sábado, 4 de novembro de 2017

PT E PMDB JÁ NEGOCIAM ALIANÇAS EM 6 ESTADOS


O PT e parte do PMDB estão dispostos a deixar o golpe para trás.
No plano nacional, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá martelar a tecla de que o impeachment de Dilma foi um golpe.  
Nos Estados, porém, o PT não terá a mesma abordagem.
Os exemplos mais notórios são os dos senadores peemedebistas Renan Calheiros e Eunício Oliveira, que deram votos favoráveis à saída de Dilma. Mas não é só nas Alagoas de Renan ou no Ceará de Eunício que as conversas entre petistas e peemedebistas estão aceleradas para alianças nas eleições de 2018. Além desses dois, há negociações em Minas Gerais, Piauí, Sergipe e Paraná.
Ao menos nesses seis estados, PT e PMDB, além de outros partidos da base que apoiaram o impeachment, já deflagraram negociações para alianças locais. Em Minas Gerais, se Dilma conseguir a vaga para disputar o Senado, o PMDB pode integrar a sua chapa. A explicação para essa aparente contradição de princípios é, acima de tudo, pragmática. Em especial no Nordeste, onde Lula chega a ter mais de 50% segundo as pesquisas de intenção de voto, a aliança interessa aos dois lados: para o petista, ter candidatos fortes pode impulsionar ainda mais suas possibilidades; para os “ex-golpistas”, ir contra um político tão popular pode complicar as eleições.
O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), disse que no nível nacional não há negociações, mas confirmou que existem conversas informais nos estados onde os dois partidos já tinham aliança, que perduraram apesar do impeachment e da implosão das relações em Brasília.

Embora o Diretório Nacional do PT tenha proibido formalmente alianças com partidos que apoiaram o impeachment, figuras importantes dentro do partido já defendem que a regra seja revista. Em entrevista ao jornal “Estado de S. Paulo”, o presidente estadual do PT de São Paulo, Luiz Marinho, próximo de Lula, defendeu que o partido tem de derrubar a proibição.

As informações são de reportagem de Cristina Jungbut e Patricia Cagni em O Globo.(247).

Blog do BILL NOTICIAS

GEDDEL ENTREGA OS PONTOS E DECIDE DELATAR. ACIMA DELE, SÓ HAVIA TEMER


O ex-ministro Geddel Vieira Lima, que era um dos melhores amigos de Michel Temer e foi preso após a maior apreensão de dinheiro sujo da história do Brasil, com o estouro de seu bunker onde havia R$ 51 milhões, decidiu delatar.
A informação é do jornalista Mauricio Lima, na coluna Radar:
Entregou os pontos
É fato. Ex-ministro e amigo de Michel Temer há vinte anos, Geddel Vieira Lima procurou o Ministério Público para tentar um acordo de delação premiada.
Caso Geddel conte o que sabe, Michel Temer, que era o chefe do ex-ministro, poderá não resistir a uma terceira denúncia por corrupção.
Na prisão, Geddel não perdeu a prepotência e tenta descobrir quem fez a denúncia anônima que levou à descoberta de seu bunker.(247).

