quinta-feira, 18 de maio de 2017

NOBLAT E MORENO, DO GLOBO, CONFIRMAM RENÚNCIA DE MICHEL TEMER


Os jornalistas Ricardo Noblat e Jorge Bastos Moreno, do Globo, que eram também porta-vozes oficiais do governo golpista, confirmam: Michel Temer renuncia nesta quinta-feira.
Moreno disse que Temer tem motivos para renunciar e Noblat foi mais incisivo, afirmando que Temer foi convencido por aliados e adversários a jogar a toalha.
Game over. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

TEMER VENDEU CARGOS FEDERAIS POR PROPINA


Michel Temer é, definitivamente, o maior corrupto da história do Brasil.
Ele não foi gravado apenas avalizando a compra do silêncio de Eduardo Cunha e vazando a informação privilegiada sobre a taxa de juros do Banco Central.
Por meio de seu operador Rodrigo da Rocha Loures, ele também ofereceu à JBS o direito de nomear servidores em vários órgãos federais, em troca de propina.
Temer ofereceu cargos no Cade, na Comissão de Valores Mobiliários, na Receita Federal, no Banco Central e na Procuradoria da Fazenda Nacional.
Traidor da presidente Dilma Rousseff e da democracia brasileira, ele deve cair ainda hoje, saindo do golpe para a lata de lixo da História.
Leia, abaixo, nota de Lauro Jardim:
Um dos pontos mais devastadores para o governo Michel Temer está aos 10 minutos da conversa de Joesley Batista com Rodrigo Rocha Loures, no dia 13 de março deste ano, na casa do deputado no Jardim Europa, em São Paulo. Nesta conversa, Rocha Loures mostra que o governo estava à disposição dos interesses dos donos do grupo J&F, que controla a JBS e outras dezenas de empresas.
Havia sido o próprio Temer quem havia dito a Joesley Batista que ele poderia tratar de "tudo" com Rocha Loures. Na conversa gravada entre os dois no dia 7 de março, no Palácio do Jaburu, Joesley pediu a ajuda de Temer para resolver uma pendência da J&F no governo.
— Fale com o Rodrigo — afirmou Temer.
Joesley quis se certificar do que Rocha Loures poderia fazer por ele e perguntou:
— Posso falar tudo com ele?
Temer foi sucinto:
— Tudo.
No encontro com Rocha Loures, seis dias depois da conversa acima com Temer, Joesley explicou a deputado que precisava resolver uma série de problemas de suas empresas em órgãos como o Cade, a CVM, a Receita Federal, o Banco Central e a Procuradoria Fazendária Nacional.
Joesley afirmou que ele precisa que "posições-chaves" nesses órgãos sejam ocupadas por pessoas que possam lhe ajudar, destravando negócios do grupo J&F.
Aos 16 minutos da conversa, Rocha Loures oferece a Joesley a possibilidade de levar algum nome indicado por ele para o conhecimento de Temer.
Veja a conversa:
Joesley: Eu só preciso é resolver meus problemas, se resolver, eu
nem, só pra não confundir, as vezes, não é que eu, a eu gostaria que
fosse João ou Pedro, João ou Pedro...
Rodrigo: O importante é que resolva.
Joesley: Resolve o problema, se resolve, então pronto, é que eu tenho
algumas questões a ser resolvida, e de repente já vamos chamar a
ele e testar, falar ôô, ôô Fulano...

A partir daí, Rocha Loures começa a fazer uma série de telefonemas na frente de Joesley, com interlocutores de alguns desses órgãos, para mostrar o acesso a todos eles. Joesley então muda de assunto. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

