quarta-feira, 1 de novembro de 2017

A ELITE BRASILEIRA PRECISA SE RECONCILIAR COM LULA


Ainda há tempo para deter a marcha da insensatez iniciada no Brasil há cerca de três anos quando determinados grupos de comunicação, liderados pela Globo, colocaram em marcha a chamada "delenda Lula". Desde então, grandes obras de infraestrutura foram paralisadas, empreiteiras quebraram, um milhão de trabalhadores perderam seus empregos na construção pesada, uma presidente legítima foi afastada, o povo perdeu a confiança na democracia e uma quadrilha foi instalada no poder. Como resultado, a economia brasileira encolheu quase 10%. E Lula, o objeto dessa caçada midiática e judicial, se mantém resiliente e de pé.
Mais do que isso, como apontam as pesquisas recentes de institutos como Vox Populi, Ibope, Datafolha e Paraná Pesquisas, ele lidera todos os cenários sobre sucessão presidencial e tem chances reais de vencer até no primeiro turno. Incapaz de fabricar um candidato capaz de oferecer esperanças de dias melhores à população, a direita brasileira, representada pelo chamado "partido da imprensa golpista", ora ensaia produzir extravagâncias de laboratório, como o apresentador Luciano Huck, ora reforça as apostas no tapetão judicial, colocando pressão para que o Poder Judiciário aceite ser instrumentalizado por grupos de interesse e retire Lula da disputa com uma canetada.
Uma eleição sem Lula, evidentemente, prolongaria a crise brasileira porque instalaria na presidência, a partir de janeiro de 2019, um segundo Michel Temer. Ou seja: mais um ilegítimo, que só estará no poder porque a elite nacional, refratária à vontade popular, terá manobrado nos bastidores para fazer valer seus interesses mais espúrios e mesquinhos. E o Brasil, onde somente 13% hoje dizem confiar na democracia, terá praticamente se convertido num regime oligárquico, onde eleições servem apenas de fachada para que os mais fortes imponham sua vontade sobre os mais fracos. Uma vexame internacional em pleno século 21.
Embora o jogo seja mais do que explícito, o fator mais intrigante é absoluta falta de lógica nesses movimentos. Lula presidiu o Brasil durante oito anos, que foram justamente o período de maior desenvolvimento na história recente do Brasil. Embora seja acusado de "populista", foi Lula quem tirou equilibrou as contas públicas, acumulou mais de US$ 300 bilhões em reservas, tirou o País do colo do Fundo Monetário Internacional e fez com que o Brasil alcançasse o chamado "grau de investimento". Ou seja: com decisões econômicas sensatas, somadas a políticas de distribuição de renda, ele criou um ambiente que ampliou o mercado de consumo e permitiu que as empresas ampliassem seus lucros e investimentos.
Lula, portanto, já foi testado e aprovado. A tal ponto que deixou o poder com 87% de aprovação – um recorde internacional. A tentativa de destruí-lo, capitaneada pela Globo, serviu a inconfessáveis internacionais, como os das multinacionais do petróleo, que já se assenhoraram do pré-sal brasileiro, e também às empresas chinesas – muitas delas estatais – que têm se aproveitado do feirão de ativos no Brasil. Ou seja: nada disso deveria interessar ao Brasil ou à chamada burguesia nacional.
Como mostrou o mais recente levantamento do Ibope, Lula tem no mínimo 35% e não pode ser retirado das urnas porque assim desejam os Marinho. A luta de vida ou morte da Globo contra o mais popular presidente da história do País não é – ou pelo menos não deveria ser – a mesma da chamada elite nacional. É hora de se reconciliar com Lula, antes que seja tarde demais.(247).
(este artigo foi originalmente publicado na revista Nordeste).

Blog do BILL NOTICIAS

Prefeitura de Petrolina oferece capacitação para fortalecer microempreendedores



Para quem busca fortalecer e expandir seu negócio de forma planejada, a Agência do Empreendedor (AGE) de Petrolina disponibiliza, gratuitamente, consultorias e capacitações que auxiliam aos microempreendedores.
Os consultores da AGE e os estagiários da Instituição Educacional Grau Técnico irão atender a todos que procuram empreender. Foi assim, com a empresária do ramo de festas, Ana Lúcia, que buscou informações para alavancar suas vendas. “A equipe da AGE está de parabéns pelo atendimento e, principalmente, pelas orientações e sugestões que a partir de hoje, irei implantar para a melhoria do meu negócio”, disse Ana.
De acordo com a economista e consultora da AGE, Patrícia Souza, a ideia é auxiliar nas principais dificuldades que o empreendedor encontra no dia a dia da gestão de seu negócio e indicar outras soluções de acordo com as suas necessidades. “No caso de Ana Lúcia, prestamos uma consultoria estratégica em vendas, onde a mesma vai realizar novos procedimentos de divulgação do seu produto em pontos de vendas e redes sociais, além do cuidado com o pós-vendas, adiantou Patrícia, que aproveitou a ocasião para convidar os microempreendedores a conhecerem o trabalho desenvolvido pela AGE.
A Agência do Empreendedor funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 15h na Rua Castro Alves, N° 55, Centro, atrás do Banco do Brasil, próximo à Delegacia da Mulher. Telefones (87) 3861-8270/ 3862/2602. (C.Geral).

Blog do BILL NOTICIAS

Absurdo: Samu de Petrolina registra mais de 1,1 mil trotes entre os meses de agosto e outubro


Uma prática deplorável tem preocupado o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Petrolina. São as falsas chamadas de ocorrências para o 192. Em média, por mês, o Samu atende cerca de 2.500 chamadas. Porém, destas, cerca de 900 são trotes. Entre agosto e outubro, o número aumentou consideravelmente, mais de 1.100 trotes.
De acordo com a coordenadora de Enfermagem do Samu, Cristiane Nunes, a maioria dos trotes é feita por crianças e adolescentes, mas há também uma grande parcela de homens que ocupam as linhas para dizer palavras de baixo calão às telefonistas, prejudicando o serviço, que precisa ser ágil.
“À medida que alguém liga pro Samu e faz uma brincadeira, solicita uma ambulância e esta é liberada para um trote, impede de auxiliar quem realmente está precisando dos nossos serviços. Então, fazemos um apelo pela conscientização dos cidadãos, dos pais, que orientem seus filhos para que não tenhamos mais esse problema, que é tão prejudicial para a própria população“, diz a coordenadora do Samu.
Ainda de acordo com Cristiane, o SAMU tem procurado alertar aos cidadãos sobre os perigos dos trotes, através de palestras educativas que são feitas mensalmente em diferentes bairros da cidade. “Participamos de ações sociais que visam justamente orientar as pessoas quanto à prática dos trotes e cuidados com a saúde. Vamos iniciar o Samu nas escolas, conversando com crianças e adolescentes, e escolhemos o período próximo das férias escolares por ser o momento em que recebemos mais chamadas falsas“, explica. Vale ressaltar que passar trotes para órgãos de saúde ou de segurança pública é crime, passível de punição. Se o autor do trote for menor de idade, seus pais podem ser enquadrados. (Foto/arquivo),(C.Britto).