Blog do BILL NOTICIAS

Eleições 2018: Um cenário polarizado

Resultado de imagem para lula e bolsonaro

Por: João Paulo Machado
O Brasil decidirá, em menos de um ano, qual será nome do novo presidente da República. A eleição de 2018 para o Palácio do Planalto promete ser uma das mais acirradas e polarizadas da história do país. Desde a crise política que culminou no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, o assunto tem tomado conta do debate público, fazendo com que possíveis candidaturas despontassem de forma precoce.
Nesta semana, o Ibope, um dos principais institutos de pesquisa do país, divulgou sua primeira pesquisa de intenção de voto para 2018. O cenário mostra uma liderança, com certa vantagem, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O petista teria 35% das intenções de voto contra 13% do segundo colocado, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC). Capitão da reserva do Exército, o político conservador nunca disputou um cargo ao executivo, mas tem demonstrado ter fôlego para a disputa presidencial. Atrás de Lula e Bolsonaro, estão a ex-senadora Marina Silva (Rede), com 8%, o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), e o apresentador de televisão Luciano Huck (sem partido), com 5%, e o prefeito paulistano, João Doria, com 4%. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) tem 3% das intenções de voto.
O cenário, porém, é visto com ressalvas por analistas. O cientista político Rócio Barreto acredita que o ex-presidente Lula não poderá se candidatar, sendo barrado pela Lei da Ficha Limpa. Neste ano, o petista foi condenado por corrupção pelo juiz Sergio Moro e pode ser barrado caso a pena seja confirmada em segunda instância. “O Lula possivelmente vai ser condenado em segunda instância e possivelmente não poderá ser candidato. Ainda é muito cedo para a gente avaliar cenários com perspectivas que possam realmente acontecer”, afirma o analista.
Por conta desta situação, o cenário sem o ex-presidente no páreo também foi especulado pelo Ibope. Nesta hipótese a dianteira seria dividia entre Bolsonaro e Marina Silva, ambos com 15%. Mas o nome do militar da reserva volta a chamar atenção, pois Marina Silva conta com um recall de duas eleições presidenciais e, portanto, é mais conhecida pela população.
Para Barreto, o crescimento do deputado “se deve ao fato dele expor na mídia um discurso agressivo.” Que segundo o cientista político tem ganhado força também em outros países. “É um movimento que tem ocorrido no mundo todo. A gente viu a eleição do Trump, nos Estados Unidos, quando ele conseguiu ser eleito com um discurso um tanto quanto agressivo”.
A força de Bolsonaro ficou mais evidente em outra pesquisa eleitoral também divulgada nesta semana. Segundo o Instituto DataPoder360, a disputa pelo Palácio do Planalto está empatada tecnicamente entre Lula e o deputado conservador. Lula pontua de 28% a 32%. Bolsonaro registra de 20% a 25%, dependendo do cenário.
Para o escritor e cientista político Bruno Garschagen, caso os dados da pesquisa DataPoder360 estiverem corretos “Bolsonaro terá conseguido em um período muito curto, de alguns meses, uma enorme conquista de potenciais eleitores”. Assim como Barreto, Garschagen ressalta que o quadro avaliado ainda é prematuro. “Eu acho que a gente só vai ter um dado mais robusto, mais fiel, a partir das pesquisas que forem realizadas em março e abril”, frisou.
Mesmo fazendo ressalvas por conta do longo período até a eleição, Bruno Garschagen acredita que atual polarização ideológica entre esquerda e direita, representada na disputa entre Lula e Bolsonaro será mantida. “Eu acho que há uma tendência de que, no plano político, essa polarização se confirme. Ou seja, você tem um candidato da esquerda que pode ser o Lula (PT), a Marina (REDE), o Alckmin (PSDB). Do outro lado, o único candidato que se pode qualificar como certa direita é o Bolsonaro”, enfatiza.
O cientista político afirma que caso isso ocorra, será a primeira vez desde 1989 que o Brasil terá um candidato com viabilidade política, ligado ao campo ideológico da direita, com chances de vestir a faixa presidencial. “É um elemento interessante. Mostra que a dominação na política formal da esquerda sofreu um duro golpe e caso o Bolsonaro se confirme como um candidato viável, conseguindo ir para o seguindo turno, o dado estará claro. Haverá, de fato, um candidato representado à esquerda e um candidato representando à direita”.
Outsider
De fora do mundo político, o apresentador de televisão, Luciano Huck ganhou espaço tanto na pesquisa Ibope quanto na do Instituto DataPoder360. Nos últimos meses têm sido levantadas muitas especulações em torno do apresentador que, supostamente, teria a ambição de se candidatar ao Planalto.
Conhecido nacionalmente, influente com empresários e de fora da política, Luciano Huck parece para muitos o nome ideal para uma candidatura em tempos de Lava-Jato.
De acordo com o Ibope, o apresentador já teria o apoio certo de 5% do eleitorado, posicionando-se na quinta colocação, empatado com Geraldo Alckmin (5%), e atrás de Marina Silva (8%), Jair Bolsonaro (13%) e Lula (35%).
De acordo com Rócio Barreto, mesmo conhecido em todo o país, “Huck ainda não tem credenciais para ser candidato a presidência, mas caso fosse bem trabalhado poderia ter condições”.
Segundo o DataPoder360, hoje, Luciano Huck teria um potencial de voto de 40%, mas é superado por Jair Bolsonaro, que tem um potencial de voto de 49% do eleitorado. O apresentador de televisão tem uma taxa de rejeição de 43%.
Além de Huck, outro nome que vem sendo sondado para o Planalto é o do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Mesmo estando na política, Meirelles nuca concorreu a um cargo eletivo e é visto com bons olhos pelo mercado. Mas para Rócio Barreto, o ministro não tem a popularidade suficiente para uma candidatura. ”Não tem expressão política e nem condições de ganhar um carisma suficiente para ser eleito neste momento”, destaca.
A pesquisa DataPoder360 corrobora a analise de Barreto. De acordo com o instituto, o ministro congrega apenas 17% de potencial de voto e conta com uma rejeição de 64%.
Tanto Luciano Huck como Henrique Meirelles negam que irão se candidatar no próximo ano.(C.Geral).

