quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Acompanhe o discurso do Vereador Dr.Pérsio Antunes, PMDB, na tribuna da Câmara de Vereadores, nesta terça feira(20)



persio antunes ok_jpg

O Vale Acordou e o Atordoamento Ideológico

 Prezadas Senhoras,
Prezados Senhores,
Nos últimos meses, vimos em nosso país o levante e o grito de uma nação que há muito não se fazia ouvir, uma nação que nunca dormiu, mas gemia de dor em seu berço esplêndido. Uma nação livre em toda sua extensão que falou em coro por todas as gentes, de todas as classes, de todos os credos, de todas as raças: Vem pra rua!
Na rua, o palco perfeito para a apresentação coreografada de um enredo de indignação, contra a letargia do Estado, contra a ineficiência da máquina pública, contra os altos custos de vida impostos aos cidadãos.
O que quer essa massa livre, colorida, diversa? Educação de qualidade, acesso à saúde, qualidade de vida digna, justiça social. Essa massa quer mobilidade urbana, quer combater a corrupção, quer resgatar para si, a capacidade de inferir na realidade brasileira e fazê-la melhor.
No Brasil, já vivemos tantos movimentos, seja por uma justa divisão da terra, pelo direito a propriedade, como a luta pela reforma agrária, pelo direito a moradia, pelos direitos trabalhistas, pelos direitos da mulher, pela democracia e pelo direito ao voto, e tantas outras lutas históricas. O Brasil que temos, é o Brasil que conquistamos, e o Brasil que queremos é que nos motiva a lutar.
Na esteira dos acontecimentos, em meio à justa e legítima manifestação popular, eis que surge o OPORTUNISMO, os atos de vandalismo, a invasão, depredação e atentados ao patrimônio público e às instituições públicas, roubos, ataques incendiários, violência, etc. Embora em certos momentos se tenha notado casos o uso excessivo da força pela polícia, o que não é admissível, mas a necessidade de restauração da ordem se impôs.
Como já ensinava o sábio rei Salomão, em seu livro de Eclesiastes (3:15) “O que é já foi; e o que há de ser, também já foi.”.
Desde século XX e também agora no século XXI, muito se falou dos movimentos populares, que por vezes culminaram em revoluções sempre anunciadas como redentoras e transformadoras das realidades presente na vida das populações mundiais. Assim, foi com Hitler na Alemanha, difusor de um “movimento de massas”, e sua ideologia repugnante. Não foi diferente na Revolução Russa e o seu modelo socialista e na mesma direção a Revolução Chinesa e a Revolução Cubana, hoje, uma ditadura revolucionária, que mantém há cinquenta anos o povo refém de uma ideologia utópica e um modelo político e econômico obsoleto, fazendo do seu povo escravos de um pequeno grupo dominante através de um único partido político, e que infelizmente ainda inspira muitos déspotas.
Agora, senhoras e senhores, se apresenta em Petrolina, pessoas que se auto-intitulam, “lideres” do povo, mas são pessoas sem história política, sem uma vida pública, sem representatividade, sem serviços prestados a sociedade, em meio a um movimento que ainda não tem uma clara direção, nem objetivos definidos, nem uma proposta política conhecida e aceita pela população, apenas o legítimo sentimento de revolta.
Havia no oculto, escondido nos porões, nos becos escuros, nas esquinas à madrugada, e eis que por uma fatalidade ou por um lapso, cai-se a máscara e surge um “líder” que se mostra séquito de uma doutrina ideológica, esta, uma das mais nocivas ao Estado Democrático de Direito, o ANARQUISMO.
O que é e o quer o ANARQUISMO? Vejamos! Segundo o dicionário de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira (1993), “anarquia” significa: “1. Falta de governo ou de chefe; 2. Confusão e desordem disso resultante” já para “anarquismo”, a definição é a que segue: “Teoria que considera a autoridade um mal e preconiza a substituição do Estado pela cooperação de grupos associados”
Para o professor Antônio Lima, em sua obra “Tudo o que você queria saber sobre Anarquia” que foi publicada pelo Grupo Autonomia (2006):
O Anarquismo acaba com a organização social onde um, quer sempre mandar no outro. Nele, ninguém é obrigado a fazer nada que não tenha vontade, nem muito menos a aceitar pontos de vista divergentes aos seus.
