quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Dilma denuncia Estados Unidos por espionagem e pede que ONU regule uso de internet


imagem3 

A presidente Dilma Rousseff denunciou nesta terça-feira em um discurso na Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, o caso de espionagem dos Estados Unidos, classificando-o de “quebra do direito internacional e afronta”.
Em um inflamado discurso diante de líderes mundiais, Dilma, que adiou uma visita de Estado a Washington prevista para 23 de outubro por esta questão, pediu para a ONU “regulamentar como corresponde a conduta dos Estados Unidos quanto à utilização destas tecnologias”.
“Semelhante ingerência é uma quebra do direito internacional e uma afronta”, disse Dilma ao se referir às recentes revelações de espionagem dos Estados Unidos vazadas pelo ex-consultor da inteligência Edward Snowden.
Dilma advertiu que o “ciberespaço não pode ser usado ou manipulado como arma de guerra através da espionagem, sabotagem”.
Neste âmbito, disse que o Brasil buscará “estabelecer um marco civil multilateral para a governança e o uso da internet e a proteção eficaz dos dados que viajam através da internet”.
Documentos vazados por Snowden e publicados na imprensa indicam que a Agência Nacional de Segurança americana (NSA) espionou comunicações de Dilma e da Petrobras.
Como manda a tradição, Dilma foi a primeira presidente a discursar após as palavras do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e do presidente da Assembleia Geral, John Ashe (Antigua e Barbuda). (JC Online)



Blog do Bill Art´s

Nenhum comentário:

Postar um comentário