domingo, 15 de julho de 2018

Aeroporto de Serra Talhada recebendo primeiro voo da Azul para teste ainda causa repercussão

  (Por: C.Britto)

Ainda repercute, principalmente em redes sociais, imagens e vídeos da aterrissagem do avião da companhia aérea Azul, na última quinta-feira (12), no Aeroporto Santa Magalhães, em Serra Talhada (PE), no Sertão do Pajeú.
O avião partiu do Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre, no Recife, às 12h25, e aterrissou na capital do Xaxado às 13h50. O voo foi experimental e seguiu com 65 passageiros convidados.
A viagem serviu para avaliar a operação do aeroporto, que passou por reformas recentemente para receber as aeronaves. O início dos voos regulares depende ainda da conclusão das obras, procedimentos e manuais, além da certificação do aeroporto pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).


Blog do BILL NOTICIAS

FALECIMENTO Primeira esposa de Frank Sinatra morre aos 101 anos

Nancy Sinatra, a primeira esposa da lenda da música Frank Sinatra, faleceu na última sexta-feira

  Por: AFP - Agence France-Presse
Foto: The Guardian/ Divulgação
Foto: The Guardian/ Divulgação

Nancy Sinatra, a primeira esposa da lenda da música Frank Sinatra, faleceu aos 101 anos. O anúncio foi feito pela filha do casal, que também se chama Nancy. Ela escreveu em seu site que sua mãe morreu na sexta-feira, sem dizer onde. "Ela lutou duro enquanto esteve nessa terra, mas o tempo levou o melhor dela", escreveu, acrescentando que sua mãe "faleceu pacificamente", declarou.

Nancy ainda revelou, "vai com Deus, mamãe, e obrigada por tudo", acrescentou.

Frank e Nancy Sinatra tiveram três filhos. Nancy Barbato, quando solteira, nasceu em 25 de março de 1917 em Jersey City, e conheceu o futuro marido em em 1934, aos 17 anos enquanto Frank tinha 19.

O site dedicado ao astro, descreveu os primeiros momentos do romance entre Nancy e Frank Sinatra. "Nancy estava fazendo as próprias unhas na varanda de casa quando Frank se aproximou com seu ukelele e começou a cantar para ela. Uma coisa levou à outra e eles começaram a sair", revela.

Eles se casaram em 1939 e foram morar em um modesto apartamento em Nova York, quando Nancy começou a trabalhar como secretária.

Em 1950, humilhada pelas notícias do caso de Frank com a atriz Ava Gardner, Nancy entrou com um pedido de divórcio.

Famoso por suas conquistas amorosas, Frank casou-se com Gardner (1951-1957), depois com Mia Farrow (1966-1968), e posteriormente com a modelo Barbara Marx, em 1976. 

Mas ele manteve uma relação próxima com Nancy até sua morte, em 1998, de acordo com o jornal New York Times.

A mais velha de seus três filhos, Nancy Sinatra Jr, teve uma carreira de cantora com canções de sucesso como "These Boots Are Made for Walkin" e "Something Stupid", que ela cantou em dueto com o pai.

O segundo filho, Frank Jr, que morreu em 2016, também trabalhou com música. A filha mais nova é Tina Sinatra.


Blog do BILL NOTICIAS

Pernambuco reduz em 11,6% número de assassinatos em junho, diz governo


G1 Caruaru
Durante o mês de junho de 2018, foram registrados 335 assassinatos em Pernambuco. Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), esse dado divulgado nesta sexta (13) representa uma redução de 11,6% em comparação com o mesmo período de 2017, quando foram contabilizados 379 Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs). Maio teve 335 casos.
Ainda de acordo com a pasta, junho foi o sexto mês consecutivo com redução no número de assassinatos em Pernambuco. Desde janeiro deste ano, a quantidade de CVLIs não tem apresentado aumento.
Durante o primeiro semestre deste ano, Pernambuco contabilizou 2.279 assassinatos, o que representa uma diminuição de 596 homicídios, ou 20,73%, em comparação com o mesmo período de 2017.
Segundo o governo, a maioria dos homicídios foi causada por envolvimento com o tráfico de drogas, acerto de contas e outras atividades criminosas, que provocaram 74,03% dos assassinatos registrados em junho de 2018. A segunda maior motivação é composta por conflitos em comunidades, com 13,13% das ocorrências.
Os conflitos afetivos ou familiares correspondem a 3,28% dos assassinatos registrados no estado. Em junho deste ano, houve sete casos de feminicídio (2% dos casos), que foi instituído por lei estadual como os crimes em que mulheres morrem por questões de gênero. No mesmo mês, 1,79% do total de homicídios foi motivado por roubos seguidos de morte, os chamados latrocínios.
Assassinatos por região
De acordo com a SDS, a Região Metropolitana do Recife concentra o maior número de homicídios no primeiro semestre deste ano, com 691 casos. A capital pernambucana, por si só, responde por 308 ocorrências.
A Zona da Mata teve 524 assassinatos, e o Agreste de Pernambuco registrou 460 homicídios. O Sertão teve o menor índice de casos, com 296 ocorrências. Além do distrito de Fernando de Noronha, 96 dos 184 municípios do estado não tiveram homicídio registrado em junho deste ano.
Foram as seguintes cidades: Afogados da Ingazeira, Afrânio, Agrestina, Água Preta, Altinho, Belém de Maria, Betânia, Bezerros, Bodocó, Bom Conselho, Bom Jardim, Brejão, Brejinho, Buenos Aires, Caetés, Calçado, Calumbi, Camocim de São Félix, Camutanga, Carnaíba, Carnaubeira da Penha, Casinhas, Cedro, Chã Grande, Correntes, Cortês, Cumaru, Custódia, Dormentes, Exu, Ferreiros, Glória do Goitá, Granito, Iati, Ibimirim, Ibirajuba, Iguaraci, Inajá, Ingazeira, Itacuruba, Itapetim, Jataúba, João Alfredo, Joaquim Nabuco, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro e Lagoa dos Gatos.
Também estão nessa lista os municípios de Macaparana, Machados, Manari, Maraial, Mirandiba, Moreilândia, Moreno, Nazaré da Mata, Orobó, Orocó, Palmeirina, Panelas, Paranatama, Passira, Pedra, Petrolândia, Pombos, Primavera, Quipapá, Quixaba, Riacho das Almas, Sairé, Salgadinho, Salgueiro, Sanharó, Santa Cruz, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Filomena, Santa Terezinha, São Benedito do Sul, São João, São Joaquim do Monte, São José da Coroa Grande, São José do Belmonte, São José do Egito, Serrita, Solidão, Tacaimbó, Tacaratu, Taquaritinga do Norte, Tracunhaém, Triunfo, Tupanatinga, Tuparetama, Venturosa, Verdejante, Vertente do Lério e Vicência.