CAIU A CASA GOLPISTA: FACHIN ACEITA DENÚNCIA E PGR INVESTIGARÁ TEMER


O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, aceitou o pedido da Procuradoria Geral da República e abriu investigação contra Michel Temer por obstrução à Justiça. A primeira informação foi dada pelo site Buzzfeed Brasil.
O inquérito foi aberto após a delação bombástica do empresário Joesley Batista, da JBS, que afirmou a Fachin ter gravado uma conversa em que Temer apoia a compra do silêncio de Eduardo Cunha na prisão. "Tem que manter isso, viu?", disse Temer, segundo Joesley.
A obstrução à Justiça não foi o único crime cometido por Temer, que também passou informação privilegiada a Joesley, sobre o corte da taxa básica de juros (Selic) que ainda seria feito pelo Copom, do Banco Central.
O nome de Temer já estava envolvido na Lava Jato, como quem recebeu US$ 40 milhões em propina da Odebrecht para financiar campanhas do PMDB, mas ele não era investigado no STF. Na avaliação de Janot, Temer não poderia ser alvo de investigação por atos cometidos anteriormente ao mandato.
"No caso em questão, apesar de suspeito de obstrução à Justiça, a PGR não pode pedir a prisão de Temer. Como presidente ele só pode ser recolhido ao cárcere após ser condenando", lembra o BuzzFeed. "No entanto, caso ele seja denunciado e o STF aceite a denúncia, transformando-o em réu, ele fica suspenso do mandato presidencial", diz o site.

Blog do BILL NOTICIAS

AS FOTOS DAS PROPINAS DE AÉCIO E DE TEMER


 O jornalista Lauro Jardim, do Globo, divulgou nesta tarde fotos que revelam o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) recebendo uma mala de dinheiro que seria usado para comprar o silêncio de Eduardo Cunha, em uma pizzaria no bairro dos Jardins, em São Paulo.
Loures foi uma indicação de confiança de Michel Temer a Joesley Batista, da JBS, segundo revelou o empresário em delação premiada ao STF. O deputado já foi afastado do cargo pelo Supremo após as denúncias.
As fotos também mostram o primo do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Frederico Pacheco de Medeiros, o 'Fred', também levando uma mala de dinheiro da JBS em nome do senador tucano. Aécio também foi afastado do cargo. A PGR pediu sua prisão, mas o ministro Edson Fachin, do STF, negou o pedido. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

TEMER COGITA RENUNCIAR AINDA NESTA QUINTA-FEIRA

REUTERS/Nacho Doce

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sucessor natural de Michel Temer, acaba de ser chamado às pressas ao Palácio do Planalto e são fortes os rumores de que o ocupante da presidência da República irá renunciar nesta quinta-feira 18.
Já se sabe que Temer foi pego em fragrante cometendo crimes em série: obstrução judicial, com a compra do silêncio de Eduardo Cunha (leia aqui), vazamento de informação privilegiada, com o repasse da taxa de juros à JBS (leia aqui), e corrupção passiva, com a troca de cargos federais por propina (leia aqui). (247).

Blog do BILL NOTICIAS

HUCK, O NOVO DE FHC, TENTA APAGAR TODAS AS SUAS FOTOS COM AÉCIO


Revista Fórum - Alguns dos principais apoiadores do senador tucano Aécio Neves se apressaram em abandonar o barco do mineiro. Um dos principais, além de amigo pessoal do político, o apresentador global Luciano Huck, apagou todas as fotos ao lado do senador que  tinha postado em suas redes sociais.
O escândalo envolvendo o ex-candidato à presidência pelo PSDB vem à cena alguns dias após Huck desmentir que tenha o desejo de concorrer à presidência da República.
E os internautas não perdoaram a iniciativa de Huck. Não faltaram piadas e críticas em torno do assunto. Alguns lembraram da campanha feita por artistas durante o processo de impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT).
Nela, as celebridades disseram que votaram em Aécio Neves para acabar com a corrupção, fato bastante ironizado pelos internautas. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

RATOS ABANDONAM O BARCO E PSDB ENTREGA CARGOS NO GOVERNO GOLPISTA


Como ratos pressentindo que o navio de Michel Temer está na iminência de afundar, o PSDB, principal apoiador de Temer, deverá todos os cargos que tem no governo. 
Rompimento está sendo discutido pelos líderes tucanos, que deverão divulgar uma nota com a posição final ainda nesta quinta (18). O consenso que se forma é de que só isso garantirá a sobrevivência mínima do partido. O partido tem quatro ministros no governo, e um deles (Bruno Araújo, Cidades) já defendia o desembarque na noite de quarta (17).
Se romper mesmo, como é provável, o PSDB vai defender o cumprimento da Constituição e defender eleições indiretas. Entre outros motivos, porque Luiz Inácio Lula da Silva (PT) certamente seria candidato em um momento em que as acusações na Lava Jato ainda não erodiram totalmente sua popularidade.
Com Lula candidato, o único rival tucano que poderia batê-lo, avaliam líderes, é o prefeito paulistano João Doria. Como o nome do prefeito não é consenso na cúpula do partido, que ainda gostaria de tentar apostar no governador Geraldo Alckmin (SP), que também se defende na Lava Jato, o ideal para os tucanos seria postergar o tempo político de decisões para 2018. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