Blog do BILL NOTICIAS

Namorado de Fátima Bernardes, Gadêlha recebeu doação de empresa investigada na Lava Jato

A Carioca Engenharia é citada várias vezes na Operação Lava Jato e em seus desdobramentos, como no pagamento 
de propina no contrato das obras do Arco Metropolitano
Fátima Bernardes e o novo affair, Túlio
Fátima Bernardes e o novo affair, TúlioFoto: Reprodução

Apontado como novo namorado da apresentadora Fátima Bernardes, o advogado Túlio Gadêlha recebeu R$ 50 mil da empreiteira Carioca Christiani-Nielsen Engenharia, nas eleições de 2014, de acordo com o site de prestação de contas do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Filiado ao PDT de Pernambuco, Gadêlha havia concorrido ao cargo de deputado federal, mas não foi eleito. Segundo o TSE, a empresa consta como uma das doadoras do Comitê Financeiro do PDT e teria recebido cerca de R$ 1,1 milhão. Desse montante, cerca de R$ 50 mil foi repassado à campanha do advogado.

A Carioca Engenharia é citada várias vezes na Operação Lava Jato e em seus desdobramentos, como no pagamento de propina no contrato das obras do Arco Metropolitano, do PAC Favelas e da Linha-4 do Metrô, no Rio. A construtora também aparece como uma das empresas que teria feito pagamentos no exterior aos ex-deputados Henrique Eduardo Alves e Eduardo Cunha, ambos do PMDB.

Em 2014, receber doações de empresas privadas para gastos de campanha não era uma prática ilegal. A reportagem entrou em contato com Túlio Gadêlha, mas não obteve retorno até a publicação do texto.

Leia também:
Namorado de Fátima Bernardes é de PE e vai assumir Iterpe na gestão Paulo Câmara
Frota diz que namorado de Fátima Bernardes vai levá-la para 'assentamento sem terra'


Novo affair de Fátima Bernardes

Túlio Gadêlha é formado em direito pela Universidade Católica de Pernambuco e é presidente da Juventude Socialista do PDT de Pernambuco. Em sua página no Facebook, o advogado também aparece como diretor da Fundacentro, em São Paulo.

Em 2014, Gadêlha se candidatou a deputado federal, mas recebeu apenas 3.495 votos e não foi eleito. Em fotos postadas em sua conta no Facebook, o advogado aparece ligado a movimentos sociais, como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e FUP (Federação Única dos Petroleiros), e em atos em defesa da ex-presidente Dilma Rousseff.

O advogado também é defensor de causas sociais, com a luta por direitos do movimento LGBT, e faz oposição ao governo Michel Temer. Em sua foto de capa no Facebook, Túlio Gadêlha aparece sentado na rampa do Congresso com um cartaz pedindo "Diretas Já".

Em uma de suas publicações, Gadêlha usa a hastag #GloboGolpista para reclamar do pouco tempo em que a Globo, emissora em que Fátima trabalha, dedicou à defesa de Dilma Rousseff, no ano passado.


Fátima e o namorado foram flagrados juntos, por um fotógrafo, na noite desta quinta (2). Mas desde setembro já eram vistos juntos.(Folhape).


Blog do BILL NOTICIAS




Empresa vencedora de licitação em Salgueiro diz que Certidão Negativa de Débito não está vencida; Confira a nota na íntegra


A empresa LIMPAX, vencedora da licitação dos serviços de limpeza pública de Salgueiro, assinou Contrato e Ordem de Serviço para iniciar os trabalhos na próxima quarta-feira dia 08 de novembro de 2017, após vencer todas as etapas do processo em conformidade com as exigências da legislação vigente no país.
Acerca de publicação nesta data e em eventuais reproduções noutros meios de comunicação, de que a LIMPAX teria participado do certame com Certidão Negativa de Débito vencida, não procede, esclarecendo a empresa vencedora que a Licitação ocorreu no dia 10 de julho do corrente ano e não no dia 25 de outubro do corrente ano, como foi publicado.(Via:Edenevaldo Alves).
A LIMPAX não possui nenhuma certidão vencida.

Blog do BILL NOTICIAS

Deputado assegura recursos para construir e equipar leitos do hospital de Dormentes


O deputado federal Fernando Monteiro (PP) assegurou os recursos federais para construir e equipar oito leitos de retaguarda no Hospital Nossa Senhora da Paz, em Dormentes (PE), no Sertão do São Francisco.
Hoje foi dia de visitar e levar boas notícias para Dormentes e para o Sertão do São Francisco. Trabalhando em parceria com a prefeita Josimara Cavalcanti, conseguimos os recursos necessários para os leitos. Esses leitos vão ajudar muito os dormentenses, que contarão com mais infraestrutura de saúde na própria cidade, diminuindo a necessidade de deslocamento para municípios vizinhos“, destacou Fernando Monteirom que esteve em Dormentes ontem (3) e reuniu-se com a prefeita Josimara Cavalcanti (PTB).
Segundo o deputado, quando for realmente necessário o encaminhamento até os hospitais de Petrolina, o tempo de internação fora do município poderá ser bem menor. “Com os novos leitos de retaguarda, esses pacientes vão poder voltar para Dormentes e terminar a internação em sua própria cidade, com mais cuidados e ao lado de sua família“, pontuou Fernando, que ainda passou por Petrolina e Santa Maria da Boa Vista. (foto/divulgação),( C.Britto).

Blog do BILL NOTICIAS