Blog do BILL NOTICIAS

MUNDO Hamas anuncia trégua com Israel após bombardeios contra Gaza

Trégua de cessar-fogo foi feito neste sábado para diminuir ataques na região. Acordo ainda contou com intermediação do Egito
   Por: Sakher Abou El Oun, da AFP
Faixa de Gaza após ataque aéreo israelense
Faixa de Gaza após ataque aéreo israelenseFoto: Thomas Coex / AFP

Hamas anunciou neste sábado (14) uma tréguapara acabar com os ataques aéreos contra a Faixa de Gaza e os disparos de foguetes em direção ao território israelense, após os bombardeios mais importantes contra o enclave palestino desde a devastadora guerra de 2014. A mediação do Egito permitiu o cessar-fogo, declarou o porta-voz do Hamas Fawzi Barhoum. Já o Exército hebreu não comentou o comunicado.

Dois adolescentes palestinos morreram nos ataques aéreos de Israel contra a Faixa de Gaza neste sábado, apontados como "o golpe mais duro" de Israel sobre o Hamas desde 2014 pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Os ataques se seguiram a uma sexta-feira de violentas manifestações na faixa que separa Israel do enclave palestino. Um jovem palestino morreu, e segundo o Ministério local da Saúde, outros 220 palestinos ficaram feridos.

Os jovens morreram quando estavam na rua, abaixo do prédio, que estava vazio no momento do bombardeio, disse a fonte. Três civis israelenses ficaram feridos no sábado quando um foguete atingiu sua casa, no sul do país. Os ataques aéreos de sexta à noite ocorreram quase simultaneamente com o lançamento de foguetes e morteiros da Faixa de Gaza no sul de Israel

Leia também:
Dois adolescentes palestinos morrem em bombardeios de Israel em Gaza
Fotógrafo da AFP é ferido por tiro na Faixa de Gaza
Israel bombardeia Gaza em resposta a disparos de morteiro


Antes do anúncio da trégua, o general da Força Aérea Tzvika Haimovic declarou que a campanha aérea "maciça" iria continuar, sem especificar seus objetivos. "Estamos preparados para todos os cenários possíveis", garantiu.

Ataques e contra-ataquesDesde o dia 30 de março, a Faixa de Gaza é palco de protestos contra o bloqueio israelense e pelo direito de regresso dos palestinos às terras das quais fugiram, ou foram expulsos, com a criação de Israel, em 1948. Os soldados israelenses já mataram 140 palestinos desde que começou a mobilização.

Em nota, o Exército hebreu apontou que "aviões de ataque atingiram um túnel destinado a ações terroristas no sul da Faixa de Gaza, assim como vários locais terroristas situados em bases militares no conjunto". "Os ataques foram uma resposta aos atos de terror durante os violentos protestos contra o território israelense através do lançamento de balões incendiários a partir da Faixa de Gaza", declarou um oficial.

Segundo o Exército, os militares lançaram granadas, artefatos explosivos, coquetéis molotov e pedras em direção aos soldados, e um militar ficou ferido. Os bombardeios israelenses foram seguidos de "pelo menos 31 disparos a partir da Faixa de Gaza, em direção ao território de Israel, dos quais cinco acabaram interceptados pelo sistema de defesa antiaérea", precisou o Exército. O porta-voz do Hamas, Fauzi Bahum, reivindicou os disparos, explicando que foi uma "resposta imediata da resistência".



Blog do BILL NOTICIAS

Meninos encaminhados pela Vara da Infância e Juventude de Petrolina terão seu ‘batizado’ na capoeira

   (C.Britto)

O projeto social fundado pelo professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Sérgio Moreira, em Petrolina, que estimula a capoeira para meninos encaminhados pela Vara da Infância e Juventude, terá seu ponto alto neste sábado (14), quando haverá o ‘batizado’ e a troca de cordas dos participantes.
A aula será coordenada pelo Mestre Camisa, fundador da Escola Abadá, e faz parte do 3º Encontro Técnico-Científico de Capoeira (‘Abadá Acadêmico), que começou na última quinta (12) e será encerrado neste domingo (15).

Blog do BILL NOTICIAS

‘O PT não vai tirar Lula das urnas. Quem fizer isso, vai ter que botar sua digital’

Guilherme Santos - Sul 21:

Por Luís Eduardo Gomes, Sul 21 - Um dos responsáveis por elaborar o plano de governo para a campanha presidencial do ex-presidente Lula, o ex-ministro da Saúde de Dilma, Alexandre Padilha (PT-SP), participou nesta sexta-feira (13) de uma plenária de centrais sindicais realizadas na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. Em conversa com o Sul21 pela manhã sobre a situação política do partido e do ex-presidente, o ministro reafirmou a posição que vem sendo difundida pelo PT de que de não há plano B como alternativa à candidatura de Lula.
Padilha destacou que o PT ainda tem 30 dias para tomar uma definição, visto que o prazo para inscrição das candidaturas vai até o dia 15 de agosto, mas que a estratégia de manter a candidatura do Lula até o final está “absolutamente mantida”. “Se alguém quiser tirar a candidatura do Lula das urnas, não será o PT. Quem fizer essa violência, rasgando a Constituição, vai ter que botar a sua digital nesse atentado à Constituição e isso vai ficar marcado para a história brasileira. Vamos manter a candidatura do Lula até o fim”, diz.
A estratégia do PT é fazer, em 15 de agosto, um grande ato com movimentos sociais, artistas e personalidades internacionais, em Brasília. “A candidatura do Lula vai ser entregue pelo povo. E estamos preparados para a batalha política e jurídica em torno disso”, diz Padilha.
Por outro lado, ele afirma que o PT segue mantendo conversas com outros partidos para a formação de uma aliança eleitoral, indicando que as conversas mais próximas estão ocorrendo com os partidos PSB, PCdoB e PROS. Contudo, o ex-ministro ressalta que ainda continuam as conversas com os demais partidos que formaram uma frente progressista e lançaram recentemente um manifesto com críticas ao governo de Michel Temer (MDB) e propondo um programa mínimo comum, especialmente com o PDT. Para Padilha, é necessário que ter um “vice que amplie” compondo a chapa com Lula, que poderia vir até de fora desses partidos.
“O meu nome dos sonhos sempre foi o Josué Alencar (PR), acho que representaria a recuperação simbólica muito importante do primeiro mandato do Lula com o José Alencar. Estamos em conversa, tanto com o Josué, quanto com o PSB, com PCdoB, para que eles possam indicar nomes”, disse. O PR, de Alencar, vem sendo cobiçado por diversos candidatos, como Ciro Gomes (PDT), e inclusive do outro espectro político, visto que chegou a ser anunciado que o senador Magno Malta (PR-ES) poderia ser o vice de Jair Bolsonaro (PSL).
E o Plano B?
Para Padilha, a pressão para o PT apresentar um plano B não atinge o partido. “Se o plano A do povo brasileiro é o Lula, porque o PT tem que pensar no Plano B?”, questionou, em referência à liderança do ex-presidente nas pesquisas.
Segundo ele, essa cobrança vem de setores da imprensa que ele considera ser “intermediários do setor financeiro e do poder econômico”. “Qual é o drama de quem fez o golpe no País e quem sustenta o governo Temer? É que eles não conseguiram construir um candidato e o sonho deles é que o candidato deles dispute o segundo turno com o Bolsonaro, que é outra cria que eles fizeram. Só que não tem espaço para os dois”, diz.
Padilha acredita que, com Lula na disputa, o candidato que seguirá a cartilha do setor financeiro terá que partir para cima de Bolsonaro para ter alguma chance de estar no segundo turno. “Esse é o drama deles. Semearam o ódio e a intolerância no País e estão colhendo o Bolsonaro”, afirma. “O setor que financiou o golpe quer tirar o Lula porque sabe que ele é única liderança política com condições, ganhando as eleições, de revogar as medidas que eles impuseram. Então, quando esses intermediários do poder econômico dizem isso [sobre o Plano B], é porque eles não sabem qual é o texto de consultoria para as matrizes deles do setor financeiro, dos fundos de investimento. Eles não sabem dizer se, em 2019, a lei trabalhista vai ser a mesma atual, que retirou todos os direitos dos trabalhadores. Se o governo federal vai ter o compromisso atual de sacrificar saúde, educação, habitação, para ficar pagando dívida para o setor bancário. Por isso tem essa pressão tão grande para o PT retirar a candidatura do Lula”.
Questionado então sobre o que o PT fará para o caso de o ex-presidente Lula seja barrado pela justiça de registrar sua candidatura, Padilha afirmou: “Se eles rasgarem a Constituição, cometerem essa violência, temos um consenso muito claro de discutir com o Lula uma alternativa”, disse. “Se eles cometerem essa injustiça, nós vamos ter uma fotografia que é o Lula não podendo ser candidato, mas o Aécio podendo ser, o Romero Jucá podendo ser. Nós vamos fazer esse debate com a população”.
Episódio do HC
Apesar de manter a confiança durante toda a entrevista de que o PT conseguirá registrar a candidatura de Lula, Padilha afirmou que os acontecimentos do último domingo (9) a respeito do habeas corpus concedido pelo desembargador plantonista do TRF4, Rogério Favreto, e depois retirado pelo presidente do tribunal Thompson Flores após pressão do juiz Sérgio Moro e do desembargador Gebran Neto, escancarou duas coisas. “A primeira é a vontade de uma parte significativa do povo brasileiro de ver o Lula presidente, ver o Lula se candidatar, porque a esperança de ver o Brasil voltar a crescer passa pelo Lula. O outro fator que mostrou é que tem um setor judiciário, da mídia, de interesses que estão por trás, que não têm nenhum pudor de tomar qualquer tipo de medida de exceção, rasgar a nossa Constituição, rasgar qualquer procedimento jurídico, para conseguir aquilo que eles sonham, que é tirar o Lula das eleições. Esses setores se borram de medo de ver o Lula candidato, porque sabem a força que o Lula tem”.
Mudança na conjuntura
Questionado sobre a sua confiança de que o PT poderá voltar a ganhar as eleições mesmo depois da conjuntura que sucedeu a eleição de Dilma em 2014, passando pelo impeachment e a prisão de Lula, Padilha elenca três fatores que o levam a pensar que o contexto mudou. O primeiro deles é que, para o ex-ministro, o ex-presidente, a sua defesa e a atuação de vários juristas conseguiram deixar claro para a população que não há provas que embasem a sua condenação.
“Não à toa, o juiz o de primeira instância de Curitiba que condenou o Lula, que tinha há dois anos 80% de aprovação da população, hoje tem a rejeição maior do que a do Lula. Ou seja, ficou explícito que está acontecendo uma condenação absolutamente política”, diz Padilha — pesquisa Ipsos divulgada no final de junho apontava que Moro era desaprovado por 55% da população e Lula por 54%.
O segundo ponto elencado por Padilha é que a população teria percebido que os “arautos da ética” que comandavam a campanha pelo impeachment de Dilma estavam eles muito envolvidos em corrupção. “As pessoas começaram a ver as caixas de dinheiro do Geddel, as ligações do Aécio, as contas na Suíça do Eduardo Cunha, o perfil dos ministros do Temer, as ações do Temer no Congresso Nacional para se manter presidente da República. Ou seja, começaram a perceber que o perceber que a Dilma foi retirada da presidência sem nenhum crime e entrou uma corja de ladrões para governar o País”, afirma.
O terceiro fator seria as medidas adotadas por Temer após chegar ao poder, o que ele considera como um desastre social. “É só ver o preço do gás de cozinha, ver a situação do desemprego. Eu dou aula numa universidade de São Paulo em que a maioria dos alunos estavam lá por causa do FIES e do ProUni. Esse ano, tivemos 17 mil alunos a menos, de 80 mil alunos. Ou porque não tem mais ProUni, por que não tem mais FIES, ou porque todo mundo da família está desempregado e o jovem tem que arrumar trabalho”.
Programa de governo em breve
Por fim, Padilha ainda destacou que o PT pretende lançar, possivelmente na próxima semana, um “programa de emergência” com 13 propostas para tirar o Brasil da crise. “Uma das medidas, anunciada pelo próprio Lula, por exemplo, é de ampliar a isenção do imposto de renda para a classe trabalhadora. Não podem os trabalhadores e trabalhadoras pagarem a conta dos desmandos do atual governo. Outra é recuperar os programas sociais. Temos muito claro de revogar as medidas feitas pelo Temer, revogar a reforma trabalhista. Queremos rediscutir o financiamento da educação. Não admitimos essa do ideia do congelamento por 20 anos do investimento público nesse País. Revogar essas medidas de entrega do pré-sal, de entrega da Petrobras”, afirma.
A reportagem também conversou com Padilha a respeito da situação da saúde do País, a ser publicada na próxima semana.