Blog do BILL NOTICIAS

LÍDERES METALÚRGICOS DESMENTEM GOVERNO: NÃO HÁ RECUPERAÇÃO NA INDÚSTRIA

Rodolfo Buhrer

Por Railídia Carvalho, do Portal Vermelho
Dirigentes da Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (Fitmetal) afirmaram ao Portal Vermelho que só a constatação de índices positivos na indústria nacional não aponta para a recuperação deste segmento. Nesta quarta-feira (1º), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que a produção industrial nacional cresceu meros 0,2% frente a agosto e 2,6% na comparação com setembro de 2016.
A cautela de Aurino Pedreira e Marcelo Toledo, respectivamente vice-presidente e diretor de Formação da Fitmetal, vai ao encontro da afirmação do gerente da pesquisa do IBGE, André Macedo. Segundo o pesquisador, apesar dos números positivos, "o patamar de produção está 17,4% abaixo do pico histórico alcançado em junho de 2013".
De acordo com o IBGE, a produção industrial acumulada em 12 meses ficou positiva, registrando alta de apenas 0,4%. É a primeira vez desde maio de 2014, quando havia crescido 0,3%. Segundo o órgão, "o setor de veículos automotores aparece como um componente positivo para o resultado da indústria".
"É precipitado definir os índices como recuperação da indústria. Gostaria que fosse verdade mas o que tenho percebido é um pessimismo em empresários de outros segmentos com perspectivas de médio e longo prazo para a indústria. Parece mais uma cortina de fumaça", afirmou Aurino sobre o discurso do governo federal sobre a "recuperação". Michel Temer afirmou no início de outubro ver sinais de retomada consistente da economia com a participação da indústria.
Emprego industrial
Aurino (foto) lembrou que a participação da indústria no Produto Interno Bruto (PIB) retroagiu ao período anterior a 1947, resultado de um intenso processo de desindustrialização e desnacionalização. "O emprego industrial tem se reduzido cada vez mais e se nós analisarmos o crescimento econômico do país, o resultado positivo tem como referência uma perda originada por dois anos consecutivos muito ruins", alertou Aurino.
Marcelo Toledo afirmou que o nível de crescimento divulgado é muito inferior quando se compara com a perda de postos de trabalho. Segundo o dirigente, os metalúrgicos têm sido a categoria mais penalizada pelo desemprego. Foram 530 mil vagas extintas desde 2013, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e Relação Anual de Informações Sociais (Rais).
"Significa que o caminho da economia brasileira está certo? Achamos que não. Não tem dado reflexo na reestruturação do parque industrial. Não tem significado avanço na industrialização contra a desindustrialização", afirmou Marcelo. Ele complementou que o crescimento apontado pela pesquisa não diminuiu o desemprego entre a categoria. "Quando tem contratação é por salários mais baixos e nos postos com remuneração menor."
Segundo Marcelo, o trabalhador demitido há um ano enfrenta dificuldades para conseguir recolocação e a dificuldade é maior se tentar garantir as mesmas condições salariais de antes da demissão. "Muitos que estão entrando no mercado de trabalho é com salário abaixo do que ganhavam."
Golpe na indústria nacional
Para o sindicalista (foto), um sinal de recuperação da indústria seria a retomada dos milhares de empregos perdidos. "Mas não é o que acontece com esse governo que faz um processo de entrega do pré-sal e quebra a lógica do conteúdo local, que mantinha empregos na indústria nacional. Isso demonstra claramente que esse governo não tem uma política de desenvolvimento do setor industrial nacional."
Como recuperar a indústria nacional para gerar emprego e renda e retomar o crescimento no país? O ciclo de debates "Industria e Desenvolvimento" realizado pela Fitmetal em vários estados do Brasil nasceu para apontar propostas sobre o tema. São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Aracaju e Manaus foram algumas das cidades que receberam a iniciativa, que pretende realizar dez debates reunindo sindicalistas, economistas, empresários e poder público.
Ciclo de debates
Aurino participou do debate realizado em Salvador. "Tivemos uma atividade muito rica em que se apontou erros ao longo do tempo na falta de uma política industrial. Nas últimas décadas tivemos bolhas de programas para a indústria mas longe de ter uma política industrial", disse.
Ele contou que entre os participantes do debate, com alguma variação nas posições, há um senso comum que aponta para a necessidade de um Estado nacional como indutor para o desenvolvimento. Ele citou como ponto em comum entre os debatedores, a posição de que o papel do Banco Central deve ser conduzido pela orientação de governos e não atuando como instituição financeira autônoma.
"A questão da política macroeconômica inviabiliza o desenvolvimento nacional com seus juros altos, o câmbio em prejuízo da indústria nacional e as medidas de ajuste fiscal", complementou Aurino. O dirigente ainda lembrou que preocupa o movimento sindical pauta em debate no Congresso Nacional que pode inviabilizar a permanência de empresas no norte e nordeste do país.
O Ciclo de Debates "Indústria e Desenvolvimento", organizado pela Fitmetal, também acontecerá nas cidades de Belo Horizonte (MG), no dia 6 de novembro; Chapecó (SC), no dia 7 de novembro; Caxias do Sul (RS), no dia 13 de novembro; No Recife (PE), no dia 27 de novembro e em São Luís (MA) no dia 7 de dezembro.(247).
Para saber mais sobre o Ciclo de Debates clique AQUI para acessar o portal da Fitmetal.


Blog do BILL NOTICIAS

AMMA multa homem em R$ 5 mil por lavar carro no Rio São Francisco


O proprietário de um veículo de passeio foi multado em R$ 5 mil pela Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA) por lavar o carro dentro do Rio São Francisco, na altura do Complexo Turístico Porta do Rio. O fato ocorreu na última terça-feira (31/10).
O condutor infringiu o artigo 61, que pune aquele que causar poluição de qualquer natureza, que possa resultar em danos à saúde humana, animal ou a biodiversidade. Nesse caso a AMMA entende que resíduos poluentes do carro foram liberados no rio durante a lavagem.
Ele também foi enquadrado no inciso 5º do artigo 62, que fala especificamente da poluição das águas e pune quem lançar resíduos sólidos, líquidos, gasosos, sejam eles oleosos ou não. Ambos fazem parte do Decreto Federal 6.514 que regulamenta as infrações e sanções administrativas referentes ao meio ambiente.
Segundo o diretor-presidente da AMMA, Rafael Oliveira, esta é a primeira autuação dessa natureza em 2017. “Durante este ano, foram dadas advertências a quem estava em desacordo com as leis de crime ambiental. A AMMA pede a quem utilizar o local para banho ou outros fins, que tome os devidos cuidados, além de armazenar o lixo de maneira adequada e descartar em local correto“, explica.
Prazo
Em caso de reincidência, além de multa, o veículo pode ser apreendido. O motorista tem dez dias a partir da autuação para recorrer a AMMA ou pagar a multa. As informações são da assessoria da PMP.(Foto/divulgação),(C.Britto).

