sexta-feira, 26 de outubro de 2018

ERIKA KOKAY: QUEM RELATIVIZA O ESTUPRO NÃO PODE SER PRESIDENTE

Alex Ferreira - Câmara

Brasília e Centro-Oeste 247 - A deputada federal reeleita Erika Kokay (PT-DF) criticou o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). "Não podemos permitir que alguém que relativiza estupro se torne presidente", disse a parlamentar no Twitter.
Em 2014, o parlamentar disse que não estupraria a colega Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merecia. "Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece", afirmou o congressista, após a parlamentar defender vítimas da Ditadura Militar (1964-1985).
A deputada do PT-DF também ressaltou que Bolsonaro pode indicar um condenado para um eventual governo, o deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF), acusado de concussão – uso do cargo público para obter vantagem indevida. De acordo com a denúncia do Ministério Público, Fraga pediu e recebeu R$ 350 mil para firmar um contrato entre o governo do Distrito Federal e a cooperativa de ônibus Coopertran em 2008, quando era secretário de Transportes da gestão de José Roberto Arruda (PR).
"Qualquer semelhança não é mera coincidência. Fraga, condenado por cobrança de propina e que nomeou a empregada doméstica da sua casa em seu gabinete, estará num eventual governo do Bolsonaro", disse Erika.
Não podemos permitir que alguém que relativiza estupro se torne presidente.



Blog do BILL NOTICIAS 

Nenhum comentário:

Postar um comentário