Blog do BILL NOTICIAS

Lotéricas voltam a receber contas da Celpe a partir deste sábado

A empresa e a Caixa Econômica Federal renovaram o convênio que havia acabado no fim de abril

Resultado de imagem para Lotéricas voltam a receber contas da Celpe a partir deste sábado

Depois de pouco mais de dois meses, os clientes da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) podem pagar normalmente as contas nas casas lotéricas de todo o estado. A concessionária renovou o convênio com a Caixa Econômica Federal (CEF), que havia acabado no fim de abril. O recebimento das faturas acontece já a partir deste sábado (14), beneficiando as pessoas que estavam encontrando dificuldades para quitar os débitos em aberto.
Por meio de nota, a Celpe informou que o acordo “atende à solicitação da sociedade, assegura ganhos para a Caixa Econômica Federal e para os agentes lotéricos, além de mais opções de pagamento para os clientes”. A concessionária destacou ainda que as duas empresas “entendem que a situação gerada se tornou incompatível com a qualidade dos serviços essenciais prestados e lamentam os transtornos causados”.
Durante o tempo em que o convênio esteve suspenso, não faltaram queixas de pessoas com problemas para pagar a conta de luz. A situação chamou a atenção de órgãos de fiscalização, a exemplo do Procon Pernambuco e também da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que estavam monitorando a situação.
Nessa semana, por exemplo, o fiscais do Procon estiveram em pontos de atendimento indicados pela Celpe para o pagamento, mas encontraram vários deles desabilitados ou com dificuldades para atender à demanda. O secretário de Justiça e Direitos Humanos do estado, Pedro Eurico, teve reuniões com representantes da Celpe e da CEF para discutir a situação. O Procon chegou a dar um prazo de 48 horas para que a empresa regularizasse a situação, sob o risco de ser multada em até R$ 9 milhões.
A concessionária destacou que, além do retorno das lotéricas, os mais de 3,6 milhões de clientes continuam contando com 1,8 mil locais de pagamento, entre a rede própria Celpe Serviços e correspondentes bancários. “A empresa possibilita a quitação das faturas de forma prática, sem necessidade de deslocamento do cliente, por meio do site, aplicativo Celpe ou débito automático. Em respeito aos nossos clientes, a concessionária reafirma o compromisso com a qualidade dos serviços”, informou, por meio de nota.(DIÁRIO DE PERNAMBUCO)

Blog do BILL NOTICIAS

TERRORISMO Suposto guarda-costas de Bin Laden é detido na Tunísia

Conhecido como Sami A. pelas autoridades alemãs e Sami Idudi em seu país de origem, o tunisino foi detido por ser suspeito de estar envolvido em atividades extremistas na Alemanha
Por: AFP - Agence France-Presse
FOTO: AFP / JUNG YEON-JE / DIVULGAÇÃO  (FOTO: AFP / JUNG YEON-JE / DIVULGAÇÃO )
FOTO: AFP / JUNG YEON-JE / DIVULGAÇÃO



Um homem que supostamente era o guarda-costas de Osama bin Laden foi detido na Tunísia como parte de uma investigação por terrorismo depois de ter sido expulso da Alemanha, afirmou neste sábado um porta-voz da procuradoria.

A legislação tunisiana permite que sejam apresentadas acusações cosntra cidadãos envolvidos em terrorismo no exterior.  Idudi, 42 anos, viveu na Alemanha por mais de de duas décadas, e ficou nesse país, apesar de seu pedido de asilo ter sido negado em 2007. Considerado uma ameaça à segurança por seus supostos vínculos com grupos islamitas, Idudi sempre negou ter sido o segurança do falecido líder da Al-Qaeda, assinalado como cérebro dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.



Blog do BILL NOTICIAS

Prefeitura de Juazeiro prorroga inscrições para concurso que escolherá mascote do parque fluvial



A Prefeitura de Juazeiro (BA) decidiu prorrogar as datas do concurso pedagógico-cultural “Um Por Todos…E Todos Pelo Velho Chico”, que irá escolher a mascote do parque fluvial. O projeto visa a promover a revitalização física e paisagística de toda a área da Orla de Juazeiro. No total serão cinco etapas até a premiação do concurso, e a primeira vai até o dia 17 de julho, último dia para a entrega da ficha de inscrição.
O concurso contempla estudantes de 9 a 15 anos de escolas públicas e privadas do município, que vão desenhar e escolher o nome da mascote e a justificativa que a represente. Esta ação faz parte da Meta 1 do projeto, referente à Educação Ambiental, que está sendo realizada pela Secretaria de Educação e Juventude (SEDUC), em parceria com a Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano (Sedur).
De acordo com o edital, a Comissão Julgadora Municipal/SEDUC-Sedur escolherá três desenhos, três nomes e suas respectivas justificativas, e os publicará no site do parque fluvial, para que os internautas possam votar na enquete e escolher o melhor nome e desenho. A votação está prevista no período de 30 de julho a 8 de agosto.(C.Britto)