Blog do BILL NOTICIAS

Lula e Ciro, pelo Brasil

RICARDO STUCKERT

Este artigo de reflexão discute a hipótese de se juntar os dois principais candidatos presidenciais do campo progressista, da centro-esquerda, em uma única chapa, apontando alguns dos inúmeros argumentos para tal junção. Juntar os 36% de intenções de voto de Lula mais os 5%-10% de Ciro (ou potencialmente até mais, tendo em vista que ainda estamos a cerca de um ano das eleições), dá para selar a definição da eleição presidencial de 2018 já no primeiro turno.
Mas, por que os campos dos dois candidatos deveriam considerar seriamente isso? Primeiramente, porque assim se conseguiria viabilizar a formação efetiva de uma frente progressista, praticamente imbatível frente aos Hucks, Dórias, Alckmins, Bolsonaros e/ou outra invenção qualquer da grande mídia. Segundo, que a capacidade de oratória de Lula e de Ciro Gomes, distribuídas em andanças pelo país, têm potencial realmente de gerar uma onda de mobilização, com base em ideias de futuro, de construção e de nação.
É dentre os aspectos específicos, no entanto, que a coisa fica ainda mais interessante. Alguns dos pontos são destacados abaixo.
Argumentos para Lula se unir a Ciro:
- Ciro tem um projeto de país claro, sobre como retomar a economia, como reconstruir o desenvolvimento produtivo-industrial do país e implementar um modelo macroeconômico livre do rentismo que adoece a economia nacional;
- Tem, ainda, grande capacidade de mobilizar os universitários e a inteligência acadêmica nacional, através da discussão de ideias e de um projeto de país – projeto este, por sinal, que em inúmeros aspectos é similar às bandeiras históricas do petismo e da centro-esquerda brasileira (vide as inúmeras palestras e debates que Ciro tem participado);
- Sempre foi muito leal a Lula, mesmo quando fez/faz críticas, que são genuínas, de substância, e não por simples criticismo, e que deveriam de fato ser ouvidas. Vale lembrar que Ciro já abdicou em distintas ocasiões de candidatura própria em nome de candidaturas presidenciais petistas, e foi um dos mais importantes defensores da institucionalidade e da legitimidade dos governos do PT nas ocasiões em que a direita e a mídia tentavam desestabilizar o governo petista (2006, 2014-2016);
- Seria um vice respeitabilíssimo, com ampla experiência administrativa, tendo sido governador, prefeito de capital, Ministro da Fazenda, deputado, executivo de empresa, nunca processado por improbidade e deixou os cargos executivos que ocupou com altíssimos níveis de aprovação;
- Com Ciro como candidato a vice, na eventual hipótese de a justiça impedir Lula de se candidatar, seria bem mais fácil e imediata a transferência de votos de Lula para o "vice" da sua chapa (Ciro, que já teria consigo o porte necessário de presidenciável, que já é reconhecido, e que neste caso poderia passar a ter o petista Fernando Haddad como seu vice). Este teria, no entanto, que ser um acerto claro e prévio.
Argumentos para Ciro se unir a Lula:
- Apesar das críticas que Ciro tem a Lula, que são de substância e não por mero criticismo e sempre destacando e enaltecendo os aspectos positivos que Lula trouxe ao país, Ciro deveria se unir a Lula em nome de um bem maior: seria a chance mais robusta de resgatar o povo brasileiro das trevas que se tornou o Brasil depois de 2016 (um país entristecido, pouco respeitado, com o Estado de Direito em frangalhos, com direitos e avanços que haviam sido historicamente conquistados sendo retirados semana a semana). Este é o momento, portanto, de, deixando as divergências de lado, unir as forças políticas mais robustas que estão comprometidas com um desenvolvimento progressista, calcado na justiça social e no fortalecimento do sistema produtivo nacional, em detrimento do rentismo que tomou conta das esferas mais estratégicas de poder.
- Seria mediante um compromisso assumido por Lula de: (i) caso Lula seja eleito presidente, o vice Ciro teria papel relevante no apoio ao desenho da estratégia de desenvolvimento econômico do país (tema sobre o qual Ciro vem se debruçando aprofundadamente e conversando com o melhor da inteligência nacional, em fóruns de debate, universidades, sindicatos, etc, sempre muito ovacionado); seria muito mais que um "vice decorativo", mas um verdadeiro parceiro para a implementação de um projeto de país; Ciro poderia até mesmo – tal como o fez o então vice de Lula, José de Alencar (que foi também Ministro da Defesa) – ocupar o cargo duplo de vice-presidente e de Ministro de Estado (neste caso, o posto de Ministro da Fazenda ou Casa Civil da Presidência); (ii) caso a justiça impeça Lula, no apagar das luzes, de concorrer ainda durante as eleições de 2018, Ciro (então candidato a vice de Lula) seria então automaticamente alçado à cabeça de chapa (com um quadro como o ex-Ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo, Haddad, em sua vice); nesta hipótese, vencida a batalha judicial posteriormente às eleições, com sua ulterior absolvição, Lula poderia ainda no futuro até mesmo se unir ao governo na posição de Ministro das Relações Exteriores, ajudando a reconstruir o prestígio do país no cenário internacional (lembrando que será um país em reconstrução, e precisaremos dos "melhores jogadores" em campo).
Recado aos petistas: prestem atenção com carinho no projeto de país que Ciro Gomes vem propondo, o seu diagnóstico sobre os problemas econômicos e sociais do país e especialmente os seus prognósticos de como os enfrentar.
À turma do Ciro, e ao Ciro Gomes: observem que, por mais que o avanço eleitoral de Lula traga polarizações, é ainda a força política mais pujante que encarna no país o sentimento de esperança; esperança de que as políticas públicas e mudanças institucionais anti-povo que não foram chanceladas pelas urnas possam ser de fato revertidas e que o Brasil tenha um novo momento em que se possa voltar a pensar o desenvolvimento do país.
Uma união de Lula e Ciro não seria uma união de iguais. Será uma união de diferentes, mas que se somam em nome de um bem maior e comum: a sociedade brasileira. Sugiro um início de debate entre os dois grupos, deixando-se o ceticismo mútuo de lado, para se estabelecer um diálogo genuíno.
Não é isto, afinal, o que se deve esperar de uma efetiva democracia? 2018 é o ano em que todas as fichas estarão em jogo; e o ganhador ou perdedor, mais do que os partidos políticos, será o querido povo brasileiro.(247).