PSDB ENXOTA AÉCIO E ELEGE SAMPAIO COMO NOVO PRESIDENTE

GeorgeGianni

Depois de ser afastado do Senado pelo ministro Edson Fachin, Aécio Neves perdeu também a presidência do PSDB nesta quinta-feira. O novo presidente do partido é o deputado Carlos Sampaio (SP),  vice-presidente jurídico do PSDB.
A escolha do deputado para o lugar que antes era de Aécio Neves deu-se após reunião da cúpula do PSDB no gabinete do senador Tasso Jereissati, iniciada às 10h30.
Aécio Neves foi flagrado pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS, para pagar um advogado em sua defesa da Lava Jato. O dinheiro teria sido entregue a seu primo Frederico Pacheco de Medeiros, o "Fred", em quatro parcelas de R$ 500 mil. Uma das entregas, feita por Ricardo Saud, diretor de Relações Institucionais da JBS, foi gravada pela Polícia Federal.
Carlos Sampaio assume o posto interinamente até que a Executiva Nacional da legenda convoque uma eleição para escolha de um novo presidente.
O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), "intimou" o presidente do Senado Eunício Oliveira (PMDB-CE) a saber do conteúdo de ordem em que suspende o mandato de senador de Aécio Neves (PSDB-MG) e aplica medidas cautelares alternativas à prisão solicitada pelo procurador-geral Edson Fachin.
Aécio Neves está proibido de ter contato com qualquer um dos investigados ou réus nos fatos relacionados à delação da JBS e de deixar o Brasil, devendo o tucano entregar à Justiça o seu passaporte. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

AÉCIO TRATA PROPINA DE R$ 2 MILHÕES COMO VENDA DE APARTAMENTO

Pedro França/Agência Senado

"Foi proposta, em primeiro lugar, a venda ao executivo de um apartamento de propriedade da família. O delator propôs, entretanto, já atendendo aos interesses de sua delação, emprestar recursos lícitos provenientes de sua empresa, o que ocorreu sem qualquer contrapartida, sem qualquer ato que mesmo remotamente possa ser considerado ilegal ou mesmo que tenha qualquer relação com o setor público. Registre-se ainda que a intenção do senador sempre foi, quando da venda do apartamento, ressarcir o empresário", diz nota do ex-senador Aécio Neves sobre a propina de R$ 2 milhões paga pela JBS.
Leia abaixo a nota da sua defesa:
O senador Aécio Neves foi surpreendido hoje (18/05) com a gravidade das medidas autorizadas pela Justiça, a partir da reunião havida com o sr. Joesley Batista.
Tratou-se única e exclusivamente de uma relação entre pessoas privadas, em que o senador solicitou apoio para cobrir custos de sua defesa, já que não dispunha de recursos para tal.
Foi proposta, em primeiro lugar, a venda ao executivo de um apartamento de propriedade da família. O delator propôs, entretanto, já atendendo aos interesses de sua delação, emprestar recursos lícitos provenientes de sua empresa, o que ocorreu sem qualquer contrapartida, sem qualquer ato que mesmo remotamente possa ser considerado ilegal ou mesmo que tenha qualquer relação com o setor público.
Registre-se ainda que a intenção do senador sempre foi, quando da venda do apartamento, ressarcir o empresário.
O senador Aécio Neves lamenta profundamente versões que têm sido divulgadas sobre o caso e, com serenidade e firmeza, vai demonstrar a correção de suas ações e de seus familiares, e a farsa de que foi vítima, montada pelo delator de forma premeditada e criminosa, induzindo as conversas para alcançar seus objetivos de obter os benefícios da delação.
O senador manifesta sua incompreensão e inconformismo pelo pedido de prisão preventiva de sua irmã Andrea Neves, que nada mais fez do que atender seu pedido de levar ao empresário, uma vez que o senador se encontrava em, Brasília, a proposta de venda do apartamento da família.
Apesar de toda essa violência, o senador segue confiando nas instituições na certeza de que a Justiça, feitas as devidas investigações, demonstrará a absoluta correção dos seus atos e de seus familiares. (247).
José Eduardo Alckmin
Advogado do senador Aécio Neves