Blog do BILL NOTICIAS

SERRANO: PROIBIR LULA DE DAR ENTREVISTAS É INCONSTITUCIONAL



Por Pedro Serrano, em seu Facebook
A proibição de Lula dar entrevistas no carcere é de todo inconstitucional e seletiva.
Além da prisão não implicar em supressão do direito a livre expressão, Lula é um líder popular e ex-presidente da Republica, havendo claro interesse publico e histórico em levar a sociedade conhecimento sobre o que pensa do pais e de sua situação pessoal.
Diversos presos no país dão rotineiramente entrevistas e participam de filmes e documentários
Mauricio Norambuena, por exemplo,dá entrevistas regulares e inclusive está gravando um filme pra Netflix. E é um preso de regime penal diferenciado, por crime hediondo
O que se deseja, de fato, é realizar um dos objetivos da medida de exceção contra ele perpetrada que, ingênuos e/ou autoritários dizem ser um processo penal, na acepção constitucional do termo, além de tira-lo da eleição retirar-lhe a voz e a influência, mitigar ao máximo sua influência política, mesmo a custa da democracia, da Constituição e da estabilidade institucional do país.
Não sou lulista, mas tudo que acredito em termos de vida civilizada e livre, me levam a postar essas falas, estão transformando meu país numa Venezuela de sinal trocado.
De fato, tenho de reconhecer, se não fosse uma boa parte de nosso povo pobre que, talvez, por conhecer bem o chicote pelo lado contrario do cabo, intui essas novas formas de neo-fascismo, Lula já estaria, injustamente, na lata de lixo da história .
Esses seus algozes, inclusive, amplificam o pior no fenômeno Lula, o culto a personalidade. Vão, aos poucos, transformando sua ausência numa onipresença, o homem na lenda.Prende-lo foi a pior forma de retira-lo do jogo.

Blog do BILL NOTICIAS

O que é Bursite no ombro, quadril, remédios, tratamento, tem cura?

   (C.Geral)

O que é Bursite?

Bursite é a inflamação da bursa, também conhecida como bolsa sinovial, um saco membranoso revestido de líquido que age como amortecedor de atrito entre músculos, tendões e ossos ao redor das articulações. O corpo humano possui 160 bursas localizadas em áreas como ombros, cotovelos, nádegas, quadris, coxas, calcanhares e joelhos. Apesar de mais incomum, a base do dedão do pé também pode ser atingido pela doença.
As bursas são revestidas com células sinoviais, as quais lubrificam as articulações e reduzem a fricção dos movimentos. No entanto, a bursite compromete o modo correto de lubrificação ao engrossar e acumular o líquido, o que torna ações cotidianas doloridas. A doença não é transmissível, tem cura e pode ser causada por excesso de uso de uma articulação, proveniente de atos repetitivos, estresse, traumas ou lesões. Além disso, o movimento sob a bursa inflamada piora o problema, o que pode deixar o músculo endurecido.

Diferença entre bursite e tendinite

Ao contrário da bursite, inflamação da bursa que protege os tendões e articulações, tendinite é a inflamação do tendão, tecido pelo qual um músculo se prende ao osso. A doença pode ocorrer em qualquer tendão do corpo, mas é mais comum no joelho, pé, ombro, punho e antebraço.
Tanto a bursite quanto a tendinite são lesões de esforços repetitivos (LER), ou seja, provocadas por sobrecarga, traumas ou excesso de movimentos, como em esportes. A semelhança também se dá nos sintomas, com dores fortes na área afetada, e nos tratamentos com anti-inflamatórios e sessões de fisioterapia. É importante ter o diagnóstico diferenciado para cada uma das doenças, pois os aparelhos utilizados nos tratamentos podem ser manipulados em posições e frequências diferentes, o que pode adiantar ou retardar a cura.
Normalmente, a bursite é uma inflamação secundária, ou seja, acontece após uma lesão no tendão que ela protege. Portanto, tendinite pode levar a casos de bursite, e vice-versa.

Tipos de Bursite

A bursite pode ser dividida em dois grupos: distúrbios hemorrágicos e inflamatórios. Os hemorrágicos são causados por traumas que ocasionam derramamento de sangue (hemorragia) direto na bursa. Já os inflamatórios podem ser divididos em outros três subgrupos: causas químicas, sépticas (feridas infectadas) e sobrecarga (atrito constante do tendão com a bursa).
Os tipos de bursite são categorizadas de acordo com o local da inflamação da bursa, são eles:

Ombro

Também chamado de bursite subacromial-subdeltoidea, a bursa do ombro localiza-se abaixo do acrômio, extremidade superior da escápula, e do músculo deltóide. É o tipo mais comum da doença, provocado por traumas, movimentos excessivos e repetitivos no ombro ou doenças inflamatórias. Frequentemente, esse tipo de bursite faz parte da Síndrome do Impacto do Ombro, patologia que tanto a bursa quanto os músculos do ombro apresentam inflamação e sinais de tendinite.

Tipos de Bursite

A bursite pode ser dividida em dois grupos: distúrbios hemorrágicos e inflamatórios. Os hemorrágicos são causados por traumas que ocasionam derramamento de sangue (hemorragia) direto na bursa. Já os inflamatórios podem ser divididos em outros três subgrupos: causas químicas, sépticas (feridas infectadas) e sobrecarga (atrito constante do tendão com a bursa).
Os tipos de bursite são categorizadas de acordo com o local da inflamação da bursa, são eles:

Ombro

Também chamado de bursite subacromial-subdeltoidea, a bursa do ombro localiza-se abaixo do acrômio, extremidade superior da escápula, e do músculo deltóide. É o tipo mais comum da doença, provocado por traumas, movimentos excessivos e repetitivos no ombro ou doenças inflamatórias. Frequentemente, esse tipo de bursite faz parte da Síndrome do Impacto do Ombro, patologia que tanto a bursa quanto os músculos do ombro apresentam inflamação e sinais de tendinite.

Cotovelo

Também conhecida como bursite olecraniana, a bursa do cotovelo fica entre a pele solta e o osso pontiagudo na parte de trás do cotovelo. É um problema comum entre tenistas, golfistas e outros esportistas que realizam a flexão repetitiva do cotovelo que, eventualmente, leva à uma lesão ou inflamação.

Coxas

A bursa localizada nas coxas pode inflamar com a realização errada de alongamentos.

Nádegas

A bursa localizada nas nádegas pode inflamar após sentar em superfícies duras durante muito tempo, como em bicicletas.

Quadril

A bursa trocantérica é localizada superficialmente no osso trocânter maior, a parte do fêmur que é saliente na lateral do quadril. Todo indivíduo possui quatro ou mais bursas em cada quadril, sendo a bursite trocantérica a inflamação mais comum de ocorrer nesta região.
Em menores incidências, há outras bursas que podem causar sintomas no quadril, como a bursa isquiática e do músculo iliopsoas, localizado ao lado da virilha. Corredores de média e longa distâncias têm maiores chances de adquirir esse tipo de bursite.