Blog do BILL NOTICIAS

Caravanas de Lula: a força das mídias sociais e a resposta do povo

Ricardo Stuckert

As caravanas que o ex-presidente Lula têm realizado Brasil afora demonstram, pelo seu sucesso, que a imensa maioria da população, mesmo bombardeada, diuturnamente, pela mais sórdida perseguição jurídico-midiática a uma liderança política, anseia pela sua volta ao comando da nação.
Ovacionado por onde passava no nordeste brasileiro, deu-se o mesmo fenômeno ao percorrer as cidades das Minas Gerais. 
Para a desgraça dos grandes barões da mídia monopolizada que de tudo fazem para jogar as caravanas na invisibilidade, a emergência das mídias sociais, deram volume e produziram noticiário em tempo real que alcançaram cifras de milhões de brasileiras e brasileiros de todos os quadrantes, que acompanhavam e interagiam em cada atividade realizada.
A cada pesquisa de opinião pública que sai independentemente da metodologia aplicada, Lula segue liderando. A forte resiliência de Lula, ao mesmo tempo que assusta as elites conservadoras, faz destilar esse oceano de ódio e preconceito que se dissemina pela população.
O elitismo não conhece o Brasil. Talvez se fosse Miami, Nova York ou Paris eles compreendessem mais.  Estamos em um país de dimensões continentais, onde a diversidade cultural é escamoteada pelos principais veículos da mídia televisiva. Eles se surpreendem quando o povo é chamado a opinar.
O mesmo fenômeno, observado nas chamadas Caravanas da Esperança será replicado nas periferias dos demais estados da federação.
O entusiasmo crescente das camadas populares com a perspectiva da volta de Lula em 2018 faz aflorar por outro lado a sanha mesquinha daqueles que, mesmo minoritários, consideram-se donatários da nação brasileira. Esses “senhores” sabem que só um novo governo com nitidez democrática e popular será capaz, pela força do povo, de barrar o desmonte do estado nacional.
 O golpe perpetrado pelos atuais inquilinos do Palácio do Planalto tem inspiração clara nas forças do império e está produzindo um caudal de insatisfações e repúdio na imensa maioria dos brasileiros. Mantem-se no poder em parte pelo intenso fisiologismo e também pela omissão do Poder Judiciário, notadamente, o Supremo Tribunal Federal.
Os endinheirados das áreas nobres, os barões do agronegócio e os privilegiados do sistema financeiro perfazem os 3% que aprovam Temer e sua trupe.
As forças do atraso movimentam-se no sentido de tentar barrar, pela via do tapetão, a candidatura de Lula. Entendem que ao abrir o diálogo sincero e franco com a população Lula tende a ampliar, em muito, suas bases de apoio.
A nitidez com que se percebe o golpe parlamentar nos dá a quase certeza que este foi urdido por forças internacionais, aliadas ao que há de mais podre na política nacional. Os golpistas impulsionados pela força do capital se encontram encastelados na Câmara e no Senado da República.  Essas forças que sustentam o governo usurpador estão promovendo a maior rapinagem da história e com isto levando de roldão conquistas históricas dos trabalhadores.
A banca internacional interessada nas riquezas brasileiras, notadamente, o petróleo do pré-sal, promove, juntamente, com os setores conservadores do aparelho de Estado uma verdadeira quebra de empresas, permitindo a entrada em nosso território dos grandes trustes multinacionais da construção pesada e da engenharia.
A rapinagem explícita não poupou nem a Amazônia, considerada o “pulmão” do mundo.  Não fosse a resistência dos amplos setores da sociedade civil organizada parte desse território teria sido alienado para grupos estrangeiros.
Aos poucos, amplos setores da população vêm percebendo o que de fato está ocorrendo: mesmo com toda a blindagem da grande mídia, as redes sociais conseguem furar o bloqueio.
Ressurge nos corações e mentes de amplas parcelas do povo brasileiro uma esperança de reverter esse estado de coisas: a liderança de Lula, ancorada em um amplo programa de restauração das conquistas sociais e em um compromisso cristalino com o desenvolvimento nacional, é a porta de saída da crise.(247).
Avizinha-se um cenário de grandes lutas. Estejamos preparados!

Blog do BILL NOTICIAS

REVISTA DA ABRIL DIZ QUE LULA “ROUBA CORAÇÕES” E REVOLTA DIREITISTAS

Foto: Ricardo Stuckert

 A revista Exame, da editora Abril, tem sido alvo de críticas de internautas na tarde desta terça-feira (31), desde que publicou a matéria "Lula rouba corações, lidera pesquisas e segue em campanha".
Para antipetistas, boa parte do público da revista, a chamada da matéria é positiva ao ex-presidente e, por isso, alguns prometeram parar de seguir a página, outros disseram que iriam cancelar a assinatura e teve até quem chamou a publicação de "comunista" por ter a logomarca na cor vermelha.(247).
Confira, abaixo, algumas das reações bizarras:



Blog do BILL NOTICIAS

Em Afrânio, empreendedorismo é tema de palestra para alunos do EJ



Empreendedorismo em dois tempos. Esse é o tema da palestra promovida pelo Sebrae em parceria com a prefeitura municipal de Afrânio, para estudantes e que nessa terça-feira(31) foi assistida pelos alunos do Eja, no auditório do  Memorial Jose Theodomiro, que ficou lotado por pessoas interessadas em uma atuação empreendedora.  Com uma linguagem direcionada ao público jovem, o objetivo principal dessa palestra  é disseminar a cultura empreendedora para os estudantes que buscam caminhos para o começo de sua vida profissional.
A iniciativa é direcionada para ajudar o estudante a conceituar os comportamentos empreendedores; sensibilizar os estudantes a se envolverem com as ações de estímulo e fomento ao empreendedorismo no processo de formação e nos projetos de pesquisa e extensão nos ambientes das instituições de educação superior; e incentivar os universitários a terem uma atuação empreendedora como perspectiva de vida e de trabalho, envolvendo o ecossistema empreendedor. Uma forma de ampliar o horizonte desses estudantes.(C.Geral).

Blog do BILL NOTICIAS

PREVISÃO DE CHUVA HOJE PARA PETROLINA - 01/11

Imagem relacionada
Foto ilustrativa/internet
Imagem relacionada
Foto ilustrativa/internet
Nos últimos dias em Petrolina, a temperatura tem sido bastante elevada em nossa cidade.
Mas na região segundo informações, choveu em algumas localidade do interior como: Pau Ferro e Rajada. 
Segundo o site do Clima Tempo, hoje quarta feira (01) a previsão é de chuva para Petrolina.
Em toda a manha até o inicio da tarde, a temperatura ainda continua alta, mas logo após, teremos o aumento de nuvens e Pancadas de chuva à tarde e à noite.

Tempo no momento em
Petrolina - PE
34°
Alguma nebulosidade
  • Sensação: 34°
  • Umidade: 39%
  • Pressão: 1013 hPa
  • Vento: 6 km/h
  • Alguma nebulosidade
Atualizado às 13:00

Blog do BILL NOTICIAS

Indicação de chuva para Petrolina nesta quarta-feira(01)


Segundo o site clima tempo tem previsão de chuva em Petrolina nesta quarta(01), para a tarde e a noite.(C.Geral).


Blog do BILL NOTICIAS

CIRO DISPARA: DORIA É FARSANTE, PILANTRA E CARTA FORA DO BARALHO

Reprodução | Agência Brasil

Por Gabriel Nascimento e Matheus Morais, do portal Metro1
Durante entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (1º), o pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT) aproveitou para traçar o perfil dos seus possíveis oponentes no pleito do próximo ano. Questionado sobre o atual prefeito de São Paulo João Doria (PSDB), o pedetista foi enfático: "É um farsante". 

Ironizando a iniciativa mais recente do tucano — o chamado "alimento processado" —, Ciro não poupou críticas e declarou que Doria "é carta fora do baralho". "João Dória é um farsante. O cara que é um politiqueiro, filho de deputado, foi presidente da Embratur no governo Sarney, foi corrido de lá por corrupção. Depois até foi inocentado no Tribunal de Contas, mas ele foi demitido por um escândalo grande. Teve mais um escândalo, que não foi de corrupção: ele teve um disparate de criar um vetor de turismo para o povo de São Paulo e do Rio visitar o flagelado da seca. Foi um escândalo. Eu já era candidato a prefeito de Fortaleza nessa data, e eu tenho uma animosidade com ele desde isso. O cara tem horror a pobre, e aí fica lendo pesquisa, e na pesquisa de marqueteiro que vende sabonete, está dizendo que o povo está com raiva dos políticos. E o que ele faz? Ele é o político não político. Isso é o pior pilantra que existe na história. O que você entregou? Com 30 dias, está agarrado em avião pra cima e pra baixo. Cria um negócio pra resto de comida para os pobres. O único enfrentamento de algum problema central de São Paulo foi a desastrada operação na Cracolândia. Sem planejamento, sem qualquer coisa, como se fosse qualquer coisa. E aí, com a montanha de dinheiro da Prefeitura, vai subornando a grande mídia de São Paulo, que vai dourando a pílula. Mas, mesmo assim, não estão aguentando mais, porque há uma repulsa popular crescente. Eu dizia; esse camarada vai estar desmoralizado muito rapidamente. Se um cabra em Fortaleza ou em Salvador se elege prefeito e com 30 dias é candidato a presidente e passa a rodar pelo país afora... E o repórter pergunta: ʹMas você está ausente de São Paulo!ʹ E ele: ʹSou moderno, governo pelo celular.ʹ Olha a concepção de governo: é ele falando. Não tem que ouvir a população, que olhar o problema, nada. É a visão do estúpido, do tecnocrata. Então, esse é carta fora do baralho", disse.

Questionado por MK sobre a ʹatropeladaʹ que Dória deu em Alckmin na pré-candidatura a presidente, Ciro foi enfático. "Isso consulta o caráter. Porque adora-se a traição e despreza-se o traidor. Ele é vil. O Alckmin bancou a candidatura dele, na marra. E ele com 30 dias está com uma faca nas costas do Alckmin. Todo mundo está vendo isso, de forma que eu considero que ele é carta fora do baralho", falou.
"Eu todo dia acendo uma vela para São Briguilino, para ele [Doria] cometer a bobagem de sair da Prefeitura, se filiar a outro partido e ser candidato a presidente. Porque aí divide a direita", falou. Perguntado sobre que santo era esse, Ciro brincou: "Eu inventei, não tem esse santo não. Eu não ocupo santo sério com essas coisas".(247).

Blog do BILL NOTICIAS

Programação do dia de finados da Paróquia Nossa Senhora das Dores de Rajada.


A Paróquia Nossa Senhora das Dores, com sede no distrito de Rajada, Petrolina – PE, realizará celebrações de finados em diversas comunidades e na sede do distrito, no próximo dia 02 de novembro.
A primeira celebração está prevista para às 06h, no cemitério central de Rajada; às 09h, a comunidade de Santa Fé será atendida com a Celebração; 11h, será celebrada a Santa Missa na comunidade de Pau Ferro; no Sítio do Meio, a celebração iniciará às 14h, enquanto que na comunidade de Poço da Onça, será celebrada a partir das 16h; e na Igreja matriz da Paróquia a Missa acontecerá  às 19h30.
Informações sobre intenções, procurar antecipadamente membros de pastorais, que estarão recolhendo os nomes nas residências ou na secretaria paroquial de 08 às 12h.
(Ascom),(C.Geral).

Blog do BILL NOTICIAS

Dois anos sem Osvaldo Coelho


A família de Osvaldo Coelho, o ‘Braço Forte do Sertão’, convida parentes e amigos para a missa de 2 anos do seu falecimento, a realizar-se às 17h desta quarta-feira (1), na Igreja Matriz, em Petrolina-PE.(C.Geral).


Blog do BILL NOTICIAS


DILMA ALERTA PARA O RISCO DA FASE 2 DO GOLPE

Brasil 247

 Em entrevista exclusiva à TV 247 nesta terça-feira, 31, a presidente deposta Dilma Rousseff afirmou que o golpe que a destituiu do cargo deve estar se encaminhando para uma segunda e decisiva fase: impedir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de concorrer à presidência em 2018, mudar as regras eleitorais para impedir a vitória de um candidato progressista ou até mesmo cancelar as eleições.
"É claro que eles não fizeram o golpe para entregar de volta. Mas eles erraram na mão. Cometeram muitos erros. Fizeram uma rapina", disse Dilma. Segundo a presidente petista, os conservadores estão com grandes dificuldades diante da popularidade de Lula, que vence em todas as pesquisas eleitorais.
"Lula ganha no primeiro turno, e nós estamos caminhando para um impasse. Vivemos a ameaça de um segundo golpe, e esta ameaça está centrada em impedir Lula de ser candidato. Tirar o Lula para fazer o serviço sujo, privatizar a Eletrobras, vender o pré-sal, acabar com a previdência, fazer estas reformas que estão em compasso de espera. Se eles tivessem um candidato, várias coisas eles já teriam resolvido. Mas não têm um candidato", afirmou. 
Dilma defendeu a convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte, para definir os rumos do país, e de um referendo revogatório para desfazer os estragos cometidos pelo governo de Michel Temer. "O Lula tem razão em falar em referendo. Não será quebra de contrato, estamos avisando antes, dizendo: olha, não comprem, porque o que está sendo feito é ilegal. Estão vendendo o que eles não tem voto e legitimidade para vender. Estão vendendo uma riqueza que não é deles e um país que não e deles e que eles não têm mandato pra vender", afirmou.
A presidente eleita afirmou que a Constituinte deverá tomar decisões sobre o poder monopolista da imprensa brasileira. "Não podemos continuar com uma mídia controlada por quatro ou cinco famílias. No caso da informação, a concentração de poder é gravíssima".(247).
Assista abaixo à entrevista na íntegra: 
ABAIXO, OS PRINCIPAIS TRECHOS DA ENTREVISTA à TV 247:
COMPRA DE VOTOS PARA O IMPEACHMENT
Anular o impeachment é uma questão de justiça.
A compra de votos na Câmara para garantir a impunidade é um padrão adotado por Temer. Mas este padrão já havia sido adotado para obter o meu impeachment, porque já tinha sido o padrão do Eduardo Cunha na formação e manutenção da maioria parlamentar que ele tinha na Câmara.
Temer e Aécio estão sãos e salvos. Estão comprando sua impunidade. E de outro lado, o que se tem é uma presidenta que foi derrubada sem ter sido acusada de corrupção, que não cometeu nenhum ato que caracterize crime de responsabilidade. Ela pôde ser afastada apenas por não ter maioria parlamentar e por não ter comprado votos.
É objetivo e já de todos conhecido: compraram votos para aprovar o impeachment, e a Justiça tem que se manifestar. Até as pedras de todas as ruas do país sabem que o impeachment foi um golpe parlamentar e midiático.
Eu quero justiça, não pelo meu mandato, mas pela democracia e pelas instituições deste país.
A CANDIDATURA DE LULA
Lula esta sendo objeto de uma perseguição política. Levantam contra ele acusações sem provas concretas. E ele não tem nenhuma mala de dinheiro, nenhum apartamento com milhões de reais escondidos em malas e caixas, não tem contas no exterior. Está sendo acusado de ser dono de um apartamento que não está no nome dele. Acusações absurdas. É lawfare, uso da lei como arma de guerra. Usa-se a lei para destruir o inimigo civilmente, tira-se dele a condição de falar e de ser candidato e tentar ser eleito. É para impedir o uso pleno da cidadania. O maior uso da cidadania é ser candidato a algum posto eletivo, e querem tirar isto dele.
Mas não vão conseguir. O primeiro ato do golpe foi o impeachment, mas não parou aí: teve a emenda do corte dos gastos, a venda do pré-sal a preço insignificante... Agora, veremos a tentativa de interditar Lula. Mas como impedir Lula de ser candidato? Ele ganha no primeiro turno, e nós estamos caminhando para um impasse. Este impasse vai ser resolvido com a consciência da população de que esta situação é absurda: ter um sujeito no Paláciodo Planalto exercendo o cargo que não lhe cabe, que é usurpador, e uma pessoa que foi eleita duas vezes presidente, democraticamente, que não pode concorrer de novo.
O problema é sério porque um dos efeitos do golpe foi a destruição do PSDB, e o outra é o surgimento de opções de extrema direita. Vão levar a sério um sujeito que defende a tortura e homenageia um torturador? É para isto que estamos indo?
SOBRE CANDIDATURA AO SENADO
Estou num processo de avaliação do que farei em 2018. Farei política, isto eu sei. Fiz política minha vida inteira. Comecei no Colégio Estadual Central de Minas Gerais, concebido por Oscar Niemeyer. Ali comecei a fazer política, há milhões de anos atrás. Naquela época, como agora, eu fiz política e não tinha mandato. O único mandato que eu tive foi de presidente. Posso continuar fazendo plítica sem mandato. O que estou avaliando é se vou usar outra forma, como senadora, por exemplo.
MUDANÇAS NO PRÉ-SAL
O que vai mudar para o brasileiro é que esta riqueza do petróleo poderia ser vertida para todos. No modelo de concessão, a base era a dificuldade de achar petróleo. Era difícil. Tinha que pagar uma taxa de sucesso. Dispendia-se muito dinheiro com baixa chance de sucesso. Era justo que quem achasse e explorasse ficasse com o petroleo todo e pagasse ao estado roialties e participação especial.
Mas é preciso levar em conta que o petróleo é muito lucrativo, e nós descobrimos o pré-sal. É diferente, agora. Nós sabemos onde o petroleo está, nãol precisa procurar. Fica tudo num grande polígono em alto mar. Sabemos onde fica, sabemos da qualidade e sabemos que a quantidade é enorme. A qualidade é boa, na concessão era mais pedado e menos valioso. O óleo do pré-sal é de médio para muito bom. O risco e baixo, é certo que ele esta lá. Em situações assim, nenhum país do mundo fez outro regime que não seja o de partilha. A Noruega, por exemplo, aditou o regime de partilha, parecido com o nosso, e agora está aqui comprando o nosso petróleo do pré-sal baratinho.
Na partilha, a maior parte do petróleo é do povo, e a parte menor fica com os exploradores. Na partilha, 70% é da União, 30% é das empresas. No campo de Libra, a Petrobras tinha garantia de 30% do petróleo, mas há uma manipulação na maneira como contam isto. São 30% dos 30% das empresas exploradores, o que significa na verdade apenas 9%. Para mudar a lei, fizeram uma conversa que engana a população brasileira. Além disso, a partilha tem um fundo social, do qual 75% ficou com a educação e 25% para a saúde. Este é o nosso passaporte para o futuro, que não tem no regime de concessão. Destinaríamos um volume enorme de recursos para a educação.