(…) O Anarquismo abre caminhos ainda que as pessoas nadem contra a correnteza, vivendo o Anarquismo do modo que o concebem, seja individualmente, isoladamente ou até mesmo ciganamente. A lei da vida é o amor… mas o amor sob vontade. Todo mundo tem direito de viver a vida da maneira que quiser.
(…) Por isso o Movimento Anarquista não compactua com eleições, partidos políticos ou coisas do gênero. Sob o ponto de vista Anarquista, todo aquele que visa o poder sobre seus semelhantes é inimigo da liberdade dos mesmos.
Portanto minhas senhoras e meus senhores, eis a tamanha incoerência de um movimento ideológico que nega o Estado Democrático de Direito em toda sua essência e sua forma de instituição, que não reconhecem os seus poderes e a ordem constituída, querer “mudar” o que não acredita, quando em verdade quer destruí-lo.
Eis a AUSÊNCIA DA HONESTIDADE INTELECTUAL, e a DESFAÇATEZ daqueles que por OPORTUNISMO se alimentam de um sentimento legítimo do povo quer um Estado melhor, mais próspero e mais justo. Um Estado que foi conquistado com sangue, com luta honrada, com a história e o sacrifício de vida dos heróis de muitas gerações que nos enche de orgulho como a Inconfidência Mineira (1789), a Conjuração Baiana (1798) e a Revolução Pernambucana (1817), pela independência e pela soberania do Brasil, e que já carregavam o gérmen do sistema republicano de governo que hoje vivemos em nosso Estado.
Estes oportunistas de agora, agitam, inflamam, agridem, desrespeita, difamam, não têm limites para impor suas vontades. Criticam o Estado, mas se alimentam do seu poder e da sua fragilidade, criticam da justiça, mas não respeitam as leis e a ordem. Falam de liberdade de manifestação, ao tempo que criticam, atacam e desrespeitam os órgãos de imprensa livre brasileira. Quem lhes dá direito para tal? Como adquiriram legitimidade para falar em nome do povo? Os povos os conhecem? Sabem das suas reais intenções? Qual a sua história e que serviços prestou a sociedade petrolinense?
De onde vieram esses jovens? O que eles fazem afinal? O que querem ? Dizem ser apolíticos, cuja ideologia é a do anarquismo, mas, não respeitam as instituições públicas, invadem o poder executivo, agridem o chefe do poder executivo e sua família em pleno evento religioso, e lá estão mascarados para não mostrarem seus rostos, lavam as calçadas dos três poderes ( executivo, judiciário e legislativo ) em nossa cidade dizendo serem puros e estão lavando a corrupção. Que provas os mesmos tem? Contra que políticos eles fazem isso, se no mesmo evento havia ministro, deputados, vereadores e somente o prefeito foi agredido? Será que não está na hora de uma reflexão profunda sobre os seus atos? Pergunto ainda quem queimou dois ônibus na cidade? Quem jogou coquetel molotov na central de transporte da prefeitura? Quem tentou tocar fogo na antiga secretaria de educação do município? Precisamos de respostas da justiça. Será que juazeiro da Bahia não tem os mesmos problemas e nada lá acontece? Não estamos cobrando que esses mesmos jovens devam fazer o que fazem em Petrolina, apenas uma observação. O executivo reduziu a passagem de ônibus com a isenção do ISS para transporte público, reativou o conselho municipal de transporte, criou o fundo municipal de transporte público e a câmara realizou audiência pública com a presença do governo do estado que reduziu o ICMS para o diesel e consequente redução do valor das passagens a partir de setembro de 2013.
Concluo minhas palavras minhas senhoras e meus senhores, com as palavras do filósofo francês Edgar Morin que disse: “Sofri por causa das classificações. Para mim, uma realidade humana é histórica, sociológica, psicológica, econômica, etc. A classificação fechada é inútil e impede o verdadeiro conhecimento”.
Como líder de uma minoria, chamamos a atenção para o joio que infesta o trigo, que cresce como praga e por vezes não permite se enxergar a diferença entre o que é alimento e o que é veneno.
 Dr. Pérsio Antunes - Médico, Servidor Público Federal e do Município de Petrolina e Vereador em Petrolina-PE

Blog do Bill Art´s

Nenhum comentário:

Postar um comentário