Blog do BILL NOTICIAS

FHC ABANDONA A PINGUELA E DEFENDE A RENÚNCIA DE TEMER






"Se as alegações de defesa não forem convincentes, e não basta argumentar são necessárias evidências, os implicados terão o dever moral de facilitar a solução, ainda que com gestos de renúncia. O país tem pressa. Não para salvar alguém ou estancar investigações", escreveu o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, nesta quinta-feira.
FHC, como se sabe, é um dos responsáveis pela tragédia brasileira por não ter contido o golpe de Aécio Neves e Eduardo Cunha e por ter avalizado o desastre moral do governo Michel Temer, que chamava de "pinguela".
Agora, FHC deixa claro que a pinguela caiu. (247).

Blog do BILL NOTICIAS









Fachin autoriza abertura de inquérito contra Michel Temer


O presidente Michel Temer confirmou ter-se encontrado com Joesley Batista, mas negou ter dado aval à propinaUeslei Marcelino/Reuters/File Photo


Edson Fachin, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e relator da Lava Jato, autorizou nesta quinta-feira (18) abertura de inquérito para investigar o presidente Michel Temer (PMDB). De acordo com informações do Estadão, a investigação é por suspeita de envolvimento do presidente na possível "compra" do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
O caso veio à tona nesta quarta-feira (17) após matéria de O Globo revelar de que os donos da empresa JBS, Joesley Batista e o seu irmão Wesley Batista, disseram ter gravado uma conversa na qual o presidente teria dado aval a propina para garantir que Cunha ficasse calado.
A gravação, feita por Joesley em março com um gravador guardado no bolso do paletó, foi citada na declaração que os controladores da JBS deram à Procuradoria-Geral da República em abril durante o processo para firmar acordo de delação premiada.
Em nota, o presidente Michel Temer confirmou o encontro com Joesley Batista, mas negou ter dado aval à propina. A assessoria da JBS informou que a empresa não vai se pronunciar. A defesa do deputado Eduardo Cunha também disse que não vai se manifestar no momento. (R7).

Blog do BILL NOTICIAS

AÉCIO, PRESIDENTE NACIONAL DO PSDB, E LÍDER DO GOLPE, NÃO É MAIS SENADOR



O presidente nacional d PSDB, Aécio Neves (PSDB-MG), não é mais senador.
O líder do golpe que destituiu Dilma Rousseff foi afastado do cargo pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin.
O pedido de afastamento foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e acolhido por Fachin.
Aécio foi gravado pelo empresário Joesley Batista, da JBS, pedindo R$ 2 milhões em propina.
Longe do Senado e sem o foro privilegiado do cargo, Aécio pode destino semelhante ao do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e ter seu caso remetido para o juiz Sérgio Moro, em Curitiba. Com isso, a decisão por uma eventual prisão do mineiro estaria nas mãos de Moro. (247).

Blog do BILL NOTICIAS

Andrea Neves é presa em Nova Lima, na região metropolitana de BH


Resultado de imagem para Andrea Neves é presa em Nova Lima, na região metropolitana de BH