A educação combate a pobreza. Você pode fazer distribuição de renda, mas uma hora pode parar ou diminuir, podem cortar o Bolsa Família, como estão fazendo, e coisas assim, mas a educação é perene, você carrega para a sua vida, a redução da desigualdade promovida pela educação é permanente. O país enriquece, a Nação enriquece. O mais grave é que o governo fez uma emenda parlamentar que simplesmente congela o gasto com saúde e educação por 20 anos.
Agora, no pré-sal, desmonta o modelo de conteúdo nacional. O Brasil tem indústria e agricultura sofisticadas. O pré-sal com conteúdo local transformaria o Brasil num grande produtor de equipamentos, com uma indústria qualificada e de produtos caros. Produziriamos navios, plataformas, até móveis, equipamentos, tintas etc. É uma cadeia produtiva enorme, produzindo no Brasil o que pode ser produzido no Brasil, e dando emprego a brasileiros. Até imaginávamos trazer para esta cadeia produtiva indústrias internacionais. Elas viriam para produzir aqui. Mas este governo está entregando tudo para ser feito no exterior.
O futuro do Brasil é dramático. Estamos sendo vendidos barato.
REFERENDO REVOGATÓRIO É VIÁVEL?
Achei prudente e correta a carta enviada às embaixadas e empresas pela frente liderada pelo Requião e Patrus, com o Lindbergh também, dizendo que eles não comprem este Brasil que estão vendendo na bacia das almas, porque nós vamos rever tudo.
O Lula tem razão em falar em referendo. Não será quebra de contrato, estamos avisando antes, dizendo: olha, não comprem, porque o que está zendo feito é ilegal. Estão vendendo o que eles não tem voto e legitimidade para vender. Estão vendendo uma riqueza que não é deles e um país que não e deles e que eles não têm mandato pra vender.
HÁ INFLUÊNCIA INTERNACIONAL NISSO?
Temos uma elite que mistura políticos golpistas com mídia golpista e empresários egoístas. Em matéria de atitudes corretas diante do povo e da nação, eles não precisam de influência extrema para fazer o que fazem. Por quatro eleições era isso que eles queriam, este era o projeto deles: internacionalizar a economia brasileira. Sempre foi este o projeto – do PSDB e do Temer. Mas, obviamente que segmentos internacionais estão satisfeitos com esta orientação. Eles olham com felicidade e desconfiança. Ninguém lá fora é ingênuo de não perceber o que está acontecendo, que algo está sendo feito sem a legitimidade do voto. O politicamente inconcebível vira o politicamente inevitável. Pegaram uma crise, acentuaram a crise, inventaram um impeachment e aproveitam este tempo para fazer todas as reformas antipopulares e antinacionais que possam fazer.
E UMA CONSTITUINTE PODERIA DESFAZER ESTES ERROS?
Seria a forma mais democrática. Se quer fazer uma reforma democrática, convoque uma constituinte. Temos que mudar muita coisa. Por exemplo: não podemos continuar com uma mídia controlada por quatro ou cinco famílias. No caso da informação, a concentração de poder é gravíssima.
— O mundo sem Globo é possível, presidente?
— O mundo sem Globo não só é possível, como é necessário.
Também precisamos de uma reforma tributária séria e a Constituinte poderia tratar disso. Aqui no Brasil, cobra-se muito imposto dos trabalhadores e da classe média, mas não se cobra imposto dos ganhos de capital. Não tributamos dividendos, não tributamos grandes heranças, não tributamos grandes fortunas. Todos os países tributam, mas nós não.
Nós vivemos num momento delicados da vida moderna. Cresce a financeirização. A atividade financeira abocanha a atividade produtiva. Isto gera concentração de riqueza e renda. Nos EUA, 1% da população detém 99% da riqueza deles. Aqui é igual. A desigualdade aumenta, e isto ataca a democracia. A constituinte pode refazer caminhos. Vamos fazer uma reforma tributária? Vamos cobrar dos ricos? É mentira que se cobrar eles vão deixar de investir. O mnercado deles está aqui.
A carência de educação e saúde, saneamento, habitação é tamanha que precisa muito dinheiro. Tem que cobrar e gastar direito.
TEMER SURPREENDEU? PERCEBEU QUE SERIA TRAÍDA?
Ele jamais apresentou programa como candidato a presidente. Ele só apresentou a ponte, ou pinguela, na véspera do golpe.
Na transição da ditadura para a democracia, houve algo importante, porque criou-se um centro democrático: Ulysses, Covas, gente com perfil progressista. Este centro democrático foi se fragmentando. A grande inflexão foi Eduardo Cunha, que chegou para montar um novo padrão de relacionamento do legislativo com o mercado e impõs a mercantilização a todos os poderes, inclusive o judiciário.
Ele passa a receber dinheiro e comprar uma maioria parlamentar, e passa a ser chefe de poder. Porque tem um projeto de poder que implica ter 180 parlamentares, que ele controle porque os financiou de alguma forma. Ele é ultraconservador em termos de valores e ultraliberal em termos econômicos. Em termos éticos, é aquela figura que acredita que escrupulos é uma ilha grega.
Não é um processo pessoal, mas de formação de um grupo. Ele profissionaliza um grupo que disputa hegemonia e ganha o controle do chamado centro democrático. E pega os fragmentados. E financia um amplo conjunto de partidos e não apenas de partidos. O ainda Temer sobrevive porque esta compra de maioria parlamentar está firme. Atuou no meu impeachment e atua até agora, nas duas tentativas de processar o Temer.
FHC precisava de algo em torno de 3 partidos para fazer maioria simples e 4 para ter dois terços. Lula era 6 e 8, de 8 a 12. Eu precisei de mais de 20 a 30. Este processo de fragmentação facilita a corrupção e dificulta o exercício do governo. Quando acaba a cáusula de barreira, cria-se um mercado de fundo partidário e de tempo de TV.
Há 32 partidos e não há 32 projetos de país. Não há perspectiva de poder para todos, resta o fisiologismo. Um sistema produzido para fragmentar o processo político e facilitar a corrupção.
Nós fomos obrigados a compor uma coalizão. O prolema não foi este, foi no final do Lula e inicio do meu primeiro mandato, em que há uma alteração na hegemonia do centro. Ainda sem o padrão Cunha. Com o padrão Cunha, descamba para a direita.
COMO ELEGER MELHOR?
Sem uma mudança substantiva na formação das bancadas e na escolha das pessoas, não vai melehorar. Mas isto não vem de nós, só, é um processo que tem de levar a falar muito, esclarecer, discutir o caráter da democracia.
O executivo tem um processo de eleição que inibe a venalidade. A eleição parlamentar produz um parlamentar mais conservador.
Daí a importancia da constituinte. Mas será que uma consituinte vai eleger um congresso mais ou menos conservador?