Tornozelos e calcanhares

A bursa retrocalcânea está localizada entre o calcanhar e o tendão calcâneo, popularmente chamado de tendão de Aquiles. Esse tipo de bursite pode ser causado após longas caminhadas, pelo uso de sapatos errados ou excesso de cargas e movimentos repetitivos no calcanhar.

Joelho

As bursas do joelho podem inflamar com contusões, pressão contínua ao passar muito tempo ajoelhado ou pela repetição de gestos. A articulação do joelho é cercada por cinco principais bursas, que são:
  • Bursa pré-patelar: Localizada entre a rótula e a pele. Dentre as bursas do joelho, é a que tem maiores chances de desenvolver inflamação;
  • Bursa anserina: Também chamada de bursa da pata de ganso, está localizada na superfície interna do joelho, entre os tendões dos músculos grácil, sartório e semitendinoso;
  • Bursa infrapatelar:Localizada abaixo da rótula sob o tendão patela;
  • Bursa infrapatelar profunda:Localizada entre o tendão patelar e a gordura de Hoffa;
  • Bursa semimembranosa: Localizada entre o lado medial do joelho e o tendão semimembranoso, a um nível mais elevado do que a bursa anserina.

Causas da Bursite

Em poucos casos, a bursite não tem sua origem determinada. No geral, a doença pode ser causada por lesões, infecções ou doenças inflamatórias que ocasionam a formação de cristais na bursa.

Lesões

A lesão mais comum que leva à bursite é a causada pelo uso excessivo das articulações e movimentos repetitivos dos músculos e tendões. Segundo os médicos, a inflamação da bursa por lesões leva tempo para se desenvolver, por isso certas profissões e ações diárias como, por exemplo, colocar pressão sobre os joelhos e cotovelos podem contribuir para desencadear a doença. Esforço e traumas produzidos por golpes violentos sob as articulações também podem irritar o tecido dentro da bursa e causar inchaço e inflamação.

Doenças

Algumas doenças podem gerar a formação de cristais por dentro da bursa, o que ocasiona o excesso de fluidos e inchaço. São elas:

Infecções

A bursite adquirida a partir de infecções tende a ser em áreas onde a bursa se encontra perto da superfície da pele, principalmente nos cotovelos. Cortes, mordidas de insetos, lesões e feridas são as aberturas necessárias para que bactérias possam causar infecções internas, que, se não forem tratadas, podem produzir pus.
Devido seu sistema imunológico enfraquecido, pacientes de câncerque fazem quimioterapia, diabéticos, portadores de HIV, usuários de esteróides e alcoólicos são mais propensos a obter esse tipo de bursite.

Outras causas

O excesso de peso e a desidratação do tendão, bursa ou da articulação também são gatilhos para adquirir a bursite. A idade é outro fator decisivo, pois à medida que os tendões envelhecem, são capazes de tolerar menos estresse, além de serem  menos elásticos e mais fáceis de rasgar.

Grupos de risco

A presença de bursite se torna mais comum com a idade, após a musculatura e estrutura óssea ter concluído o seu crescimento. Por isso ela tem maiores incidências em adultos, especialmente a partir dos 40 anos.
Pessoas com certos hobbies e ocupações são vulneráveis a adquirir bursite ao longo do tempo, pois se submetem a ações repetitivas diárias, como no caso de músicos, atletas, pintores, entre outras profissões.
Portadores de certas doenças, como artrite reumatóide, gota e diabetes possuem riscos maiores de desenvolver bursite.

Sintomas da Bursite

Dor, rigidez e dificuldade em mover a articulação afetada são os sintomas mais comuns da bursite. A área pode se encontrar inchada, sensível, avermelhada ou com pequenas elevações na temperatura, devido a inflamação. Os sintomas surgem aos poucos e se agravam ao longo dos dias ou semanas. Inicialmente, causam pequenos incômodos pela limitação da mobilidade cotidiana e, com o tempo, a dor se torna presente até quando a articulação está em repouso.
As regiões doloridas variam de acordo com a bursa afetada pela doença, como pontadas no quadril ao sentar, desconforto ao correr, subir escadas, se agachar ou apoiar os cotovelos em uma mesa. Se os sintomas não forem tratados, o sono dos pacientes pode ser comprometido por dores noturnas, como ao dormir virado de lado e deitar por cima do ombro infeccionado.
No caso da bursite séptica, bursite causada por uma infecção, o paciente pode demonstrar febre como sintoma adicional.

Diagnóstico

O diagnóstico de bursite é realizado pelo médico ortopedista ou fisioterapeuta, que apalpa a área inflamada e verifica a presença dos sintomas característicos da doença. Em uma avaliação conjunta do histórico médico do paciente, exames físicos, exames laboratoriais e exames de imagens, investiga-se a causa para o desconforto e direciona o paciente ao tratamento específico do seu problema.

Exames físicos

Os exames físicos são realizados junto a um fisioterapeuta, que elabora um conjunto de movimentos para testar a flexibilidade, mobilidade, força, suavidade, inflamação e dor nas articulações.

Exames laboratoriais

  • Exames de sangue: verifica a presença da artrite reumatóide;
  • Análise do líquido da bursa:com a coleta de uma pequena amostra do fluido da bursa próximo a articulação afetada, é possível diagnosticar se a bursite é causada por infecções de bactérias ou formação de cristais, como no caso da gota.

Exames de imagens

  • Radiografia: não realiza o diagnóstico da bursite, mas descarta possibilidade de fatores que podem estar causando dores, como esporões ósseos, frequentemente encontrado na ponta do cotovelo em pacientes que já tiveram bursite olecraniana, lesões ou ossos quebrados;
  • Tomografia e ressonância magnética:realiza a verificação se o paciente não possui nenhum tendão rasgado;
  • Ultrassonografia: a confirmação da bursite vem através desse exame, que mostra todos os tecidos moles, como músculos, tendões, ligamentos, entre outros, incluindo as bursas.

Tratamento da Bursite

O tratamento inicial da bursite consiste em repouso, aplicação de gelo e controle da dor com analgésicos e anti-inflamatórios. Após o controle da dor, a fisioterapia ajuda a restabelecer a força muscular e amplitude dos movimentos articulares.
Já a bursite infecciosa é tratada com antibióticos e cirurgicamente, para drenar o líquido da bursa ou removê-la, quando outros tratamentos não surtirem efeito.

