sexta-feira, 16 de junho de 2017

Filha de ribeirinho atingido por construção do Lago de Sobradinho relata “injustiça” para receber indenização e vai criar campanha em redes sociais


O pagamento de indenização aos atingidos pela Barragem de Sobradinho, no norte da Bahia, continua sem solução. A ação foi movida contra a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) por centenas de ribeirinhos atingidos pela construção do lago, que ficou pronto em 1978. A barragem foi responsável pelo deslocamento de mais de 70 mil pessoas, segundo informações. Essas pessoas moravam nas antigas cidades de Remanso, Casa Nova, Sento-Sé e Pilão Arcado.
Diante do problema, a filha de um ribeirinho, Adriana Menezes dos Santos, enviou e-mail a este Blog, informando que vai criar uma campanha nas redes sociais para divulgar o que ela considera “uma injustiça” com as famílias que tiveram que deixar tudo para trás e até hoje não foram indenizadas. “Eles não criaram essa situação, eles foram vítimas de um progresso sem planejamento ou humanidade”, diz ela, frisando que o processo de indenização já dura 12 anos.
Eu, como filha de um desses ribeirinhos do Povoado de Piri, em Sento-Sé, irei movimentar e divulgar essa situação pelas redes sociais, até que chegue ao conhecimento das pessoas responsáveis pelo pagamento dessa indenização. Farei o que for necessário para que o grito daqueles trabalhadores rurais, pescadores ou vaqueiros, seja ouvido”. Adriana Menezes ainda solicita o apoio de políticos, pois segundo ela, os resultados seriam mais rápidos. O processo tramita no Superior Tribunal Federal (STF). Com a palavra, as autoridades responsáveis.(Via:C.Britto).

Blog do BILL NOTICIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário