalia.

O que fazer em uma colisão leve

Mantenha a calma
Certifique-se de que não há feridos no seu veículo. Saia do carro e tente manter a calma ao falar com o outro motorista
Sinalize
Se possível, remova o veículo da pista para o acostamento para o trânsito fluir. Sinalize o local com o triângulo de segurança e ligue o pisca-alerta
Registre
Chame o órgão responsável pelo trânsito na sua cidade ou a polícia e faça um boletim de ocorrência. O documento pode ser feito pela internet
e não indica um culpado, apenas registra a história
Acione o seguro
Mesmo que nenhum dos lados assuma a culpa, ambos devem entrar em contato com suas seguradoras imediatamente. Caso ninguém se responsabilize pelo acidente, cada um acaba arcando com o próprio prejuízo. Quando um motorista se sente injustiçado, ele pode procurar o Juizado Especial Cível, também conhecido como juizado de pequenas causas, e entrar com uma ação judicial pedindo o ressarcimento dos gastos

Entenda as regras do DPVAT

DEFINIÇÃO
Criado em 1974, o seguro
DPVAT (Danos Pessoais Causados Por Veículos Automotores Por Via Terrestre) serve para amparar as vítimas de acidentes de trânsito em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre. Todo proprietário de veículo deve pagar. A data de vencimento varia em cada Estado, mas deve acompanhar o calendário de pagamento do IPVA
MODALIDADE E PREÇO
Há três modalidades de cobertura: por morte, com indenização de R$ 13,5 mil; por invalidez permanente, com indenização de até R$ 13,5 mil; e reembolso de despesas médicas hospitalares, com o valor máximo de R$ 2.700
PAPELADA
A documentação para receber a indenização está no site da Seguradora Líder-DPVAT (seguradoralider.com.br), responsável pelo pagamento. Os dados também podem ser obtidos pelo telefone 0800-022-1204. Há ainda mais de 8.500 pontos de atendimento em todo Brasil
DINHEIRO
A partir da entrega dos documentos, a indenização será depositada na conta bancária da vítima em até 30 dias. Caso ela não tenha conta, a seguradora é responsável pela abertura de uma poupança
PRAZOS
A vítima -seu cônjuge ou parentes de primeiro grau- tem até três anos depois do acidente para pedir a indenização. O serviço é gratuito
Fontes: SulAmerica Seguros, Seguradora Líder e LTSeg Corretora de Seguros.(UOL)
Era final da tarde de uma sexta-feira de janeiro e a auxiliar técnica Ilzidete Salvador Costa, 56, fazia o caminho de volta do trabalho, a bordo de seu Renault Sandero. Ao entrar em um cruzamento, sentiu um impacto na lateral direita do carro.
Outro veículo, da mesma marca, atingiu a carroceria de seu hatch. Apesar do susto, ninguém se machucou.
Desde então, o carro de Ilzidete está parado em uma oficina na zona leste da cidade. Ela afirma não ser a culpada pela colisão e espera que Marcia, que estava no outro veículo, pague o conserto, calculado em R$ 7.000.
“Inicialmente, ela pediu que eu fizesse alguns orçamentos, depois passou a não me atender mais. Disse que não vai pagar, porque não se sente culpada pelo o que aconteceu. Eu nunca passei por isso”, afirma a auxiliar técnica, que terá de pagar a franquia de seu seguro, no valor de R$ 2.600, se quiser ter o veículo consertado.
A Folha entrou em contato com Marcia, mas ela preferiu não falar sobre o assunto.
Casos como o de Ilzidete são comuns. Quando nenhuma das partes assume a culpa, cada um fica com seu próprio prejuízo. “Não é possível forçar que a seguradora alheia pague o prejuízo se o segurado diz não ter responsabilidade”, explica Bruna Timbó, corretora especialista em seguros e avaliação de riscos da LTSeg.
Segundo ela, ainda assim, motoristas devem seguir alguns procedimentos básicos depois de uma colisão. “A melhor coisa, no primeiro momento, é manter a calma. Depois, acione o órgão de trânsito ou a polícia e faça um boletim de ocorrência.”
O procedimento certo na hora de relatar o ocorrido pode evitar uma recusa das seguradoras, que sempre procuram por fraudes. “Muita gente aciona o seguro para terceiros na tentativa de que o carro de um parente ou amigo receba atendimento. As vistorias exigidas pelas seguradoras, o boletim de ocorrência e outras apurações são aliados das empresas na hora de descobrir esse tipo de trapaça”, diz a corretora.
Ela recomenda também a troca de contatos entre os motoristas. “Aconselho fotografar carros e placas, além da carteirinha do seguro. Cada motorista também deve ligar para sua respectiva seguradora e avisar sobre a colisão, ainda que não se sinta culpado pela batida”, diz.
Embora não seja obrigatório em acidentes sem vítimas, o boletim de ocorrência feito por autoridade de trânsito é um documento que registra as informações do ocorrido. Mas torna-se necessário para casos de reparação de danos, acionamento da empresa de seguros ou em caso de processo judicial de indenização.
O fim da novela de Ilzidete ainda é desconhecido. Mas o caminho, segundo ela, será entrar com uma ação do Juizado Especial Cível, popularmente conhecido como juizado de pequenas causas.
“Quero uma indenização pelo prejuízo. Passei por muito estresse, estou me deslocando a pé e tive problemas de saúde por isso”, afirma.
Para a psicóloga Mariane Caiado, a conduta de não assumir a culpa quando se está de fato errado é algo cultural. “O brasileiro, em especial, tem dificuldade de assumir um erro, como se isso fosse feio. Tentamos justificativas, somos pouco assertivos. Mas claro que tem a ver também com a honestidade de cada indivíduo”, avalia.

O que fazer em uma colisão leve

Mantenha a calma
Certifique-se de que não há feridos no seu veículo. Saia do carro e tente manter a calma ao falar com o outro motorista
Sinalize
Se possível, remova o veículo da pista para o acostamento para o trânsito fluir. Sinalize o local com o triângulo de segurança e ligue o pisca-alerta
Registre
Chame o órgão responsável pelo trânsito na sua cidade ou a polícia e faça um boletim de ocorrência. O documento pode ser feito pela internet
e não indica um culpado, apenas registra a história
Acione o seguro
Mesmo que nenhum dos lados assuma a culpa, ambos devem entrar em contato com suas seguradoras imediatamente. Caso ninguém se responsabilize pelo acidente, cada um acaba arcando com o próprio prejuízo. Quando um motorista se sente injustiçado, ele pode procurar o Juizado Especial Cível, também conhecido como juizado de pequenas causas, e entrar com uma ação judicial pedindo o ressarcimento dos gastos

Entenda as regras do DPVAT

DEFINIÇÃO
Criado em 1974, o seguro
DPVAT (Danos Pessoais Causados Por Veículos Automotores Por Via Terrestre) serve para amparar as vítimas de acidentes de trânsito em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre. Todo proprietário de veículo deve pagar. A data de vencimento varia em cada Estado, mas deve acompanhar o calendário de pagamento do IPVA
MODALIDADE E PREÇO
Há três modalidades de cobertura: por morte, com indenização de R$ 13,5 mil; por invalidez permanente, com indenização de até R$ 13,5 mil; e reembolso de despesas médicas hospitalares, com o valor máximo de R$ 2.700
PAPELADA
A documentação para receber a indenização está no site da Seguradora Líder-DPVAT (seguradoralider.com.br), responsável pelo pagamento. Os dados também podem ser obtidos pelo telefone 0800-022-1204. Há ainda mais de 8.500 pontos de atendimento em todo Brasil
DINHEIRO
A partir da entrega dos documentos, a indenização será depositada na conta bancária da vítima em até 30 dias. Caso ela não tenha conta, a seguradora é responsável pela abertura de uma poupança
PRAZOS
A vítima -seu cônjuge ou parentes de primeiro grau- tem até três anos depois do acidente para pedir a indenização. O serviço é gratuito
Fontes: SulAmerica Seguros, Seguradora Líder e LTSeg Corretora de Seguros.(UOL).

Blog do BILL NOTICIAS

TEMER ATACA OS TRÊS PILARES DA SOBERANIA NACIONAL



Com a entrega do pré-sal, a venda de terras para estrangeiros e o abandono do projeto do submarino nuclear, o Brasil de Michel Temer ataca os três pilares fundamentais de qualquer projeto nacional: segurança energética, segurança alimentar e segurança militar; Temer vai tocando essa agenda sem sequer ligar para a opinião pública; pesquisas recentes já indicaram que os brasileiros são contra a abertura do pré-sal; outro levantamento apontou que Temer é reprovado por 66,6% dos brasileiros; coincidência ou não, o general Eduardo Villa Bôas, chefe das Forças-Armadas, onde ainda existe um pensamento nacional, disse, neste fim de semana, que o Brasil está "à deriva"

O que transforma um país numa potência? A literatura geopolítica, em geral, aponta três fatores: poderio militar, segurança alimentar e segurança energética.
Os Estados Unidos, por exemplo, são a maior potência militar do planeta e grandes produtores de alimentos. Não são autossuficientes em petróleo, mas exercem influência decisiva sobre o Oriente Médio, a custa de guerras e intervenções políticas. Recentemente, uma novo caminho começou a ser explorado, com as explorações do gás de xisto.
A Rússia, por sua vez, concentra os três elementos: controla um arsenal atômico, algumas das maiores reservas de óleo e gás do mundo e também possui forte superávit alimentar.
A China, das três grandes potências, é a mais frágil, uma vez que é grande importadora de petróleo e alimentos.
Aspirante a potência, o Brasil, há muitos anos um gigante agrícola, vinha trilhando um caminho alternativo na era Lula-Dilma. Com as descobertas do pré-sal, o País trocou o modelo de concessão pelo de partilha, uma vez que o risco exploratório já havia sido mitigado pelas pesquisas da Petrobras em águas profundas. No campo militar, a renovação dos caças da Força Aérea e o projeto do submarino nuclear ajudariam a patrulhar as reservas nacionais de óleo e gás. Além disso, outra conquista importante foi a expansão das fronteiras marítimas do País, com a chamada "Amazônia azul".
Com o golpe parlamentar de 2016, no entanto, tudo mudou. A primeira vítima foi o pré-sal e Temer conseguiu aprovar o projeto de José Serra para abrir as reservas a empresas estrangeiras, como havia sido prometido pelo atual chanceler à petroleira americana Chevron. Em breve, nos próximos leilões, a Petrobras de Pedro Parente, embora tenha direito de preferência, deverá demonstrar desinteresse. Até porque já fez acordos para se desfazer de gigantescos campos de petróleo com as empresas francesa Total e norueguesa Statoil.
No campo militar, o submarino nuclear foi abatido pela Lava Jato, que teve como dois de seus alvos a Odebrecht e o almirante Othon Pinheiro, responsável pela condução do projeto. Além disso, há rumores de que o governo pretenda trocar os caças Gripen, que transferem tecnologia ao Brasil, pelos caças americanos F-16.
O ataque mais recente se dá no agronegócio, onde Temer pretende permitir, por medida provisória, que estrangeiros tenham até 100 mil hectares no Brasil. No mundo de hoje, terras aráveis são um dos bens mais escassos do planeta e Temer pretende colocar o Brasil em leilão, o que também pressionará o consumo de outros recursos naturais – raros no mundo e a abundantes no Brasil – como a água.
Temer vai tocando essa agenda sem sequer ligar para a opinião pública. Pesquisas recentes já indicaram que os brasileiros são contra a abertura do pré-sal. Outro levantamento apontou que Temer é reprovado por 66,6% dos brasileiros, mas ele se considera legítimo para fazer o que bem entende.
Coincidência ou não, o general Eduardo Villa Bôas, chefe das Forças-Armadas, onde ainda existe um pensamento nacional, disse, neste fim de semana, que o Brasil está "à deriva", sem projeto e sem saber o que pretende ser. Os militares, claro, são contra o abandono do submarino nuclear e também contra a venda de terras para estrangeiros, mas ainda não reagiram à destruição da era Temer.(247).