A Polícia Federal (PF) prendeu preventivamente na manhã de hoje (18) Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Ela foi localizada em um condomínio em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Foi expedido contra ela um mandado de prisão preventiva pelo ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, relator dos processos ligados à Operação Lava Jato.
Em Belo Horizonte, também são cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Andrea Neves e Aécio Neves e na casa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG). A PF não informa os locais exatos e nem a quantidade da mandados abertos para a capital mineira. Uma fazenda do senador no município de Cláudio, na região centro-oeste de Minas Gerais, é outro alvo dos policiais.
Paralelamente, no Rio de Janeiro, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em um imóvel de Andrea Neves. A PF recolheu materiais e equipamentos que passarão por perícia. Os gabinetes de Perrella e de Aécio no Senado, em Brasília, também foram alvo de buscas.
A ação da Polícia Federal ocorre após o jornal O Globo revelar, na noite de ontem (17), que o empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, entregou à Justiça gravações que comprometem Aécio Neves. O senador teria pedido R$ 2 milhões para ajudar a pagar suas despesas com a defesa na Operação Lava Jato.
O dinheiro teria sido entregue a um primo de Aécio. A entrega foi registrada em vídeo pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que o montante foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).
Joesley também teria apresentado gravações do presidente da República, Michel Temer, em que teria sugerido que se mantivesse pagamento de mesada ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e ao doleiro Lúcio Funaro para que esses ficassem em silêncio. A Presidência da República divulgou nota ontem (17) na qual informa que Temer "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha", que está preso em Curitiba.
Outro lado
Em nota, a assessoria de Aécio Neves disse ontem (18) que o senador "está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários".
O senador Zezé Perrella publicou uma mensagem em seu Twitter por volta das 22h50 de ontem (18) em que diz que nunca conversou com Wesley Batista, não conhece ninguém do grupo Friboi (uma das marcas da JBS) e que nunca recebeu, “oficial ou extraoficial”, nenhuma doação da empresa. “Estou absolutamente tranquilo”, disse o senador. “O sigilo das minhas empresas citadas, dos meus filhos estão absolutamente à disposição da Justiça, onde ficará comprovado que eu não tenho nada a ver com essa história”, acrescentou.(EBC).



Blog do BILL NOTICIAS

PF cumpre mandados nos gabinetes de Aécio, Zezé Perrella e Rocha Loures


Agentes da Polícia Federal (PF) estão, desde as 6h15, cumprindo mandados de busca e apreensão nos gabinetes dos senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Zezé Perrella (PMDB-MG) e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR). Os agentes chegaram em seis carros e, neste momento, o acesso ao Anexo 1 do Congresso Nacional está restrito.
No início da noite de ontem (17), o jornal O Globo publicou reportagem, segundo a qual, em uma gravação feita pelo dono do grupo JBS, Joesley Batista, o presidente do PSDB, Aécio Neves, teria pedido R$ 2 milhões ao empresário. O dinheiro teria sido entregue a um primo de Aécio. A reportagem diz ainda que a entrega foi registrada em vídeo pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que o montante foi depositado em uma empresa do senador Zezé Perrella. De acordo com o jornal, Batista firmou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal e entregou a gravação.

A assessoria de Aécio Neves divulgou nota ontem (17) na qual diz que o senador "está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários".
Também na noite de ontem, a assessoria de Rocha Loures informou que o deputado está em Nova York e tem retorno programado para hoje. A nota diz que, em seu retorno, o deputado deverá se inteirar e esclarecer os fatos divulgados. De acordo com o jornal O Globo, o deputado foi indicado pelo presidente Michel Temer como interlocutor para solucionar um problema da JBS. Posteriormente, Rocha Loures teria sido filmado recebendo R$ 500 mil.
O senador Zezé Perrella publicou uma mensagem em seu Twitter por volta das 22h50 de ontem em que diz que nunca conversou com Wesley Batista (irmão de Joesley Batista e também dono do grupo JBS), não conhece ninguém do grupo Friboi (uma das marcas da JBS) e que nunca recebeu, “oficial ou extraoficial”, nenhuma doação da empresa. “Estou absolutamente tranquilo”, disse o senador, que acrescentou que espera que todos os citados na reportagem tenham a oportunidade de esclarecer sua participação. “O sigilo das minhas empresas citadas, dos meus filhos estão absolutamente à disposição da Justiça, onde ficará comprovado que eu não tenho nada a ver com essa história”, disse Perrella.
Segundo o jornal, ainda não há confirmação de que a delação do empresário Joesley Batista tenha sido homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). (EBC).


Blog do BILL NOTICIAS