Caseiros

Bursites causadas por lesões podem ser tratadas em casa se ainda estiverem no estágio inicial. O tratamento caseiro consiste na adoção de hábitos e cuidados para aliviar a dor e a inflamação, como:
  • Bolsas de geloColocar gelo durante 20 minutos, cerca de 3 vezes por dia. O gelo irá diminuir a inflamação, mas nunca deve entrar em contato direto com a pele, senão causará queimaduras. O ideal é cobrir a pele com um pano ou papel toalha e, por cima, colocar a bolsa;
  • Aqueça o local:Após o inchaço inicial ter reduzido, o calor de uma bolsa térmica ajudará aumentar a circulação na área afetada e eliminar o excesso de fluido na bursa;
  • Proteger a área afetada: A proteção varia de acordo com a área da inflamação da bursa. Utilizar joelheirascotoveleiras, não dormir para o lado do quadril ou ombro dolorido, etc., pode ajudar na proteção. Ao dormir, coloque travesseiros para suportar a articulação. Para alcançar, puxar ou empurrar objetos no alto, opte por usar escadas para não forçar o ombro;
  • Alimentação: Aumentar o consumo de alimentos com propriedades anti-inflamatórias, como: frutas cítricas (laranja, acerola, goiaba e abacaxi), frutas vermelhas (romã, melancia, cereja, morango e uva), frutas oleaginosas (castanha e nozes), peixes ricos em ômega-3 (atum, sardinha e salmão), sementes com ômega-3 (linhaça, chia e gergelim), vegetais (brócolis, couve-flor, repolho e gengibre), ervas aromáticas (alho macerado, açafrão, curry e cebola), óleo de coco e azeite.
  • Descanso:Repouse e, se possível, não exerça força nas articulações da área afetada. No entanto, o paciente não deve parar com todos os movimentos, especialmente se a inflamação for no ombro;
  • Calçados: Troque sapatos apertados por novos adequados ao tamanho dos seus pés. Em casos de bursite de calcanhar, opte por calçados abertos durante o tratamento, para não piorar a dor;
  • Alongamento e postura: Pare, temporariamente, com atividades que ajudaram a  adquirir a doença, como esportes e exercícios repetitivos. Corrigir a postura e realizar alongamentos indicados pelo médico especialista ajudará aumentar a eficiência da articulação inflamada, reduzir a dor ao se movimentar e prevenir o retorno do problema.

Fisioterapia

A fisioterapia consiste no uso de aparelhos analgésicos e anti-inflamatórios, como o Tens (terapia com correntes elétricas aplicadas superficialmente à pele através de eletrodos), ultrassom, corrente galvânica ou microcorrentes, utilizados no fortalecimento dos músculos. Além dos exercícios de recuperação, técnicas são passadas aos pacientes para aumentar a mobilidade articular, realizadas junto com os alongamentos musculares.
O tratamento de qualquer articulação, incluindo o tendão de Aquiles, deve ser diário e, geralmente, leva em torno de 6 meses para ser concluído.

Exercícios

Junto com a terapia física, são realizados alguns exercícios para aumentar a eficiência da articulação inflamada e restabelecer seu funcionamento normal. Os exercícios, geralmente destinados para lesões no ombro, não substituem o auxílio profissional, por isso é indicado que o paciente tenha o acompanhamento de um fisioterapeuta.
  • Amplitude de movimento escapular: Em pé, levar os ombros para cima, comprimir as escápulas, uma de encontro à outra, e então empurrá-las para baixo. Manter a posição por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.
  • Flexão do ombro:Em pé, segure um bastão com as palmas das mãos viradas para baixo. Leve os braços esticados até a cabeça e mantenha por 5 segundos. O paciente deve repetir o exercício 10 vezes.
  • Extensão do ombro:Em pé, segurar um bastão com as mãos atrás do seu corpo e afastá-lo das costas. Manter a posição por 5 segundos, relaxar e fazer 10 repetições.
  • Rotação externa: Em pé, de frente para uma porta aberta, dobre o cotovelo a 90º e com o dorso da mão aplique força no batente. Manter por 5 segundos, relaxar e repetir outras 10 vezes.
  • Rotação interna:Em pé, de frente para uma porta aberta, dobre o cotovelo a 90º e com a palma da mão aplique força no batente. Manter por 5 segundos, relaxar e repetir outras 10 vezes.
  • Rotação externa com faixa terapêutica: Primeiro, prenda uma faixa na maçaneta da porta do lado oposto do ombro inflamado. Em pé, de lado para a porta e com a mão do lado lesionado em repouso sob o abdômen, segure a faixa e a puxe rodando o braço para fora para afastar a mão da cintura, sem desencostar o cotovelo do corpo. Repita o exercício por 10 vezes. Com o tempo, o paciente pode evoluir para 3 séries de 10 repetições.
  • Supraespinhoso:Em pé, braços suspensos na lateral do corpo e polegares apontados para o chão, inclinar levemente o tronco para frente e levantar os braços lateralmente, os mantendo estendidos. Leve as mãos até a altura do ombro e mantenha por 10 segundos. Descanse e repita outras 10 vezes.

Acupuntura

Acupuntura é um tratamento alternativo que utiliza da aplicação das agulhas na região afetada pela bursite para reduzir a dor e a inflamação.

Ondas de Choque

Para os casos em que a fisioterapia não for totalmente eficaz, existe um novo tratamento chamado Ondas de Choque. Não se trata de um choque elétrico, mas sim ondas de impacto, inicialmente utilizadas somente para quebrar pedras no rim. A terapia consiste na penetração da energia mecânica sob o tecido lesado para provocar um fenômeno chamado cavitação, que libera substâncias anti-inflamatórias locais e estimula a circulação.
A intensidade das ondas geram variações em seus efeitos:
  • Baixa energia:produz alívio da dor e relaxamento muscular;
  • Média energia: ocorre a reparação tecidual;
  • Alta energia:ocorre a estimulação óssea.
O tratamento é ambulatorial e não necessita internação ou anestesia. As ondas atuam somente nos tecidos lesionados e não causam efeitos em tecidos normais.