Blog do BILL NOTICIAS

BRASIL TERÁ, COM TEMER, A PIOR APOSENTADORIA DO MUNDO


A reforma da Previdência proposta pela administração de Michel Temer vai colocar o Brasil entre os países com as regras de aposentadoria mais rígidas no mundo, com critérios mais duros do que o de muitos países bem mais ricos; no projeto brasileiro, quem contribuir por menos de 25 anos não terá direito a se aposentar mesmo que alcance a idade de 65 anos; em outros países é possível se aposentar com tempo menor de contribuição; cumpridos os 25 anos, o brasileiro receberá 76% do benefício; valor integral só será pago a quem trabalhar 49 anos;  na OCDE, grupo dos países mais desenvolvidos do mundo, um trabalhador consegue o benefício integral após contribuir em média por 44 anos; "Exigir um mínimo de 25 anos de contribuição é muito rígido. Se você contribuir por 20 anos e não ganhar nada, isso quer dizer que todas as suas contribuições foram puramente impostos", diz Hervé Boulhol, responsável pela área de aposentadoria da OCDE.
Se Michel Temer conseguir aprovar sua reforma da Previdência nos termos atuais, o Brasil entre os países com regras mais rígidas para aposentadoria. Pela proposta do governo, quem contribuir por menos de 25 anos não terá direito a se aposentar mesmo que alcance a idade de 65 anos. A justificativa do governo para a reforma é o aumento da proporção de idosos em relação à de jovens. No entanto, mesmo países que já passaram por essa transição demográfica têm regras mais flexíveis. Na OCDE, grupo dos países mais desenvolvidos do mundo, um trabalhador consegue o benefício integral após contribuir em média por 44 anos. O que, no Brasil, só passaria a ser possível após 49 anos. O tempo mínimo para ter acesso a algum percentual da aposentadoria também é menor. Na Alemanha, por exemplo, são exigidos cinco anos e nos Estados Unidos, dez.
Se Michel Temer conseguir aprovar sua reforma da Previdência nos termos atuais, o Brasil entre os países com regras mais rígidas para aposentadoria. Pela proposta do governo, quem contribuir por menos de 25 anos não terá direito a se aposentar mesmo que alcance a idade de 65 anos. 
A justificativa do governo para a reforma é o aumento da proporção de idosos em relação à de jovens. No entanto, mesmo países que já passaram por essa transição demográfica têm regras mais flexíveis. Na OCDE, grupo dos países mais desenvolvidos do mundo, um trabalhador consegue o benefício integral após contribuir em média por 44 anos. O que, no Brasil, só passaria a ser possível após 49 anos. O tempo mínimo para ter acesso a algum percentual da aposentadoria também é menor. Na Alemanha, por exemplo, são exigidos cinco anos e nos Estados Unidos, dez.
"Hoje, brasileiros se aposentam após contribuir por 30 anos (mulheres) ou 35 anos (homens). Quem não consegue atingir essa regra pode se aposentar por idade (mulheres de 60 anos e homens de 65 anos), desde que tenha contribuído por 15 anos.
'Exigir um mínimo de 25 anos de contribuição é muito rígido. Se você contribuir por 20 anos e não ganhar nada, isso quer dizer que todas as suas contribuições foram puramente impostos', diz Hervé Boulhol, responsável pela área de aposentadoria da OCDE.
'Você deveria poder receber algo proporcional ao seu tempo de contribuição.'
'O risco que corremos em diminuir esse tempo mínimo é não ter uma redução da taxa de reposição', diz Luis Eduardo Afonso, professor da USP especialista em Previdência Social." (247).

Blog do BILL NOTICIAS

Anvisa proíbe venda de lote de extrato de tomate Quero com pelo de roedor

ECONOMIA

Estadão Conteúdo
Resultado de imagem para ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda e a distribuição de um lote do extrato de tomate da marca Quero, fabricado pela Heinz Brasil, após laudo que constatou presença de pelo de roedor no produto. A proibição vale para todo o território nacional e está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, dia 20.
De acordo com a Anvisa, o laudo “apresentou resultado insatisfatório ao detectar matéria estranha indicativa de risco à saúde humana, pelo de roedor, acima do limite máximo de tolerância pela legislação vigente”.
A punição é sobre o “lote L. 11 07:35 do produto extrato de tomate da marca Quero, produzido por Heinz Brasil S.A (CNPJ 50.955.707/0004-72), localizada na Rodovia GO 080 Km 26, Nerópolis-GO”. Pela decisão da Anvisa, a empresa deverá recolher todo o estoque do lote insatisfatório existente no mercado.(terra).

Blog do BILL NOTICIAS

Como funciona empresa sueca que decidiu não ter chefes

ECONOMIA


 Você realmente precisa que alguém te diga o que fazer no trabalho?
Todos os funcionários da Crisp têm a mesma voz
               Todos os funcionários da Crisp têm a mesma voz
                    Foto: BBC / BBCBrasil.com
Três anos atrás, a consultoria de software sueca Crisp decidiu que a resposta era não.
A empresa, que tem cerca de 40 funcionários, já tinha testado várias estruturas organizacionais, incluindo a mais comum - ter um único líder comandando tudo.
A Crisp chegou a criar um esquema rotativo de comando, mudando o CEO anualmente com base em uma votação entre os trabalhadores. Mas acabou decidindo, coletivamente, que ter um chefe não era necessário.
Yassal Sundman, desenvolvedora na empresa, explica: "Nós questionamos: 'e se nós não tivéssemos ninguém como nosso próximo CEO, como seria?' E então fizemos um exercício no qual listamos as tarefas de um CEO".
Os funcionários verificaram que muitas das responsabilidades do chefe coincidiam com as dos integrantes do conselho de administração (oboard ) da companhia, e que outras poderiam ser divididas entre os empregados.
"Quando olhamos para a lista na qual deveriam estar as funções do chefe, não tinha sobrado nada. E concluímos: 'certo, por que nós não tentamos isso?, conta Sundman.
A firma estabeleceu regras de etiqueta para as reuniões
A firma estabeleceu regras de etiqueta para as reuniões.(terra).

Blog do BILL NOTICIAS