Talvez sendo uma constituinte exclusiva, fosse melhor. Elege, cria as leis e volta pra casa e faz nova eleição.
O DILEMA DOS CONSERVADORES PARA 2018
Está muito difícil. Os conservadores brasileiros correm o risco de ser representados pela extrema direita. O Bolsonaro comeu uma parte importante do voto conservador. Ele é fruto da intolerância cultivada por esses fazedores de golpe com papinhas dadas na boca. A intolerância instigada para criar um ambiente de golpe é muito forte. Monta a justiça para destruir o inimigo, faz do judiciário arma política. Eles abriram a Caixa de Pandora, e dela saíram os monstros da intolerância, da violência, do bullying do machismo e da homofobia, o bullying da censura à cultura e às artes... Os monstros criaram um clima terrível. Lembra o ambiente criado pelo AI-5, que destruiu a efervescência cultural e artistica que havia no Brasil apesar do golpe de 64. Aí foi o fechamento total.
Vivemos a ameaça de um segundo golpe, e esta ameaça está centrada em impedir Lula de ser candidato. Tirar o Lula para fazer o serviço sujo, privatizar a Eletrobras, vender o pré-sal, acabar com a previdência, fazer estas reformas que estão em compasso de espera. Se eles tivessem um candidato, várias coisas eles já teriam resolvido. Mas não têm um candidato.
EXISTE UMA BURGUESIA PROGRESSISTA BRASILEIRA?
A visão de burguesia nacional típica dos anos 50, 60 e 70 não existe mais. O nível de integração internacional é elevado. Mas eu acreditava que havia segmentos interessados no desenvolvimento do país. Eu achava que esta situação de auto-estima brasileira no mundo seria importante e duradoura para parte da nossa elite. E seria uma questão de estado.
Hoje, eu não sei mais se eles são assim. Eu vi, por exemplo, empresários que obtiveram a parte fundamental do seu lucro no Brasil, com a gente precisando de educação de qualidade, dando dinheiro pra Harvard. Isto é um absurdo. Um empresário que obteve sua fortuna aqui! Não tem cabimento. Ele acha bonito ou quer formar uma elite internacionalizada submetida a outros interesses. Eu tenho uma sensação de muito ceticismo sobre como segmentos da elite empresarial brasileira enxergam o mundo. Eles não percebem como perdem valor por não valorizar o próprio pais.
REAÇÃO DOS EMPRESÁRIOS AOS ESTÍMULOS DO GOVERNO?
Há muito pensamento de curtíssimo prazo. Nunca se esqueça que redução de salário aumenta lucro, rentabilidade de curtíssimo prazo, pelo fato de que prevalece a lógica da financeirização sobre a lógica do capital produtivo. O capital produtivo pode esperar. O capital financeiro exige rentabilidade quadrimestral.
Quando vimos que a crise chegava inexoravelmente, mesmo que a tivéssemos barrado por seis anos, nós tentamos fazer duas coisas. Concedemos a desoneração da folha de pagamento, para aumentar a competitividade internacional numa época de queda salarial em todo o mundo; e demos outras desonarações, esperando que com elas a indústria expandisse sua atividade. Eles não fizeram isto, só ampliaram a margem de lucro. Embolsaram as desonerações. Isto é uma visão de curto prazo. É pensar "prefiro fazer isso do que ajudar o país".
Instituições internacionais mostram que reformas trabalhistas como a que fizeram aqui têm efeito contrário do esperado. Afetam o problema da demanda, que já está deprimida. É a teoria do corte de gastos. Achar que sai de uma brutal recessão só com o corte de gastos. Deprimindo a demanda você agrava a recessão.
Com o golpe, eles acreditaram na fada das expectativas. Acharam que tudo ía dar certo em um ano. Era tudo em torno das expectativas negativas. Inventara e alguns até acreditaram que a fonte das expectativas negativas éramos eu e o governo petista. "Tira eles que tudo se resolve!". Eles subestimaram a própria crise. No final de 2014, há uma q ueda violenta no preço das commodities, que produz problemas na China, no Brasil e nos emergentes. E os Estados Unidos promovem um forte impacto cambial. E aqui no Brasil ainda tinhamos o quinto ano de uma grave crise hidrica.
DO PONTO DE VISTA PESSOAL, COMO FUNCIONOU O BULLYING?
Nada podia parecer certo. Fui inaugurar um aeroporto, e eles encontraram um banheiro pingando, fizeram um escarcéu incrível.
Também teve toda uma linguagem misógina e machista.
A Dilma é uma mulher dura. O homem é firme.
A Dilma é dura e insensível, não tem compromisso com a lógica.
A Dilma é uma mulher emocionalmente instável. O homem é sensível.
Eu era obsessiva compulsiva com trabalho, homem é empreendedor e trabalhador.
Este jogo da misoginia e do machismo é muito bem feito por quem o utiliza. E é claro que tinha também o rastaquerismo: apelação, baixar nível, xingar de tudo.
Não deixei de enxergar nada, mas fiz um imenso esforço para que isso não me diminuisse, não me paralizasse e não me atemorizasse.
Recebi uns dez a 15 telefonemas pra não comparecer ao Senado. Pensavam que me atemorizavam. Atemorizaria se eu os respeitasse.
COMO A DIREITA FARÁ SEM UM CANDIDATO VIÁVEL?
Podem até tentar impedir a eleição, mas vai depender da força de todos nós. O aspecto democrático prevalece sobre todos os outros. A condição para que a gente possa defender qualquer coisa no Brasil – os projetos destruídos ou em processo de destruição etc, para fazer tudo isso só tem um jeito: a democracia.
Democracia significa garantir eleições livres e diretas em 2018. E não permitir que eles ganhem no tapetão.
Eles podem querer tirar o Lula do páreo, podem não querer fazer a eleição ou podem querer mudar as regras.
É claro que eles não fizeram o golpe para entregar de volta. Mas eles erraram na mão. Cometeram muitos erros. Fizeram uma rapina.
Alguém não vê que não entregaram nada do que prometeram?Alguém desconhece que o Temer está envolvido em corrupção, com o governo todo?
A situação é precária porque, quanto mais eles tentam prestar contas ao mercado e honrar seus compromissos, mais eles se distanciam da população e ficam ilegítimos e impopulares.
Temer sabe que o que está fazendo é contra o interesse da população.
HÁ ESPERANÇA DE VENCER O GOLPE?
Eu tenho muita esperança. Sou muito otimista.
Acho que a situação pra eles está difícil. Não vejo como eles possam alterar tanto a regra do jogo. O risco que eles correm é muito grande. Não têm mais tanta adesão. Fiquei animada com as caravanas, que são um caminho de otimismo e perspectiva. Você percebe nelas o grau de consciência crítica da população. Temos que ampliar o espaço democrático. Este país é uma democracia e eles não podem romper com o aspecto formal dela.(247).
Eles não podem acabar com a eleição ou impedir que alguém concorra.
Temos que resistir.
O mundo sem Globo é possível.
E, se me permitem, para encerrar: Lula 2018!


Blog do BILL NOTICIAS