Cirurgia

Este tratamento raramente é necessário, mas se o caso for de bursite crônica, ou a bursa permanecer infectada ou inflamada após o paciente ser submetido por todos os tratamentos, é recomendado a remoção cirúrgica.
  • Cirurgia para bursa infectada: A bursa infectada será removida em uma operação realizada sob anestesia local, geralmente com processo de internação. A cirurgia pode ser combinada com o uso adicional de antibióticos orais ou intravenosos. Após semanas ou meses da cirurgia, cresce um novo saco bursal não inflamado;
  • Cirurgia para bursa inflamada: A bursa não infectada será removida como um procedimento ambulatorial. A cirurgia não perturba nenhum músculo, ligamento ou articulação.
Em ambos procedimentos cirúrgicos, será aplicada uma tala para proteger a pele. Além disso, o médico irá recomendar exercícios específicos para melhorar a amplitude de movimento, que geralmente são permitidos pouco tempo após a cirurgia.

Medicamentos para Bursite

Analgésicos e anti-inflamatórios

A ingestão de analgésicos e anti-inflamatórios não-esteróides podem aliviar a dor e controlar a inflamação. São encontrados em comprimidos ou pomadas e devem ser usados com cautela e por períodos limitados.
Os medicamentos mais indicados para o tratamento de bursite são:

Corticosteróides

Se os sintomas não diminuírem após 3 a 4 semanas, é recomendado a remoção do líquido da bursa e o uso de injeção de corticoides, substância anti-inflamatória mais forte que a medicação realizada por via oral.
As injeções costumam aliviar a dor e inchaço, no entanto, podem retornar dentro de um período de tempo e será necessária outra aplicação. Mas fique atento, pacientes com o uso prolongado de esteróides estão sob o risco de sofrer aumento da pressão arterial e contrair uma infecção.
Os anti-inflamatórios esteróides mais indicados são:

Antibióticos

A remoção dos fluidos da bursa é um procedimento simples e ajuda a aliviar os sintomas que causam incômodo no paciente. Uma amostra desse líquido será analisada para identificar se há presença de bactérias e qual o antibiótico específico necessário para combater a infecção. A duração do uso do medicamento será determinado pelo médico e não deve ser interrompido antes do término do tratamento.
Os seguintes antibióticos podem ser prescritos no caso de bursite séptica:

Medicamentos naturais

Na fase inicial, o uso de argila verde é eficaz no tratamento dos sintomas causados pela bursa inflamada. É necessário molhar e aplicar sobre a área por, pelo menos, 30 minutos.
O paciente também pode optar em aplicar o creme de arnica montana para ajudar aliviar as dores das articulações.
Atenção! 
NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Cura e convivendo

A cura da bursite, mesmo seguindo o tratamento adequado, pode levar em torno de seis meses. O tempo de recuperação depende da causa da doença e dos cuidados que o paciente terá ao seguir as recomendações para prevenir novas crises. Em casos de infecção, o indivíduo apresenta melhoras após o uso de antibióticos, no entanto, se o distúrbio for causado por traumas ou lesões, o tempo de recuperação é mais longo. Se não houver tratamento correto, o problema pode se tornar crônico e durar mais de um ano.
A bursite tem tendência a reaparecer mesmo após curada, por isso, assim que houver melhora, o paciente deve começar a praticar exercícios leves e ir aumentando o esforço gradualmente, para manter as articulações hidratadas e os músculos fortalecidos. Para fazer retorno ao esporte o indivíduo deve perceber se consegue mover suas articulações sem dor, se não está sensível ao toque e se retomou a força normal. Há o risco de piorar a lesão caso volte a praticar exercícios físicos sem que o médico confirme sua recuperação.

Bursite aposenta?

Como a bursite é causada por trabalho manual repetitivo, o ideal é ocorrer o afastamento de atividades e determinadas profissões até que seja atingido a cura. A invalidez da aposentadoria se caracteriza pela perda de alguma parte corporal, alienação mental e doenças contagiosas, incuráveis e graves, por isso o paciente com inflamação da bursa, uma doença articular curável, somente garante o auxílio-doença enquanto permanecer incapacitado.

Complicações

Se a bursite não for tratada em seus estágios iniciais, a inflamação pode se tornar crônica e de difícil resolução. Prolongar a falta de tratamento pode levar à disposição de cálcio e provocar calcificação, enrijecimento e redução da capacidade de proteger a articulação.
Em bursas infectadas, se não receberem o tratamento imediato, as bactérias podem se espalhar para outras partes da articulação ou se mover para a corrente sanguínea. Bursite por infecção pode produzir pus e ocasionar outras doenças graves.
No caso de bursite de ombro, o paciente tende a limitar suas ações com o braço desde que seus atos se tornam dolorosos. A restrição dos movimentos pode levar ao surgimento de outra doença, denominada capsulite adesiva ou ombro congelado, que ocasiona a rigidez articular e dores em maiores intensidades.

Prevenção

Nem todos os tipos de bursites podem ser prevenidos, mas o paciente pode adotar algumas medidas que reduzem a chance de adquirir ou ser atingido novamente pela doença. Seguem algumas orientações recomendadas:
  • Evite tarefas que exijam movimentos repetitivos durante muito tempo, incluindo ficar sentado ou ajoelhado. Caso não seja possível, realize intervalos ao longo do dia para descansar as musculaturas ou varie seus movimentos de modo a usar diferentes partes do seu corpo;
  • Faça atividades físicas com orientação de um profissional, com alongamentos e aquecimento entre 5 a 10 minutos antes dos exercícios;
  • Procure manter a boa postura ao longo do dia, principalmente durante o trabalho;
  • Caso precise, invista na reeducação alimentar e perda de peso. Excesso de peso pode provocar pressão nas bursas, como nas dos quadris;
  • Proteja áreas vulneráveis do corpo, principalmente ao realizar esportes. Invista em joelheiras, cotoveleiras e tênis de boa qualidade ao fazer caminhadas;
  • Use as duas mãos para segurar ferramentas ou objetos pesados e evite utilizar o ombro como apoio para transportá-los.
A bursite pode desencadear dores e incômodos que atrapalham tarefas simples do cotidiano. Por isso, ter informações sobre a doença é fundamental para que ela seja tratada logo em seu estágio inicial e evitar maiores complicações. (Ascom)

Blog do BILL NOTICIAS